Olha então não é que ...

os meninos da bola desejam fazer greve porque o governo vai tributar-lhes o IRS sobre 100 % dos rendimentos ???

É certo que nem todos ganham milhões mas nem eu nem muitos como eu o ganham e pagam o referido imposto sobre 100 % dos rendimentos.

Porque é que estes meninos haviam de ter o privilégio de pagar menos imposto ou ver reduzida a base, que alguém que receba apenas 500 € ??

É pena o governo apenas fazer populismo com estas questões é um facto, pois existem muito mais onde poupar.

Eu acho que se os meninos avanarem com a greve devemos levar tarjas para dentro do estádio para envergonhar estes senhores que por muito pouco que ganhem de certeza que recebem acima de 500 €…

É pena o governo apenas fazer populismo com estas questões é um facto, pois existem muito mais onde poupar.

Não considero populismo, considero EXEMPLO, e o EXEMPLO é fundamental quando uma sociedade/economia se tenta (mesmo que ficticiamente) recuperar.

A questão não é quanto é que resulta desta mudança mas sim o efeito nocivo no comportamento do cidadão que o mau exemplo e a excepção que beneficia algumas franjas destes casos.

Seja os “sistemas especiais” de impostos, seja a impunidade na estrada para viaturas oficiais, seja as regalias especiais de funcionários públicos, seja os sistemas de saúde principescos de PTs e Caixas Gerais, tudo isto tem de ser corrigido para lá do real efeito que têm na economia pois o seu efeito nocivo não está tanto no que representam directamente para a economia mas sim no mau exemplo e influência que têm no cidadão comum, efeito esse sim que vale muito dinheiro.

É muito complicado exigir a um cidadão que cumpra o pagamento dos impostos face a estes regimes de excepção, face a notícias como aquela que dava conta da declaração de M. Damásio. É difícil exigir ao cidadão civismo na estrada quando este lê num jornal que o carro do ministro ia a 190 numa estrada porque ia atrasado para uma cerimónia oficial. É difícil disciplinar-me para cumprir o código quando vejo uma viatura da polícia sem sinalização de emergência passar um vermelho com toda a descontração, seguida de uma mudança de direcção proibida.

Portanto, e não sendo especial apoiante deste governo acho MUITO BEM que se comecem a tomar estas medidas, muito para além do real impacto directo que têm. Se mudarem todas estas coisas, tudo junto, muda a MENTALIDADE, o nosso real problema.

Quando digo populismo é porque se levantam estas lebres, ´para se manterem outras tapadas.

É óbvio que a medida é justíssima e só peca por tardia.

Agora tu, assim como eu não poderemos acumular uma reforma com um terço de outra mas há quem possa.

No caso de seguros de saúde de PT’s, são pagos pela empresa e esta gostava muito de não ter o dito seguro. Ao contrário dos bancos e seguradores que os criam a torto e a direito, enfim para outras núpcias.

Agora tu, assim como eu não poderemos acumular uma reforma com um terço de outra mas há quem possa.

Mas eu tenho noção completa que não vou ter reforma nenhuma, para que outros se encham durante anos a roubar.

No caso de seguros de saúde de PT's, são pagos pela empresa e esta gostava muito de não ter o dito seguro.

bullshit. Isso é tudo muito bonito mas a PT só tem esses regimes à custa do estatuto de empresa “pública” que teve durante décadas. Depois foi só manter, à custa de proveitos num mercado viciado e monopolizado. Assim é fácil a qualquer empresa “privada” montar esquemas principescos de seguros ou reformas. A “PT” é uma empresa privada só de nome, ainda hoje beneficia de benesses, estututo e sobretudo mentalidade de empresa “pública”, isto confirmado por quem está lá dentro e expresso no comportamento da empresa.

Obviamente o caso da CGD é mais escandaloso pois é ainda uma empresa pública. Lembro-me de um artigo da Visão que entrevistava uma rapariga que estudou para… trabalhar na CGD. Por causa das benesses.

Muito pior são aqueles deputados, administradores de emrpesas públicas que por 4 anos de mandato têm uma pensão vitalícia de muitos euros e continuam a ter rendimentos próprios, para além de que o jogador de futebol é uma profissão de desgaste rápido.

A medida até está certa, mas isto é mandar poeira para os olhos, porque não é por causa dos jogadores de futebol que isto está como está.

[b]Muito pior são aqueles deputados, administradores de emrpesas públicas que por 4 anos de mandato têm uma pensão vitalícia de muitos euros e continuam a ter rendimentos próprios,[/b] para além de que o jogador de futebol é uma profissão de desgaste rápido.

A medida até está certa, mas isto é mandar poeira para os olhos, porque não é por causa dos jogadores de futebol que isto está como está.

Já foram feitas algumas alterações a estes regimes especiais de pensões! Devemos criticar sim, devemos exigir mais sim, mas devemos olhar para aquilo que tem sido o normal nos ultimos anos, e aquilo que se tem tentado fazer.

Não sou de esquerda, nem de direita, nem do centro … sou cidadão com direitos e deveres. Muitas das ultimas medidades deste govrno atacaram-me a mim e a familiares. A quente chamo-lhes nomes. A Frio aplaudo e peço mais e mais!

Acabem com regimes de excepções para tudo … não têm de existir excepções …somos todos habitantes do mesmo país, temos todos de cumprir a mesma lei, cumprir com as mesmas obrigaçoes , e devemos ter todos a mesma responsabilidade. O Jogador é porque é de desgaste rápido, o governante é porque representa o país, os directores de empresas publicas a mesma coisa … o povo … trabalha até aos 85 anos ( não é desgaste rapido e nota-se ), e perde poder de compra todos os anos, enquanto outros acumulam reformas todos os anos… acabar com tudo isto! e JÁ!

Mas que este governo tem muita coisa para fazer ainda tem … mas que já fez mais do que eu estava á espera … já!

Mas que este governo tem muita coisa para fazer ainda tem ... mas que já fez mais do que eu estava á espera ... já!

mai nada, é mesmo isso. Eu tb não sou de esquerda nem direita, antes pelo contrário, mas como sempre não depositava esperança nenhuma neste governo portanto já fizeram mais do que eu esperva. Mas como diz o Cavaco e bem este ano têm de fazer coisas ainda mais concretas (deste tipo) para mexer com isto.

Por exemplo, uma que me meteu nojo foi a tolerância de ponto para funcionários públicos no dia 26. A que título?! Mas afinal o que é que os gajos fazem mais que o trabalhador normal para justificar estas palhaçadas das tolerâncias de ponto e das pontes sem isso significar dias de férias?! Eu quando calha um feriado à quinta se quero tenho de meter o dia e mais nada. Que palhaçada.

Até acho que o Socrates está com os tomates no sitio, faz 2 mal e 3 bem, não está nada mau.
Quanto ao assunto sobre os impostos nos vencimentos dos jogadores, já não era sem tempo. E se fizerem greve era menos um dia no ordenado.

E se fizerem greve era menos um dia no ordenado.

Ainda agora fizeram quase um mês de “greve”.
Futebol de merda este :arrow:

Mas que este governo tem muita coisa para fazer ainda tem ... mas que já fez mais do que eu estava á espera ... já!

mai nada, é mesmo isso. Eu tb não sou de esquerda nem direita, antes pelo contrário, mas como sempre não depositava esperança nenhuma neste governo portanto já fizeram mais do que eu esperva. Mas como diz o Cavaco e bem este ano têm de fazer coisas ainda mais concretas (deste tipo) para mexer com isto.

Por exemplo, uma que me meteu nojo foi a tolerância de ponto para funcionários públicos no dia 26. A que título?! Mas afinal o que é que os gajos fazem mais que o trabalhador normal para justificar estas palhaçadas das tolerâncias de ponto e das pontes sem isso significar dias de férias?! Eu quando calha um feriado à quinta se quero tenho de meter o dia e mais nada. Que palhaçada.

Grande Rui Rio!!!
Trabalhem como todos os outros,querem o dia??Metam férias!

Esta medida só peca por tardia, porque vendo bem o profissional de futebol ganha em média bem acima do valor médio do salário português.
Eu não sei qual o valor médio do salário do futebolista profissional, mas presumamos para facilitar as contas que será de 3000€ mensais (parece-me um valor que a maioria ganha acima). Ora o salário médio nacional não é superior a 1000€. Isto quer dizer que em média um futebolista profissional ganha 3* mais que um outro qualquer assalariado. Se tomarmos em conta que um trabalhador tem em média uma vida activa de 40 a 45 anos, o futebolista só precisará de um terço deste periodo (13 a 15 anos) para acumular valores idênticos a um outro trabalhador, que é precisamente o tempo normal que um jogador profissional tem de actividade (dos 19 aos 34 anos por exemplo). O facto de descontar mais devido aos escalões de IRS é contrabalançado pelo facto de receber em menor periodo de tempo (poderá por mais dinheiro a render e durante mais tempo).

Outro facto, aos 34 anos um futebolista não está acabado para a vida activa, alem de outras actividades relacionadas com o futebol, pode trabalhar em qualquer outra actividade (mesmo a formação escolar pode ser feita enquanto futebolista pois há facilidades para isso).

O facto de ser dificil arranjar emprego, aos 35 anos, é o para todos! Mesmo aqueles que têm emprego, a maioria não o têm garantido para a vida inteira (e cada vez serão menos que terão emprego garantido para toda a vida activa).

O meu receio é que com isto, cada vez vá haver mais “dinheiro por fora”, mas como agora as “contas” dos clubes parecem mais controladas e as “off shores” já não é que era dantes … pode ser que o “desvio” de capital não seja significativo.

O risco que se corre é de ser mais dificil segurar os melhores valores cá … mas paciência … tambem em outras profissões, muita gente vai para fora para ganhar mais dinheiro.

Complementando a opinião do Moura deixo só mais uma achega e deixo uma dúvida:

isto é válido para todos os futebolistas ou existirão escalões? é que considero obviamente diferente o caso de um futebolista que ganha 300 ou 400 contos mensais e um que ganha mais de 2 ou 3 mil contos mensais por exemplo. São realidades de vida diferentes, sendo que num caso a lógica da carreira de curta duração é de facto argumento e noutro é uma anedota para gozar connosco (parecida com aquela discussão do Figo ter de ir ganhar dinheiro para o leitinho das filhas :)).

Existem escalões ou vai tudo ser medido pela mesma bitola?

Mauras,

É tudo igual ou seja depende de quanto ganhar cada um, ou melhor, de quanto declarar, as tabelas são definidas segundo dois critérios o rendimento mensal/anual declarado e o número de filhos.

Seguem os escalões de 2006, considerando que o jogador é casado e que a mulher também tem rendimentos:

€€	0	1	2	3	4	5 ou mais

Até 465,40 € 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
Até 470,13 € 0,50% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
Até 484,85 € 1,50% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
Até 560,14 € 2,50% 1,50% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
Até 566,00 € 3,50% 2,50% 1,50% 0,00% 0,00% 0,00%
Até 597,52 € 4,50% 3,50% 2,50% 1,50% 1,50% 0,00%
Até 664,45 € 5,50% 4,50% 3,50% 3,50% 2,50% 1,50%
Até 750,49 € 6,50% 5,50% 5,50% 4,50% 3,50% 2,50%
Até 855,64 € 7,50% 6,50% 6,50% 5,50% 4,50% 4,50%
Até 917,79 € 8,50% 7,50% 7,50% 6,50% 6,50% 5,50%
Até 979,94 € 9,50% 8,50% 8,50% 7,50% 7,50% 6,50%
Até 1.046,85 € 10,50% 9,50% 9,50% 8,50% 8,50% 7,50%
Até 1.128,11 € 11,50% 11,50% 10,50% 10,50% 9,50% 9,50%
Até 1.223,73 € 12,50% 12,50% 11,50% 11,50% 10,50% 10,50%
Até 1.333,67 € 13,50% 13,50% 12,50% 12,50% 11,50% 11,50%
Até 1.467,51 € 14,50% 14,50% 13,50% 13,50% 13,50% 12,50%
Até 1.625,26 € 15,50% 15,50% 14,50% 14,50% 14,50% 13,50%
Até 1.716,08 € 16,50% 16,50% 15,50% 15,50% 15,50% 14,50%
Até 1.816,47 € 17,50% 17,50% 16,50% 16,50% 16,50% 16,50%
Até 1.931,18 € 18,50% 18,50% 17,50% 17,50% 17,50% 17,50%
Até 2.060,26 € 19,50% 19,50% 19,50% 18,50% 18,50% 18,50%
Até 2.208,45 € 20,50% 20,50% 20,50% 19,50% 19,50% 19,50%
Até 2.390,08 € 21,50% 21,50% 21,50% 20,50% 20,50% 20,50%
Até 2.686,46 € 22,50% 22,50% 22,50% 21,50% 21,50% 21,50%
Até 3.059,31 € 23,50% 23,50% 23,50% 22,50% 22,50% 22,50%
Até 3.556,46 € 24,50% 24,50% 24,50% 24,50% 23,50% 23,50%
Até 4.063,14 € 25,50% 25,50% 25,50% 25,50% 24,50% 24,50%
Até 4.536,38 € 26,50% 26,50% 26,50% 26,50% 26,50% 25,50%
Até 5.133,89 € 27,50% 27,50% 27,50% 27,50% 27,50% 26,50%
Até 5.913,06 € 28,50% 28,50% 28,50% 28,50% 28,50% 28,50%
Até 6.969,48 € 29,50% 29,50% 29,50% 29,50% 29,50% 29,50%
Até 8.484,80 € 30,50% 30,50% 30,50% 30,50% 30,50% 30,50%
Até 10.070,00 € 31,50% 31,50% 31,50% 31,50% 31,50% 31,50%
Superior a 10.070,00 € 32,50% 32,50% 32,50% 32,50% 32,50% 32,50%

Assim se declararem tudo pagarão uma taxa de 32,50 %, o mesmo que a grande maioria dos administradores e directores do país, sendo que alguns deles auferem montantes muito superiores e não são penalizados.

Deixo-vos mais uma nota.

Um artista a quem a vida corra bem num determinado ano pode receber mais de 200 mil € nesse ano, será justo ser tributado pela taxa máxima, sendo que nos anos seguintes e anteriores nem um só disco/concerto vendeu e se calhar passou dificuldades ??

Considero que este tipo de actividade mais sazonal deveria ter uma atenção da máquina fiscal, agora um futebolista, salvo acidente de trabalho, como o comum português, tem uma actividade regular e que dura bastante tempo.

Enfim, a lei deverá promover a competitividade de um país e todos sabemos que no caso português as coisas não funcionam bem assim.

A nossa máquina fiscal precisa de ser simplificada e o fim das benesses e excepções são um dos caminhos, mas não é tudo o caminho será o imposto único com um legislação única que agilize a máquina do estado e a torne mais leve e mais fácil de fazer cumprir a lei.

Porque não colocar o IVA nos 35 ou 40 % ??? E acabar com o IRS, IA, IMT, IMI e afins ?

Porque não explicar de forma clara aos portugueses onde é aplicado o dinheiro que vem dos impostos, qualquer coisa do género:

  • IRS = Saúde e Escolas;
  • IA = estradas, pontes e transportes,
  • etc.

Temos um longo caminho a percorrer, este governo tem caminhado nesse sentido, contudo cai no erro de pensar que todos os serviçoes do estado têm que ser lucrativos e isto é falso. Se pago impostos tenho que ter saúde perto de mim, não deveria ter que percorrer 30 km para receber assistência médica, entre outras coisas.

Anda lá Portugal que estás a perder o comboio, como diz o Zé Pedro Gomes, vamos zerar isto e tentar arrancar de novo, a começar pelo Sr Jogadores que muito aprecio mas que têm que ser tratados fiscalmente como eu.

Deixo-vos mais uma nota.

Um artista a quem a vida corra bem num determinado ano pode receber mais de 200 mil € nesse ano, será justo ser tributado pela taxa máxima, sendo que nos anos seguintes e anteriores nem um só disco/concerto vendeu e se calhar passou dificuldades ??

Considero que este tipo de actividade mais sazonal deveria ter uma atenção da máquina fiscal, agora um futebolista, salvo acidente de trabalho, como o comum português, tem uma actividade regular e que dura bastante tempo.

Enfim, a lei deverá promover a competitividade de um país e todos sabemos que no caso português as coisas não funcionam bem assim.

A nossa máquina fiscal precisa de ser simplificada e o fim das benesses e excepções são um dos caminhos, mas não é tudo o caminho será o imposto único com um legislação única que agilize a máquina do estado e a torne mais leve e mais fácil de fazer cumprir a lei.

Porque não colocar o IVA nos 35 ou 40 % ??? E acabar com o IRS, IA, IMT, IMI e afins ?

Porque não explicar de forma clara aos portugueses onde é aplicado o dinheiro que vem dos impostos, qualquer coisa do género:

  • IRS = Saúde e Escolas;
  • IA = estradas, pontes e transportes,
  • etc.

Temos um longo caminho a percorrer, este governo tem caminhado nesse sentido, contudo cai no erro de pensar que todos os serviçoes do estado têm que ser lucrativos e isto é falso. Se pago impostos tenho que ter saúde perto de mim, não deveria ter que percorrer 30 km para receber assistência médica, entre outras coisas.

Anda lá Portugal que estás a perder o comboio, como diz o Zé Pedro Gomes, vamos zerar isto e tentar arrancar de novo, a começar pelo Sr Jogadores que muito aprecio mas que têm que ser tratados fiscalmente como eu.

NAM eu percebo a tua pergunta relativamente ao Artista, mas …

Supondo:

O Artista:
Trabalha em Casa e no Estudio, tem uma editora, tem um contrato com a mesma!
O Trabalho dele é produzir no caso discos de qualidade comercial para serem vendidos como produto. Caso o faça correctamente terá beneficios pois irá vender. Caso não o faça com qualidade … não ganhará nada!
O Artista faz um disco e vende 200.000€ num ano. Nos dois anos seguintes não produziu nada com qualidade, não ganhou nada.

O Programador Web/Freelancer:
Trabalha em Casa e em alguns escritórios, pode ter contratos com algumas empresas.
O Trabalho dele é procurar e produzir sites. Se o fizer com qualidade ganha dinheiro, se não não ganha. Num ano ganha 50.000€. No Outro 20.000€, no seguinte nada porque não produziu nada.

Será justo para o Programador, Jornalista, Técnico, Carpinteiro, Serralheiro, Pedreiro, que o artista por não produzir nada, ou seja, falhar na sua profissão, ter direito a beneficios fiscais por ser artista ?

Então os outros não teriam esse direito tambem ?

Eu se não produzir nada no meu ramo, sou posto de lado, se eu não me esforçar na informática, sou ultrapassado e deixado de lado. Se isso acontecer terei direito a pedir beneficios fiscais ?

A Carreira de Programador é limitada … é rarissimo verem programadores com 50 anos, até com 45 anos. Posso estar apto a ter uma profissão de desgaste rápido ? É que os meus planos a nivel profissional não passam por chegar aos 45 anos e ficar o resto da minha vida a ver Televisão. Terei de arranjar outra coisa.

Quem me dera a mim, ganhar numa profissão de desgaste Rápido 120.000€/Anuais durante 6 anos, e em vez de os estoirar em carros super-hyper-mega-ri-fixe potentes, investir em negócios, começar o meu proprio negócio.

Até deixo uma ideia … que tal as mulheres dos futebolistas começarem já a trabalhar para depois sustentarem os maridos na altura que a profissão deles acabe ? era uma boa ?

Esta conversa não pega comigo … socialmente é a maior barbaridade que existe. Regimes especiais são a tristeza da democracia onde todos deveriamos ser iguais!

Só mais uma coisinha:

Cada um numa determinada fase da sua vida faz escolhas profissionais. Uns baseando-se na sua aptidão, outros em sonhos, outros para desenrascar.

Essas escolhas fazem um país produzir. Todas as profissões são igualmente importantes para o correcto funcionamento de um País. Se deixarmos de ter pessoas que trabalhem com lixo, deixas de ter país. Se deixares de ter engenheiros deixas de ter evolução. Se deixares de ter gestores, deixas de ser gerido e se deixares de ter artistas/atletas deixas de ter divertimento.

O Importantes é não deixares de teres tudo isto. Fomentando a diferença, a discriminação, podes um diz vir a ter só futobolistas num país … e eu acho que não vai funcionar!

Eu queria ser médico, mas não era a minha vocação, tive de mudar. pensei em biologia, mas analisei o mercado e cheguei á conclusão que não iria ter emprego na área … optei pela carreira de informático e sou chulado. Tenho quase 30 anos, posso ainda mudar … apenas preciso de força de vontade e muito trabalho.

Futobolistas que ganham milhões nem interessam para a conversa pois o desgaste rápido é apenas musica. os futobolistas de clubes regionais, das distritais, etc… que ganham misérias têm de fazer opções. Se não têm vocação, não conseguem mais, etc… têm de mudar como eu e milhões de outros mudam.

Se existe coisa em que muito cedo se consegue perceber se existe vocação, é no desporto e nas artes. Eu apenas aos 19 é que consegui entrar para uma universidade sem saber o que iria fazer. Aos 25 estava no mercado de trabalho, prontinho para voltar a estudar se fosse o caso, prontinho para batalhar se não me conseguisse estabelecer no mercado.

Todos os artistas/atletas que ganham pouco, que não conseguem mais, podem perfeitamente aperfeiçoar-se noutras áreas. estudar outras coisas. E não me venham com a treta de que coitados não podem pois trabalham desde muito jovens, pois eu começei a trabalhar aos 16, e durante os meus estudos trabalhei sempre, perdendo dois anos na universidade por isso mesmo.

Já não estamos na epoca em que os atletas competiam a troco de uma sandes. A Maior parte dos miudos atletas de clubes de 1ª liga já ganhma mais ou perto daquilo que eu ganhava quando me atiraram para o mercado …

Ok, mas os atletas de 1ª liga são poucos comparando com os restantes atletas … pois mas os grandes informáticos tb são poucos comparando com os restantes informáticos que ganham 650€/mês durante a maior parte das suas vidas.

E para esses não existem regimes especiais. Ou trabalham mais, estudam, crescem, ou ficam sempre na mesma. Os profissionais do desporto ou artistas apenas têm de perceber que não são diferentes, melhores, ou mais especiais que os outros. São apenas mais abelhas trabalhadoras da sociedade. Se querem ser muito, trabalhem muito. Mudem, façam várias coisas … como todos os outros elementos da sociedade.

Avantix tens toda a razão, queria comparar o tal desgaste rápido com um artista, sendo que nem todos são empresas.

Defendo claramente o fim destas excepções, uns dirão que é por não ser abrangido, talvez… mas li que o simulão pagará 624 mil euros com a nova lei ou levantamento do regime de excepção.

Quero lá saber, troco com ele já, e pago de bom grado os tais 600 mil euros, cerca de 30 % do total que receberei, é quando ele quiser…

Coitadinho do Simão, nem deve ficar com cheta para as pápas dos bébés… Estou cheio de pena.

Coitadinho do Simão, nem deve ficar com cheta para as pápas dos bébés... Estou cheio de pena.

O pai que as pague :smiley: :smiley: :smiley: :smiley: !!!

Não considero populismo, considero EXEMPLO, e o EXEMPLO é fundamental quando uma sociedade/economia se tenta (mesmo que ficticiamente) recuperar.

Populismo e demagogia pura. Há 30 anos que são os mesmos que se revessam, quer nos governos, quer nas empresas públicas. Basta olhar para as fotografias.

Tens um ministro das Finanças que apela ao sacríficio, mas ele vai no esquema: vive há mais de 10 anos em Lisboa, numa casa que está em nome do filho. E como tem residência oficial registada no Porto, recebe um subsídio do Estado (do qual não prescinde) um verba mensal superior a €1.500. É este o exemplo?!

Tens um PM que foi o maior impulsionador do Euro 2004, que levou que o país (via autarquias) se endividasse para os próximos 25 anos. É exemplo de boa gestão dos dinheiros públicos?

Tens um projecto como a Ota, a maior construção em leito de cheias. Exemplo de seriedade e competência?

E por fim, um TGV que parece um intercidades, que nunca terá viabilidade. Exemplar?!

Seja os "sistemas especiais" de impostos, seja a impunidade na estrada para viaturas oficiais, seja as regalias especiais de funcionários públicos, seja os sistemas de saúde principescos de PTs e Caixas Gerais(...)

Esse é um estigma de te persegue. Pergunta ao Ricardo Salgado e ao Berardo se a PT é do Estado… Tanto a PT como a CGD (essa pública), têm regimes sociais autónomos e suportados pela própria empresa. Que se saiba, a CGD não dá prejuízos, como qualquer banco…

Exemplo seria se não existisse um ministro de finanças que não fosse em “esquemas” e um PM que tivesse desbaratado dinheiro à grande.

Exemplar era se houvesse empenho na luta à fraude e evasão fiscal. Passou-me pela mão um declaração de uma empresa, enviada no dia 29-12 que anunciava que iria destruir mercadoria no valor de 50.000€ porque estava estragada (ramo de vestuário). O esquema era o seguinte: comprou com factura, mas todas as vendas não são facturadas. Chega o fim do ano, alegasse que foi destruída por não estar em condições, vai buscar IVA, não paga impostos e no fim aumenta os prejuízos, que servirá para abater à colecta nos próximos exercícios. Alguém se preocupou?

Sim, considerar um reformado com pensão de 500€ como um rico é que exemplar… :arrow: