Rui Meireles e Armando Santos de saída da SAD?

Só uma coisa, stromp, é Rui Meireles e não “Raul”.

Tens razão. O Freud chamaria a isto um “acto falhado”: pensar no Rui Meireles e escrever o nome de um adversário do Sporting…

Edit: :offtopic: Por falar nisso, o Raul Meireles é o jogador que mais detesto em Portugal, juntamente com o João Pereira e o Si-Si-Si… não consigo escrever este nome!

A questão não é essa. Supõe que Rui Meireles defende uma estratégia dentro do clube que não agrada a FSF… Achas que todos os que FSF quer por na rua são maus elementos só porque é o FSF, actual presidente que os quer por na rua? Então, mas não era ele incompetente, «tio da Linha», inimigo dos sócios, etc., há algum tempo atrás?

Também insinuas que essas pessoas querem ficar e não apresentam a demissão para defender os «tachos». Bom, eu também posso partir do princípio que essas pessoas pretendem ficar para lutar por um Sporting diferente e que quem apresenta a demissão por divergências, é porque certamente já está «calçado», tem «tacho» noutro lado e não está para se chatear. Entendes portanto que ele devia deixar de lutar pelo Sporting em que acredita, pedir a demissão e vir cá para fora contar os «podres», ou pior ainda, contá-los dentro do clube?

Se o Rui Meireles e o Soares Franco têm estratégias diferentes, então divergem politicamente. Neste momento, para o bem e para o mal, o Soares Franco é o presidente, é legímo que escolha quem quer com ele. Há uma diferença importante entre eles: a estratégia do Soares Franco foi eleita pelos sócios e a do Rui Meireles não foi a votos. Por isso, acho muito bem que prevaleça o Soares Franco. Nunca fui apoiante do Soares Franco, mas as promessas que fez estão a ser cumpridas: pela primeira vez em muitos anos, vejo o Sporting a renovar com os principais jogadores da equipa e a resistir à tentação de vender os miúdos da formação logo à primeira oferta. Vendeu património? Sim, mas propô-lo em eleições, em vez de apresentar esse projecto (como outros fizeram) a meio de um mandato. Quanto ao Rui Meireles, insisto no seguinte: se revelou os vencimentos dos jogadores do Sporting à imprensa (até se soube quanto pagamos aos juvenis!), não podia continuar, evidentemente. Foi desleal com a entidade que lhe paga(va) e colocou o seu interesse pessoal à frente do interesse do clube (que disputava a Liga naquela altura).

Ninguém disse o contrário. Apenas me insurgi contra os «gritos de ordem» do género «eles que vão para a rua que não fazem falta» ou ainda «não deviam pedir indemnizações porque contribuíram para o estado em que está o Sporting». Por vezes, parece que as pessoas se esquecem de onde provém o passivo actual do Sporting.

Errado. Aquilo que FSF sempre defendeu, foi: «vender património, para não ter de vender jogadores. Afinal, está a fazer as 2 coisas: vendeu o património e não cuidou da renovação de Nani a tempo de evitar que o Manchester batesse a cláusula de rescisão. Devo confessar que não foi uma má venda, mas calma que «a procissão ainda vai no adro». Veremos se mais jogadores não serão ainda vendidos. Essa coisa de vender por 100, gastar 30 em jogadores e abater o resto ao passivo, é uma faca de 2 gumes. Aparentemente, está-se a resolver o problema do passivo, mas é bom não esquecer que as aquisições de baixo custo, são sempre uma incógnita com tendência para o inêxito, como se tem visto recentemente. A juntar a tudo isso, estamos a retirar um jogador que está entrosado no esquema colectivo, para colocar outro que necessita de espaço e tempo de ambientação. No Ajax, até há pouco tempo (não sei se ainda hoje é assim), os jogadores só podiam sair do clube mediante 1 de 2 condições: ou depois de ajudarem a dar 1 título europeu ou depois de fazerem 23 anos.

Tens razão.

Errado. Aquilo que FSF sempre defendeu, foi: «vender património, para não ter de vender jogadores. Afinal, está a fazer as 2 coisas: vendeu o património e não cuidou da renovação de Nani a tempo de evitar que o Manchester batesse a cláusula de rescisão. Devo confessar que não foi uma má venda, mas calma que «a procissão ainda vai no adro». Veremos se mais jogadores não serão ainda vendidos. Essa coisa de vender por 100, gastar 30 em jogadores e abater o resto ao passivo, é uma faca de 2 gumes. Aparentemente, está-se a resolver o problema do passivo, mas é bom não esquecer que as aquisições de baixo custo, são sempre uma incógnita com tendência para o inêxito, como se tem visto recentemente. A juntar a tudo isso, estamos a retirar um jogador que está entrosado no esquema colectivo, para colocar outro que necessita de espaço e tempo de ambientação. No Ajax, até há pouco tempo (não sei se ainda hoje é assim), os jogadores só podiam sair do clube mediante 1 de 2 condições: ou depois de ajudarem a dar 1 título europeu ou depois de fazerem 23 anos.

Também acho que tens razão. Estou bastante desconfiado: o processo de renovação do Nani devia ter sido acelerado (e o do Tello também), é verdade, e também acho que devia investir-se mais no futebol. Apesar disso, até ver, tem cumprido a generalidade das promessas que fez. Em ano e meio, renovou com o Liedson, o Polga, o Tonel, o Djaló, o Miguel Veloso e o João Moutinho, todos fundamentais, com vários jogadores da formação (a direcção do Dias da Cunha deixou expirar o contrato do Fábio Paim que só não saiu do Sporting porque não quis). Ainda renovou com o Obikwelu e o Rui Silva; soube negociar um acordo de patrocínio com a CGD para as modalidades amadoras e formação. O futsal estabilizou e tem equipa para lutar pela próxima liga; no andebol o Sporting vai voltar a ter uma equipa competitiva. Quando deixar de cumprir, cá estarei também para protestar.

Eu gostava que me explicassem é como se faz isso de acelerar os processos de negociação. É que eu só vejo duas maneiras, uma vez que há duas partes envolvidas, ou aceitam-se todas as condições da outra parte ou então aponta-se uma pistola á cabeça dos gajogos e “assina”, caso contrário há que negociar com calma e ponderação sabendo-se que há sempre o risco de não haver acordo

Uma coisa curiosa que soube há pouco tempo é que a empresa que patrocina o futsal (Cerâmicas Aleluia, se não me engano) é propriedade do Soares Franco. Segundo parece o Sporting não tinha arranjado patrocínio para o Futsal e o FSF disponibilizou-se a patrocinar o futsal com a sua empresa.

Deve ser esta: http://www.aleluia.pt/

Hummm lembrei-me agora daquele triste patrocínio dos Queijos Castelões. :’(

Bem sei que a promiscuidade é tamanha que às vezes nem dá para perceber onde acaba FSF e começa a OPCA ou o BES, mas ponhamos os pontos nos ii: a Cerâmicas Aleluia pertence maioritariamente, não a FSF, mas à OPCA, que por sua vez é detida pelo Grupo Espírito Santo. Tal como de resto a Tecnovia, onde FSF esteve antes da OPCA, também é participada pelo GES.

Realmente, o que quis dizer é que se deve renovar com tempo; nunca no último ano de contrato. De qualquer forma, há anos que o Porto renova contratos quase de um dia para o outro; nunca os vi perder Futres (bem sei que não estava em final de contrato, mas consta que quis renovar, melhorar o contrato, e o João Rocha não chegou a recebê-lo) ou Figos sem a devida retribuição.

Cada caso é um caso. Os casos do Moutinho e do Veloso por exemplo foram tratados com certa antecedência porque sendo jogadores jovens e oriundos da Academia naturalmente ganhavam pouco. Já o Ricardo accho que a um ano do final do contrato é a altura certa para se falar da renovação. O caso Tello é outro diferente, tratava-se dum jogador que nunca se tinha imposto mas que mesmo assim mereceu a renovação por duas temporadas do seu contrato e como só na ultima destas se impôs finalmente, é natural que a decisão final tenha ficado para o fim da temporada, depois é a tal coisa, cada um rapa para si, ele arranjou quem lhe pagasse mais, adeus e felecidades, era um bom elemento mas não fundamental

Concordo. Perder Tellos não me preocupa nem um bocadinho. Aliás, o interesse do Sporting em renovar nem pareceu óbvio.

Grave é perder o Futre irresponsavelmente (com o João Rocha), ser forçado a vender o Ronaldo a meia-dúzia de meses do fim do contrato (com o Dias da Cunha; realidade que os sócios desconheciam) ou receber uma bagatela pelo Figo, um dos melhores jogadores da década de 90 (como aconteceu no tempo do Sousa Cintra). Por tudo isto, já aqui elogiei a política de renovações do Soares Franco. Espero que continue assim, porque nenhum do seus antecessores o fez competentemente. Embora ache que houve bastante tempo para renovar com o Nani, desde o começo da época anterior, em que fez exibições decisivas. É uma excepção, apesar de tudo.

Peço desculpa por levantar novamente a questão.
Mas, SCP Always, já que o tópico é sobre a saída de Armando Santos e Rui Meireles, e tanto te insurgiste contra alguns comentários, pensei que terias conhecimento da dita competência de um e/ou do outro.

Uma vez que desconheço o trabalho de Armando Santos, não poderei comentar.
De Rui Meireles já disse a minha opinião, e fundamentei-a. Acho-o incompetente, no sentido lato e estrito do termo.

A tua indignação sobre os comentários a este tópico (repito sobre Armando Santos e Rui Meireles), serão fundamentadas? Ou apenas vais responder com as fraquezas (que existem) do presidente? Conheces algo de concreto que vais partilhar neste fórum?

Estou realmente curioso…

Pois, mas por enquanto vais continuar curioso, porque as informações foram-me dadas precisamente pelo engº Armando Santos que me pediu para não revelar, nem neste nem em nenhum outro fórum ou blog. Não estou a dizer que o FSF é o Diabo e que Rui Meireles é um santinho, mas podes ter a certeza que este conhece muitos podres de FSF que, como é óbvio, só serão conhecidos quando o actual presidente largar o Sporting.

Por outro lado, volto a frisar (parece que não leste ou se leste, não interpretaste correctamente), eu só me insurjo é com a relação que tentam estabelecer entre o actual passivo e a pseudo-incompetência daqueles 2 elementos. Eu pergunto: qual era o passivo do Sporting antes do «maravilhoso projecto roquette»? Qual era o passivo quando Armando Santos e Rui Meireles entraram em Alvalade? Qual é o passivo actual? Também afinas pelo mesmo diapasão defendendo a tese que é por causa de pessoas como Armando Santos e Rui Meireles é que o Sporting está assim?

PS: Num outro post, dei a entender que, ao contrário daquilo que nos havia sido prometido, não era apenas o património não-desportivo que ia ser vendido, mas também jogadores. Esta notícia da venda do Ricardo (a ser verdadeira, só me vem cobrir de razão). Repara que estamos a falar de 2 jogadores do esqueleto da equipa (Nani e Ricardo), não de 2 jogadores quaisquer. Agora vêm com a desculpa que era o último ano do Ricardo e que para o ano saía a custo zero. Se em relação a Nani, os interesses do Sporting foram acautelados e nada pudemos fazer, uma vez que o MU bateu a cláusula de rescisão que felizmente já estava suficientemente alta, o mesmo não se pode dizer em relação a Ricardo. Porque é que não negociaram a continuidade dele no ano passado? São só 2 jogadores do núcleo que vão desaparecer. Desde «violar a matar», vale tudo naquele clube, tudo em nome do saneamento financeiro.

Se o Rui Meireles não puser a boca no trombone quando sair, eu fá-lo-ei… >:D

Realmente nada adiantaste o que é pena.

Mas já agora algumas perguntas:

  1. Qual a tua opinião (sim ou não) sobre a noticia dos ordenados dos jogadores ter sido tornada pública, ter sido da responsabilidade de Rui Meireles?

  2. Questionas qual a responsabilidade de pessoas como Armando Santos e Rui Meireles relativamente ao défice. Volto a dizer que não conheço o trabalho de Armando Santos por isso reporto-me apenas ao de Rui Meireles.
    Sabes à quantos anos Rui Meireles é o responsável financeiro do Sporting?

  3. Não achas que como responsável financeiro, estaria numa situação previligiada para, se achasse que as várias direcções que o atravessaram estavam a ir por caminhos errados e prejudicar o Clube, não deveria ter a obrigação moral e ética - nem estou a falar de Sportinguismo - de alertar os devidos orgãos sociais do Clube? E se essa estratégia não resultasse que deveria ter a obrigação de alertar grupos de sócios infulentes ou em último caso a comunicação social?

  4. Achas que um responsável financeiro não tem/ teve acesso a todos os funcionários que como ele, Rui Meireles, ganham valores 100% ou 200% acima do mercado? Rui Meireles ganha cerca de 12000€/mês. Um ordenado ao nível da adminstração de alguns bancos…

  5. Uma vez que tens acesso próximo de Armando Santos, sabes quanto ele ganhava por mês? E quanto irá receber por sair do Sporting? Já nem pergunto pelo Rui Meireles…

Eu já denunciei algumas coisas sobre o péssimo funcionamento da direcção FSF, nomeadamente aquando da nomeação de Pedro Afra.
Ou seja, não sou pró FSF. Partilho das tuas preocupações quanto a esta direcção e a todas que sucederam o projecto Roquete.

Só vejo aqui uma excelente oportunidade em denunciares o que sabes.
Mas se por um lado dizes que não dizes - e estás no teu direito - por outro lado dizes que dizes se o Rui Meireles não falar…
O que realmente não entendo é a defesa ainda que implicita de Rui Meireles. Os factos contra o dito são por demais evidentes

No entanto, sobre as saídas que falas, acho que existem algumas atenuantes:

a) Nani penso que é pacifico que nada havia a fazer.

b) Tello saíu a custo zero apesar de o Sporting ter tentado renovar com ele há mais de 6 meses. Não aceitou e saíu a custo zero.

c) Ricardo saiu por 3M€ - a acreditar na informação da imprensa - e no limite, teve uma atitude melhor que a de Tello. Porque a partir de Dezembro poderia comprometer-se com outro clube.

Moral da história. Existem situações em que são os próprios jogadores, ou os empresários, ou ambos que tornam impossível as renovações. Aconteceu com CR. Aconteceu com Nani. Aconteceu com Ricardo. Nenhum destes 3 assinou e oSporting ainda recebeu algum dinheiro. E se saíram foi porque quiseram sair ou porque o Sporting não tinha condições para os manter. No caso do Tello, o rapaz portou-se mal. O Sporting não só nada recebeu, como deixou-nos completamente orfão do lugar de DE.

Não me parece que estejam nestes negócios, muito desconfortáveis é certo, os crimes que lesam o passivo do Sporting.

É verdade.

Não percebo. Então, prendes por ter cão e prendes por não ter? Por um lado, criticas o Rui Meireles de trazer os ordenados dos jogadores a público; por outro lado critica-lo pelo facto de não ter feito um «golpe de rins», denunciando o que poderia eventualmente estar mal dentro do Sporting? Sabes qual foi o intuito da divulgação dos ordenados do Sporting? E já agora, como é que sabes que ele ganha 12000 € por mês? Pelos vistos andas muito mais bem informado que eu.

Em 1º lugar, não sei se essa notícia se confirma; vou tentar saber. Em relação a indemnizações, até podia tentar saber, mas pelos vistos, em matéria de ordenados e indemnizações, estás mais bem informado do que eu. De qualquer dos modos, vou saber se a saída de Armando Santos se confirma mesmo.

Continuas a chafurdar na mesma marmelada. Eu nunca elogiei o Rui Meireles. Simplesmente não entendo porque é que Rui Meireles e Armando Santos estejam associados ao gigantesco passivo do Sporting. Daqui a pouco estão a dizer que o Roquette não teve nada a ver com isto; só faltava mesmo essa. Entretanto, continuo a fazer as mesmas perguntas: do que é público, qual o passivo do Sporting quando Roquette abandonou o «barco»? Qual era o passivo quando Rui Meireles e Armando Santos lá entraram? E qual é o passivo actual?

Quanto a declarações, dá-las-ei quando entender e achar o momento apropriado. Isto se Rui Meireles não as der, obviamente. Mas também aqui confesso que já não sei se será boa ideia ele dá-las quando sair do clube. É que se isso acontecer, uns vão chamá-lo de traidor, desestabilizador, etc. Outros de tachista que perdeu o dito e está a querer vingança.

Dos jogadores que falas, em relação a Nani, fui claro ao referir que o Sporting fez um excelente negócio porque soube precaver-se. De Tello, nem sequer falei, mas aproveito para dizer que se eu fosse presidente do Sporting, esse indivíduo não se aproximava do estádio de Alvalade menos de 500 metros. É um mau carácter e mal-agradecido. O clube teve toda a paciência do mundo com ele e podia-o ter despachado há mais tempo quando não valia um chavo dentro das 4 linhas e pouco ou nada davam por ele. Ao invés, acreditou e apostou nele. Não nego que o enorme investimento feito pelo Sporting também ajudou (ou obrigou) a criar uma bolsa de confiança no chileno, mas outro clube já tinha esgotado a paciência e tinha arranjado outro defesa-esquerdo de qualidade. Ora, quando o clube que o contratou começou finalmente a tirar partido do ciclópico investimento feito na contratação, ele decide pôr-se ao fresco e aqui não acredito que o Sporting não estivesse há já algum tempo interessado na renovação, pois já na época anterior a sua prestação assim o aconselhava.

Já em relação a Ricardo, o Sporting tinha todas as condições de chegar a um acordo bom para ambas as partes. A mais-valia de Ricardo não é de agora - é claramente um dos jogadores que fazia parte do esqueleto da equipa, esqueleto esse que na minha óptica é composto pelo guarda-redes, 2 centrais, 1 trinco, 1 médio criativo (nº 10) e um avançado-centro. A meu ver, não houve a mais pequena vontade de manter Ricardo no plantel.

O grande problema que se coloca aqui, não é, obviamente, o de vender um jogador e ir buscar outro. O problema é que se está a desfazer a espinha dorsal de uma equipa, o que é sempre de evitar. Espero que este Stojkovic seja pelo menos tão bom como Ricardo e que não venha por em causa os mecanismos e automatismos da equipa. :exclaim:

Estás enganado.
Critico o facto de ter divulgado os ordenados de forma cobarde, porque foi anónima, ainda por cima prejudicial ao Clube por razões mais que óbvias.
A razão é simples. A mais pequena vingança. FSF no último ano, emprateleirou RM de forma, para ele, quase humilhante. Andou a fazer trabalhos considerados menores, numa tentativa de fazê-lo sair. O resultado está à vista.

Sobre o facto de ter, em tempo útil, desperdiçado a oportunidade de não ter falado faltaram-lhe pelo menos 2 coisas:

  1. O facto de saber que a partir do momento em que falasse, teria de colocar o seu lugar à disposição. Não me parece que RM tivesse/tenha essa vontade…
  2. A forma como o deveria ter feito deveria, em primeiro lugar, ser nos orgão próprios do Clube (Assembleias Gerais). Numa segunda fase, grupos de sócios que pudessem encabeçar real alternativa. Numa última fase, comunicação social. De forma sempre subtil e discreta, e já agora, dando a cara!

Sobre andar bem informado, não sei. Apenas questiono é o teu nível de informação.

Referia-me a estas declarações:

Eu entendo-as como clara defesa de RM. Se não era essa a intenção… peço desculpa.
Sobre a questão do passivo, gestão Roquete e afins, estamos de acordo. Se tiveres paciência podes ler os comentários que já escrevi.

Bem nesse caso o melhor é começares a preparar o discurso e marcares a grande conferência de imprensa!!
Achas que RM vai falar justamente depois da forma como saiu/ vai sair? A razão principal é a auto-sobrevivência. Ao nível da direcção do Sporting (RM incluido) tem-se contacto com muita gente importante e influente que não veria com bons olhos uma atitude desenquadrada por alguém que vai andar à procura de emprego…
Claro que tens razão e será chamado dessas coisas todas e mais algumas.

Por mim não será preciso ouvi-lo dizer nada. Por todo o seu comportamento até hoje, ele já o é.

Volto a frisar pela enésima vez que não estou aqui a defender o Rui Meireles, nem essa é a questão, mas confesso que continuo sem perceber onde queres chegar. Afinal, dentro de um clube, aceitas ou não que haja pessoas que estejam contra o projecto do presidente (mormente, por exemplo, nos casos em que no início das suas funções, advogam uma coisa e agora executam outra), sem terem de sair, ou pôr o lugar à disposição? Se eu, dentro de uma empresa, trabalho num lugar de destaque e acho que o meu superior hierárquico está errado, sabendo de antemão que está a tomar medidas erradas, tenho 2 alternativas: ou me alio a ele, continuando a dar-lhe palmadinhas nas costas, deixando-o continuar a «enterrar» o sector onde trabalhamos, ou tento chamá-lo à atenção, avisando-o que está a ir pelo caminho errado e entro em rota de colisão, mas isso não significa que tenha de colocar o meu lugar à disposição. Se assim, fosse, andava toda a gente a despedir-se dos seus locais de emprego. Lembras-te como Pinto da Costa começou o seu reinado dentro do FCP? Foi precisamente com uma revolta contra Pinto de Magalhães. Ele e o Pedroto, pegaram na equipa e foram treinar para o campo.

Admites que a publicação dos ordenados foi uma «revanche» pelo facto de Rui Meireles estar gradativamente a ser colocado de lado, mas tem piada que criticas a posição do Rui Meireles, mas não criticas a do FSF que a despoletou. Dizes que a tal publicação dos ordenados veio prejudicar o clube, mas não sei em quê!? Para além de tornar públicas informações mais ou menos sigilosas da vida do clube, a nível bolsista não houve qualquer repercussão, porque os ordenados dos jogadores são (têm de ser) do conhecimento da CMVM. Ninguém no seu estado perfeito de sanidade mental toma uma atitude sabendo que vai provocar a empresa onde presta serviços, quando o alvo principal era alguém que lá está dentro. Escapou-te outra interpretação mais lógica e mais plausível para a publicação dos ordenados - a de denunciar à saciedade que afinal,o tal tecto salarial dos 75 mil Euros praticados dentro do Sporting, não era uma realidade tão linear assim. Não será esta interpretação mais lógica e mais sensata?

Eu não sou defensor do Meireles nem do FSF, volto a frisar mais uma vez. O que eu estou a estranhar é só falarem agora do Rui Meireles e esquecerem-se que FSF queria um Sporting só com futebol e pouco mais e sem sócios, onde quem quisesse ir ver um jogo a Alvalade tinha de largar «do bom e do belo» e que eu me lembre, ele ainda não veio a público pedir desculpa ou dizer que estava errado, pois não?

Se calhar, eu não pensava assim. Olha que se a sua saída se confirmar, podes ter uma surpresa…

Se calhar é. Lamento é que outros que são tanto ou mais que ele, não sejam evocados e invocados. Realmente a nossa memória é curta. Passamos do 8 para o 80 e de péssimos a muito bons num ápice…