Luís Nani

Isso é tudo perspectiva, por aqui também passou a herói.

Mas sim, Nani fez parte de uma geração que ainda tinha algum respeito pelo clube. Enfim, cresceram com os últimos dois campeonatos, tal como muitos de nós. Isso marca a diferença, jogadores formados e rodeados por vencedores, com acompanhamento correcto de pessoas que querem o que é bom para o clube, e não só o que alinha o bolso.

Quantos miúdos não “perdemos” porque o clube deixou de corresponder? Quantas gerações? Até custa pensar nisso.

Este já topou os Manueis Fernandes…

:arrow: :arrow: :arrow:

:arrow:

Com uma direcção de jeito, gostava de o ver na estrutura.

Bota setinhas nisso!

Critiquei algumas exibições como é normal em todos nós mas reconheço lhe as qualidades que tem enquanto jogador / pessoa, terá sempre o meu respeito, voltou sempre que o clube “precisava” dele. :mais:

“Tinha o Sporting também e não ia deixar os adeptos do meu clube tristes e revoltados comigo por causa de fazer três ou quatro jogos na Champions. Preferi ir para o Sporting, voltar para casa. Fui lutar por uma causa positiva, ajudar o clube a reerguer-se outra vez. Essa era a minha Champions pessoal”

Sobre os problemas Sporting

«Tem de ser um clube mais fechado. Todos os que estão lá dentro têm de querer a mesma coisa e correr para o mesmo lado. Quando isso acontecer o Sporting voltará a ser campeão. Se olharmos para o relvado o que vemos é que a equipa consegue sempre competir, só que há momentos em que parece que já não o faz como fazia há duas ou três semanas atrás e nos momentos decisivos volta a cair. Nos momentos decisivos peca quase sempre. Se há um momento em que, por exemplo, o Benfica caiu e o Sporting pode aproveitar para dar um ou dois passos em frente… o Sporting cai também», referiu o internacional português.

E isso acontece porquê?

«A instabilidade do clube faz com que isso seja assim. Uma das coisas de que me apercebi é que Benfica e FC Porto são muitos fortes nesses momentos vitais: se tiverem de passar por cima, eles não pensam duas vezes, vão e atropelam. Seja a ganhar por 1-0 ou a golear, mas ganham. É esse tipo de experiência que o Sporting também tem de ter. E isso tem de vir de dentro. Uma das falhas dos últimos anos é que internamente, muitas pessoas que trabalham no Sporting são o problema do Sporting…», rematou, sem concretizar: «Fico por aí.»

Sobre o Bruno Fernandes

«Se havia grupos… eu nunca os vi. Nunca tive um grupo, sempre que falei e disse o que tinha a dizer foi à frente de toda a gente. E aquilo que disse foi sempre para motivar a equipa, na tentativa de fazer, de jogar o melhor possível. Sempre puxei por todos para ultrapassarmos todos juntos a fase difícil e acho que todos aceitavam e davam uma opinião favorável ao que eu dizia. O único problema que o Bruno Fernandes pode queixar-se de mim é que sempre lhe disse que ele, pela qualidade que tem, tinha de chutar melhor do que estava a chutar em alguns jogos. Se ele parasse de focar-se em outras coisas e se concentrasse em olhar na bola, ele ia fazer muitos mais golos importantes. E, coincidência, no jogo seguinte a ter-lhe dito isso, faço um passe para ele e mete a bola com facilidade na baliza, fez um golaço no jogo da Taça de Portugal contra o Benfica. Não sei se viram como nós celebrámos o golo… cheguei ao pé dele e só lhe disse: ‘Estás a ver como tinha razão?’. Disse-lhe muitas vezes ‘tu com a força que tens, se treinares um bocadinho mais vais rebentar e deixar os ingleses malucos’. Inglaterra é o sítio onde ele vai brilhar, é o campeonato onde os jogadores a cada chuto que fazem a bola entra, há golos espetaculares. Nunca tive qualquer problema com Bruno Fernandes, nenhum. Se havia alguma coisa por trás… e diziam isso de nós, eu já não sei», revelou.

O antigo capitão leonino considera ainda que a braçadeira está bem entregue a Bruno Fernandes.

«Ficou muito bem entregue. Continuamos a falar e a desejar boa sorte antes dos jogos eu a ele e ele respondia a agradecer. Quando vim embora ele agradeceu as dicas que lhe fui dando enquanto lá estive. Se vieram esse tipo de notícias ou rumores cá para fora, só pode ser a partir de alguém que está a tentar queimar a imagem das pessoas. Há muitos invejosos, não podem ver uma notícia boa em relação a certos jogadores e isso deixa outros frustrados…», concluiu.

Sobre a chegada ao Sporting

O internacional português chegou mesmo a prestar provas nos dois clubes, um momento que recordou em entrevista a ABOLA.

«Sim, até é uma história engraçada. Fiz uma excelente época no Real como juvenil no segundo ano e ao terminar a temporada disseram-me que se queria ir para um clube grande aquele era o momento porque como júnior seria mais complicado. Quando faltava um ou dois jogos para a acabar a época fui treinar-me ao Benfica. Treinei-me e disseram-me para voltar ao Real, para jogar no fim de semana que alguém do Benfica ia ver-me jogar. Mas como andava a treinar a semana toda no Benfica, o treinador do Real não queria meter-me a jogar. Aí eu pedi ‘mister tenho de jogar que vai estar cá gente do Benfica para me ver’. Ele deu-me 45 minutos para mostrar o que valia. Meteu-me e eu não estava a jogar nada… Até que quando percebo que ele ia substituir-me pego na bola, corro pelo campo, finto quase todos, até o guarda-redes e faço golo. Aí disse para mim ‘já limpei a coisa’. No final do jogo todos os colegas a darem os parabéns, a dizer que a malta do Benfica de certeza que tinha gostado. Só que depois veio um senhor lá do Real que me disse que afinal não tinha estado lá ninguém do Benfica. Ainda assim, mandaram uma carta para ir treinar-me com eles às terças-feiras. Então ia à terça lá e à quarta e quinta-feira treinar-me no Sporting. Então no final o professor João Couto, do Sporting, disse-me para ir fazer a pré-época com eles mas não garantia que depois ficasse. ‘Ok eu venho’, respondi, mesmo sabendo o mais provável era não ficar lá. E disseram-me para estar no dia tal, no local do treino às 10.30 horas. Algum tempo depois recebo também uma chamada do Benfica a marcar para ir treinar-me com eles exatamente no mesmo dia e à mesma hora. E eu disse… ‘sim, posso’. Ou seja, disse sim aos dois. E chegou o dia, eu sabia que no Sporting não ia ficar… mas como tinha lá já alguns amigos não quis saber do Benfica e fui ao Sporting, fiz amizade rapidamente com eles, com o Miguel Veloso, Yannick, ect. Fiquei lá um mês e no final o professor chega ao pé de mim e diz-me só isto: ‘Eu sabia que ias ficar’.»

No final, a opção acabou por recair no Sporting e o extremo de 32 anos não se arrepende: Foi a opção certa. A partir dali trataram de tudo com o Real e o Sporting passou a ser o meu clube…»

Sobre a proposta do porto

«Sim. Ainda na época passada quando voltei ao Sporting tinha também proposta do FC Porto. O Sérgio Conceição falou comigo várias vezes, queria que eu fosse para lá, explicou-me como funcionavam as coisas lá, disse que só podia dar X de dinheiro… Pensei assim: ‘Se não houvesse proposta do Sporting, se calhar aceitava’. O FC Porto era um bonito clube para jogar, ia competir na Champions, quem é que não gosta de estar na Champions», começou por explicar.

«Mas tinha o Sporting também e não ia deixar os adeptos do meu clube tristes e revoltados comigo por causa de fazer três ou quatro jogos na Champions. Preferi ir para o Sporting, voltar a casa. Fui lutar por uma causa positiva, ajudar o clube a reerguer-se outra vez. Essa era a minha Champions pessoal», atirou.

Grande homem…só faltou chamar os bois pelo nome.

Os tachistas…que se servem do clube, e não tem competência para ocupar os cargos que ocupam!

Finalmente alguém que diz : «Muitas pessoas que trabalham no Sporting são o problema do Sporting»

Orgulho leonino.

Tenho uma admiração gigante pelo Nani…nunca deveria ter saído na minha opinião, mas não gostei do que li hoje.
Não a poucos dias da supertaça…e já agora, não concretizando!
Dizer o que disse…é meio de La Palisse…parece muito mauzão mas chamar os bois pelos nomes…“tá quieto”

:arrow: :arrow: :arrow:

1 Curtiu

Muito bom. O Nani descalço e os putos de chuteiras. Grande Nani, nunca esquecendo as suas origens e o seu clube do coração, o Sporting clube de Portugal.

Um dos poucos que sempre foram “inatacáveis” no seu Sportinguismo.

Adorava ver este rapaz ao lado do Ronaldo em Alvalade :clap:

Nesse dia podia morrer em paz

2 Curtiram

Uma das maiores referências vivas deste clube.

1 Curtiu

Este sim o verdadeiro Capitão.:muscle::muscle::muscle:

1 Curtiu