Bruno Tabata

Não vi nada disso de Tabata desequilibrar a equipa; aliás: foi, nisso, muito mais competente do que Bragança: fechou, cobriu, foi cerebral e equilibrado nos minutos em que o vi a jogar como 8. A rever, claro — mas sinais muito bons também nesse campo.

3 Likes

Eu por alguns momentos pensei que tinha sido o único que achava que o Tabata equilibrou muito mais o meio-campo…

3 Likes

Sim, também senti isso: mais solidez, até. Vamos ver se se confirma no futuro.

Gostava que fizesse no mínimo 45’ (e de preferência a 1a parte) a 8 contra o Lyon.
Era um teste mais esclarecedor.

Acredito que sim: O ideal era fazer mesmo os 90’ nessa posição, para tirar (pelo menos mais um pouco) as teimas.

Tirar as teimas calma…

E mesmo que faça muitos mins a 8 no domingo, nao deixa de ser um amigável contra um lyon que até tem jogo 3 dias antes (hoje).

Escrevi lá tirar pelo menos um pouco as teimas.

O RA na época acertou! Pote mais à frente…e o resultado foi bom! Pode ser que com este também acerte. Precisamos de um 8 para substituir o JM. De resto, por enquanto, temos tudo para revalidar…

Os vídeos em nada contrariam o que @Wanderlust disse sobre transição ataque-defesa.

1 Like

No dia que o Matheus Nunes for capaz de fazer aquilo que alguns criticavam no “outro” (está boa a expressão), será o ultimate médio centro. Só que ainda não está lá.

Aliás, bastou ver um jogo do panelas para perceber o que a equipa ganha, quando o “outro” jogou no lugar do Taraabt.

2 Likes

Já acontecia na temporada passada. O “outro” já fazia esse papel. Assim como houve jogos em que o “outro” já não se dava para a saída de bola. Colocava-se numa posição entrelinhas, ficando o Palhinha com os 3 defesas e os alas com essa função. O “outro” servia como referência de passe mais adiantado.

O modelo do Amorim teve várias alterações de pormenor durante a temporada. E é engraçado ver a mudança de Wendel/Matheus para Palhinha/“outro”.

2 Likes

Exactamente. Mas há uma coisa curiosa: nem sempre foi assim. Numa fase inicial com Palhinha e Matheus chegaram a jogar os dois mais ou menos na mesma linha. Aliás o João Mário quando entrou na equipa não entrou para jogar tao adiantado como depois acabaria por jogar.

No Braga, também não usava o Fransergio numa linha tao mais adiantada face ao Palhinha como viria a usar o João Mario com o evoluir da última época.

1 Like

O Bouças, há uns dias, ao comentar o interesse do porto no Fransérgio, colocou lá uns vídeos para suportar a ideia de o Fransérgio não ser particularmente forte a decidir e a executar quando tem menos tempo e espaço. Pode ser essa a razão.

Sim. O próprio Matheus, tendo um pouco mais de qualidade com bola, também não é um jogador exímio para receber em “cabines telefónicas” e jogar a um toque.

Cada livre lateral que ele bate, ou canto já agora, é um possível golo.

Continuo a bater na mesma tecla… Remate de meia distância do Tabata não é bom.

Gosto de o ver actuar na zona central, acho que tem tudo para ser um bom médio, poderá ser muito útil durante a época que é longa.

Na Ala nunca sera jogador, mas no meio campo pode ser muito util quando precisamos mais de carregar que de equilibrios. Tabata, Braganca, Matheus Nunes, Palhinha… so fica a faltar alguem para cobrir o Palhinha - talvez o Essugo se acreditarem que o Palhinha aguenta 50 jogos nas pernas.

Em determinados jogos, com uma estratégia mais ofensiva, de mais posse, de mais domínio, fará sentido o Tabata ser opção a 8, em outros jogos fará mais sentido o Matheus / Bragança. Até no limite podemos ter um meio-campo a três e dois avançados (Pote e Paulinho).

Pode ser opção em duas posições e num plantel curto isso é bom. Precisa de trabalhar mais a posição de médio para ganhar rotinas, cultura táctica e interiorizar a exigência da posição.

o hype train vai perdendo gás, a cada jogo que passa. :smiley:

1 Like