Futebol Alemão

O Jadon Sancho foi bem vendido. O Dembele foi bem vendido. Para referir dois jovens qus foram potenciados. O problema é a falta de títulos, a perda da craveira europeia do passado e demasiada juventude (más escolhas de treinadores, ainda agora escolheram mal). Têm se afirmado mais como clube formador, clube de passagem para um fim, há muito que mudaram de política (ganharam com o Klopp com esta política, por exemplo).

1 Curtiu

Mas com tanto € ganho - das tais supostas boas vendas - com a maior bancada do mundo, estádio sempre cheio… Não estará na hora de ganhar títulos em vez de ganhar €?

O modelo que o Dortmund tem é muito bom em termos financeiros. Vão buscar jogadores a equipas menos mediáticas por valores relativamente baixos, para depois evoluírem como jogadores e saírem pelo dobro ou o triplo. O problema é que vendem sempre os jogadores quando estão a entrar na fase de poderem dar rendimento desportivo para lutar pelos títulos, por isso voltam sempre atrás e nunca conseguem lutar com o Bayern (que diga-se que também rouba os melhores jogadores das equipas mais fortes da Alemanha).

1 Curtiu

Vê o treinador que escolheram e tens a resposta. Pode vir a surpreender, neste momento é uma grande incógnita e um risco tremendo.

1 Curtiu

Os clubes na Alemanha extra Bayern têm um processo e seguem esse processo à risca. Se depois ganham ou não isso é outra coisa, até porque bater o Bayern não é nada fácil independentemente de tudo o resto, mas as prioridades são jogar para a frente, fazer golos, dar espectáculo, valorizar jogadores desportiva e financeiramente e valorizar o clube também.

2 Curtiram

Uli Hoeneß (presidente do Bayern) sobre o Dortmund contratando Süle, Schlotterbeck e Adeyemi: “Segundo lugar está garantido”. :laughing::laughing::laughing:

Em relação ao modelo do Dortmund, é preciso entender a história recente do clube. Há pouco mais de 15 anos, o clube estava basicamente falido. Desde então, o clube está virado para essencialmente ter uma gestão financeira impecável. Se for possível aproximar ao Bayern com o aparecimento de um Klopp ou de um Tuchel, ótimo. Se não existirem condições para isso, digamos que eles também não o procuram agressivamente de forma a não comprometer a sustentabilidade.

Para mim, é inevitavelmente falta de ambição, porque o Dortmund não pode ser relegado a um “feeder club” para os tubarões. E enquanto mais tempo se prolonga esta imagem, mais enfraquecido sai o clube aos olhos dos jogadores. Deixam de ver o Dortmund como um clube que vence títulos, que está na luta por fases adiantadas da Champions e passam meramente a vê-lo como porta de entrada para algo maior. Podem criar aqui um status quo que possivelmente será díficil de quebrar.
O Dortmund é um clube enorme, mas ainda pesa muito o que aconteceu nos meados de 2000.

Não é falta de ambição, é a realidade. O Borussia Dortmund não tem uma empresa de bebidas energéticas por de trás ou um trilionário saudita, é um clube dos adeptos e isso faz deles automaticamente um feeder clube independentemente de tudo o resto porque qualquer Newcastle da vida tem mais dinheiro que eles, qualquer Leeds chega e bate o dinheiro que eles batem por um eventual reforço. Essa imagem que eles criaram também é aquela que lhes permite chegar primeiro aos Halands, Sanchos, Adeyemis etc porque eles sabem que naquele futebol vão ser valorizados, que vão estar na montra do futebol e que no final não lhe vão cortar as pernas.

Isso de clubes grandes porque tem muitos adeptos e têm muitos títulos não existe no futebol actual porque a realidade está desvirtuada e adulterada por dinheiro estrangeiro e os clubes não vivem em bolhas. O que o City, PSG, Bayern etc fazem ao Dortmund é o que o Dortmund faz ao resto dos clubes financeiramente mais fracos. E vai ser sempre assim a não ser que o clube seja comprado por qataris ou coisa do género, o que muito dificilmente alguma vez os adeptos irão permitir.

É verdade muito do que dizes, mas não é esse papel que os devia impedir de ser competitivos. Coisa que não têm sido. Acho que é perfeitamente possível conjugar as coisas de ser um clube que vende (e valoriza) e um clube que compete. A questão não é ganharem ao Bayern, porque isso é complicado. A questão é a resignação dos últimos anos que nem para incomodar serve. Não aparece um Klopp todos os dias, mas o Dortmund ultimamente é um clube resignado e sem ambição de estar no patamar que devia ser seu. Ganhar só ganha um e muitas vezes não vai ser o Dortmund, mas a questão aqui passa por quase nem tentar. O clube tem que estar na luta, independentemente do resultado final. Muitas vezes isso não tem sido o caso.

Acho que há um meio caminho. O Dortmund vai ser sempre um feeder club. A questão é que nos últimos anos tem sido um feeder club. Isso é o problema. Não pode ser apenas isso.

O Dortmund pode ter uma disciplina financeira rigorosa e ter sucesso desportivo. Falta é acertar no treinador.