Juventude Leonina

A Juventude Leonina, mais conhecida por Juve Leo, foi fundada a 17 de Março de 1976 pelos irmãos Rocha, filhos do então Presidente João Rocha, sendo actualmente o mais antigo grupo organizado de adeptos em Portugal.

De início não era mais do que um grupo de jovens que partilhavam entre si afinidades clubísticas e de amizade, até porque muitos eram colegas no colégio São João de Brito, em Lisboa. As principais influências vieram das torcidas organizadas do Brasil, dando continuidade a uma tradição de apoio organizado que já existia em Alvalade na década de 70, com os célebres Vapores do Rego, um grupo de jovens brasileiros que se destacava pelas suas alegres batucadas e que ajudaram a equipa a vencer o campeonato de 1973/74. Mais tarde, no início dos anos 80, surgiram as influências inglesas, através da cultura hooligan, e italianas, pelo exemplo dos grupos ultra.

Nos primeiros anos da década de 80, a claque encontrava-se situada na Superior Sul do Estádio José Alvalade, tendo-se mudado, por volta dos anos de 1983/84, para a célebre Ponta Sul. A Juve Leo começava assim a crescer em termos de organização: começaram a surgir as primeiras faixas, as primeiras bandeiras com simbologia alusiva à claque e a utilização regular de fumos, seguindo o modelo italiano dos grupos ultra.

Toda a cor e alegria que a Juventude Leonina trouxe aos estádios portugueses fez com que nos outros clubes começassem também a surgir grupos organizados de apoio, compostos essencialmente por jovens, como foi o caso dos Diabos Vermelhos, dos Dragões Azuis, da Fúria Azul, entre muitos outros. Toda esta proliferação de claques organizadas culminaram nos Congressos Nacionais de Claques organizados nos anos de 1984 e 1985.

De referir que só no Sporting chegaram a existir em simultâneo, por volta de 1986, quatro grupos reconhecidos oficialmente pela direcção sportinguista - Onda Verde, Força Verde, Norte Leonino e Juventude Leonina - para além daqueles que não contavam com o apoio oficial, como por exemplo a Torcida Verde, fundada em 1984 e que só foi reconhecida oficialmente em 1988.

Esta é uma claque rigorosamente organizada, contando com cerca de 60 núcleos oficiais.

Contactos

Juventude Leonina 1976 - JUVE LEO

39 min ·

Uma vez mais o nosso Sporting Clube de Portugal, conquistou uma vitória europeia, num estádio difícil e em condições atmosféricas gélidas.

De reforçar o apoio nas bancadas, onde queremos desde já agradecer, aos nossos sócios e simpatizantes, esta presença e agradecimento também especial aos nossos núcleos da Europa.

Depois desta vitória, os nossos ultras ainda tem 560 km de viagem sobre neve para chegarem até ao aeroporto de Oslo, desde já uma boa viagem a todos de regresso.

Hoje e perante a montra europeia, uma vez mais, a nossa identidade (faixa) esteve presente e isso sim, um motivo de orgulho de todos nós.
A caminho dos 44 anos de existência estivemos sempre presentes.

Sem viagem, sem protocolo, sem ofertas de gorros e luvas, nós tiramos a camisola e apoiamos até aos 90m.

Uma vez mais, nós vamos continuar sempre cá a apoiar incondicionalmente o nosso Sporting Clube de Portugal.

QUEM NOS TENTA DERRUBAR, SÓ PERDE TEMPO EM TENTAR!

UM DIA JUVE LEO, JUVE LEO ATÉ MORRER!
SPORTING SEMPRE!


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Juventude Leonina 1976 - JUVE LEO

7 min ·

Caros Sportinguistas, associados, e simpatizantes do Sporting Clube de Portugal. Na sequência das declarações do Presidente do Sporting Frederico Varandas, na noite de ontem, a propósito do evento “rugido de leão”, somos compelidos a vir, novamente, a público esclarecer várias questões.

Dizer, antes demais, e como forma de introito, que o momento serviu para, uma vez mais, na qualidade de sócios do Sporting ficar envergonhados pela triste performance de uma pessoa que até a ler, discursos escritos por terceiros, se atrapalha, demonstrando, em todas as oportunidades, a sua incapacidade de ser genuíno, conhecedor ou capaz de ser uma figura de liderança. É de facto, confrangedor.

Cumpre-nos, neste momento importante de dificuldade, ser a força que une este clube e não abandonar, em momento algum, os atletas que envergam esta nobre camisola.

Não obstante, e porque estamos perante constantes adulterações de facto, é importante esclarecer o seguinte:

  1. A Juventude Leonina, contrariamente ao alegado, não se sentou com a Direção do Sporting. Deixou sim, na carta enviada à Direção, essa possibilidade. Quando convocada informou que não poderia comparecer na data indicada (e-mail que se anexa infra), pelo que, o atual Presidente deu-se ao luxo de mentir descaradamente.

  2. Tanto mais, é que a Juventude Leonina, não é subserviente de nenhum presidente, deve apenas lealdade a um clube que ama e que de uma forma organizada apoia desde 1976, ou seja, antes sequer do nascimento deste Sr. Presidente e, decerto, muito antes de qualquer protocolo.

  3. Nesse sentido, que fique claro a todos, que o nosso apoio não está dependente de algum acordo com alguma Direção. Fazemo-lo por livre e iniciativa própria.

  4. Diga-se, igualmente, que o Protocolo assinado com esta Direção supera em muito o que o anterior Protocolo estabelecia, seja a nível de apoios para viagens; apoios às coreografias; suportes logísticos… pelo que, se desafia a Direção a publicar os termos dos Protocolos, para que as pessoas percebam realmente até ao ponto que se propõem a mentir.

  5. Assim, os protestos nada tem a ver com qualquer Protocolo, caso contrário os cânticos contra a Presidência não teriam sucedido antes sequer do comunicado absurdo que anunciou o fim do mesmo, ainda que, sem qualquer valor jurídico. É antes uma clara manifestação contra a incompetência e oportunismo, o que adiante se explicitará.

  6. Falou-se no processo Alcochete, o que releva o insensato de toda a argumentaria.

  7. Repare-se que foi esta mesma Direção que decidiu propor os melhores termos, até hoje verificados, de qualquer Protocolo entre as Claques e o Sporting, muito após o evento de Alcochete.

  8. Deveria haver alguma honestidade intelectual nas afirmações de um presidente que representa o Sporting. Não existindo, diga-se em abono do rigor, que foi esse processo de Alcochete que levou este Sr. a candidatar-se à Presidência e, neste associo, quem filmou aqueles atos hediondos? Quem publicitou os vídeos que correram o mundo? Quem se aproveitou para lançar mão da proximidade com os jogadores e até sugeriu para os jogadores agirem como agiram? E afinal, quem no fim foi o prejudicado: O Sporting, que viu contratos resolvidos e, no mandato deste Sr. Presidente, se desistiu de prosseguir os processos em curso contra esses mesmos atletas, são antes convidados de honra de tribunas, cada vez mais populosas.

  9. Mas mais, porque não se reporta à divida de meio milhão contraída pela Direção de Godinho Lopes aquando do “incêndio” do estádio da luz onde não ficou provada a atuação das claques e cujo ex-presidente, imputou aos GOA. Que publicite o que fez ao papel, o que disse, na reunião tida na presença do OLA, Pedro Alves, e Presidente da Associação Juventude Leonina.

  10. O grave de tudo isto, é que o Sporting apresenta-se a realizar provavelmente o seu pior inicio de época de sempre, colecionando 3 treinadores, para já; à 10ª jornada encontra-se a 10 pontos do 1º classificado da Liga Portuguesa; eliminado da Taça de Portugal pelo colosso Alverca (salvo o devido respeito); está em vias de ser eliminado da Taça da Liga e na Liga Europa contenta-se com miseráveis atuações contra Rosenborg. Se tal não fosse suficiente, olhamos para a equipa principal e vemos que não detém, por incapacidade de Hugo Viana e Beto Severo (alguém já descobriu o que ali fazem?), um ponta de lança como o Pedro Mendes, um médio como Daniel Bragança, um extremo como Matheus Pereira, um central como Domingos Duarte (vendido e revelação do Campeonato Espanhol) só para citar alguns, todos eles, sem grande margem para dúvida (leiam-se os especialistas), capazes de sentar qualquer jogador da equipa A.

  11. Mas não. Preferimos contratar, por empréstimo, um Fernando que vinha para substituir um titular como o Raphinha, mas afinal vem lesionado e até à data ninguém o viu. Esta é a gestão fidedigna. E foco são os adeptos, os sócios contestatários, os simpatizantes que discordam, como se o resultado de se virar contra os próprios, não tivesse um fim anunciado.

  12. O despotismo tem um limite. Não só esta Direção ganhou eleições com menos votantes, como já fez passar contas com esse mesmo rácio, pelo que, fica a pergunta, o que querem mesmo os Sportinguistas?, ao que parece não é o rumo que está a ser assumido.

  13. Por último, dizer o que já se sabe, a Juventude Leonina continuará a existir, com ou sem protocolos, continuará a fazer ouvir a sua voz, a exercer a sua função primordial de apoio aos Atletas, tal qual se viu na Noruega e sempre será em todos os estádios em que o nosso Sporting jogar, com frio, chuva, nós não desistimos, somos a Juventude Leonina. E na nossa casa, desrespeitados por esta Direção, vamos sempre estar mais que nunca no apoio ás nossas equipas, seja no Estádio, seja no pavilhão, não deixaremos mais passar em claro a gestão nociva com que esta Direção tem presenteado o Sporting.

Um bem haja a todos os Sportinguistas!

A Direção.


Nenhuma descrição de foto disponível.

1 Like