Teorias da Conspiração... Ou não!

Presumo que uma das “provas” da tua crença nos círculos pedo-satânicos seja o Caso Frazzledrip, envolvendo a odiada Hitlery aka Hildebeest…

i6zji9lylvj51

Alambaza-te porque chegou a hora da tua merenda predileta…

#nemparatisesbom

A hitlery e maluquinha e faz parte da turma, mas essa ai de cima, eu tenho as minhas duvidas.
A minha crenca em relacao a isto, tem mais a ver com Epstein e os seus lacos com o NXIVM.
[Smallville Actress pleads guilty]('Smallville' actress pleads guilty in sex-trafficking case)
Porque se depois seguirmos a teia de empresas entre o Keith Raniere (lider deste culto) e o seu compadrio com Epstein e outras figuras publicas (estou no trabalho nao tenho aqui as minha cabulas) vamos sempre chegar a conclusao que algo muito mau aqui se passa.
No caso do NXIVM ate membros da familia real andam la perto, e fizeram contribuicoes generosas para caridades ligadas ao mesmo. Alias, estas acusacoes de ha 2 dias atras contra o principe Andrew, ja eram para ter acontecido assim que Epstein foi preso, conseguiram ir calando as vitimas ate agora, mas houve esta que conseguiu vir a terreiro…

Nice

Nice é a tua obsessiva relação de amor-ódio com a serpente do deserto.

575px-Dummies_Guide_to_Cultural_Marxist_caste_system

The_Nose_Knows

#nemparatiesbom

1 Curtiu

Marxismo cultural é um fenómeno facilmente observavel. Foi a esquerda radical começar a usar a teoria marxista para a cultura, mulher contra homem etc e atacar raizes civilizacionais. Eu nao tenho culpa que tenhas uma obsessão ( algo preocupante) com judeus e os tragas para qualquer conversa

Explica um pouco a tua teoria se a tens. O que achas que existe, há algum plano? Há conspirações? Ou é tudo maluquice?
Sei que é mais divertido rebutar pontos do que propriamente expor o nosso ponto de vista, mas quero conhecer. Porque tu ao mesmo tempo que gozas com os “malucos” apresentas coisas que alguns dos “malucos” nem conhecem.
Quero conhecer a tua teoria. Thanks.

1 Curtiu

Não vires o bico ao prego, aparentando não saberes do que falas ou fazendo-te desentendido. Sabes muito bem que o “marxismo cultural” ou “bolchevismo cultural” é uma teoria da conspiração com uma componente antisemita.

Por isso, faz favor de não traíres os teus irmãos da Causa - qual goym feito Judas - na sua luta milenar e existencial contra o Eterno Inimigo.

#nemparatiesbom

3 Curtiram

Estou surpreendido com a tua pergunta, porque já tive a oportunidade de explicar-te o que penso sobre os fenómenos conspiratórios, tendo obtido inclusivamente a tua aparente concordância.

Seja como for, tenho muito gosto em reafirmar o essencial das minhas ideias:

  • Houve e haverá conspirações reais (exemplos: o Sinédrio e a Revolução Liberal de 1820 ou o Watergate), como também houve e haverá conspirações imaginárias (exemplos: Majestic-12 ou a Nova Ordem Mundial).

  • Não basta lançar acusações sem provas concretas para que se possa validar a suspeita de uma conspiração e nem todas as ditas “coincidências” são sinais inequívocos de um real e sinistro plano conspirativo.

  • Em resumo: não devemos ser nem ingénuos, confiando cegamente em todos os poderes instituídos, nem paranoicos, suspeitando de tudo e de todos…

1 Curtiu

A questão da nova ordem mundial e consequente governo único não é imaginação. E Jeremy Rifkin refere-o.

https://www.foet.org/

É consultor da China e Alemanha e responsável pelo desenvolvimento do modelo económico, assente na actual questão da transição energética.

Vale a pena assistir à sua apresentação, goste-se ou não do caminho…

1 Curtiu

E, no entanto, vale o que vale, só vinculando os que partilham essa interpretação específica do conceito conspiracionista da “Nova Ordem Mundial”.

Porque há outras interpretações paranoicas dessa suposta ameaça. Por exemplo, envolvendo o plano de um IV Reich neonazi nos EUA…

…ou a subjugação da Terra por uma raça de humanóides reptilianos, como George W. Bush ou Isabel II…

image

Esse é um dos muitos problemas dessa contracultura conspiracionista e paranoica: o seu carácter difuso, nebuloso, aleatório, arbitrário, onde as palavras e os conceitos são usados de forma discricionária, sendo a sua narrativa muitas vezes contraditória e ambígua. O conceito de “Nova Ordem Mundial” varia de autor para autor, ao sabor das suas conveniências ou obsessões…

Até mesmo aqui no Forum encontramos esse tipo de discrepâncias.

Poe exemplo, o @Incitatus faz questão de se distanciar dos aspetos mais excêntricos e lunáticos do movimento QAnon, tentando estabelecer uma distinção histórica com um suposto QAnon original, alegadamente destituído dessas aberrações e do qual seria um voluntarioso e cívico apoiante.

Por sua vez, o @Hayek aparentando rejeitar a componente antisemita do “Marxismo Cultural” - ou “Bolchevismo Cultural” na sua acepção goebbeliana -, não abdica de reiterar ad nauseam o seu ódio obsessivo por essa pretensa ameaça existencial.

Em suma, no bem abastecido Hipermercado da Fantasia, cada um leva o que gosta e sem regatear preços…

3 Curtiram

É apenas um nome para designar um fenómeno evidente meu caro. ‘Marxismo cultural’, ‘marxismo social’, ‘pos-modernismo’… é indiferente o termo que se usa. Eu vou usar sempre um dos dois primeiros porque encaixam perfeitamente. Há pessoas que usam o ‘pos modernismo’ já para nao serem associadas ao ‘bolchevismo cultural’.

Eu nao sou apologista de nenhuma conspiração centralizada. Claro que há esferas de influência em todo o lado mas normalmente é tudo organico.

As universidades americanas dizem todas os mesmos disparates mas tenho a certeza que não é combinado. É apenas um fenómeno de ‘mimesis’

A paranóia se calhar até nasce do lado de quem tenta dissimular a coisa.

Continua por estes bonecos que começam a atrair as mentes mais… susceptíveis (os tais autists, segundo os gajos do Q).

E depois acaba-se por colocar no mesmo saco a rapaziada que não acha muita piada à brincadeira - que preza a sua individualidade, a sua liberdade, que gosta de nações, de governos pequenos, de ambientes económicos atomizados, etc - descredibilizando-os

É uma teoria, apenas…

Já agora… ia mais pela designação Sacrum Imperium Romanum
image

Apesar de declarares não ser adepto dessa tese conspiracionista, acabas por cometer um duplo erro:

  • Utilizas paradoxalmente uma expressão (“Marxismo Cultural” ou Bolchevismo Cultural") que está intimamente associada a uma determinada teoria da conspiração.
    Por analogia, é como se alguém afirmasse: "Sou contra o ZOG (“Zionist Occupation Government”) que interpreto à minha maneira, não significando, por isso, que acredite na existência de um plano judaico para dominar o Ocidente, cuja designação também é ZOG ".

  • A forma como relativizas esse tema (“esferas de influência”; " não é combinado", “`É apenas um fenómeno de ‘mimesis’”) não é refletido no discurso alarmista e belicoso que utilizas recorrentemente e desde há muito tempo. O modo como acentuas o perigo subversivo do que consideras ser “extrema-esquerda”, a maneira como denuncias a profundidade corrosiva das suas ideias, é feito num estilo apocalíptico e maniqueísta muito característico da narrativa conspiracionista e paranoica.

Em suma, há um problema de dissociação entre o uso que dás às palavras e o significado que elas têm, bem como de desproporcionalidade entre a avaliação que fazes da questão e o modo como a descreves.

#nemparatiesbom

1 Curtiu

Isso não faz sentido nenhum, se usasse a expressão nazi percebia a critica, assim não. Não é por um grupo de malucos obscuros do qanon ou outra coisa qualquer usar uma expressão que eu vou deixar de a usar se achar que faz sentido

Eu sempre fui bastante claro, tu é que como gostas de estudar estes movimentos obscuros gostas de fazer ligações sem nexo.

Eu não relativizei coisa nenhuma, simplesmente disse que não acredito em conspirações globais ou centralizadas. Isso não significa de forma nenhuma que as consequencias dos actos de individios à partida não coordenados não tenham consequencias graves.

1 Curtiu

Tal como existem os conspiracy theorists, também existem os coincidences theorists. Esquece.

A tua explicação não faz sentido nenhum. Deves ter sempre em conta que, quando utilizas uma palavra ou conjunto de palavras retiradas do seu contexto social, da sua acepção original, colocas um problema desnecessário a ti próprio: o de atribuíres a esse vocabulário um sentido que para ti pode ser pertinente, mas que não corresponde nem ao seu sentido original nem à forma como é percecionado pelos outros, sejam eles crentes ou descrentes do conspiracionismo.

Se vivesses isolado do Mundo, o problema ficava “resolvido”. Poderias dar novos sentidos a qualquer palavra que te desse na telha , sem causar danos de maior. O problema é que não vives isolado e não podes ignorar o contexto civilizacional em que te inseres.

Ligações sem nexo estabeleces tu, mesmo que involuntariamente, ao usares uma expressão - “Marxismo Cultural” - proveniente do imaginário conspirativo. Se não queres ser associado de forma alguma aos “movimentos obscuros” tens bom remédio: deixa de a utilizar.

Se tu afirmaste que não acreditas numa conspiração global com base no suposto “Marxismo Cultural”, então estás objetivamente a relativizar esse alegado perigo. Porque não é mesma coisa dizeres que há uma ameaça global e centralizada ou afirmares que há uma ameaça de “indivíduos à partida [sic] não coordenados”. E mesmo quando falas em “consequências graves”, encarregas-te de relativizar, por serem alegadamente provocadas por meros “indivíduos”, ainda por cima “não coordenados”.

#nemparatiesbom

1 Curtiu

Tu és de vista afunilada.

Marxismo cultural nao é proveniente de coisa nenhuma. Foi usado por variadas pessoas nos ultimos 20/30 anos.

É uma expressão para descrever um fenómeno.

Ou o gramsci nao apelou a que os marxistas desistissem do luta de classes tradicional e ocupassem as universidades e media?

Ou não consegues ver a distinção entre PCP ( practicamente só marxismo economico) e BE ( mistura entre economico e social/cultural)

E isto nao quer dizer que as pessoas do BE se levantem de manhã e digam todas para si mesmos que vão dizer que há 50 generos para destruirem a familia tradicional… quer dizer apenas que as ideias deles têm consequências e que o acicatar de preto contra branco, mulher contra homem, explorado contra explorador bebe no marxismo

Até os bananas do CDS tipo o nuno melo ou o actual lider falam em marxismo cultural e tu achas que não se pode para não se ser associado com uma conspiração qualquer xD eu acho que vives demasiado as conspirações…

1 Curtiu

Abre mas é os olhos e deixa de fazer conversas parvas do tipo “não é proveniente de coisa nenhuma”, como se as palavras e os conceitos aparecessem magicamente do nada.

E bem podes referir, como supostas “provas”, as ideias de Gramsci ou as palavras de Nuno Melo, que isso não altera nem a origem nem o significado de “Marxismo Cultural”, enquanto conceito conspirativo associado à extrema-direita e ao antisemitismo.

Dá férias à preguiça mental e lê:

https://web.archive.org/web/20180725022941/http://www.schillerinstitute.org/fid_91-96/921_frankfurt.html

http://transformativestudies.org/wp-content/uploads/Joan-Braune.pdf

https://web.archive.org/web/20111124045123/http://cms.skidmore.edu/salmagundi/backissues/168-169/martin-jay-frankfurt-school-as-scapegoat.cfm

https://journals.msvu.ca/index.php/atlantis/article/view/5403/pdf_55

#nemparatiesbom

É engraçado como tu papagueias teorias da conspiração iguais às que denúncias para mostrar porque é que um simples termo que eu uso tem de estar ligado a teorias da conspiração. Desculpa lá mas depois de ler algumas coisas que estão ai escritas nao te vou voltar a levar a sério sobre estes temas

1 Curtiu