Política Nacional - Parte 2

Alias para quem nao saiba que este foi construido durante o Estado Novo para celebrar 500 anos de descobrimentos, a primeira ideia de que fica 'e que 'e um monumento em homenagem ao Infante D. Henrique.
Aqui podes rever que nem estou a apontar o colonialismo mas sim as navegacoes e descoberta de novos territorios e caminhos navegaveis.
Logo o seu simbolismo vai muito alem da era em que foi construido.
Mas sim, teria ainda mais significado se fosse outro monumento manuelino.

edit: Penso que com maior ligacao ao colonialismo eram os territorios ultramarianos em mapa desenhados na calcada junto ao padrao.

Se o padrão dos descobrimentos é um monumento fascista então a ponte 25 de abril tbm o é

1 Curtiu

Sim, mas as navegações e as descobertas não são indissociáveis do colonialismo e ambas fazem parte do mesmo evento histórico. Insultar os descobrimentos portugueses ou branquear / ignorar o colonialismo adjacente são ambas revisões históricas nefastas. Ambas fazem parte do mesmo evento, com as suas coisas boas e as suas coisas más.

Já o Padrão dos Descobrimentos, como monumento fascista da comemoração dos 500 anos de descobrimentos, tinha como objetivo celebrar o colonialismo de há 500 anos como justificação para o colonialismo do Estado Novo e a Guerra Colonial que se seguiu.

É o que é, faz parte da história. E volto a frisar, na minha opinião, o Padrão dos Descobrimentos já é maior que o regime (tal como a ponte).

A ponte Salazar é um monumento fascista com utilidade pública. A ponte 25 de Abril é uma “apropriação” de um monumento fascista devido à sua utilidade pública. Tem utilidade pública muito importante, é diferente de um monumento puramente estético.

Também não tem mal haver pragmatismo na apropriação de monumentos questionáveis. A ponte é útil (travessia do Tejo), o monumento tornou-se útil (armadilha de turistas, qualificação da zona).

ETA: List of Nazi construction - Wikipedia

Quase todas as obras nazis foram destruídas, mas algumas foram apropriadas por terem utilidade pública. Nos que ficaram, a história desses edifícios terão o seu contexto explicado (obrigatório por lei na Alemanha). Alguns são utilizados para outros fim, outros existem para memória histórica física.

Vão é acabar na casa de algum general, os aristocratas de África.

Por outro lado, duvido ou pelo menos acho sem sentido, que paises que foram colonias tambem queiram a demolicao de monumentos ou edificios que estejam ligados ao colonialismo.

Flor de la mar, galeao portugues que pertencia 'a frota do Afonso de Albuquerque que naufragou em Malacca

Em Marrocos dentro da fortaleza de Mazagao construida por portugueses

Achas mal que a Polónia esteja a deitar abaixo as estátuas do Lenin / Stalin ou a Ucrânia a deitar abaixo da putéfia dos cavalos em Odesa? Pessoalmente, acho que cada país deve ser livre de comemorar o que acha que deve ser comemorado, e não comemorar o que lhes foi imposto por outros. Claro que até aí há nuances (o caso da Alemanha, que só passou de um país de degenerados e dementes porque lhes foi imposto outra mentalidade).

Mas concordo que há uma diferença muito grande entre a memória histórica física entre uma “reles” estátua e o galeão ou a fortaleza que citaste. No caso do galeão ainda o podiam devolver, agora a fortaleza é que já não dava. :smiling_face_with_tear:

O galeao e’ uma replica feita pelos malaios. Na altura nao havia tecnologia para resgatar navios naufragados.

Quanto 'a Polonia, penso que as estatuas estarao em exposicao em museus.
Mas nao sei sinceramente, como estas representam uma era onde perderam a sua independencia e de que a generalidade dos polacos nao tem quaisquer saudades.
Seria como se em Portugal houvesse monumentos/estatuas referentes ao reinado dos Felipes.

Sim, mas estava a falar em monumentos que podem ser desmantelados versus monumentos que não podem ser desmantelados. O caso do galeão (ou até de estátuas), se o país colonizado decidir não querer mais aquele símbolo mas se o país colonizador achar que tem valor histórico, então podem haver esforços diplomáticos para a sua transferência. O caso da fortaleza é que não.

O caso de um edifício acaba por ser diferente de uma estátua. Um edifício não impõe nada, quem impõe são as pessoas que os constroem. Acho legítimo a Polónia e a Ucrânia verem-se livres das representações mamarracho que os oprimiram.

Não faço ideia se os Filipes construiram alguma coisa de jeito, mas os romanos e os muçulmanos construiram muitas coisas que foram ficando, e até as ruínas foram preservadas. Já estátuas de qualquer deles, acho que não temos nenhuma.

Anyway para terminar, em Portugal a demolicao de monumentos historicos, so’ se for para construir um centro comercial no seu lugar :smiley:

Isso é mais que óbvio!

Mas viva os impostos, viva o SNS, vivam as pandemias, vivam as estradas, as autoestradas, os caminhos de ferro, os 50% de dependentes do estado, os milhares de estrangeiros que entram no país todos os dias, etc.
A solução é dar rendimentos mínimos às pessoas, é colocar pessoas certas em bancos, em petroliferas, que fecham os olhos quando nas regulações e estão lá sempre de mãos abertas quando há problemas. É vender todos os melhores espaços a estrangeiros, deixar os tugas a 1h dos locais de trabalho, é transformar o país numa feira de vaidades e num hub de merda.

O problema é o fascismo do Chega, o progressismo da IL, ou do ir para além da troika do Passos Coelho. Quiça ainda culpam o 1.5% do CDS.

A esmagadora maioria das pessoas não entende sequer o que se está a passar desde 2008 ou mesmo desde 2003, aquando do inicio da guerra do Iraque, que foi quando todos os países mundiais praticamente decidiram começar com politicas centralistas que beneficiam as grandes empresas e prejudicam tudo o resto.

Toda a gente um pouco por todo o lado continua a votar e a legitimizar politicos que só têm como missão solidificar o poder desses grupos económicos. Sem perceberem que lentamente são como um sapo numa panela de água quente.

O que virá a seguir, já tivemos uma pequena amostra com o covid, vemos o que se passa na China ou o que se passou, na Austrália e no Canada. Isto será o mundo em menos de 100 anos.

Mas como ouvi no outro dia o Rodrigo Guedes de Carvalho dizer na SIC a proposito da responsabilidade dos jornalistas na sociedade, a responsabilidade dos jornalistas é “ajudar as pessoas a defender o bem comum”.
É uma frase não muito diferente da frase “Preferir viver contente no meio de mentiras, do que viver triste no meio das verdades”.

Estas são as agendas de hoje em dia, isto foi aquilo que as pessoas há 100 anos atrás nos alertaram que poderia acontecer. Aqueles que abdicam de liberdades por conforto, no fim nem terão liberdades, nem terão conforto.

Abdicamos de tudo ao aceitar criar monstros estatais, os resultados estão a aparecer.

1 Curtiu

Os jornalistas sempre se acharam os arautos da decência e da moralidade. O trabalho deles é informar, sem dar a opinião. Apenas reportar os factos. Ou pelo menos é o que devia de ser. Quem é o Carvalho para decidir o que é o bem comum

Ou uma rotunda :rofl:

Misturas aí coisas diferentes, como é tipico de quem gosta de mandar umas bocas para o ar para parecer bem, mas:

  • Sâo problema porque nâo demonstram ser alternativas para melhor.
    Nâo é dificil ver isso, perceber isso.

Exemplos:
O Chega é 1 gajo, que é um bosta aos gritos, quem o acompanha é pior ainda, nâo se aproveita 1. Não há coerência nas politicas, nâo há plano, nada! Só uns quantos gajos e gajas aos gritos

Passos Coelho e a troika…ya, o quê que se pode dizer? Foi um subserviente a interesses que nâo os de quem representava (o povo português) que foi quem pagou a conta de erros e trafulhices sobre o qual nâo tinha qualquer responsabilidade. E ele e os apoiantes contentes com isso, orgulhosos dos excelentes serviços prestados…fdx, de mijar a rir que seja visto como uma espécie de D. Sebastiâo :joy:

1 Curtiu

Esse e um dos grandes problemas em Portugal que soma ao facto de a esmagadora maioria dos jornalistas comer da panela do poder e como tal ajustar o seu discurso ao poder vigente.

A Romenia em 2023 vai ultrapassar Portugal no PIB per capita. Sem querer ser IL ou Chega que utilizam isto como mote propagandista, e mais um pais que era miseravel ha 20 anos que nos ultrapassa e onde daqui a 20 anos terao melhor qualidade de vida que nos.

O que ouvimos na esmagadora maioria da opiniao publicada:

  • A Romenia perdeu 10% da populacao que foi para Alemanha e Franca desde que entrou na UE. Onde estaria o PIB per capita portugues se tambem perdessemos 10% da populacao ja que eram menos pessoas a dividir pelo produto? [esquecendo que cada pessoa que sai e menos uma pessoa a contribuir para o PIB… ou que regra geral quem sai destes paises e pessoal qualificado]
  • A Romenia realmente teve um bom crescimento economico, mas como e a saude na Romenia? Onde prefere viver alguem das classes baixas, na Romenia ou em Portugal?
  • A Romenia e um Pais muito desigual onde nas grandes metropoles se vive bem mas depois no interior vive-se muito abaixo da media [porque a vida de um portugues em Gimonde e uma vida de sonho claro, e a desertificacao do interior uma miragem]
  • Bucareste fica mais perto de Berlim que Lisboa e nestes coisas dos mercados, longe da vista, longe do coracao
  • O nivel de alfabetizacao na Romenia era muito superior ao portugues quando entraram na UE (isto enquanto se diz que o regime educativo na Romenia e uma merda comparado com o nosso)
  • A culpa e do Euro que de repente baixou os custos de financiamento de toda a economia [que e uma oportunidade em TODO O LADO menos em Portugal]
  • A culpa e do Euro porque desde que ha Euro perdemos a capacidade de desvalorizar a moeda e retirar aos 15 e 20% de poder compra a populacao enquanto se aumenta salarios
  • Em Portugal faz mais sol o que convida as pessoas a passear mais e trabalhar menos [ok esta fui em que inventei mas a logica nao e muito diferente das anteriores]

Como sempre, em Portugal a discussao sempre que isto vai acontecendo e nos aproximamos mais da causa da Europa acaba sempre a redundar num misto dos pontos acima referidos para desculpabilizar a nossa estagnacao. Ate porque sair desta discussao implicava que PS e PSD reconhecessem que a gestao politica do Pais nos ultimos 20 anos foi para la de ruinosa e que nos encontramos numa situacao muito complicada devido a essa mesma gestao.

Temos uma economia ultra endividada que todos os anos retira capacidade pontencial ao produto e que retira margem de acao ao estado por via do investimento ou beneficios fiscais, somos altamente burocratizados para rigorosamente tudo, temos uma legislacao fiscal e laboral ultra complexa e cheia de paneleirices, a justica funciona miseravelmente, o nosso sistema educativo esta completamente desligado do mercado de trabalho nem existe qualquer planeamento de longo prazo entre as necessidades do mercado de trabalho vs oferta educativa entre muitos outros problemas…

A melhor parte e que resolver muitos dos problemas da economia portuguesa alem de nao custar nada de significativo, em muitos casos ainda permitiria poupancas largas a longo prazo.

Porque por muito que seja atrativo para a classe politica dominante falar do estado social portugues que e muito bom e melhor que esses paises que economicamente nos ultrapassam, tambem e verdade que esse estado social ja e hoje e insustentavel, portanto o que sera daqui a 20 anos com uma populacao envelhecida…

O que importa muito pouco para Portugal. Em Portugal, o nosso maior problema e nao termos grandes empresas em massa. Porque sao essas grandes empresas em setores de elevado valor acrescentado que alem de pagarem melhores salarios e darem melhores condicoes de trabalho, sao tambem quem pode trazer o know-how necessario para avancar a economia como um tudo seja na parte tecnologica, seja na parte de gestao.

So em Portugal e que podemos ver isso como algo ‘mau’. Portugal devia concentrar todos os seus esforcos em atrair grandes empresas, liga-las ao nosso sistema educativo e aproveitar para lhes ‘esmifrar’ todo o conhecimento que trazem em proveito da nossa economia.

De acordo. O Chega e um partido de patetas, populista, cujas solucoes e medidas parecem tiradas de uma reuniao da associacao de estudantes de uma qq escola secundaria.

Mas nesse sentido nao sao muito diferentes daquilo que e o BE por exemplo. O BE como e um partido mais maduro e antigo ao inves de uma ata da associacao de estudantes, ja apresenta uma tese de mestrado. Mas nao deixa de ser um conjunto de palermices nao exequiveis e populistas.

Eu nao sou fanboy do Passos Coelho nem do seu governo pois acho que realmente podiam e deviam ter ido MUITO MAIS longe do que era o programa da troika pois em Portugal, so e possivel fazer reformas estruturais em periodos de emergencia… mas chama-los subservientes? Eu percebo que a comunicacao do governo dele tenha sido desastrosa… mas foda-se a larga maioria da malta que comenta neste topico, tu incluido, sao pessoas informadas e que conseguem aceder aos dados objetivos. Portugal durante o periodo da troika nunca cumpriu os limites do memorando inicial pedindo revisoes sucessivas dos limites ao defice e a divida, conseguiu uma reestruturacao encapotada da divida com extensao de maturidades e reducao do juro e nao implementou 1/3 do que foi negociado no memorando original. A comunicacao pode ter sido para alem da troika mas a acao foi sempre o oposto…
E a verdade e que nos poucos pontos onde se foi ao encontro do negociado com a troika ate conseguimos colher frutos. Por exemplo no mercado laboral onde alguma flexibilizacao e o que permite a atual resiliencia do mercado laboral onde tivemos das mais baixas taxas de desemprego em democracia.

Em democracia, o responsavel maximo e o povo. Nao adianta vir com lerias. Foi o povo portugues que deu maiorias ao Cavaco Silva e ao Socrates e que elegeu quem nos governa desde o 25 de Abril. Foi esse mesmo povo que em 2021 deu uma maioria ao PS que nos presenteou com 6 anos de governacao ruinosa do Socrates. Nao vamos agora desculpar o povo e dizer que e vitima dos trafulhas que elege :slight_smile:

O Passos Coelho ser visto como um D. Sebastiao e reflexo da total ausencia de figuras relevantes e competentes dentro do PSD que tenham capacidade (ou vontade) de assumir a ribalta e uma alternativa ao governo atual.

E essencialmente um reflexo do monte de esterco de partido que o PSD e, mais do que uma exultacao as capacidades do Passos Coelho.

1 Curtiu

Não perceste nada do que escrevi e resolveste quotar só porque sim.

Disse isso em tom irónico, que a culpa é tudo, do chega, da il, do passos coelho, do cds, excepto do evidente.

É por demais evidente ou deveria ser por demais evidente que o aumento da complexidade do estado derivado das politicas socialistas populistas trouxe-nos conforto a curto prazo, mas está a criar problemas graves na sociedade por todo o lado.

Retiraram-se das pessoas e da iniciativa individual muito dos pequenos problemas da sociedade.
Criou-se um monstro inefeciente, corrupto, que apenas serve os interesses dum grupo pequeno e que está literalmente a retirar poder dos cidadãos comuns para quem faz parte desse poder. Falo de poder economico e social.

A consequência em si, já podemos ver em países como a China, ou no aconteceu na Australia, no Canada e um pouco por todo o mundo ocidental durante a pandemia.

Isto está a acontecer a olhos vistos e à frente de todos nós, mas a maioria da população continua em negação e a achar que consequências como a inflação, hospitais a rebentarem pelas costuras, mortes em incendios ou estradas inundadas acontecem por acaso.

1 Curtiu

Isso não é necessariamente verdade. Uma Altice, uma NOS paga bem pior que uma pequena empresa.
Uma Apple, um Facebook em média não pagam melhor que um unicórnio.

As grandes empresas resolvem alguns problemas especificos, como dar visibilidade a determinada solução ou nova tecnologia, mas a competividade e a inovação, vêm das pequenas e médias empresas, que conseguem alocar melhor o capital para resolver problemas mais especificos.
Não é por acaso que as grandes empresas crescem comprando pequenas empresas.

Com o Andrew Tate a estimular aquela economia :stuck_out_tongue:

Ja passou em 2021.
O sector de IT e programacao foi aposta na Romenia e com sucesso. Por exemplo foi la’ que foi criado o UiPath que e’ uma ferramenta utilizada globalmente para a automatizacao de processos a partir de robots nao fisicos

Ja o GDP da Bulgaria 'e um escandalo. Mas caso consigam combater a mafia que governa o pais, atingirao crescimentos faraonicos.
image

Nao so do IT.

A minha empresa tem um escritorio la e uma parceria com uma Universidade local onde todos os anos recebemos 2 estagiarios e participamos de forma indireta na formacao de alguns cursos pos-graduados. No geral a impressao que tenho e que e relativamente facil este tipo de implementacao empresarial la, em oposicao em PT onde TUDO esta cheio de burocracia, entraves, pareceres, legislacao obsoleta… na minha anterior empresa tentei implementar algo semelhante com uma das faculdades de Lisboa e meu deus…

E este tipo de iniciativas que criam o know-how interno que depois permite desenvolver as empresas e mercado interno em areas onde nao sao tao fortes e melhora aquelas onde ja sao fortes. E que a longo prazo aumenta o crescimento potencial e a robustez economica do Pais.

Isso nao e bem verdade… mas eu quando me refiro a grandes empresas, nao sao as portuguesas que sao no seu essencial ex-empresas publicas cheias de ‘vicios’. E de multinacionais do setor do IT, farmaceutico, industrial…

E um unicornio e uma pequena empresa ou uma grande empresa? :slight_smile:

No geral, qualquer funcionario da Apple, Facebook, Google em Portugal ganha melhor que o mesmo funcionario que trabalhe para uma empresa local.

E certamente com muito mais direitos em vez dos ‘kms em viatura propria’ e contratos a termo incerto entre outras artimanhas.

Isto e parcialmente verdade (que merecia uma discussao muito mais detalhada) mas no geral podemos dizer que concordo contigo.

Partindo desse pressuposto, a unica forma de essas pequenas e medias empresas aparecerem, e atraves do know-how que as grandes deixam. Que depois permitem a criacao de spin-offs, de start-ups e afins. Sem esse know-how, nao chegamos a esse ponto.

E por ai que eu digo que e importante o papel das grandes empresas para desenvolver economias como a Portuguesa. So com o know-how que e transferido para o sistema educativo e o mercado de trabalho e que chegamos a esse ponto.

1 Curtiu

Toino costa demite secretários estado da economia e do turismo. Poderá haver mais mexidas…

Que passou se? Para não ter feito nada com o claramente corrupto de caminha e para esses não ter tido piedade é porque algo catastrófico aconteceu