Não ter nada para fazer no trabalho

Boas pessoal.

Venho aqui fazer um novo tópico sobre algo que me tem atormentado.

Comecei há 2 meses um novo trabalho. Eu sou bastante novo, por isso para a minha realidade é um trabalho bem pago e o projeto associado a ele - área de mkt e recursos humanos - é Muito grande e desafiante.

Mas o projeto esmoreceu de ritmo nas últimas semanas, houve várias confusões e de repente não tenho nada para fazer. Vou-me entretendo a conceber ferramentas e a desenvolver processos mas é mais por necessidade das horas passarem que propriamente necessidades atuais do projeto.

Alguém já se deparou com estes tempos mortos? Eu nunca fiz propriamente as 40h por semana, mas nunca tinha tido a experiência de estar parado.

E não há propriamente um manager para falar porque o projeto está mesmo on hold por agora.

Eu não estou muito familiarizado com essa área, mas não consegues ocupar esse tempo com algum tipo de formação?
Udemy ou algo idêntico…

As empresas até são obrigadas a dar formação anual aos trabalhadores, pelo que até seria conveniente para a tua empresa dar-te a formação enquanto estás parado…

Ou lá está, podes tentar antecipar tudo o que te for possível neste momento em relação ao teu projeto. Dá sempre bom karma com a empresa, podem é ficar mal habituados xd

1 Curtiu

No meu caso fez-me imensa confusão ter horas mortas, quando mudei de trabalho.

Na minha realidade anterior, quando tinha tempo para respirar (raro), davam-me na cabeça porque não aproveitava para tentar produzir algo, mesmo que não houvesse nada de ético para produzir (e por aqui me fico).

Aqui cheguei a stressar e a ter medo de ser dispensado por não estar constantemente a levar na cabeça por não estar a correr bem, quando corria mal, ou a levar na cabeça por estar a correr bem, quando podia estar a correr ainda melhor…

Enfim, fazia-me confusão não sair do trabalho com a cabeça feita num oito, sem vontade de matar ninguém, e com vontade de voltar no dia seguinte.

Sem ironia, era mesmo confuso para mim. Sentia que era bom demais para ser verdade e que, mais tarde ou mais cedo, iriam dizer-me que eu não era mais necessário.

Mas os meses foram passando e fui-me apercebendo que não é a quantidade de trabalho que interessa. É a qualidade. E faço uns disparates, claro! Ninguém nasce ensinado e, o que nos ensinam na escola/universidade, é apenas uma introdução.

Lentamente vou vendo que sou necessário, que o pouco que faço vai aumentando com a confiança que vão tendo em mim e que nem tudo são números e estatísticas. Um conceito impensável há uns meses atrás.

7 Curtiram

Acontece com bastante frequencia. Como ja disse o Shadow mete a formacao em dia e a aproveita para relaxar. O meu trabalho tambem funciona um pouco dessa forma, com projetos e assim, ora estas assoberbado de trabalho ora parece que nao ha nada para fazer. Na situacao ideal, nesses periodos calmos adiantas o que for possivel para os picos serem geriveis. Assim como avancas tambem em tudo o resto como formacao, process improvement, etc…

E nao tenhas problemas em incomodar quem te gere se nao tens nada para fazer de todo… e responsabilidade deles arranjarem algo pra tu fazeres.

2 Curtiram

O meu conselho, a ti e a todos, é que se façam à vida por conta própria.

6 Curtiram

Sim, supostamente a empresa onde estou tinha a Udemy mas agora estão em processo de transição para outra coisa qualquer, então nem isso tenho ahaha.

É o que eu estou a fazer. mas sinto que isto me vai atacar mais para a frente do género - estou a fazer agora, a esticar a manta, e lá para a frente vou novamente ficar sem nada para fazer. Sinceramente, odeio estar sem nada para fazer.

Same. Nunca pensei. Sempre pensei - pá trabalho sem nada para fazer, receber sem fazer, que top. Credo, pior coisa da vida. Eu gosto de me sentir stressado, estar sempre on edge.

Isso também é verdade. Mas saí de uma empresa onde era profundamente respeitado, e onde até choraram por eu sair, o que para um puto de 25 anos é algo extraordinário, para uma empresa onde parece que sou um número. E não sei, não quero ser o forgotten employee. E espero não ser.

2 Curtiram

Sim, eu acho que é capaz de acontecer com frequência. Aliás, eu acho que é o segredo menos bem escondido da Europa que os trabalhos de secretária raramente levam 40 horas por semana. Mas … não gosto da sensação… sinto-me inutil.

Adorava ter essa coragem. Não tenho.

1 Curtiu

A questao nao e tanto as 40h por semana. Ha quem faca bem mais que 40h por semana… a questao e que e um tipo de trabalho onde regra geral existe bastante flexibilidade e a maior parte das pessoas nao esta preparada para essa flexibilidade, seja por falta de capacidade, seja por conviccao.

Por exemplo, qd trabalhava em empresas PT tinha muitos colegas com a mentalidade comuna de todas as semanas terem de ser iguais. E basicamente se tinhas uma semana onde tinhas 30h de trabalho e outra semana onde tinhas 50, entao tinham de te pagar 10h extra nessa semana enquanto passavas 10h a cocar os tomates na semana anterior. Depois tens outro tipo de malta que simplesmente nao consegue gerir esta flexibilidade de todo por falta de capacidade… eu nem vejo tanto a semana, mas mais ao dia. Por exemplo, se estiver particularmente cansado e nao tiver nenhum entregavel urgente, ja cheguei a trabalhar 6 ou menos horas num dia, da mesma forma que se estiver ‘apertado’ e com cabeca consigo trabalhar 10. E uma gestao que faco por mim proprio e ajuda tambem trabalhar para empresas de fora com outro tipo de mentalidade e gestao.

E o novo mundo do trabalho, onde o numero de horas interessa pouco e o foco e essencialmente a produtividade. Mas se mesmo a nivel mundial nem todos estao preparados, em Portugal a gestao esta a anos-luz deste novo tipo de trabalho. Quantos aqui ja experimentaram entrar as 9 e sair as 4 porque nao estavam a fazer nada?

2 Curtiram

E tornarem-se escravos do trabalho por uma migalha a mais… quando essa migalha a mais nao e um migalhao a menos :smiley:
O empreendedorismo e uma treta/

Aconteceu-me no início, nos primeiros 2 ou 3 dias de trabalho. Desde então, nunca mais soube para onde me virar. Aliás, às vezes não sei o que fazer a seguir porque tenho demasiadas coisas para fazer.

Falo por experiência que já tenho alguma no mercado de trabalho.

Os aspetos mais importantes a ter em conta no teu emprego, especialmente quando es estagiário ou novo na empresa são o teu empenho, a tua imagem e a forma como te relacionas com os colegas (especialmente se o teu emprego for presencial e numa empresa pequena com não mais de 20 funcionários). Os aspetos tecnicos ou de competência são também muito importantes mas quando és jovem, inexperiente ou novo num cargo onde nunca exerceste estas características que mencionei são mais importantes.

Nunca uses o telemóvel nem que seja só para ver horas durante o horário de expediente, exceção feita na hora de almoço onde até podes em teoria fazer o pino. Nunca pares de fazer a tua tarefa nem abrandar demais, as pessoas topam isso a léguas, se saíres as 17h ou 18h como é comum começares a arrumar as coisas às 16h55 ou 17h55 é um red flag para os teus superiores, de preferência sai sempre uns minutos depois da hora establecida, tenta sempre establecer relações com os teus colegas evita estares calado a toda a hora ou só falar quando falam para ti.

Se fizeres isto, tens tudo para prosseguir na tua carreira pois as competências técnicas no trabalho muitas vezes vão se adquirindo com o tempo, dependendo também do tipo de trabalho como é óbvio.

1 Curtiu

Isto vindo de um comuna assumido nao e uma heresia? :stuck_out_tongue_winking_eye:

Apenas sei como funcionam as coisas, especialmente no setor privado, já que nunca trabalhei no público e tento jogar pelas regras que estão estabelecidas. É isso ou não ter dinheiro ao fim do mês. :thinking:

:upside_down_face:

Num ano civil, o meu tempo de trabalho deve corresponder ao teu tempo de férias (22/25 dias - nem sei em quanto está actualmente).

O que achas @Invictus ? Não dava um bom director de recursos humanos o nosso camarada?

Pensei o mesmo…:grin:

2 Curtiram

25 dias de trabalho dão-te para um ano inteiro? I Wish eheh

O empreendedorismo a que te referes e o charlatanismo? Es tipo life coach ou algo do genero?

Ou como es empreendedor nao e trabalho, e ‘prazer’? :slight_smile: