UEFA Youth League 21/22 | F. de Grupos - 1° Jornada | Sporting CP - AFC Ajax [15/09 | 11h]

Chico lamba só la vai com uma lobotomia

2 Curtiram

Vai para o wolves?

2 Curtiram

Fomos melhores praticamente sempre, mas criamos poucos lances de perigo.

Merecíamos melhor resultado

Jogo bem disputado com oportunidades para ambos os lados, apesar de na minha opinião fomos ligeiramente superiores e com mais oportunidades flagrantes para marcar. Pecamos na finalização e na decisão no ultimo terço de terreno.

Não, o Veiga pode andar a jogar a 8 mas nunca — em momento algum — será um 8 no futebol sénior, se quiser singrar. É claramente um 6. Aliás nos juvenis, antes da pandemia, era a 6 que jogava (e jogava bem).

Infelizmente não consegui ver o jogo, mas esperava uma vitória.

1 Curtiu

Foto César Lomba

EMPATE NA ESTREIA EUROPEIA

Por Sporting CP
15 Set, 2021

FUTEBOL FORMAÇÃO

Jovens Leões empataram com o AFC Ajax (1-1)

O Sporting Clube de Portugal estreou-se com um empate (1-1), esta quarta-feira, na UEFA Youth League na recepção ao AFC Ajax na primeira jornada do grupo C. Frente-a-frente estiveram duas das melhores escolas de formação do Mundo e os adeptos não faltaram à chamada, enchendo as bancadas do Estádio Aurélio Pereira - cumprindo as restrições impostas pela Direção Geral da Saúde (DGS).

Neste jogo que marcou também o regresso dos jovens Leões à prova europeia pela quarta vez, além dos muitos técnicos e jogadores da formação presentes, Frederico Varandas, presidente do Conselho Directivo, Rúben Amorim, treinador da equipa principal e vários elementos dos plantéis principais de futebol masculino e feminino também estiveram a assistir ao jogo.

Do lado Leonino, Filipe Pedro liderou um conjunto constituído por jovens jogadores de diferentes gerações, nascidos entre 2002 e 2004, sendo Diego Callai, David Monteiro, Martim Marques e Mateus Fernandes os mais novos no onze inicial.

Incisivos e sem tempo a perder, os jovens Leões começaram o jogo com a mira na baliza adversária desde bem cedo e por pouco não inauguraram o marcador ainda dentro do primeiro minuto: Paulo Agostinho não conseguiu bater o guardião Charlie Setford no um contra um e na recarga só um defesa impediu o golo de Mateus Fernandes. Ainda assim, o médio de apenas 17 anos continuou com a pontaria afinada e assinaria o 1-0 aos dez minutos, rematando forte e de longe para o fundo das redes.

Com bola, João Daniel baixava entre centrais na construção, Miguel Menino e Lucas Dias posicionavam-se em zonas interiores, deixando os corredores laterais para David Monteiro e Martim Marques, encarregues de dar largura e profundidade ao ataque verde e branco. Um bom exemplo dessa dinâmica ocorreu aos 23 minutos, quando um cruzamento do lateral esquerdo foi finalizado já dentro da área - à figura - por David Monteiro, o lateral do lado oposto.

Ambas as formações pressionavam alto e com muita intensidade para controlar a posse de bola e, assim, impor o seu jogo. Em vantagem no marcador, a formação verde e branca mantinha-se segura e organizada defensivamente. Por outro lado, ainda antes do intervalo, por pouco o Sporting CP não aproveitou da melhor forma uma transição ofensiva em superioridade numérica, não fosse o corte decisivo de Olivier Aertssen, defesa-central do AFC Ajax.

O 1-0 seguiu para a segunda parte, mas duraria cerca de três minutos, pois o extremo Jensen irrompeu pela área para, com alguma felicidade, reestabelecer o empate (1-1). De imediato, o conjunto de Filipe Pedro reagiu e, depois de ter faltado um desvio na sequência de um canto, Mateus Fernandes, em zona privilegiada, atirou por cima.

Passada a hora de jogo, Paulo Agostinho colocou Setford à prova, mas o guardião dos neerlandeses sacudiu o remate à queima-roupa. De seguida, o técnico Leonino refrescou o ataque com a entrada de Tiago Ferreira para o lugar de Menino. A equipa de Amesterdão, por sua vez, mostravam-se, sobretudo, em rápidas transições, que os centrais do Sporting CP iam resolvendo com sucesso.

Aos 72 minutos, os Leões ainda beneficiaram de um pontapé de penalti, porém Paulo Agostinho rematou desenquadrado, mantendo o marcador inalterado. Pouco depois, Filipe Pedro renovou por completo a frente de ataque com as entradas de Isnaba Mané e Nicolai Skoglund para os últimos dez minutos.

Aqui, no entanto, o AFC Ajax mostrou-se mais perigoso, ameaçando a baliza verde e branca por várias vezes, mas Callai respondeu à altura. Do outro lado e já em período de descontos, Mané rematou ligeiramente por cima da barra e na derradeira oportunidade Setford impediu o desvio decisivo de Skoglund. Apesar das situações de golo criadas por ambas as formações, 1-1 seria mesmo o resultado da estreia dos jovens Leões na UEFA Youth League.

Sporting CP : Diego Callai [GR], David Monteiro, Gilberto Batista, Chico Lamba, Martim Marques (Diogo Travassos 31’), Renato Veiga, João Daniel [C], Miguel Menino (Tiago Ferreira 63’), Mateus Fernandes, Lucas Dias (Isnaba Mané 77’) e Paulo Agostinho (Nicolai Skoglund 77’).

Já desisti de entender a formação.

Compram-se jogadores jovens … para não jogar em lado nenhum. Quando se faz como o Bayern de dá a titularidade a Musiala e se senta um internacional A como Gnabri, isto é apostar, ter um conjunto de miúdos jovens que só treina e não joga, é uma bosta sem tamanho.

Vi o Torriense - Sporting B e constatei uma equipa paupérrima. Vi a Liga revelação Farense-Sporting, onde jogaram muitos dos jogadores que também jogaram hoje com o Ajax, vi uma equipa a arrastar-se em campo, e um “treinador” a assistir.

Quando se têm um campo de treinos na Academia chamado Paulo Futre, está tudo dito, não é possível baixar mais a barra.

É continuar a ver o Losers na Netflix, temos muitos candidatos a parecer por lá. que nojo.

É a tua opinião.
Todos os treinadores dele este ano discordam. O Veiga é mais forte em transição e construção do que a defender na verdade, por isso essa opinião (e certeza) é no mínimo forçada.

Vendemos o Acuña para apostar no Nuno Mendes. Temos o Neto internacional A português no banco para jogar o Inácio. Não compramos mais um PL para ficar com o TT como única alternativa. Ainda vens falar em falta de aposta?

6 Curtiram

Média de idades do nosso 11: 17,72
Média de idades do 11 do Ajax: 16,8

De fora, ficaram Essugo (16) e Esteves (17). João Daniel e Agostinho eram os mais velhos com 19, que poderiam ser facilmente substituídos por Essugo e Skoglund.

Há 2 formas de ir à Youth League, a reboque da equipa A entrar na Champions ou sendo campeao de juniores.

Os campeoes de juniores se a equipa A nao estiver na Champions também participam na youth league, embora no caminho separado (só jogando contras as outras equipas na mesma condição) até determinada fase

Há casos em que tenho dúvidas e não tenho qualquer problema em assumi-lo. Neste caso, tenho a certeza, sim.

Ainda que perceba que o coloquem mais à frente pela capacidade de pressionar alto, será como 6 que terá futuro. E quando chegar à Equipa B e deixar de ser treinado pelo Filipe Pedro, até pode não ser titular (porque haverá Essugo, possivelmente ainda o João Daniel) mas a 8 acho que muito dificilmente terá minutos.

A ver vamos.

PS - Estou à vontade… elogiei-o quando estava nos juvenis, naquela equipa que não chegou à fase final sequer. Ou seja, acho que tem algum potencial.

E viva o derrotismo, o drama, o horror. Minha Nossa.

Temos muito talento em todos os escalões e não há drama nenhum. A formação do Sporting está muito bem e recomenda-se. Convém é, ao invés de falar porque se viu este ou aquele jogo, ver mesmo todos os jogos, ver mesmo, e depois, sim, opinar.

Do jogo de hoje:

  1. Bom jogo no geral: dominámos, tivemos oportunidades, embora também tenhamos concedido algumas em transição.

  2. Gilberto está a ficar um senhor central. Lamba vai pelo mesmo caminho. Rápidos, potentes, com qualidade técnica e fortes no jogo aéreo.

  3. Matheus é craque. Da cabeça aos pés. Um médio completo.

  4. Agostinho não é (já o disse aqui mil vezes, digo agora mil e uma) o incapaz que por aqui se pinta. Mas é sempre assim: não caiu em graça e agora levou com o selo. Jogou bem de costas para a baliza, tabelou, criou oportunidades, quase marcou numa bela finalização de primeira. Tem sido titular na B, na selecção e agora na youth. Mas os treinadores não percebem nada disto.

  5. Callai é um monstro. Um génio das balizas.

  6. Veiga ganha competência a cada jogo que passa: podemos ter aqui mais uma opção para 6, sem dúvida.

SL

2 Curtiram

Mesmo argumento usado para o Loide, para o Ronaldo Tavares (que até era melhor), para o Bubacar Djalo e tantos outros…

3 Curtiram

Assino por baixo. Renato é 6. Claramente. Mas joga muitas vezes a 8 para experimentar novos desafios. Para crescer.

2 Curtiram

Isso não acho mal. Mas concordo contigo, é 6.

1 Curtiu

E para Ronaldo, Quaresma, Nani, … Regra-geral são os melhores que jogam. Vir agora com as excepções só traz comprovação científica à regra.

Discordo totalmente. Ou melhor: o facto de ser o melhor ponta de lança do seu ano pouco significa. Não faltam exemplos e temo-lós muito nos avançados que formámos e jogavam na Seleção no seu tempo.

Geralmente um jogador que joga nas Seleções Iovens portuguesas tem muito potencial, ainda mais agora que a qualidade nacional abunda.

Só que há excepções, nem sempre é o caso, e o Agostinho é a meu ver claramente uma dessas excepções. O tempo o dirá.

Para os treinadores, não é só o melhor do seu ano. Na Youth estão os melhores de vários anos. E é ele o escolhido. Sempre. O que indicia que é claramente aquele que vêem como o que reúne mais condições. Se estão enganados? Veremos.

Eu acho que estão. Não há grande concorrência, mas o Skoglund é menos mau (e nem estou certo que mesmo ele venha a dar avançado de alto nível… a ver vamos, ambos a meu ver bastante abaixo do que o TT fez nos juvenis e juniores, na formacao).

Para já leva, nos últimos dois anos, uns 4 golos em quase 30 jogos pelo clube, nos escalões em que tem jogado.