SAD - Que Futuro ?

Se o To-Mané me permite …

“Haverá outra solução para as SAD falidas?
Quais os perigos e vantagens de abrir portas aos novos “Abramas”?”

Muito sinceramente julgo que a questão essencial passa por saber se o objectivo da SAD é a satisfação dos seus stakeholders ou a criação de riqueza para os seus accionistas.

E a redução dos passivos só pode passar por uma estratégia de um aumento dos capitais próprios, uma vez que a própria dissuloção da SAD pode acontecer se esta tiver gasto dos seus capitais próprios mais de metade do seu capital social.

Com passivos como o do Sporting e de entre muitos outros, a questão que se coloca é: SAD - Que Futuro?

Fica aberta a discussão …

Abraços

O que me assusta não é vender SADs. a nossa SAD está “vendida” e condicionada há muito, assim como todo o clube, a entidades que em pouco ou nada se interessam pelo dia a dia do Sporting.

O que me assusta é vender ou ceder neste contexto ou seja: quem cede e a quem? Soares Franco e sus muchachos? A quem? Ao amigo angolano?

O contexto e que é preocupante, não tanto o acto em si, pois querer acreditar que a SAD ainda é do clube e que o clube ainda é dos sócios é pura ingenuidade de quem não quer ver a realidade.

Como disse no momento em que Abramovich surgiu, e agora que ele contra todos os prognósticos lá continua e não só investe no presente (até demais e com pouco critério) mas também no futuro (a academia do chelsea), mil vezes um abramovich que continuar nas mãos de pessoas que em nada se interessam pelo bem estar do Sporting e que apenas se apresentam para salvaguardar os interesses de terceiros.

Mas infelizmente este cenário ainda permite a alguns adeptos mais autistas manterem a utopia de que, de alguma forma, o Sporting ainda é dono do seu destino.

Mas estão a ver um Abramas que queira investir num clube de uma liga secundária da Europa?

Agora mesmo pensei: se calhar o dono de um grande clube europeu (e que tenha dinheiro para isso) compre o Sporting para aproveitar o melhor que o Sporting sabe fazer: formar.

O meu medo é a origem verdadeira do dinheiro angolono só isso e todos os problemas que isso possa acaretar!

Tambem não vejo um unico milionário maluco com desejo de comprar o nosso clube, até porque o nosso unico motivo de interessa é a Academia. Infelizmente estamos num clube que em termos futebolisticos tem estado miserável no escalão sénior, e teoricamente é este que dá maior visibilidade ao clube. Aos poucos, todo o Mundo vai-se apercebendo que temos uma Academia extraordinária mas não vejo um milionário com um interesse de comprar o clube só para tirar o devido rendimento a este clube.

Infelizmente, iremos continuar com os mesmo intervenientes…

Se ja andam uns “Abramas” a comprar equipas da segunda divisao de Inglaterra (Leicester City), porque nao um dia quem sabe nao aparece algum mano com £$£$£$…

Let’s wait and see…e o que nos SPORTINGUISTAS fazemos ano sim ano nao… :arrow:

O assunto merece uma reflexão mais profunda para a qual agora não tenho tempo, mas sempre vou adiantando que me parece que se o FSF já tocou neste assunto é porque se calhar já tem parceiro, e mais eu até acho que o negócio pode ser atractivo, atendendo à linha de produção de talentos que funciona muito bem e pode ser muito rentável numa perspectiva de vendas

o que vai acontecer mais cedo ou mais tarde é haver investidores a investir em clubes portugueses,como já se sabe por parte da uefa pelo presidente Platini,vai haver mudanças no formato da champions,reduzindo o numero de clubes dos grandes campeonatos,em apenas deixar entrar o máximo de 3 equipas,havendo mais espaço para clubes de outros campeonatos jogar na champions,
esgotando-se os investimentos em inglaterra,pode-se abrir espaço para investir em portugal,não no campeonato português, porque só na champions têm lucro,
o futuro de um clube vai passar por investidores,vejam o beira mar.
só peço uma coisa
espero que apareça um grande investidor
mas que os valores do clube sejam salvaguardados
que apenas invistam,porque formar e jogar já sabemos.

... Agora mesmo pensei: se calhar o dono de um grande clube europeu (e que tenha dinheiro para isso) compre o Sporting para aproveitar o melhor que o Sporting sabe fazer: formar.

pufff… andamos mesmo por baixo , entao ja so desejamos ser uma sucursal??? :shock:

... Agora mesmo pensei: se calhar o dono de um grande clube europeu (e que tenha dinheiro para isso) compre o Sporting para aproveitar o melhor que o Sporting sabe fazer: formar.

pufff… andamos mesmo por baixo , entao ja so desejamos ser uma sucursal??? :shock:

Um pouco off-topic, já não te via há um tempo rapaz :wink:

O assunto merece uma reflexão mais profunda para a qual agora não tenho tempo, mas sempre vou adiantando que me parece que se o FSF já tocou neste assunto é porque se calhar já tem parceiro, e mais eu até acho que o negócio pode ser atractivo, atendendo à linha de produção de talentos que funciona muito bem e pode ser muito rentável numa perspectiva de vendas

eu nao duvido que o negocio seja atractivo para quem apareca, duvido e que seja muito atrativo para o clube… entao passamos a ser um entreposto???

... Agora mesmo pensei: se calhar o dono de um grande clube europeu (e que tenha dinheiro para isso) compre o Sporting para aproveitar o melhor que o Sporting sabe fazer: formar.

pufff… andamos mesmo por baixo , entao ja so desejamos ser uma sucursal??? :shock:

Um pouco off-topic, já não te via há um tempo rapaz :wink:

completamente OT: estive a mudar de Londres para Edimburgo e so tive net recentemente…

... Agora mesmo pensei: se calhar o dono de um grande clube europeu (e que tenha dinheiro para isso) compre o Sporting para aproveitar o melhor que o Sporting sabe fazer: formar.

pufff… andamos mesmo por baixo , entao ja so desejamos ser uma sucursal??? :shock:

Espero bem que não :?

Tenciono contribuir mais, mas avanço já uma opinião definitiva e irrevogável, que tenho mesmo dificuldade em entender como não é exclusiva a todos os sportinguistas.

Quem deve mandar sempre na SAD é o Sporting, tendo para isso mais de 50% da sociedade.

Quem deve mandar sempre na SAD é o Sporting, tendo para isso mais de 50% da sociedade.

Cá está o “Pointless point” que eu refiro.
Isso é tudo muito bonito mas… o Sporting por acaso é dono dele próprio? Não. Logo de que interessa teres 40, 50 ou 60% se essa percentagem não é “do Sporting” mas sim de quem já o detem com a corda no pescoço, tendo o poder de condicionar discussão, eleições, etc?

Não percebo.

Quem deve mandar sempre na SAD é o Sporting, tendo para isso mais de 50% da sociedade.

Cá está o “Pointless point” que eu refiro.
Isso é tudo muito bonito mas… o Sporting por acaso é dono dele próprio? Não. Logo de que interessa teres 40, 50 ou 60% se essa percentagem não é “do Sporting” mas sim de quem já o detem com a corda no pescoço, tendo o poder de condicionar discussão, eleições, etc?

Não percebo.

São coisas diferentes. O Sporting pode estar em dificuldades financeiras e por via disso ter sido obrigado a adoptar medidas mais restritivas de gestão, mas isso não impede que continuem a ser os sócios a decidir a estratégia para o clube, nem que seja o Sporting a gerir e decidir tudo o que tem que ver com o futebol.

Outra coisa é ser alguém (de forma individual ou através de um grupo) a gerir e decidir, ficando o Sporting numa posição de espectador.

No Record:

http://www.record.pt/noticia.asp?id=735704&idCanal=24

Os sócios receberam alguma info disto ?

"As recentes declarações de Filipe Soares Franco, nas quais admite a possibilidade de, num futuro próximo, o Sporting deixar de controlar a maioria do capital social da SAD, devem ser encaradas como um abrir de porta às profundas alterações que, a curto e médio prazo, irão verificar-se na constituição da sociedade.

Este processo vai decorrer em duas fases. Numa primeira, o clube irá alienar cerca de 30 por cento das acções existentes (21 milhões) e, numa segunda fase, proceder-se-á a um aumento de capital, de 42 milhões para próximo dos 100 milhões de euros, relativos a 50 milhões de acções. Aliás, a primeira fase do processo já está em marcha, com o clube a procurar no mercado parceiros institucionais interessados em adquirir a participação que o clube quer alienar.
"

in Record de hoje

É assim vamos la ver que amigo ou amigos vao adquirir estes 30 por cento …

Abraços

Alguém acredita verdadeiramente nisto?

Não eram as SAD’s a panaceia para todos os males?

Como planear o futuro, se não se compreende os erros do passado?

Lá vai a carneirada cantar loas a quem lhes conta mentiras sedutoras…

Viva o pontapé na bola. Saudações Leoninas

São coisas diferentes. O Sporting pode estar em dificuldades financeiras e por via disso ter sido obrigado a adoptar medidas mais restritivas de gestão, mas isso não impede que continuem a ser os sócios a decidir a estratégia para o clube, nem que seja o Sporting a gerir e decidir tudo o que tem que ver com o futebol.

Não é não Rui, tu é que estás no reino da utopia.
O Sproting gere e decide tudo o que tem a ver com o futebol? Não meu caro. Esqueces que tens papéis assinados que permitem aos bancos fechar a boca automaticamente caso avances por exemplo para contratações sem teres vendido realizado x euros em receitas adicionais da SAD (na práctica vender jogadores)? Não vejo forma mais completa de limitar completamente esse poder de “decisão”. Aliás viu-se bem neste defeso.

Por outro lado o poder de decisão dos sócios é completamente manietado, quando estes sabem ou são assustados pelas “grilhetas” que prendem o Sporting logo… que liberdade tem um sócio de votar uma opção alternativa quando lhe dão conhecimento dos compromissos assumidos sem sua autorização e que podem resultar na desintegração do clube? Nenhuma.

Portanto caro Rui… no “papel” o clube pode ser dos sócios, dono do seu nariz, etc. mas isso são tudo quimeras. Na práctica já somos de alguém. A diferença é que esse alguém está interessado em nós como um vampiro do filme “blade” se interessa pela carcaça humana que lhe dá sangue ocasional: há que manter aquilo minimamente vivo para gerar retorno, mas não há grande interesse em lhe dar pujança.

É isto preferível a um russo, estónio, chinês ou indiano que não tendo o que fazer a tanto bilião decide investir num clube apenas pelo seu gosto pelo futebol? O problema é que destes não há de facto muitos.

Nem sequer se pode comparar as compras dos leicesters desta vida, pois qualquer leicester da division one gera muito mais receitas que um Sporting, e isso é uma miséria que muitos de nós ainda não percebemos.

Não é não Rui, tu é que estás no reino da utopia. O Sproting gere e decide tudo o que tem a ver com o futebol? Não meu caro. Esqueces que tens papéis assinados que permitem aos bancos fechar a boca automaticamente caso avances por exemplo para contratações sem teres vendido realizado x euros em receitas adicionais da SAD (na práctica vender jogadores)? Não vejo forma mais completa de limitar completamente esse poder de "decisão". Aliás viu-se bem neste defeso.

Por outro lado o poder de decisão dos sócios é completamente manietado, quando estes sabem ou são assustados pelas “grilhetas” que prendem o Sporting logo… que liberdade tem um sócio de votar uma opção alternativa quando lhe dão conhecimento dos compromissos assumidos sem sua autorização e que podem resultar na desintegração do clube? Nenhuma.

Portanto caro Rui… no “papel” o clube pode ser dos sócios, dono do seu nariz, etc. mas isso são tudo quimeras. Na práctica já somos de alguém. A diferença é que esse alguém está interessado em nós como um vampiro do filme “blade” se interessa pela carcaça humana que lhe dá sangue ocasional: há que manter aquilo minimamente vivo para gerar retorno, mas não há grande interesse em lhe dar pujança.

É isto preferível a um russo, estónio, chinês ou indiano que não tendo o que fazer a tanto bilião decide investir num clube apenas pelo seu gosto pelo futebol? O problema é que destes não há de facto muitos.

Mauras, isso é assim por erros de gestão que durante anos discutimos aqui. Mas volto a afirmar, neste momento a situação é essa, mas desde que resolvidos esses problemas o poder continuará a ser de quem sempre foi, dos sportinguistas.

Atenção que, em laia de aviso para criticas que já adivinho, eu não defendo a intervenção “selvagem” a que assistimos tantas vezes no passado, de adeptos a derrubar direcções devido a resultados desportivos, pontuais ou não.

Acho que as pessoas podem exteriorizar, até em comportamentos mais exaltados, o seu descontentamento, mas isso não implica que o poder ande na rua.

O que acontecerá a partir do momento em que se venda a maioria da participação na SAD é o Sporting deixar de pertencer aos sportinguistas, isto parece-me claro e para mim é inaceitável, seja a perspectiva qual for.

Nessa altura é que não existirá mesmo forma de os sportinguistas voltarem a controlar o que é deles!