Legislativas 2009

Votem.

Atenção que ninguém vê quem é o utilizador que vota no ‘partido x’. A votação é totalmente anónima. Quem quiser exprimir a sua opinião e em quem votam, também estão à vontade e o diálogo será de certeza mais aberto.

:great:

Estou indeciso… inicialmente tinha intençao de votar PS, agora estou em dúvida entre PS e voto em branco.

Se eu tivesse idade para votar votava no CDS-PP

Vou votar PSD. Embora a famosa “política de verdade” tenha sido corrompida por algumas gaffes, reconheço que MFL não domina a maquina da propaganda partidária, tão bem exercida pelo actual primeiro-ministro. As medidas propostas pelo PSD serão positivas, principalmente aquelas que visam diminuir o peso fiscal. No entanto, quero saber mais em relação ao SNS, sem rodeios, nem respostas à Harry Stimson. Não sou de direita (tenho ideias de ambos os lados do espectro político), mas recuso-me a entrar na onda demagógica da esquerda que está posicionada para lá do PS. E defendo que o CDS-PP tem sido um bom partido de oposição, oferecendo soluções EXEQUÍVEIS (muito importante) para tentar solucionar algum dos (muitos) problemas que afligem o país, e não medidas populistas da treta como os do BE. Em relação ao PCP, é o mesmo ano após ano.

O que é que ela domina mesmo? ::slight_smile:

Domina a matéria económica e a realidade da situação macroeconómica melhor do que o PS, garanto-te. Aliás, toda esta política em torno do “há mais vida para além do défice” é dela, com mais ou menos defeitos, foi ela que garantiu que o esforço do Estado devia incidir nesta problemática. E no que é concernente com a ideia dela de como um país pode evoluir - a relação do Estado com as Empresas, o peso fiscal, matéria laboral - estou de acordo. Fico à espera que debatam certas temáticas, como a CGD e o SNS, que deve permanecer público, garantindo uma nova forma de sustentabilidade, porque não há dinheiro para tudo, realidade que muitos continuam a negar…

Não querendo entrar em guerras partidárias (isso para mim é o menos importante), já tive a oportunidade de ver essa mulher enquanto ministra de educação e das finanças. Se no primeiro caso não me lembro de muita coisa para além de umas contestaçõezitas, no segundo as lembranças são maiores e devo dizer que não vi nada digno de alguém que domine bué esses assuntos.

PS ou PSD dependendo do falatório sobre algumas das questões mais importantes.

Um PM não tem que ser especialista “em coisa alguma de importante” tem que ser consistente coisa que o actual primeiro ministro é.

Quaisquer que sejam os futuros governantes de Portugal serão somente fantoches. Estarão sempre condicionados, seja pelo jogos de interesses dos mais variados lobbies, seja pela conjectura político-económica internacional.

Os governos limitam-se a apresentar uns decretos-lei marrecos e pouco importantes, de repente lá se discute o casamento homossexual ou o código do trabalho e pouco mais. De resto, acatam os interesses das grandes empresas, onde invariavelmente encontramos pessoas ‘influentes’ nos quadros das mesmas (normalmente ex-governantes sejam do PS, PSD, CDS…)

Abre-se o rabiosque a esses, gasta-se o dinheiro das receitas fiscais com umas obras inúteis e megalómanas para lhes aumentar o capital, aumentando também o nosso endividamento externo. Consequentemente afunda-mo-nos um pouco mais na nossa pocilga e já se sabe… Apertar o cinto que isto tá bera.

Andámos um porradão de anos entretidos na lenga-lenga do défice, de baixar o mesmo até aos limites máximos impostos por Bruxelas… Chega esta crise-papona e lá vai tudo… Toca a fazer uns investimentos públicos engraçados porque o keynesianismo é que é. Ai que ele funciona tão bem cá no burgo.
Estoiramos as finanças, lá vai o equilíbrio da balança orçamental e quando a crise passar lá fora, cá vai continuar. E porquê? Porque sempre a tivemos! E lá teremos de baixar novamente o défice.

Enquanto vamos sorrindo e cantando, embrenhados nesta cantoria doce, já os ‘influentes’ colocaram os seus honorários provenientes dos tais investimentos num banco das Cayman Islands… Até porque esta ideia do Sócras de tributar os mais ricos não cabe na cabeça de ninguém. Tributar quem? Os mais ricos? Quais? Aqueles que nem no escalão do IRS estão? Claro… :lol:

Portugal é um circo. Eu vou votar e voto em branco. Aposto que a Senhora Leite se for eleita, passado uns meses diz que afinal o TGV é inadiável. ;D

Se fosse hoje, votava PS.

Eu nunca voto em branco, prefiro escolher o menos mau ( se se der o caso de serem todos maus ) e ser eu a fazer a escolha. Se optar por votar em branco estou a fazer 2 coisas: estou a dizer aos partidos que estão no boletim de voto que não acredito em nenhum deles e estou a passar a responsabilidade da escolha de quem vai governar o país para os outros votantes.

Ainda não me informei a fundo sobre os programas mas em princípio votarei PSD.

Pela primeira vez vou puder exercer o meu direito de votar. Vou votar PSD. Para além de ter influências familiares, não voto num candidato com o seu nome em tantos casos, como censurar o jornalismo e envolvimento no caso freeport e os favores no curso de engenharia civil. Mais recentemente surgiu uma notícia em que o governo tem a presidência sob escuta.

É muita acusação para o meu gosto.

No PSD tambem tens casos desses , tens candidatos a deputados como o António Preto que está acusado de falsificação de documento e fraude fiscal qualificada , segundo a acusação recebeu 150 mil euros em envelopes e malas em 2002 durante a campanha para a distrital de Lisboa do PSD de empresários da construção civil , um deles na altura estava a ser investigado por branqueamento de capitais.
Igualmente tens a Helena Lopes da Costa ex-vereadora da Câmara de Lisboa que foi acusada em Junho de abuso de poder no processo relacionado com a atribuição de casas municipais nos anos de 2004 e 2005 , segundo a acusação, a arbitrariedade com que os processos eram despachados pela então vereadora levaram a que fossem entregues casas a pessoas proprietárias de outra habitação e com rendimentos mensais superiores a dois mil euros e rejeitadas a outras com rendimentos de 200 euros/mês e sem alternativa habitacional.

Não é só no PS que isso se passa , isso é um mal geral , não se pode alegar isso como desculpa para votar num e não noutro.

Se formos falar de câmaras municipais não saímos daqui. Estamos a falar de um cabeça de lista a primeiro-ministro.

Mas António Preto e Helena Lopes da Costa estão nas listas para a AR. Logo não é uma questão autarquica.

Em principio irei votar CDS. Ou então PNR. Vamos ver como correm as campanhas.

Há algum site onde se tenha acesso ao programa do PNR? Estou curioso.

Vou votar no CDS porque sou do centro-direita e entendo que o Paulo Portas e o seu partido merecem mais o meu voto que o PSD, pela oposição que fizeram aos socialistas no Parlamento, provando que com poucos deputados e recursos é possível fazer política e onde ela deve ser feita. Concordo com as sua políticas no âmbito da segurança interna, justiça, defesa e economia, embora menos nas questões do foro social, como o aborto. Não estou disponível para contribuir para nenhum dos partidos do Bloco Central, que já têm votos que cheguem, e muito menos para “projectos” de âmbito presidencialista à direita. Portugal precisa que as instituições democráticas funcionem. Precisa que o Parlamento seja prestigiado e exerça os seus poderes. Tão mau é um “despostismo” a partir de Belém como um a partir de São Bento… Jamais daria o meu voto a “soluções” presidencialistas ou a patetices de quartas repúblicas. Mas, apesar de tudo, prefiro que ganhe o PSD, embora não conte com o meu voto.

Sem pensar muito nisso, aposto que as linhas principais do programa do PNR são:

  • Correr com os estrangeiros.
  • Reactivar o serviço militar obrigatório.
  • Correr com os estrangeiros.
  • Sair da UE.
  • Correr com os estrangeiros.

Pires, eu quando disse votar em branco referia-me a não votar em nenhum destes partidos com ‘nomeada’. Provavelmente vou escolher um desses movimentos ‘underground’ tipo MMS -> http://www.mudarportugal.pt/

Por muita volta que se tente dar volta ao texto PS e PSD são a mesmíssima coisa. Nem uns são socialistas, nem outros são sociais-democratas. São partidos-fantoche fornecedores de tachos aos seus mais queridos. Porque não se metem todos no mesmo saco e fazem o tão famigerado bloco central?
Ah não, seria uma complicação… É que os do PSD gostam de ser tratados por dois apelidos e os do PS só por um. É isso que os distingue. :slight_smile:

Continuemos a dar mandatos aos laranjinhas e aos rosinhas…

O programa do PNR era o que eu pensava. Correr com os estrangeiros deve ser mesmo prioridade ao quadrado coo tu escreves Schism. :rotfl: Espero sinceramente que tenham tantos votos como o seu número de militantes e só mesmo isso.

As vitórias do PS e do PSD têm razões históricas e de posicionamento e vão continuar durante mais algum tempo ( pelo menos mais “algum” ). Acho que basta olhar para as duas actuais lideranças ( no caso de Sócrates não só o que diz como essencialmente o que faz ) para se ver que as “ideologias” se confundem.

São capazes de ter um aumento do número de votos. Por toda a Europa (e basta conferir isso nas Europeias de há uns meses) crescem as forças de extrema-direita anti-UE.

Claro que nada que se equipara ao período pré II Guerra Mundial. Contudo, é sempre curioso ver como o pessoal assim que fica em crise, ganha uma certa aptidão em sacudir a água do capote para os alvos mais fáceis: os estrangeiros.