Miguel Braga - Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal

ESCREVER A HISTÓRIA A OURO

Por Miguel Braga*
08 Jul, 2021

OPINIÃO

A equipa feminina de atletismo do Sporting CP é campeã nacional de clubes ao ar livre, título revalidado, o 11.º consecutivo e o 51.º da história do Clube, um registo simplesmente esmagador.

É o domínio total da modalidade no feminino, um feito que orgulha qualquer coração verde e branco. A equipa feminina de atletismo do Sporting CP é campeã nacional de clubes ao ar livre, título revalidado, o 11.º consecutivo e o 51.º da história do Clube, um registo simplesmente esmagador. Em Guimarães, na Pista de Atletismo Gémeos Castro, as Leoas voltaram a mostrar a sua raça: “Sabe a muito trabalho, a muita luta e dedicação. São 11 anos a conquistar sempre este título, é preciso ser muito persistente e é uma honra representar esta equipa, porque se entrega sempre de corpo e alma”, afirmou Sara Moreira, atleta responsável por subir ao pódio para receber o título colectivo feminino (páginas 14 e 15).

Quem também sempre se dedicou de corpo e alma ao Sporting CP, foi o espanhol Pedro Gil, que se despede do Clube em entrevista ao Jornal Sporting (páginas 20 e 21): “é o melhor pavilhão onde joguei em toda a minha carreira. Jogar lá é maravilhoso por toda a envolvência, pela beleza do pavilhão e pela pista em si. Não há melhor rinque do que o do PJR. Vou ter muitas saudades”. De leão ao peito, Pedro Gil conquistou dois Campeonatos Nacionais, duas Ligas Europeias, duas Elite Cups e uma Taça Continental. Ao homem e ao atleta, o nosso sincero obrigado.

É também com gratidão que falamos nesta edição em mais uma Lenda do Sporting CP: o extremo João Cruz (páginas 3 e 4), avançado rápido e finalizador que marcou 144 golos em 278 jogos pelo Clube. Na década de 1940/1941 fez o seu jogo de sonho na final da Taça de Portugal, marcando 3 golos em 60 minutos. O Sporting CP venceu a equipa de “Os Belenenses” por 4-1, com o resultado a ser confirmado por Peyroteo, conquistando assim a dobradinha nessa época. João Cruz acabaria por sair em 1947 depois de se sagrar campeão nacional e com a ascensão do Violino Albano.

Aos 28 anos, Ricardo Esgaio regressa ao Clube pela porta grande (página 6) e promete a entrega de sempre, garantindo também que já está noutro patamar: “estou mais maduro, sei lidar com o jogo e com a pressão”. Nas redes sociais, vários jogadores, actuais e passados, de Porro a Bruno Fernandes, passando por Paulinho ou Jovane Cabral, desejaram toda a sorte do mundo ao lateral: “que coisa linda. Bem-vindo de volta, meu jogador".

Nos últimos dias, Esgaio já foi presença na Academia Cristiano Ronaldo às ordens de Rúben Amorim, tendo inclusivamente marcado um golo no jogo de treino frente ao Casa Pia AC (página 7). Dentro de momentos, segue-se o estágio no Algarve.

Destaque também para a série Eu Sou Olímpico (páginas 22 a 24) e para mais três atletas Leoninos que vão estar presentes em Tóquio, em representação do país, nos próximos Jogos Olímpicos: o trampolinista Diogo Abreu, a agora maratonista Carla Salomé Rocha e o atleta do triplo salto, Tiago Pereira. A todos, desejos de superação individual e de glória. A acção começa já a 23 de Julho.

** Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal*

1 Like

Miguel Braga suspenso 38 dias por dizer que “árbitros têm medo de prejudicar Benfica ou FC Porto”

Responsável pela comunicação e o próprio clube foram multados pelo Conselho de Disciplina da FPF

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol anunciou esta quarta-feira ter aplicado multas a Miguel Braga (que ficará ainda suspenso por 38 dias) e ao Sporting, devido a declarações do responsável pela comunicação do emblema de Alvalade no programa ‘Raio-X’, transmitido pela Sporting TV, a 4 de janeiro deste ano.

De acordo com a decisão do CD, Miguel Braga terá de pagar 6.380 euros, enquanto o Sporting é multado em 20.910 euros. Na mira está a acusação de que os árbitros “têm medo de tomar decisões que prejudiquem Benfica ou FC Porto”.

“A perceção que tenho é que os árbitros têm medo de, em caso de dúvida, tomarem certas decisões que possam prejudicar o Benfica ou o FC Porto [n.d.r.: a referir-se ao facto de Romário Baró não ter sido expulso na deslocação do FC Porto ao terreno do V. Guimarães]”. (…) “É preciso perder o medo de ir contra o poder instituído, que é representado pelo Benfica e o FC Porto”, afirmou então Miguel Braga, em referência aos processos instaurados pelo Conselho de Disciplina da FPF aos responsáveis do Sporting.

ORGULHO DENTRO E FORA DE CAMPO

Por Miguel Braga*
22 Jul, 2021

OPINIÃO

Ser Sportinguista é ver as futuras estrelas do desporto nacional a crescer, a conviver com os seus ídolos, a proporcionar a todos estes momentos que são a alma de um clube, a ligação entre modalidades, entre gerações de talento, entre os Sócios e adeptos

A época passada continua a encher de orgulho os Sportinguistas. Dezanove anos depois, a conquista do título de Campeão Nacional de futebol foi apenas um dos muitos troféus alcançados pelas equipas e atletas do Sporting CP.

Esta semana, sob o olhar atento do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, o Clube deu a conhecer os primeiros passos na requalificação da envolvência do Estádio José Alvalade e do Pavilhão João Rocha. Depois de cortada a fita de ocasião, o presidente do Sporting CP deu, literalmente, o tiro de partida para a inauguração da pista verde de tartan que agora circunda parte do Estádio: deu-se, assim, o arranque para uma nova fase na vida do Clube. A corrida de cada um daqueles jovens esteve carregada de simbolismo, de História, de um legado que já teve muitas caras e que terá, no futuro, com certeza, muitas mais. Mas de todas estas caras, há sempre uma que se destaca, pela devoção e dedicação ao desporto e ao Sporting CP - falo, claro, do professor Moniz Pereira.

Ainda em plena pista, a manhã foi surpreendida pelos saltos e precisão dos atletas da ginástica do Sporting CP, com uma demonstração de trampolim e, mais uma vez, com o orgulho de ser e sentir Sporting CP. Estava feita a ligação com o novo campo de street basket onde, mais uma vez, se juntaram atletas da equipa principal do basquetebol do Sporting CP com os miúdos da formação. Ser Sportinguista é também apreciar estes momentos, é ver as futuras estrelas do desporto nacional a crescer, a conviver com os seus ídolos, a proporcionar a todos estes momentos que são a alma de um clube, a ligação entre modalidades, entre gerações de talento, entre os Sócios e adeptos e os atletas.

A transformação da envolvência do Estádio José Alvalade só nos pode deixar orgulhosos. Vivemos ainda em tempos diferentes, onde as pessoas foram obrigadas a estar fora dos estádios, excluídas por força das circunstâncias de assistir ao chamado espectáculo desportivo – seja em estádios ou pavilhões. Esta é também uma forma de dizer que queremos o regresso do público, os nossos atletas também o desejam, de sentir a força da massa adepta, de sentir o apoio, de ouvir a viva-voz “Sporting, Sporting, Sporting”.

Se a envolvência já pode ser experienciada por cada um, falta ainda saber qual será a decisão do Governo relativamente ao regresso dos adeptos às bancadas. Do nosso lado, a certeza de que a mudança será efectiva, fora e dentro do Estádio. Na terça-feira, a garantia foi dada por Frederico Varandas: “até final da época desportiva teremos todas as cadeiras do estádio de Alvalade remodeladas”, o que neste caso em particular se traduz em cadeiras verdes por todo o Estádio. Ainda nos próximos dias abre portas a esperada Megastore Sporting. O futuro também se escreve no presente.

** Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal*