Pro Evolution Soccer 2017

Chegamos aquela altura do ano :stuck_out_tongue:

Eis as primeiras novidades(ou promessas…):

Real Touch

See how different players control the ball in unique and different ways based on where and how you control them, dictating the flow of the game based on how they react to the unpredictable movement of the ball.

Precise Pass

Combining Real Touch and real ball physics, passing is an art form in PES 2017. Many factors determine the speed and accuracy of the ball. The pass that is made on the best situation and timing will generate a perfect trajectory, creating a great satisfaction when a killer pass is made.

Total Team Control

Users can instantly change the attacking and defending mentality of the team, which can be tweaked and carefully controlled with simple controls, being able to immediately react to the unpredictability of the sport.

Goal Keeping

Keepers see a great jump in quality through added motions and animations, creating the most agile keepers in PES history. Attacking moments will be more dramatic than ever, bringing the best feeling of achievement when that goal is scored.

Corner Kick Strategies

Control the defensive strategies on a set piece, such as marking zonal or Man to Man. Offensive options also included such as specific player movement.

Advanced Instructions

Strategies that are quite individually defined such as Tiki-taka and Tight Marking which is strongly based on team ideology can be set in Advanced Instructions, which adds a huge variety in how you plan to win.

Authentic Visuals

For PES 2017 the visuals have seen a major upgrade, offering Authentic Visuals thanks to the further incorporation of Fox Engine. Nothing has been left untouched, from player models, lighting, crowds, pitch and stadiums totally revamped. Never has a game looked so real.

Adaptive AI

For the first time in a football game, the AI will learn how you play! Player and team behavior has always been a staple of the PES series, and for PES 2017 Adaptive AI will change sports games forever.

Natural Player Movement

Hundreds of new animations have been added to bring the players and goalkeepers to life – but it doesn’t stop there. New features such as Real Touch and Precise Pass see huge benefit, giving a vast array of movements when trapping and passing the ball.

Algumas imagens:

https://www.youtube.com/watch?v=evz_HOHZz0I

A partir de hoje termina o embargo no que concerne os jornalistas, e amanhã vai haver um teste do jogo alargado a um público mais vasto.

Portanto esperem muitas actualizações e novidades no tópico :mrgreen:

Ps : Não me parece no entanto que vá haver videos de gameplay do jogo(pela conversa do video que postei agora), talvez na altura da E3.

[size=14pt]PES 2017 preview: 7 things Konami has fixed to take on FIFA, from goalkeeper upgrades to kit editing First play with the thinking gamer's footie game – and it's all change.[/size]

It seems more than licensing coincidence that Atlético Madrid are the first club we get to play as in PES 2017. Like Atlético, Pro Evolution Soccer is the people’s favourite, the underdog that huffed and puffed its way to hearts and minds without the mass appeal and buckets of money to throw at it, unlike EA’s FIFA or Real Madrid.

The annual footie fight between the two each September is a mainstay of both the football and gaming seasons now. Japanese developer Konami’s PES has spent many years in the wilderness as EA Sports’ FIFA pushed technical advances, budget and media hoo-ha.

Related: FIFA 17 release date, features and everything you need to know

Then last year, something funny happened: PES got better. Like loads better. PES 2016 handles the blend of tactics and pitch tricks so well that it turned more than a few heads from FIFA 16’s increasingly familiar fare. It reviewed brilliantly. A critical darling, PES was back… yet most people still bought FIFA.

PREVIOUS ARTICLE
Monster Hunter Generations preview: Another 3DS hit?
More Gaming Reviews coming soon
“We’re not the licensing game,” says Adam Bhatti, PES’s global product and brand manager, in reference to FIFA. “We’re not the one that has all the money, we’re not the one that does all the big marketing campaigns. We’re the game that survives on how it plays. Not because we don’t want the official licences, don’t get me wrong. But it’s a fight you can’t say you’re going to win.”

Related: FIFA 17 - Top 10 fan-requested features

So in lieu of throwing lolly at the situation, what strategies has Konami come up with to overcome FIFA 17 this time out? We grabbed a PS4 control pad and a day with an early demo of PES 2017 to find out.

  1. They’ve fixed the goalies – and they’re glorious
    PES 2017 screenshot, goalkeeper, Hugo Lloris, Konami
    © Konami
    PES 2016 did a lot of things right but what everyone, even its creators, agreed on was that the keepers were hilariously easy to beat. It’s the “most requested change,” confirms Bhatti, and it’s been well and truly sorted with goalies now capable of some fantastic feats to suit their standing.

More impressive is that this is not just a settings tweak across the board, but on an individual basis, reflecting personalities, with Tottenham’s Hugo Lloris acrobatic and aerially gifted, Bayern Munich’s Manuel Neuer all strong hands and good feet. It often felt like you could put anyone in goal, but now they’re as important to your success as your star striker.

And best of all: they now come up for corners again when you make your tactics super attacking, an old favourite feature that had been lost in recent years.

  1. Player focus make you feel like you’re controlling the actual teams
    Another big request was to make the game “less arcade-y”, an avenue Konami had increasingly gone down in reaction to FIFA’s success. The result is a focus on ball physics and player touch that not only slows the game down, but also makes it feel like you’re controlling the actual team whose badge is on the shirt, rather than a random collection of computer-generated footballers.

Statistical attributes and position play their part so that players excel in certain areas and yet are vulnerable in others – well, unless they’re Pogba, who seems to be amazing at everything, and is so large he’s almost like an end-of-level boss. Him aside, if you’re playing out from the back, it best be with a defender who has good control and a range of passing; if they do, though (more Hummels, less Mertesacker), it opens up opportunities more clearly.

“We’ve also brought in new stats to differentiate between strength, like [Olivier] Giroud, or body balance, like [Mesut] Ozil,” says Bhatti of Arsenal’s attackers. “Ozil is not the strongest player but he holds the ball well, so those new stats completely change the game. When you get the ball to Ozil or your better midfielders, you feel the ability to do something more.”

  1. Arsenal are in the game but kit editing is coming to sidestep licence grief
    PES 2017 screenshot, Pro Evolution Soccer, Konami, Olivier Giroud
    © Konami
    Where FIFA always wins against PES is it has all the real player and club names, all the kits, all of the whizz-bang, all of the time. Alas, the exclusivity around the FIFA deal makes that a pretty challenging situation for Konami to overcome without re-mortgaging the Metal Gear Solid franchise.

“I appreciate guys who play PES really want to have authentic kits,” says Bhatti, “but there’s some features in edit mode that we can announce later at E3 that will definitely appease that.” Kit edit mode confirmed.

Konami is currently permitted to licence just two Premier League teams and this year Arsenal is the first to be revealed (“North London” is no more), alongside Atlético Madrid on the club front. Four are allowed from the Bundesliga, but they’re not playable yet, the four-team line-up on this early demo filled out by an immaculately rendered Germany and France.

  1. Tika Taka, Gegenpressing and all the new tactical fads are at your fingertips
    PES has long been laden with statistical options that the less hardcore players might skip, but there are a few new additions that you will find invaluable. Under the setting ‘Advanced Instructions’, you can assign the four D-pad buttons to two attacking and two defensive strategies from a deep checklist, including Barcelona’s Tiki-Taka in possession (short, quick interplay) to Jürgen Klopp’s Gengenpressing in defence (every single player run at the ball, NOW!).

That you can choose overlapping full backs on the fly at last is a real boon, too. These can be turned on and off in conjunction with the L2 button, the depressing of which can also act as an overall pace-setter for your team, ratcheting up through the attacking gears with R1 and R2.

Tap the D-pad at a corner and there are advanced settings there, too, selecting from back-post runs or the whole team forming a Train into the box.

Sports games are prone to chuck more and more tactical options in that can sometimes clutter your fun – we’re looking at you, Madden – but all of these became integral parts of your our game within just a few matches. Because the benefit is so palpable, we doubt you’ll find yourself skipping them.

  1. PES is now watching what you do and will shift its tactics to beat you
    PES 2017 screenshot, Pro Evolution Soccer, Konami, France v Germany
    © Konami
    New sport game launches are always overflowing with buzz words to describe how they are definitely not the same as the one you already own. For PES 2017, read ‘Adaptive AI’, which sounds all kinds of Cyberdyne Systems 101 but actually seems to make a very subtle yet noticeable difference.

SHARE
TWEET
PIN
E-MAIL
Over use any player or goal route too much – out wide to the annoyingly speedy overlapping Arsenal winger Theo Walcott, for example – the computer-controlled defenders will shift to compensate, doubling up to stop you being so damn lazy. It keeps you honest, and makes you vary your play.

  1. Master League is being overhauled with a new transfer system and cut scenes
    While the e-sports spectacle of the PES World Finals may attract and fuel the game’s social boom, it’s still the single-player Master League where chin-stroking PES players congregate.

These purists also have very strong opinions on what they want changed – to the extent that there’s a player survey each year that collects tens of thousands of suggestions and gripes. And while Konami is staying pretty tight-lipped about the campaign mode for now, we got a few nuggets of what to expect.

“We know people want more managerial options,” says Bhatti. “They want more cut scenes, new transfer systems, they want to manage their team differently, they want to know what they achieved throughout their managerial career… well, I’ve pretty much told you everything there.”

  1. The graphics and presentation are just much, much better
    PES 2017 screenshots, Pro Evolution Soccer, Konami
    © Konami
    It’s quite staggering how much this game has improved visually in less than 12 months. PES 2016 played a lovely game, but heading back to it after a day on PES 2017, the almost pleased-to-be-puritanical front-end is a frosty reception.

“Establishing connections…”

On PES 2017, the menus look less like '60s Soviet space-race prototypes and more like a slick, modern video game. Your players are now illustrated – praise be! – and the interface is smooth, although there is still much work to be done before now and release.

Rain – look at that water spray off the net as you bulge it! – and night-time light effects are noticeably boosted, crowds are more active and selectable celebrations are even more elaborate, whether it’s running to the camera en masse or kicking the ball back into the net solo.

The player models, meanwhile, further integrate the Fox game engine from Metal Gear Solid with some incredible likenesses – Ozil and Giroud in particular are ringers. PES 2016 had some good visuals, too, of course, but below the top players lay a limited selection of face options for those who hadn’t had their mug scanned in. Konami promises it will run much deeper this time.

Another promise is that, after PES 2016’s roster issues left the game’s team sheets lagging behind real-life, this time out will see a day-one update to get all those late signings into the right line-ups, plus weekly roll-outs for both online and offline players. PES is certainly talking a good game this year. Luckily, right now, it’s walking the walk, too.

“Our first announcement is usually cover star, release date, modes, but this year we said no, let’s let people play it,” says Bhatti. “We’re so confident with the quality of the game right now, even though we’re still working on visuals, animations, Master League and the rest. By the time we get to Gamescom in August, this game is going to blow people away.”

http://www.digitalspy.com/gaming/review/a796064/pes-2017-review-preview-gameplay-features/

https://www.youtube.com/watch?v=6qgFj4roRRY

https://gfycat.com/IlliterateInfatuatedCuttlefish (vejam o gif).

:sick: :sick: :sick: :sick:

Espero mesmo que o FIFA cumpra com as expectativas, isto é mau demais.

Ninguém disse ao Coquelin para não meter graxa na sola das botas. Ou então são chuteiras novas tipo as sapatilhas dos putos com rodinhas… :wall:

O problema é que o Fifa vai andar mais preocupado com o novo modo Be a Pro. Vamos ver se não se desleixam com o que interessa.

Verdade seja dita que o foot sliding ou foot planting (o efeito em que os jogadores deslizam no campo) existe em ambas as séries desde o tempo da geração ps3 ate aos últimos lançamentos de ambos os jogos(FIFA 16 e PES 2016).

Mas por esta altura esperava que isto já tivesse resolvido, estou curioso para ver o resultado deste FIFA 17 (li comentários pouco abonatórios a quem o jogou na e3, dizendo que apesar de toda a pompa e circunstancia o jogo esta muito semelhante ao 16).

Pequenos pormenores como o deste video do PES dão cabo de qualquer realismo que o jogo tente ter, e pior ainda é a própria Konami fazer um video que demonstra isto mesmo.

É uma péssima apresentação do jogo, péssima (será que ninguém viu o video antes de o postar?).

O PES, do que me lembro sempre foi “Arcade” e eu sempre adorei isso…não se jogava PES pelo realismo, não sei como anda agora.

[member=21911]Nuno.N

Pessoalmente discordo parcialmente, acho que o FIFA teve sempre uma componente maior de arcade em que a filosofia do jogo é somente ofensiva na procura do golo (no aspecto defensivo o jogo é completamente desequilibrado).E o PES sobretudo na era Psx/ps2 soube aliar com mestria a simulação com uma parte arcade(que por mais pequena que seja terá sempre de existir, o segredo esta na dose da mesma).

Este último PES 2016 foi muito bem recebido pela crítica.

Porém na minha opinião isso deveu-se ao facto de ser o PES mais FIFA que alguma vez existiu(e como o FIFA virou moda não é surpresa que as reviews tenham sido positivas), a filosofia PES foi completamente posta de lado em favor da do FIFA.

O jogo tem um mindset extremamente ofensivo, onde não se joga propriamente futebol mas um género de kick and rush em que acaba sempre em resultados volumosos(pode ser divertido para alguns, mas eu gosto mais do estilo clássico do PES).

Houve muitas previews deste PES 2017 que apontam para um regresso ás origens(batalhas intensas a meio campo, um futebol mais lento e pensado e guarda redes que deixam de ser apenas corpos presentes).

As minhas expectativas baixaram consideravelmente com este último trailer, veremos o que as demos do FIFA e PES nos reservam :inde:

Konami… durante estes anos todos, era só ir actualizando o jogo. Nem me importava que os gráficos continuassem iguais aos da PS2. Chega esta altura do ano e é impossível não me sentir nostálgico. PES na PS2 é uma das maiores paixões adolescentes da nossa geração. E eu comecei no ISS Pro Evolution, que à época, já era um bom produto. Quando o jogo chegou quase à perfeição, mudou-se, para pior. Que facada!

Belos tempos em que cheguei a jogar o mítico ISS Pro Evolution Soccer com jogadores como Rui Casta, Feigo, Roberto Corlos, Facú… :lol:

Na PS2 também joguei PES 4, 5 e 6…para mim era muito melhor que o Fifa. Jogabilidade muito melhor…os gráficos nem interessavam.

Hoje em dia viro-me para o FIFA pois na minha opinião tem se superiorizado no geral em relação ao PES.

Ah e este PES 2017, está lastimoso…

O pior mesmo nos dias de hoje é que não existe uma alternativa para quem quer um bom jogo futebol( festivais de golos e jogabilidade super irrealista não conta).

Ainda estava com esperança que com as novas mudanças no FIFA finalmente a EA tivesse atinado, mas depois de ver o video que postei no tópico do FIFA 17…

Será que algumas vez vamos voltar a ter um jogo de futebol com a qualidade, excelência e inovação dos PES do tempo da psx/ps2?

Olhando para mediocridade dos jogos da EA e Konami só mesmo se uma terceira produtora arriscasse fazer uma nova franquia de jogos de futebol.Pois desses dois a esperança já começa a morrer.

Essa produtora poderia ser a 2K, se fizer um jogo ao nível do NBA 2K que todos os anos tem sido das melhores coisas que há a nível de jogos de desporto.

Mas claro, o facto de não terem as licenças, pois muitas sao exclusivas EA, faz com que não seja um produto tão apetecível.

A Konami já pouco se importa dos jogos de consola/PC. Seria bom se os produtores dos antigos WE/ISS/PES se pudessem juntar num novo estudio e fazer um produto digno do seu legado.

Oh tempo volta para trás.
Nos tempos iniciais da PS3, com o terrível PES 2008 e os que se seguiram ainda cheguei a jogar a versão PS2 que continuou a sair e que era muito superior.
Se tivesse continuado o desenvolvimento não duvido que ainda fosse melhor que as versões next-gen. Tão simples, mas tão viciante.

Dependência de fintas e cruzamentos ad-nauseam sempre tinha sido o domínio do Fifa, mas quando viram o esterco que a Konami produziu aproveitaram (e muito bem) para simplificar o seu jogo.
Apesar de ainda haver muita finta que não se vê nos jogos a sério, o Fifa conseguiu aproximar-se muito mais do jogo real, mas afastando-se ao mesmo tempo da tag de “demasiado realista” (que nunca achei muito lógica).

O problema é que sem concorrência à altura, a motivação para inovar/melhorar desce muito.
Além disso, quando um produto chega a um certo nível de qualidade em que é muito difícil melhorar (PES 6 :venia:), há sempre a tentação de mudar e estragar.

Já não sinto motivação para comprar Fifa 2 anos seguidos há muito tempo. Acho que só o fiz nestes últimos tempos quando arranjo barato. PES vou dando chance de vez em quando, porque estou sempre à espera do PES 6 para PS4.
Para o ano é que é! :inde:

Acho que isso aplica tanto á EA como á Konami.

No caso da EA eles podem colocar o nome FIFA em qualquer coisa que o jogo vende milhões sem fim,independentemente da sua qualidade.

Não que o PES seja muito diferente, também só vende pelo nome hoje em dia.

Os jogos de futebol hoje em dia são verdadeiramente decepcionantes, e como digo não á nada que aponte uma mudança de desenvolvimento positiva nos mesmos.

Também pensei nisso, mas acho complicado porque além de NBA só têm mesmo WWE.
Mais facilmente se calhar entravam no NHL ou NFL, que também está completamente dominado pela EA.
O NBA Live estava pelas ruas da amargura quando 2K chegou, foi mais “fácil” fazer melhor.

Edit: Tinha posto o baseball porque pensei que o MLB era da EA. NHL é que está correcto.

Em termos de baseball acho que só há um jogo no mercado, e é um exclusivo da Sony o MLB (portanto não há grande interesse ai pelo visto).

Para mim um dos problemas do pes, começou quando a franquia tornou-se multi plataforma e deixou de ser um exclusivo da Sony.

A equipa que desenvolvia o jogo era pequena(pelo menos em comparação com as produtoras gigantescas da EA), e isso acabou por exigir demasiado de tão poucos funcionários (lembro me de ver uma foto da PES team na revista oficial PS2 e aquilo era um bando de gatos pingados).

A preocupação de desenvolver para tantas plataformas retirou o foco do jogo que foi se degradando em termos de qualidade em pouco tempo.

Diga-se que a ganância da Konami não teve grandes resultados, pois o grosso das vendas continua a vir das consolas da Sony.

Eu se fosse um dos suits na Konami o que faria era tornar o PES um exclusivo da sony novamente, o jogo seria desenvolvido para a consola da Sony como nos bons velhos tempos e isso permitiria dar maior atenção ao jogo.

Melhor ainda, e já que a Konami neste momento quase não produz video jogos (neste momento no Japão o seu negócio são maquinas de jogo da sorte e azar), adorava ver a Sony a comprar a exclusividade da franquia e o estúdio do PES e injectar dinheiro e recursos no desenvolvimento.

Presentemente como a franquia esta não á esperanças que melhore, para terem uma ideia do que se passa na Konami o criador do PES e de todos os jogos que vocês adoraram (o Seabass) já nem sequer dirige ou produz o jogo.É tipo um género de mobília na Konami…deve estar lá a fazer tempo ate entrar na reforma :inde:

É uma pena que face a isto tudo a EA não esteja interessada em fazer um bom jogo de futebol, mas quando vendem milhões independentemente da qualidade do produto não é de admirar.Para que terem trabalho?

PES foi multi plataforma desde a versão 4, que saiu para XBOX e PS2, e aí não perdeu qualidade.
Aliás, o PES 6 é considerado por muitos o melhor de sempre. PES 2 também é muito reconhecido, mas a evolução é tremenda até a última versão da geração PS2.

O problema do tamanho da equipa só se notou na passagem para next-gen. Aí sim, foi a maior desilusão que me lembro num lançamento de um jogo. O jogo para PS3 era horrendo.
A partir daí foi sempre a tentar recuperar a mística e qualidade de outrora. Sem sucesso, até ver.

A preocupação de desenvolver para tantas plataformas retirou o foco do jogo que foi se degradando em termos de qualidade em pouco tempo.

O jogo a partir dai teve melhorias pouco significativas(foi sempre o PES 3 com algumas melhorias aqui e ali), nunca mais se viu um salto de qualidade na série tão grande como no PES 3 (revejam o PES 2 e vejam o PES 3).

A equipa perdeu foco ao ter de começar a produzir para tantas plataformas.

A EA sempre conseguiu fazer jogos para várias multi plataformas sem problemas pois os seus estúdios são gigantescos.A Konami com o sucesso emergente da série na consola da Sony começou a ficar gananciosa e fez a má decisão de o jogo deixar de ser exclusivo na Sony.

A partir dai foi uma bola de neve que culminou no PES 2008.

Esses é que eram belos tempos. :mrgreen:

https://www.youtube.com/watch?v=pQ8YVNPgX6k

[member=14186]Alexandre10, porque dizes que é maus demais?

E que tem o GIF é por a bola parecer ir bater no jogador do Arsenal e depois ser controlada pelo jogador que a trazia?