Sebastián Coates

Não foi um jogo complicado para os defesas, teve que ir lá a frente para dar uma ajuda aos avançados.

O plano B mais uma vez a trabalhar bem, não marcou mas foi decisivo. E já antes tinha feito uma assistência para golo.

Um amarelo qd a equipa estava balanceada. Amarelos pela equipa. Até aí mostra inteligência

Mais uma vez, nunca desistiu

1 Curtiu

Não percebo como só foi para a frente aos 87. Aos 80 já devia lá estar.

Se andamos ao cruzamento, vale mais metê-lo lá em cima.
Ofereceu 2 golos.
1 ao Paulinho que pronto e o penalty que a foi buscar ao alto.

1 Curtiu
1 Curtiu

O CAPITÃO!

Sem ele, o barco anda à deriva.

Capi :green_heart:

Esta bisarma, o Palhinha e o Porro fazem-me duvidar da minha heterossexualidade.

O que eu sonhei em ter gajos em que me revesse a 100% no plantel de futebol profissional sénior masculino do Sporting Clube de Portugal…

Coates gostava de voltar a atuar ao lado de ex-leão: «Se ele pudesse jogar novamente, escolhia-o»

Capitão do Sporting recorda conquista do título e fala do seu legado em Alvalade

Aos 30 anos e na sétima temporada de leão ao peito, Coates já conquistou um espaço na história do Sporting, algo alicerçado pela conquista do título nacional na última temporada. Em retrospetiva, numa entrevista concedida à UEFA, o central assume satisfação por esse facto, ainda que, humildemente, o relegue para segundo plano.

“Lugar na história? Talvez seja uma das coisas que as pessoas mais me dizem, mas não penso muito sobre isso hoje em dia. Claro que vencer o campeonato no ano passado foi muito importante para todos nós: para o clube, os jogadores, os adeptos, já que há muito tempo que isso não acontecia, mas temos que viver dia-a-dia, e às vezes é difícil pensar se algo é importante ou não para o clube. Pessoalmente, tendo sempre dar o meu melhor, e se as pessoas se lembrarem de mim pelo que fiz [na minha carreira], ficarei satisfeito”, sublinhou, revelando algumas das suas missões enquanto capitão: "Faço o mesmo que outros fizeram comigo quando cheguei. Tento ensinar-lhes o que é o clube e a equipa, como é jogar aqui. Falo com eles sobre a pressão de jogar num clube tão grande como o Sporting. Tento fazer isso da melhor maneira que posso. Obviamente, não somos perfeitos e cometemos erros, mas aprendemos com o tempo.

Ainda num olhar ao passado, ao ser desafiado a escolher os dois jogadores de eleição para atuarem ao seu lado, o internacional uruguaio elegeu uma cara bem conhecida dos sportinguistas: Mathieu. “É a pessoa com quem penso que mais joguei aqui em Portugal. Retirou-se dos relvados, mas se ele pudesse jogar novamente não hesitaria em escolhê-lo, até por toda a sua carreira. Partilhei mais momentos com estes dois jogadores. Aprendi e continuo a aprender muito com ambos. E, depois, o Diego Godín, por causa do que ele significa para os uruguaios, e o que significa para mim, já que é um jogador de grande qualidade e também uma excelente pessoa”, vincou.

A terminar, e a despeito de nunca ter “admirado nenhum jogador ou ter tido um ídolo”, Coates assume que há uma caraterística que carrega desde a infância, intrínseca aos uruguaios: “Nunca nos rendemos e nunca desistimos, é isso que torna nos torna diferente”. “Tem a ver com a forma como os uruguaios entendem o futebol. Procuramos dar o nosso melhor pela equipa até ao último minuto. Existem circunstâncias que acontecem durante uma temporada, ou num jogo [específico], onde aproveitamos a oportunidade para marcar”, rematou.

2 Curtiram

Não fez um mau jogo, bem pelo contrário, fez bons cortes, teve algumas precipitações, mas deu espaço quando não devia e isso foi fatal.

1 Curtiu

Coates: «Ainda faltam jogos, é importante que a equipa continue a crescer»

Central diz que o Sporting merecia outro resultado em Dortmund

O Sporting perdeu por 1-0 com o Dortmund, resultado que Coates considerou injusto. “Merecíamos outro resultado, mas os jogos são assim. Pequenos detalhes fazem a diferença. Jogámos bem, na primeira parte tivemos ocasiões de golo e não podemos falhá-las. Depois sofremos um golo que podíamos ter evitado”, disse o capitão leonino, que assinalou o crescimento da equipa face ao jogo com o Ajax.

“Contra o Ajax cometemos erros que não costumamos cometer, nestes jogos qualquer erro pode dar golo. Hoje jogámos melhor, mas não conseguimos o resultado que queríamos. Ainda faltam jogos, é importante que a equipa continue a crescer e a ganhar experiência. Para o próximo que tenhamos outro resultado”, continuou.
O central acrescentou que apesar das contas estarem complicadas, o Sporting continua a acreditar. “Matematicamente podemos passar, vamos dar tudo, tentar. Este jogo deu para ganhar experiência e no próximo não podemos cometer erros que cometemos hoje”, frisou.

1 Curtiu

Ontem teve 2 paragens cerebrais q já há mt tempo não tinha…

1 Curtiu

Não acho que tenham sido paragens cerebrais. Foram dois charutos em que acertou mal na bola. A intenção era boa, aliviar, mas executou mal.

Faz toda a diferença tê-lo de volta. A defesa parece logo outra.

1 Curtiu

Pá, a segunda nunca pode acontecer. O gesto técnico ali tem q ser outro e nem é exigente, qd a coisa tem que ser bola para as couves.

1 Curtiu

Eu acho que levámos 5 do Ajax por causa de momentos “Monty Python” como estes. Com os holandeses foi o chouriço do primeiro golo e o Sol que encandeou o Vinagre, no segundo, que prepararam o cenário de desacerto.

Se, por mero acaso, o Dortmund tem marcado num desses momentos, não sei se não voltavas a encher o saco.

Mas concordo contigo, o Coates é o melhor defesa que temos, é um líder e a equipa precisa dele. Felizmente, as azelhices não deram golo. E maior é a minha felicidade que aquilo de ontem foi uma excepção neste último ano e meio.

Claro que foram erros, mas de execução. “Paragem cerebral” associo mais a falhas na leitura de jogo, como aconteceu com o Vinagre na primeira jornada.

Coates cada vez mais patrão

Capitão alcança amanhã os 250 jogos com a camisola do Sporting. É referência do clube numa história ainda com capítulos por contar

Mais de cinco anos após ter chegado a Alvalade, vindo do Sunderland, Coates cimentou o seu estatuto de leão ao peito, tanto que hoje é uma referência para os colegas, equipa técnica e adeptos. Desde então ganhou espaço, títulos e… várias alcunhas, de ‘Seba’ a ‘El Patrón’ ou, a partir de amanhã, o ‘Senhor 250’. É que o capitão do Sporting vai atingir diante do Arouca um número de jogos com a listada verde e branca que tem tanto de redondo, como de restrito, pelo facto de menos de três dezenas de jogadores na história do clube o terem alcançado - Coates é o 29º.

Ao fim de sete épocas com altos e baixos, o internacional uruguaio, de 30 anos, vive o melhor momento pessoal, coroado o melhor jogador da última edição da Liga, e coletivo, ao ter erguido no último ano o campeonato nacional, Taça da Liga e Supertaça, isto é, três dos seis troféus do seu palmarés em Alvalade. Para trás ficam 156 vitórias, 48 empates e 44 derrotas, além de 23 golos, sete dos quais em 2020/21, na época mais concretizadora da carreira - muitos foram decisivos para a conquista do título.

Polga está na mira

Coates está ainda a considerável distância de Hilário, o leão com mais jogos (475) na história do Sporting, seguido de Rui Patrício (467) e Damas (444). Todavia, o central destaca-se pelo facto de ser o terceiro jogador que nasceu fora de Portugal com maior utilização, apenas atrás de Liedson (313) e Anderson Polga (342). Restringindo a análise a defesas estrangeiros, só tem mesmo o central brasileiro pela frente. E dado que pode renovar contrato [ver apoio], a liderança nesse particular é um objetivo de futuro perfeitamente ao alcance.

Novo contrato está no horizonte

Pelo seu peso em campo, e acima de tudo por ser um exemplo de dedicação, a SAD do Sporting quer premiar Coates com um novo contrato, apesar de o atual vínculo só terminar em 2023, com mais um ano de opção. O plano da administração liderada por Frederico Varandas passa por estender a ligação por mais duas temporadas, ou seja até 2025, altura em que o central terá 34 anos . Por sua vez, o capitão já admitiu que se sente realizado no Sporting e em Lisboa, pelo que o acordo deverá ser tudo menos difícil.

1 Curtiu

COATES A RUGIR HÁ 250 JOGOS

SPORTING 08:52

Foi frente ao Arouca, na temporada de 2016/2017, que Coates fez o seu jogo 50 de leão ao peito; será frente ao mesmo clube, hoje, que atingirá número importante e simbólico, 250 jogos pelo Sporting em todas as competições, que reflete a longevidade e qualidade de Sebastián Coates Nión ao serviço do clube sportinguista.

Chegou ao Sporting em janeiro de 2016, num pedido expresso de Jorge Jesus, e desde bem cedo se impôs na equipa. Foi a 8 de fevereiro que Coates fez o seu primeiro jogo, em Alvalade, num Sporting-Rio Ave, sendo titular e vendo também o seu primeiro cartão amarelo.

Desse dia ao de hoje muita coisa viveu Coates de leão ao peito. Alegrias e tristezas dentro de fora de campo, conquistas de troféus e uma marcante invasão à Academia. Teve épocas de sonho, outras nem por isso, com momentos de perda de confiança com autogolos e penáltis, mas a todas respondeu sempre com a serenidade que espelha em campo.

Os 250 jogos que cumprirá frente ao Arouca é de facto um número importante, mas não chega para o internacional uruguaio entrar no top ten dos jogadores leoninos com mais jogos de leão ao peito.

2 Curtiram