Sustentabilidade - O Grande Desafio do SCP!

Eu sou do Sporting!
E sendo do Sporting, eu quero que as coisas nos corram sempre bem.

Neste momento, estamos numa boa fase do ponto de vista desportivo. E muito sinceramente, também acredito que fizemos uma valorização tal do nosso plantel que temos todas as condições para ter boas performances financeiras, no mínimo, nos próximos 2 ou 3 anos.
O que aconteceu no último ano e meio é um autêntico sonho tornado realidade e é a prova final e inequívoca da razão do que ando a dizer há décadas:
O segredo do sucesso de qualquer clube é a qualidade da sua política desportiva.
Sendo ainda mais preciso: É a qualidade da execução de uma política desportiva inteligente.

Em 18 meses, passámos de um clube completamente arruinado tanto do ponto de visto desportivo como do ponto de vista financeiro, para um clube candidato a tudo e que tem ativos para se reforçar financeiramente nos próximos anos.

Já o disse há uns meses e volto a repetir agora:
O SCP tem aqui uma grande oportunidade!
E não a pode desaproveitar como tem sido hábito…
O desaproveitamento de grandes oportunidades é uma tendência histórica no SCP.
Lembro-me de em 2002 o SCP ter estado em condições previligiadas para iniciar um período de hegemonia no futebol português e de ter perdido essa oportunidade por não ter sabido renovar um plantel que, embora rico, começava a ficar envelhecido e dependia demasiado de um jogador instável.
Ou seja, perdeu-se uma grande oportunidade porque não houve competência da nossa direção de então para fazer uma gestão que garantisse condições de sustentabilidade ao nosso sucesso de então.

Corremos o mesmo risco hoje.
A sustentabilidade do nosso sucesso é frágil porque, tal como em 2002, parecemos depender demasiado de um recurso que, neste caso, é o nosso treinador.
Temos os nossos trunfos. O principal de todos é um plantel com vários ativos que vamos poder vender nos próximos anos e que nos deverão garantir alguma estabilidade financeira e capacidade de reinvestimento no plantel. Ora, é precisamente aqui que poderá estar o nosso problema futuro.

Eu não vou chegar ao extremo de dizer que o mérito de tudo o que de bom está acontecer é do nosso treinador e que a direção não tem mérito em nada. Não vou tão longe.
Acredito até que a política desportiva será idêntica no antes e no depois de Amorim.
Sempre quisemos apostar em jovens da nossa academia e jovens recrutados fora de Portugal por preços acessíveis para depois os rentabilizar desportiva e financeiramente.
Essa ideia está correta.
Aqui a grande diferença tem estado na execução desta política que foi feita de forma desastrosa antes de RA e que passou a ser feita de forma exemplar a partir da sua chegada. Ora, isto fez TODA a diferença.

Podemos acreditar que isto foi uma coincidência.
Podemos acreditar que a direção entretanto aprendeu com os erros e montou uma estrutura que é a responsável por esta mudança.
Ou podemos acreditar naquilo que parece mais provável e que é a ação decisiva do nosso treinador neste sucesso. E aqui, como é evidente, não estou só a falar nas suas valências técnicas como treinador mas sobretudo nas suas valências como scouter (nem que seja a validar a decisão final de contratar - é o que basta para fazer toda a diferença).
E isto é que é preocupante porque põe sériamente em causa a sustentabilidade do nosso sucesso no futuro assim que o treinador saia. E ele vai sair mais cedo ou mais tarde…

Cabe à direção atual pensar nestas coisas e não ser apanhada na curva como aconteceu com a direção que geria os destinos do clube em 2002.
É o seu trabalho não ser apanhada de surpresa!

Este tópico tem como objetivo cada um de nós pensar e apresentar a sua solução para o desafio do SCP garantir que o sucesso que tem estado a ter nos últimos meses, é sustentável.

Agradeço que não venham para aqui falar desta ou daquela direção.
Isto interessa ZERO e tem valor ZERO.

A direção aqui é a vossa e o Presidente aqui são vocês.
O que eu quero saber é o que vocês fariam!
Quais as medidas?
Quais as linhas estratégicas?
Qual a política?
Quais as prioridades?

Isto é um desafio intelectual para aqueles que acham que têm algum conhecimento e inteligência poderem apresentar as SUAS soluções para o desafio da sustentabilidade do sucesso do SCP.

PS:
Não estou à espera de muitas respostas e não sei mesmo se há muitos foristas capazes de cumprir este desafio como deve ser.

13 Curtiram

Vou acompanhar com interesse.

isto e pensar sporting , sporting e eterno mas e tão vasto , tão forte mas ao mesmo tempo tão fragil , tem de ser enraizado , cuidado , tratado , desenvolvido , compreendido e ensinado .

Não é exatamente o que está a ser proposto, mas acho que seria interessante uma “mock election”.

1 Curtiu

Não tenho qualquer dúvida que, enquanto Amorim estiver no Sporting e vendo as coisas como elas são atualmente, o Sporting tem tudo para entrar num período que todos desejamos de hegemonia no futebol profissional de 11 masculino.

Os dois cancros do futebol português do século XXI são Vieira e Pinto. Um deles já foi de vela e parece que aquela agremiação vive dias de amargura completa. Instabilidade, maus resultados, eterna contestação, etc.

O maior deles todos, PDC, não tardará muito também a ir esgoto abaixo. Já tem idade e não vai durar com certeza muito mais, já se notando desde há largos anos um decréscimo da sua “forma”.

Com isto quero dizer que temos, sem qualquer dúvida, de aproveitar este momento e o campeonato ganho na época passada para nos relançar como a maior potência desportiva em Portugal. É um ultraje o Sporting ser campeão de 20 em 20 anos e desde 1982 só ter 3 campeonatos. É uma vergonha diria até. Isto acontece porquê? Falta de competência. É somente isto. É impossível um clube com a massa adepta e dimensão do Sporting Clube de Portugal ganhar tão pouco.

Mais…a inclusão do VAR foi essencial. Antes disso a ladroagem perante o Sporting era constante e sem vergonha. Hoje em dia é muito mais difícil inclinar campos como se fazia antes de 2017.

Estar constantemente na Champions é fundamental para a sustentabilidade do nosso clube, fazer grandes provas europeias, quem sabe chegar a finais! Claro, também aproveitar a valorização de alguns ativos do plantel e vender pontualmente para depois reinvestir!

Não tenho qualquer dúvida que se conseguimos vencer o bi-campeonato este ano, coisa que já não acontece desde 1954 (!!!), estaremos com as portas escancaradas para usufruirmos de um poder maior e de uma força gigante de “controlo” do futebol em Portugal. Para isso espero que Ruben Amorim e a sua equipa técnica se mantenham por muitos e bons anos. Depois?

Depois logo tiramos as conclusões do que virá a seguir, sempre desejando que sejam igualmente tempos de sucesso.

FORÇA SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

6 Curtiram

Treinador para os sub-23, que saiba preparar convenientemente os miúdos para os desafios da equipa principal.

Continuar a aposta sem medo nos jovens talentos da Academia, quando estes o justificam. Não nos podemos dar ao luxo de voltar a ter treinadores que não valorizam e aproveitam a prata da casa.

Um clube formador por excelência como o Sporting, tem que ter os seus escalões de formação a jogar no mesmo sistema de jogo da equipa AA e vice-versa. Não devemos andar ao sabor de técnico A ou B.

Continuar a aposta no mercado nacional. Aqui com o caveat de salvaguardar contratualmente a % do passe em falta aquando da compra do(s) jogador(es). Por muito que Pote tenha sido desportivamente um estrondoso sucesso, financeiramente é lamentável que não tenhamos o bolo todo (ou praticamente)

Pagar as VMOC´s e resolver a questão definitivamente.

Este último ponto é porventura utópico neste momento (e talvez o seja sempre).
Gostaria de ver o Sporting a ter um orçamento anual que não ultrapasse as receitas do ano corrente. Qualquer valor extra ao inicialmente previsto (UCL/EL) poderia ser usado para esticar o orçamento, reforçando a competitividade em campo ou colocar de parte para abate da dívida.
Duvido muito que tal seja possível, pois colocar-nos-ia em desvantagem financeira e competitiva perante ambos os corruptos, num campeonato minado e ferido na verdade desportiva.

Deixar de depender de sucessivos empréstimos bancários, adiantamentos de contratos televisivos/etc, é fundamental para a sustentabilidade a longo prazo do Sporting.

3 Curtiram

Subscrevo de fio a pavio a análise do @Fargo.

1 Curtiu

Terei de pensar nisso com mais calma, isso n pode ser resumido em poucas palavras.

alterar politica de votos tornando o clube mais democratico , 1 pessoa 1 voto apos 1 ou 2 anos de associado . socios apartir de cinco anos de associado , quanto mais anos de socio mais vantagens em descontos seja na loja verde ou nos preços de bilhetes de jogos , museu , alimentação etc . fazer ligação mais estreita com nucleos e filiais , como implementação nos distritos de espaço de voto , apoio a viagens , descontos , sentirem se de alguma forma longe de lisboa e alvalade mas proximos de tudo e parte integrante . criar protocolos mais solidos com escolas academia , nucleos e filiais para recrutar atletas de todas as modalidades ai existentes para chegar primeiro aos talentos .no museu dar mais destaque as outras modalidades e atletas e trazer mais conteudo sobre a historia e aproveitar o trabalho da wikisporting e colaborar com o seu trabalho espetacular e aproveita lo. colocar no total 4 ou 5 lojas verdes em nucleos com grande afluencia e fervor leonino desde que tenham espaço e zonas densamente povoadas . aumentar a oferta de produtos sporting tal como os rivais e fazer parcerias para ter sporting em todo o lado salvo seja. manter a sad controlada pelo clube em maioria e pagar a cademis e ficar nossa . tentar comprar o patrimonio perdido em alvalade com parcerias , tentar punir quem roubou patrimonio ao clube e tentar de alguma forma evitar a construção no espaço que foi nosso junto ao estadio.

1 Curtiu

Parabéns!
Acabas de fazer o 1ºpost nos moldes do desafio que fiz.

Relativamente ao conteúdo do teu post, na minha opinião, e atenção que é mesmo apenas e só a minha opinião, estás a ser talvez demasiado otimista.

Não acho que o desafio neste momento possa ser tão ambicioso como ganhar a hegemonia do futebol português. Oxalá tenhas razão e em breve possamos tentar uma coisa dessas. Mas neste momento, na minha opinião, o desafio passa apenas por nos aguentarmos uns anos ao nível dos rivais. E digo já que isso não vai ser fácil.

O SLB é a marca mais forte dos 3 e esse é um trunfo genético muito importante que eles têm e que serão precisas gerações para mudar.
Além disto, estão bem mais fortes financeiramente do que nós.
Esta crise por que estão a passar é tão frágil como o nosso sucesso.
Basta 2 ou 3 medidas acertadas e o SLB volta a ficar forte.
É facílimo para eles…

O FCP está em dificuldades sim.
A situação financeira é ainda mais grave que a nossa.
Também não se sabe como vai ser a sucessão.
Salva-os a excelente equipa e o excelente plantel que têm.
Será decisivo para eles o aproveitamento que conseguirão fazer disso…

Isto tudo para dizer que temos que manter os pés bem assentes no chão. Estamos muito mais perto de regressar a uma travessia do deserto do que garantir qualquer hegemonia desportiva no futebol português.

Temos a palavra nós, Sportinguistas.
A nossa inteligência ou falta dela irá definir como vai ser o nosso futuro.
Mas agora SEM DESCULPAS!

Agora temos trunfos.
Temos que os rentabilizar.
Não podemos voltar para os caixotes do lixo de onde viemos…

Este tópico nasce desta preocupação:
Não podemos voltar para trás agora!

A questão das VMOC’s vale 40ME (corrijam-me se estiver enganado).
Esta questão vai ter que ser resolvida e a oportunidade de transformar uma dívida superior a 120ME em 40ME vai ter que ser aproveitada por nós.

Não concebo que isto possa ser colocado em causa por ninguém.
E aqui, das duas uma, ou vamos aumentar o nosso passivo oficial em 40ME ou então vamos ter que ter um resultado liquido fabuloso que liberte verbas para isto.

Em relação ao teu objetivo de ter orçamentos sem buraco financeiro, é manifestamente irrealista. Podes mesmo esquecê-lo.
Irias lutar com o Braga pelo 4ºlugar.
O teu buraco anual está em 60ME.
O dos rivais está em 115ME.
Não estás mal aqui.
Estás bem.

Aliás, esta é uma das maiores vantagens competitivas que o SCP tem atualmente em relação aos rivais.
Com um buraco anual que é metade dos rivais tens, ainda assim, um plantel capaz de lutar pelo título.

E ainda acredito que há margem para fazer melhor com isto.
Era só o nível da gestão desportiva dos últimos 18 meses se manter.
E aqui é que está o problema. Não acredito que se mantenha por muito tempo mais. Não é provável…

Já o disse múltiplas vezes, ao longo destes anos de Fórum.
É FUNDAMENTAL que se reduza (bastante) a quantidade de votos que os decanos têm. Aceito e compreendo que quem mais anos de associado tem, deve ser “recompensado” nas urnas por tempo de afiliação. No máximo, cada associado, independentemente do tempo de afiliação ao clube, deveria ter 3 votos.
A manipulação ignóbil que a CS faz da informação, as fake news e campanhas de desinformação afectam mormente os mais idosos, que ainda tem por hábito comer à colherada TUDO aquilo que vem escrito nos jornais e é dito na TV.

1 Curtiu

Talvez esteja a ser demasiado otimista mas vamos lá ver umas coisas:

  • Quem é que imaginava, no verão de 2020, que o Sporting ia ser campeão nacional em 2021?

  • Quando é que foi a última vez, após um título ganho pelo Sporting, que no ano seguinte estivemos tão fortes novamente na luta pelo título como este ano? Não só na luta pelo título como em todas as provas, incluindo oitavos da Champions que quase toda a gente acharia impossível.

  • Desde 2017, com a implementação do VAR, somos o clube mais titulado em provas nacionais.

  • A história dos adeptos e quantidade de adeptos que o carnide tem também me parece uma história algo defraudada e mais usada pela comunicação para os consolar. O Sporting tem igualmente milhares, milhões de adeptos em Portugal e pelo Mundo fora. Temos uma força enorme e com a massa associativa que temos não nos podemos achar “inferiores” a ninguém.

  • A situação financeira do Sporting pode tornar-se muito vantajosa com a venda de alguns jogadores, ano após ano, por preços altíssimos. Juntando a isto a constante presença na Champions e na suas fases mais adiantadas, ainda melhor. Comprar barato e vender caro, tem de ser este o objetivo.

  • Os nossos dois rivais (atualmente mais o carnide) vivem tempos de instabilidade. Do outro lado da segunda circular caiu o presidente que nos últimos anos mais puxava cordelinhos no futebol português. Desengane-se quem pensa que ter Rui Costa ou Vieira é a mesma coisa. Na minha opinião não é, ainda para mais acho que o Rui não se vai aguentar ali muito tempo e mais instabilidade virá.

  • Os do Norte foi o que já falei. Situação financeira, queda do Pinto em breve e sucessão que se prevê uma incógnita.

  • Com isto quero dizer que nós somos o Sporting Clube de Portugal, a maior potência desportiva nacional. Temos de perder a mania de nos rebaixarmos a toda a hora perante os outros. Basta disto! Temos de acreditar, criar condições e levar o clube e a equipa rumo ao sucesso. No futebol nada é impossível! Não pode haver impossíveis num clube com a nossa dimensão!

Há uma premissa errada no texto e outra ainda mais importante que prima pela ausência.

Primeiro, ainda estamos muito longe de abandonar a ruina financeira, o desequilíbrio operacional é enorme e completamente dependentes, de mais valias com vendas e da entrada na UCL que como sabemos não será sempre um dado adquirido, para não falar na existência de enormes partilhas que teremos de fazer em algumas vendas … poderia desenvolver mais mas este não é objetivo do tópico e não vale a penas insistir, lembro só que ainda há muita divida para pagar e jogadores para efetivar a compra.

Segundo, não podemos dissociar da equação o clube e no clube a situação financeira é mais do que grave, é aterrorizadora e perto, senão já ultrapassado, do ponto de não retorno.

Claro que não abordo o sucesso desportivo, ele é inegável, só não o vê quem não tem olhos e claro que para as coisas correrem bem, é essencial.

Partindo para o desafio:

  • De imediato e prioritário resolver a questão da divida bancaria do clube e da SAD, recorrendo ao pouco que deve restar do contrato da nós e juntar-lhe o necessário produto de algumas vendas.
  • Dotar a exploração operacional de algum equilíbrio, reduzindo o que for possível de gastos quer de salários quer de serviços.
  • Limitar o investimento em aquisições a uma percentagem das mais valias extraordinárias com vendas.
  • Vender sem recurso a agentes.
  • Apostar sempre e sempre na formação, não apenas por necessidade mas como politica estratégica.
  • Limitar o orçamento das secções à sua capacidade atrair receitas e patrocínios, apostando de igual forma na formação.
  • Sócios, mais muitos mais, aumentando os benefícios económicos e reduzindo ou eliminando os benefícios institucionais.
  • Negociar com a SAD a atribuição de contrapartidas para o clube quer pela utilização do símbolo e marca quer pela promoção e publicidade que é feita pelas modalidades em Portugal e no mundo.

    Isto assim de uma forma rápida, hoje já não mas amanha se encontrar um tempinho posso dar mais uns bitaites daquilo que penso ser necessário e na minha perspetiva aqui do sofá é essencial :slight_smile:
2 Curtiram

Atenção!
Eu quero que tu tenhas razão.
E tens razão em vários pontos que referes.
Mas não menosprezes o poder dos nossos rivais.
Lutam com armas desiguais.

Têm um posicionamento geopolítico mais favorável do que nós dentro do contexto do futebol português.
Não hesitam em usar práticas irregulares quando é preciso.
E no caso do SLB há a questão do valor da marca que é mesmo uma grande vantagem deles neste momento e para os próximos largos anos.

Para mim não menosprezar os rivais terá sempre que ser a regra número 1.
Para vencermos teremos sempre que ser mais inteligentes do que eles.
Se não o formos, acredita:
Vamos perder.

Temos que o ser.
Este tópico é um desafio ao mundo Sporting para o sermos.
É um desafio para gastarmos mais energia a pensar o presente e o futuro do SCP e menos a discutir frivolidades.

1 Curtiu

Excelente tópico e parabéns @Strikerr por o abrires, agora que as eleições se aproximam esperava que alguém o fizesse e felicito-te por teres sido tu a fazê-lo.

Antes de mais, deixa-me dizer-te que faço das tuas as minhas palavras. Subscrevo tudo inteiramente e sem mudar uma vírgula.

O momento que estamos a viver é de ouro para a nossa realidade. Provavelmente algo com que sempre sonhámos e que só os nossos avós nos podem contar algo semelhante.

A verdade é que, depois do Mourinho em 2001, e em parte do JJ em 2009, acho que o Sporting finalmente não desperdiçou uma oportunidade histórica e sacou aquele que é o melhor treinador do campeonato, que nos impulsionou para outro patamar e sabe tudo o que o Clube precisa, independentemente do actual momento ou de outros momentos pelos quais possamos passar.

Eu tenho muito medo que o Sporting deixe de ganhar e isto seja só uma vento passageiro. Porque o Sporting para mim, embora esteja bem representado actualmente na equipa de futebol, pode e deve ser muito mais que isto. E começa logo quando olhamos para os nossos rivais. Os momentos que passamos hoje eles passaram-no várias vezes nas últimas décadas e nos últimos anos. O Benfica foi tetra, o Porto foi tri e tetra e tem sucesso europeu. Nós estamos nem a metade daquilo que eles alcançaram, e é para isso que temos de orientar as nossas ambições.
Mas sem euforias, tudo ponderado e sem almejar destinos desmedidos. Por exemplo, não podemos querer triunfar na Europa ou almejar ganhar uma das competições europeias sem termos resultados internos e andarmos cá dentro a lutar com o Braga, como tantas vezes fizemos nos últimos 10 anos. Primeiro temos de criar bases cá dentro, e depois então começar a pensar em lutar por algo mais la fora. É olhar para o exemplo do Porto e até do próprio Benfica, que mesmo não ganhando nenhuma das Ligas Europas de 2013 e 2014, ganhou títulos cá dentro e foi sempre muito forte no paradigma nacional.

O sucesso, para começar, reside na peça de engrenagem que é o segredo de tudo: Rúben Amorim. Por muito que alguém possa chegar aqui e pagar 30 milhões, eu não aceitava. O Rúben é a chave de todo o projecto, é um verdadeiro manager no sentido inglês do termo, porque não serve só para treinar a equipa, ele próprio a constrói e a dirige como fez o Ferguson e como mais recentemente fez o Klopp. Foi ele que começou tudo do zero e construiu algo à sua imagem. E depois claro, encaixou em tudo aquilo que o Varandas pretendia: treinador jovem, ambicioso, com conhecimento claro da realidade Sporting, humilde, aposta na formação mas sabe que só esta não chega para ganhar, sabe como fazer um bom grupo e tem uma identidade própria de jogo. Muitas vezes dizemo que ao Varandas lhe saiu a sorte grande, mas a verdade é que foi ele que apostou nele portanto os louros são dele também. E é à volta do Amorim que tudo tem de residir, porque é ele que nos revolucionou, que nos puxou para cima e que, no espaço de 14 meses, nos passou de um 5.º lugar para o topo do futebol português.

Claro está que quando o Amorim sair, porque um dia vai sair, infelizmente; esperemos que daqui a muitos anos, tudo isto vai ter de se manter.

Sporting tem de ter esta política correcta no futebol. Tem de definir um modelo de jogo, uma identidade própria, e contratar jogadores com características para esse modelo. Tem de os estudar de alto a baixo, se são bons psicologicamente, se têm problemas de lesões, tem de ser algo escrutinado sem limites. Depois, o Treinador, que para mim terá sempre de ser português porque só estes sabem como se pode ganhar em Portugal e como se pode jogar por cá. Não é à toa que desde 2000, apenas 3 estrangeiros tenham sido campeões em Portugal.

A aposta na formação tem de ser da mesma forma. Jogadores com qualidade têm de subir à equipa A e integrar uma equipa com jogadores rodados. Por cada Coates, um Inácio. Por cada Porro, um Esgaio. Por cada Pote, um Sarabia, por cada Paulinho, um TT, por cada Palhinha, um Matheus Nunes. Experiência com irreverência.

Depois, algo que eu sou defensor já há uns tempos. O fim dos sub23. Campeonato que não representa o nível a que os nossos jogadores têm de estar sujeitos, e só tira jogadores à nossa equipa B e aos nossos juniores. Sub23 é um campeonato que serve para alimentar lobbies da FPF mas cuja qualidade não reflecte a exigência que temos de ter na formação.

Sporting tem de ter sempre um scouting e um recrutamento na formação muito forte. Daí saíram bons atletas e miúdos. Sejam juvenis ou juniores, os melhores terão de estar nos B.
Outra coisa que eu defendo. Embora seja bom ganhar títulos na formação, os miúdos têm de ter um grau de competitividade superior. Juniores e juvenis de último ano nos seus escalões, só em caso de necessidade. Sporting tem de andar com iniciados nos juvenis, juvenis nos juniores ou equipa B, juniores em larga escala na equipa B. Só assim estarão prontos para outro patamar mais competitivo e poderão, caso haja qualidade, estar ao dispor dos seniores o mais rapidamente possível.

Os treinadores também não podem ser esquecidos, já que o Sporting é uma academia de talentos dentro de campo, também o tem de ser fora dele. Não podemos andar com treinadores que não são mais que impeditivos de crescimentos dos jogadores. Temos de ter mais promissores. Um exemplo, o Seixal. Eles têm treinadores que prometem, foi de la que veio o Lage, o Renato Paiva, o Veríssimo, todos ali poderão dar o salto. É também uma academia de criação de treinadores portugueses porque, caso eles escasseiem no mercado, teremos de ser nós a produzi-los. E diria que temos poucos, de todos os nossos treinadores, apenas gosto do Bernardo Bruschy, no resto não reconheço grandes capacidades evolutivas.

Depois, porque também interessa no fenómeno desportivo, as modalidades. Sporting não tem os recursos financeiros do Benfica nem tem apenas poucas modalidades como o Porto. Está nos estatutos que o Clube deve-se preocupar com o desenvolvimento social e desportivo ao serviço do País. E eu concordo.

Em primeiro lugar, Sporting deve ter uma base de formação em cada uma das suas modalidades. Tal como tem no atletismo, no Futsal, no andebol, nas mais variadas secções. Casos como o do voleibol masculino não se podem repetir, felizmente é uma situação que já está a ser corrigida mas nunca na vida podemos abrir uma secção sem bases de formação, até por uma questão de sustentabilidade a longo prazo. Quando o clube não tem muito dinheiro para investir, e isto foi assim em toda a sua história, virou-se para a formação.

Mas não é só das camadas jovens que temos de viver. Sporting tem de gerar o máximo possível de receitas, e nisto nós estamos a muuuuuuuuitos anos de distância dos nossos rivais, para poder investir no Clube e nas suas modalidades e não só, para poder também investir nos serviços e nos seus funcionários. Sporting é uma empresa do ponto de vista empregador, mas não deixa de ser um Clube. Não podemos andar anos a fio com os mesmo materiais de trabalho, sem renovação à vista, e com as pessoas anos a fio sem progredirem nas suas carreiras ou verem aumentos. Até por uma questão de bem estar e rentabilidade. Nós vemos os serviços do Sporting e são absolutamente medíocres, mas também quem até agora tivemos que fizesse algo por os melhorar? Não sabemos nada do que se passa la dentro e a ideia que dá é que estão completamente acomodados.

Mas passando mais à parte que a todos nos agrada, Sporting tem de ter um projecto de modalidades a nível de optimização, e vou pegar nas modalidades de Pavilhão que é aquilo onde estou mais por dentro. Não faz sentido haver gorduras quando o dinheiro é escasso. Não faz sentido haver 12 jogadores no hóquei. Ou 7 NFL no Futsal. Ou 3 redes estrangeiros ou 3 pontas esquerdas no andebol. 7 estrangeiros no Basket. Cada modalidade deve ter direito ao mínimo orçamental para ser competitiva e lutar por títulos. Bons treinadores primeiro, recursos financeiros depois. Não podemos ter lacunas nas equipas. Não podemos andar com 2 pivots no andebol, ter uma equipa de voleibol que não se sabe muito bem ao que vem, nem podemos andar com jogadores de fora no Hóquei jornada sim jornada sim. O dinheiro custa a ganhar e custa a investir. É preciso um planeamento prévio de todas elas. E sobretudo é preciso que no início de uma época já se esteja a preparar a seguinte, porque sabemos que nas modalidades isto não é o futebol, há épocas que ficam definidas uma meia época ou até época antes.

Depois, na parte financeira: o Clube tem de recomprar as VMOC, obrigatoriamente. A presença na Champions é necessária para continuar a restruturação financeira mas isso entronca no que disse há uns parágrafos.
Depois, acho que não nos serve de nada termos 90 ou 95% de uma SAD. Sabemos que só investe nos clubes de futebol, acima de tudo, quem tem um carinho especial, porque não é rentável do ponto de vista financeiro. Uma vez compradas as VMOC e caso a Holdimo venda a sua parte, temos de manter um investidor que esteja interessado por cá, que faça o que a Holdimo fez em 2013 ou 2014. Mas isto, claro, sempre mantendo os 51%, isso é vital para a existência do Clube. Eu prefiro que o Sporting esteja mal por decisões de sócios do que por decisão de investidores que desconhecem o Clube. Até porque decisões de sócios podemos reverter, decisões de investidores acabam com Belenenses.

Acho que tem de passar muito por aqui. Em alguns casos posso ter sido algo vago mas não me quero alongar muito, senão teria de escrever um livro sobre o que penso.

É muito importante o Sporting ter um plano geral para o que quer de si no futuro e não apenas agora. E temos uma oportunidade única neste momento que não podemos desperdiçar. Já chega de erros históricos.

Isto é a minha visão e esperança. Só assim estaremos mais perto de dominar o desporto nacional.

SL

6 Curtiram

e tudo bonito falar de jogadores de futebol da academia , o projeto assim e assado no futebol , nas modalidades etc … FUNDAMENTAL para ter futuro e HOJE a democracia ser efetiva talvez 1 voto 1 socio e recuperação de patrimonio e resolução de dividas para não perdermos patrimonio que e parte do nosso adn , somos ecleticos , temos de ter instalações senão acabamos modalidades amputamos o que somos um clube DESPORTIVO nos somos O CLUBE DESPORTIVO DE PORTUGAL.

Concordo plenamente com o que dizes! Humildade tem de estar sempre acima de tudo! Respeitar as equipas dentro do campo, mas entrar sempre de faca nos dentes, com raça e qualidade para os vencermos! Se estivermos todos juntos, unidos, somos fortíssimos!

1 Curtiu

Atenção que eu não referi que o problema financeiro está resolvido.
Referi que agora tens ativos no plantel que vais vender e que te podem permitir ter alguns resultados positivos no futuro. Situação muito diferente do que tinhas ainda recentemente.

Relativamente ao défice operacional, repito:
São essas as regras do jogo para se ser candidato ao título em Portugal.
Ainda assim, a nossa dependência é metade da dos rivais.

Relativamente à questão da situação Clube/SAD, aí sim, tens razão.
Não foi meu objetivo endereçar esse tema mas faz sentido incluí-lo.

Confesso, esse é um tema que não domino.
Não tenho analisado R&C do clube, só da SAD.
Se pudesses explicar resumidamente o que aí está em causa, seria um excelente contributo para a discussão.

2 Curtiram

MAS ISTO E COMO CARREGAR AGUA COM UM CESTO DE VIME , GANHAS MUITO MAS DESSE QUE GANHAS FICA POUCO E AINDA TENS UM EXTRA DE DIVIDA ACUMULADA