Jornal do Sporting - Parte 2

116 ANOS

Por Juvenal Carvalho
01 Jul, 2022

OPINIÃO

Parabéns, Sporting Clube de Portugal. Hoje, porque fazes 116 anos de uma vida cheia de conquistas, decidi dar-te os parabéns de forma diferente, assim como se voltasse aos bancos de escola e o meu professor de português me mandasse fazer uma redacção cujo tema fosse falar sobre o aniversário de alguém por quem sinto algo de extraordinário.

E de quem me lembrei? Claro que foi de ti, és daqueles amores que não se explicam… sentem-se.

É mesmo uma sensação de felicidade incrível sempre que falo de ti. Sinto-me de volta à meninice. Aos tempos de jovem em que às escondidas dos meus pais, ainda muito criança, me ‘obrigavas’ a ouvir os relatos de futebol e de hóquei em patins, estes às escondidas dos velhotes por serem disputados à noite, e no dia seguinte ser dia de escola. A almofada escondia o som do velho rádio de pilhas, sob pena de ser apanhado em flagrante.

Sempre me causaste emoções incríveis. Obrigaste-me até, mais espigadote na idade, a mentir aos meus pais dizendo-lhes que ia para casa de amigos e o caminho, com os poucos trocos da semanada, era para apanhar o metro ou autocarro para Alvalade. Via desde os jogos da formação no velhinho pelado às modalidades no pavilhão. Quantas vezes, porque o dinheiro era escasso, pedia também a um qualquer senhor se me deixava entrar com ele no estádio ou no pavilhão.

Encheste as paredes do meu quarto de posters do Hector Yazalde, do Samuel Fraguito, do Manuel Fernandes, do Vítor Damas, do Rui Jordão, do Carlos Lopes, do Joaquim Agostinho, da “equipa maravilha” de 1977 do hóquei em patins, etc, etc, etc…

Recortava também todas as notícias de jornal de títulos conquistados por ti.

Fizeste-me uma criança feliz, com tantos êxitos alcançados em tantas modalidades, e mais tarde, quem diria, tive o privilégio de ser teu dirigente no basquetebol, no andebol e no futebol jovem; de presidir ao Núcleo do Sporting de Paço de Arcos, e até de ter o privilégio de te escrever estas linhas em dia de aniversário.

Entretanto, como tu, vou ficando “cota”. Também já passei dos cinquenta e já nasceu a Ana Rita, a minha filha, e já sou avô da Leonor. Ambas foram por mim feitas Sócias mal nasceram. És, pois, parte integrante da minha vida. Direi mesmo que se não existisses era na mesma possível eu viver, mas não seria a mesma coisa.

Ri e também chorei por ti. Ganhei imensos amigos por tua causa. Tenho uma vasta etapa da minha vida dedicada a ti. Estive e estou a teu lado em todos os momentos. Também fui, e serei crítico ao que achar menos bem, porque a nada me hipoteco que não ao amor por ti. Aos amigos − e tu és mais do que isso, és mesmo alguém que amo, devem dizer-se as verdades.

Quando eu nasci já tinhas passado os 60 anos. Quero que saibas que eu vou partir − todos nós partiremos − e tu vais ser eterno, ano após ano terás uma vasta legião de Leões seguindo a teu lado em todo o Mundo.
Os fundadores quiseram-te grande, tão grande como os maiores da Europa. E hoje, 116 anos depois, tudo isso se concretizou. Com esforço, dedicação e toneladas de devoção de tantos homens e mulheres que te serviram, tiveste 116 anos de glória. Como cantava Caetano Veloso, também eu ‘gosto muito de te ver, leãozinho’. Hoje és bebé, e ao longo destes anos fui tão feliz a teu lado.

Parabéns, Sporting. Já tens mais de um século de história para contar. Muito mais terás num futuro que será seguramente repleto de conquistas. É este o teu ADN. Tens ainda tanto para viver e conquistas para oferecer.

Amo-te, Sporting Clube de Portugal.

NUNCA É DEMAIS

Por Pedro Almeida Cabral
01 Jul, 2022

OPINIÃO

Nunca é demais ser do Sporting Clube de Portugal. Não foi demais frequentar a velhinha nave de Alvalade e assistir aos primeiros passos de uma jovem secção de futsal que então começou a ganhar campeonatos. Tal como não foi demais calcorrear alguns pavilhões para ver o futsal a continuar a triunfar. E, sobretudo, não foi demais ver o nosso futsal nestes últimos três anos, em que vencemos como nunca, e que são a fase mais brilhante da já longa história do futsal Leonino.

Estamos a falar de duas UEFA Futsal Champions League, 2019 e 2021, do bicampeonato nacional de 2021-2022, das três Taças de Portugal seguidas, de 2019 a 2022 (a edição de 2021 foi cancelada) e das duas Taças da Liga seguidas, de 2021 e 2022. São conquistas avassaladoras que demonstram a extraordinária fase que atravessamos na modalidade de pavilhão mais popular no país. Para termos uma ideia, tanto a nível europeu como a nível nacional damos cartas. E que cartas! Na Europa, somos o terceiro clube com mais Champions, atrás do Inter FS e do FC Barcelona.

Dentro de portas, temos 17 campeonatos, mais do dobro dos oito do SL Benfica. E destes 17, nove foram ganhos desde 2010. Já na Taça de Portugal, com a conquista deste ano, dominamos também com nove títulos, mais dois que o perseguidor SL Benfica. Por fim, na terceira competição, a Taça da Liga, que existe desde 2016, recuperámos nos últimos dois anos a dianteira: quatro títulos contra três do SL Benfica. Em síntese, dos últimos nove troféus disputados, só não ganhámos um (a final da Champions deste ano). São duas temporadas seguidas a ganhar todos os troféus nacionais.

E o campeonato ganho no fim-de-semana pelo Sporting CP foi o primeiro ganho em Portugal sem perder qualquer jogo da fase a eliminar, conhecida como play-off. Além desta vitória perante o SL Benfica por 3-0 em jogos ser apenas a segunda vez na história que o campeão só disputa três partidas.

Mas não se pense que foi fácil chegar aqui. Os troféus europeus são resultado de muita experiência acumulada e de forte mentalidade competitiva. E, em Portugal, o SL Benfica é, invariavelmente, um adversário de respeito, com forte investimento e sempre com intensidade na disputa de títulos, própria de um dos maiores dérbis do mundo. Tanta glória só foi possível com esforço, dedicação e devoção. Bons resultados estão ao alcance de algum trabalho. Mas resultados extraordinários, como os dos últimos três anos, só são possíveis com intensa cultura desportiva, ambiente ganhador em toda a estrutura, da base ao topo, e sintonia absoluta entre dirigentes, técnicos e jogadores. Tendo que destacar aquele que é um dos melhores treinadores de futsal de sempre, o nosso Nuno Dias, que há dez anos que nos comanda com sobriedade e extrema competência. Termino como comecei. Nunca é demais ser do Sporting Clube de Portugal. E nunca será demais continuar a ver o que nosso futsal ganha na quadra.

JORNAL SPORTING JÁ DISPONÍVEL

Por Sporting CP
07 Jul, 2022

JORNAL SPORTING

​Edição n.º 3879 nas bancas e em formato digital

Já está disponível nas bancas e em formato digital o Jornal Sporting desta semana, que tem como destaque a frase ‘ADN Verde’, em alusão à terceira edição do Dia do Voluntário, que este ano teve como foco a causa ecológica e ambiental no dia do 116.º aniversário do Sporting CP.

Dentro da publicação, poderá encontrar as novas contratações do futebol verde e branco, que nos últimos dias confirmou Rochinha, Morita, Franco Israel, Diogo Abreu e Sofia Silva, bem como a entrevista de despedida de João Palhinha, que está de saída rumo aos ingleses do Fulham FC.

Nas modalidades, fique a par das novidades antes do arranque da nova temporada, com realce para a apresentação do novo coordenador do basquetebol, Nuno Baião, que regressa a uma casa onde tinha sido jogador, além das renovações de Diogo Araújo e também Diego Cavinato.

Não perca também a entrevista a Paulo Santos, treinador e coordenador do kickboxing Leonino, modalidade que vai organizar no Pavilhão João Rocha, a 30 de Julho, a Gala The Lion’s Crown, evento homologado pela WAKO Pro que contará com a presença de 12 atletas profissionais.

Espaço ainda para o balanço da prestação do atletismo nos Jogos do Mediterrâneo, a conquista do Campeonato Nacional de Verão por parte da natação adaptada, o décimo aniversário do golfe do Sporting CP, o Sarau anual da ginástica e ainda o final da temporada para o taekwondo.

A Lenda desta edição é Paulo Ferreira, ex-ciclista do Sporting CP que venceu uma etapa da Volta à França em 1984.

POR UM FUTURO AINDA MAIS VERDE

Por André Bernardo
07 Jul, 2022

OPINIÃO

Editorial da edição n.º 3879 do Jornal Sporting

A 5 de Abril de 1722, Jacob Roggeveen desembarcava na Ilha de Páscoa. Localizada num dos pontos mais remotos do planeta, hoje parte do Chile, a ilha viria a tornar-se famosa pelos seus Moais − estátuas gigantes de feições humanas com cerca de dez metros e oitenta toneladas de peso.

Em 2005, a ilha viria a ser novamente foco de atenção mundial após o lançamento do bestseller Collapse: How Societies Choose to Fail or Succeed, da autoria de Jared Diamond . No livro, o geógrafo e historiador norte-americano explora a teoria de que o colapso da Ilha de Páscoa teria uma raiz ecológica. Segundo o autor, a delapidação dos recursos naturais da ilha para a construção dos Moais teria causado uma espiral autodestrutiva, resultando em guerras internas, declínio populacional e quebra das estruturas socioeconómicas. A tese é ilustrativa de um exemplo clássico de Tragédia dos Comuns*, explorado em Teoria dos Jogos, e dos riscos de não cooperação.

A tese é alvo de debate no que diz respeito ao caso concreto da Ilha de Páscoa, mas não poderia estar mais na ordem no dia no desafio que cada um de nós, individualmente e enquanto organizações, tem para atingirmos o objectivo de neutralidade carbónica.

O Sporting CP já assumiu o desafio da sustentabilidade ambiental como uma das suas prioridades. Consideramos que ele constitui, também, uma responsabilidade que nos compete liderar, utilizando a enorme visibilidade e capacidade de mobilização que temos.

É crítico agir no presente, rapidamente, bem como mobilizar e sensibilizar os demais para o tema. Na edição do Jornal Sporting de hoje destacamos alguns passos que estamos a dar neste caminho, como a adesão ao programa Smart Open Lisbon (SOL) e a acção de limpeza do Sítio das Hortas (em Alcochete) promovida na terceira edição do Dia do Voluntário. Os colaboradores do Sporting CP arregaçaram as mangas numa data com um carácter ainda mais especial do que o normal, já que decorreu no dia do nosso aniversário, e também por ter sido o primeiro Dia do Voluntário livre de restrições associadas à pandemia de COVID-19.

Aquilo que fazemos hoje terá implicações amanhã. Está, por isso, nas nossas mãos proteger o planeta e preservar as gerações futuras. Um ADN Verde por um Futuro Ainda Mais Verde.

Destaco também, relativamente a esta edição nº 3879, as novidades para as Gamebox Modalidades que vamos introduzir na época de 22/23, com o lançamento de três opções: Gamebox All In, Gamebox Eclectic e Gamebox Modalidades.

Reforçamos assim o nosso ADN Ecléctico, com uma proposta de valor mais simples, mais económica e com um processo de adesão 100% digital.

Saudações Leoninas

*** Conceito baseado num ensaio escrito pelo matemático e economista William Forster Lloyd e que se refere a uma situação em que os indivíduos, agindo de forma independente, racional e de acordo com os seus próprios interesses, actuam contra os interesses de uma comunidade, esgotando os bens de uso comum.

DIGA 23!

Por Juvenal Carvalho
07 Jul, 2022

OPINIÃO

(P’ra mentira ser segura

E atingir profundidade

Tem que trazer à mistura

Qualquer coisa de verdade)

António Aleixo

Não sou jurista. Logo não quero julgar pareceres jurídicos, sob pena de me estar a meter em algo que não domino minimamente.

Agora o que domino, porque gosto de saber da história do futebol português, bem como de todas as modalidades, é o que constato por verdade, e a leitura de todo um passado que, com mais ou menos conquistas, não deixa de ser grandioso do nosso Sporting Clube de Portugal.

E porque, também, nunca me foi imposta nenhuma regra por quem dirige o nosso Jornal quanto ao que escrevo semanalmente, logo o termo “cartilheiro” não me assenta de todo, nem as pessoas o pretendem, hoje quero que a verdade seja mesmo verdade, e que a mesma não se transforme em mentira, só porque sim, ou neste caso porque dá jeito.

Gosto desde muito cedo de ser um estudioso de tudo o que é desporto, e consulto regularmente enciclopédias para ler sobre aquilo que a idade não me permitiu visualizar.

E no futebol, o que li desde sempre é que a primeira − e então única − competição oficial que se realizou foi na época de 1921/1922, com a denominação de Campeonato de Portugal, e a quem era, sem dúvida alguma, pese o método de disputa, atribuído o título de Campeão de Portugal a quem vencesse a competição, para o qual, basta consultar os jornais da época para aferir desta verdade. Assim o foi entre a época acima citada e a de 1937/1938. Mas porque nada é estanque, e a mudança não me choca mesmo nada, foi disputado a título de carácter experimental com o formato de todos contra todos − e em conjunto com o Campeonato de Portugal (oficial) − entre 1934/1935 e 1937/1938, uma competição denominada Campeonato da Liga, que o nosso Clube não ganharia alguma e que os rivais conquistaram três e uma, respectivamente. A partir de 1938/1939 começaram então a realizar-se duas competições, o Campeonato Nacional e a Taça de Portugal.

Da década de 30 até à de 90, nunca em vez alguma esta competição experimental foi contabilizada. E para aferir o que estou a dizer basta consultar jornais e revistas da época. Até que num golpe de magia, eis que tudo mudou. O que era experimental, e disputado em conjunto com a única prova que era oficial, começou a contar. E é isto que, junto de amigos, sempre combati. Muito mais do que se o nosso Clube tem 23 títulos nacionais, ou 19+4, que dá os mesmos 23. Isto é irrefutável. O Sporting ganhou a competição que atribui o título de campeão de futebol por 23 vezes. Dizer o contrário não é falar verdade. A história está escrita. Reescrever a mesma com falsidades quiçá movidas por interesses, é que não pode passar a ser verdade.

Outra verdade, e para isso basta consultar o site oficial da FPF, é que também na Supertaça duas edições foram de carácter oficioso até ser disputada de forma oficial, e foram igualmente ganhas por outros clubes e − incrível − também contabilizadas. Se, como dizia o meu falecido avô numa expressão portuguesa do antigamente, “só quero o que é meu”, o que é que eu quero.

Apenas que a verdade não seja mentira. Porque se foi sempre verdade durante 60 anos, o incrível é porque é que tudo mudou?

O Sporting CP conseguiu por 23 vezes o título máximo do futebol português. Contabilizem da forma que quiserem. Se sou mais de letras do que de números, contar 19+4 é de soma fácil. São mesmo 23!

Este rapaz escreve os textos sempre da mesma forma: uma efeméride e depois umas criquetices.

A NOSSA PAIXÃO TEM UM LUGAR

Por Juvenal Carvalho
14 Jul, 2022

OPINIÃO

Dizer que o Sporting Clube de Portugal é de todos nós, é uma verdade completamente irrefutável. E no nosso caso, porque unanimismos só pelo símbolo, e por mais que não concordemos uns com os outros em questões pontuais como, por exemplo, a gestão do Clube, seja ela desportiva ou outra, a verdade é só uma: unos e indivisíveis seremos seguramente mais fortes, seremos mesmo a roçar o imbatível, porque é sempre muito mais aquilo que nos une, do que aquilo que nos separa.

E se recentemente batemos o recorde de quotização, numa demonstração de vitalidade incrível, sabendo todos nós que o associativismo já viveu dias bem melhores no plano global, uma espécie de cereja no topo do bolo surgiu no passado domingo, quando o site oficial do Clube anunciou em comunicado que foi batido também o recorde de renovações de Gamebox. Foram 22308 os associados que já marcaram lugar no estádio para a próxima época só na fase de renovação. Desde o passado dia 11 que estão igualmente à venda os restantes 7692 lugares, e a expectativa é a de que a concretização desse objectivo seja uma realidade mais do que óbvia. Sob o mote ‘A tua paixão tem um lugar’, e este ano com a tão bem conseguida oferta da Gamebox Criança, foi sem dúvida a primeira grande conquista desta época. Os Sportinguistas estão focados no essencial, que é o apoio sem limites ao nosso grupo de trabalho que, sem fazer futurologia, está a ser preparado com método, rigor e sapiência. O mercado só fecha a 31 de Agosto, e nos dias de hoje não existem plantéis fechados, mas que podemos ter esperança num futuro risonho, parece ser uma realidade.

Mas como somos muito mais do que um clube de futebol, também para as modalidades existiu uma mudança de paradigma e surgiram preços com valores muito abaixo da época passada, na ordem dos 50 por cento. Vão ser comercializadas as Gamebox All In, a Gamebox Eclectic e a Gamebox Modalidades. Todas elas muito apelativas, e a hora e o mote é o de aderir em peso. Não existem motivos para que não respondamos positivamente a este desafio de fazer do ‘João Rocha’ uma muralha inexpugnável. Fazer dele um vulcão em erupção. Dizer aos rapazes de verde e branco que estamos ao lado deles, do andebol ao hóquei em patins, do basquetebol ao futsal, passando pelo voleibol. Nas provas nacionais e internacionais em todas elas.

Somos nós, honrando o lema dos fundadores, que com Esforço, Dedicação e Devoção, teremos que empurrar o nosso Clube para a Glória. Está, pois, nas nossas mãos. Se queremos um Clube competitivo e com plantéis pujantes, desde o futebol às modalidades, a hora é de dizer presente.

Porque somos da raça que não se vergará. Porque somos do Sporting Clube de Portugal.

JORNAL SPORTING JÁ DISPONÍVEL

Por Sporting CP
14 Jul, 2022

JORNAL SPORTING

​Edição n.º 3880 nas bancas e em formato digital

Já está disponível nas bancas e em formato digital o Jornal Sporting desta semana, que tem como destaque a frase ‘Arranque dos Leões’, em alusão ao início do estágio da equipa principal de futebol em Lagos, no Algarve, onde a turma de Rúben Amorim vai trabalhar até 20 de Julho.

Dentro da publicação, poderá encontrar uma entrevista exclusiva a Hidemasa Morita, um dos reforços do plantel principal para 2022/2023, bem como as primeiras declarações de Francisco Trincão, extremo que deixou o FC Barcelona rumo a Alvalade, como jogador verde e branco.

Ainda no futebol, mas de formação, espaço para a renovação de contrato do central Chico Lamba e a contratação do guardião georgiano Papuna Beruashvili, assim como o regresso ao trabalho por parte das equipas sub-23 – que conta com nova equipa técnica -, sub-19 e sub-17.

Nas modalidades, realce para as sete renovações de contrato na equipa masculina de voleibol e para os reforços do andebol, Patryk Walczak, e do basquetebol, Ricardo Monteiro, além das antevisões aos Campeonatos Mundiais de atletismo ao ar livre e também aos Jogos Mundiais.

A Lenda desta edição é Martinho de Oliveira.

“A VITALIDADE É DEMONSTRADA NÃO APENAS PELA PERSISTÊNCIA, MAS PELA CAPACIDADE DE COMEÇAR DE NOVO”

Por André Bernardo
14 Jul, 2022

OPINIÃO

Editorial da edição n.º 3880 do Jornal Sporting

A divisão do tempo terá sido uma das melhores invenções do homem. Ela permite que a partir de uma criação abstracta – décadas, anos, meses, semanas − consigamos ter impactos concretos psicológicos, e de acção, em termos daquilo que é a nossa capacidade de começar de novo. E, por isso, chega a uma determina altura do tempo em que decidimos parar, analisar o que podemos melhorar, o que devemos continuar a fazer e o que deveríamos começar a fazer.

Melhorar

Lançámos esta época a oferta da Gamebox Criança e há espaço de desenvolvimento na proposta de valor, de forma holística transversalmente ao universo Sporting, para conseguirmos tornar ainda mais apelativa a vinda e vivência das famílias em nossa casa.

Continuar a Fazer

Prosseguir o nosso modelo centrado nas pessoas , para o qual é fundamental a continuação da aposta em três vectores: formação de atletas e colaboradores, transformação digital e criação de valor da marca.

Vamos manter este investimento, continuar o projecto que está delineado e tentar acelerar algumas necessidades ainda evidentes, com o objectivo da modernização contínua da organização.

Manteremos também os nossos esforços e a determinação para conseguirmos uma melhoria progressiva do ecossistema do desporto.

Começar a Fazer

Seria do melhor interesse do Futebol que fosse introduzida a possibilidade de áudio nas comunicações entre árbitro e VAR.

O Sporting CP liderou um webinar sobre esta temática em Dezembro de 2020 com as altas referências do tema, e recentemente apresentou essa proposta, entre outras, à Liga, infelizmente recusadas.

Em súmula, e recorrendo a uma citação do famoso romancista norte americano F. Scott Fitzgerald , “A vitalidade é demonstrada não apenas pela persistência, mas pela capacidade de começar de novo ”.

Na edição de hoje do Jornal Sporting damos destaque ao arranque da nova época, “persistindo” no caminho trilhado desde início, mas também começando de novo.

Saudações Leoninas

image

A MEMÓRIA QUE PERDURA NO TEMPO

Por Juvenal Carvalho
21 Jul, 2022

OPINIÃO

Existem momentos em que, mesmo ultrapassadas as Primaveras da vida, as novas tecnologias permitem-nos voltar à meninice, fazendo-nos rebobinar as lembranças até aos tempos da compra dos cromos da bola na mercearia do Sr. António, no bairro onde cresci e onde viria a aprender com alguns Leões de antanho, o verdadeiro significado de amar o Sporting Clube de Portugal.

Foi o que aconteceu ainda recentemente, quando numa página de um grupo do Facebook a que pertenço e dedicada ao futebol, vi uma publicação a falar de João Laranjeira.

Não resisti a partilhar o post no meu mural a falar de um jogador que idolatrei, não só por ter envergado o símbolo do Leão rampante como por ter a particularidade de ser do meu bairro, e vieram-me as emoções e o tal rebobinar do tempo.

Além de vários amigos reais e virtuais que o comentaram, todos eles em tom elogioso para o antigo ‘capitão’, e uma eterna referência ‘Leonina’, apareceram ainda a interagir na minha publicação dois brilhantes jogadores desse tempo, e que jogaram com João Laranjeira no nosso Clube.

Falo de Fernando Tomé, um grande jogador e Senhor. Um homem adorável e com uma postura incrível. Que me ofereceu em tempos uma fotografia de Vítor Damas, um dos meus ídolos, e com quem me viria a cruzar no meu percurso de vida no Sporting CP. O Sr. Fernando Tomé, homem com uma vida ligada ao futebol como jogador e treinador, é daqueles que não deixam ninguém indiferente pela sua forma de estar. Um sadino com uma vida ligada ao ‘seu’ Vitória, mas que também transporta no coração muito pulsar do Leão.

Além de Fernando Tomé, que já seria motivo de satisfação bastante, eis que também Samuel Fraguito, homem de boa cepa, originário de Trás-os-Montes, e um jogador de capacidade tremenda, viria a interagir. Era mesmo o jogador que eu, muito criança, idolatrava. Uma classe ímpar. Meias invariavelmente em baixo, cabelo comprido ao vento, daqueles pés saía magia a todo o momento.

Vi Samuel Fraguito fazer verdadeiras obras de arte com uma técnica só ao alcance dos verdadeiros predestinados. Era o jogador que eu adorava, porque essa foi a primeira equipa que me recordo de ver no Sporting, a par dos citados, a que acrescento Hector Yazalde, o “Chirola” do meu encantamento de criança, o Vítor Damas, Manaca, Alhinho, Carlos Pereira, Marinho, Dinis, Nelson, entre outros.

Falar desta equipa, a primeira que consigo ter memória do nosso Clube, é algo que me fascina. Depois vieram outros… tantos outros. Quantos craques. Quanta história. Mas como no velho ditado, não há amor como o primeiro. E estes foram aqueles de que consigo ter a primeira memória.

Por isso, este momento no Facebook, com aqueles “monstros” do nosso Sporting fez-me rebobinar memórias. E que memórias. Ao Tomé e ao Fraguito o meu obrigado por me terem inspirado nesta coluna de opinião. Ao João Laranjeira, homem do meu bairro, a “minha” Bica, o meu grande apreço por ele.

A todos os outros desse tempo, de todos os tempos…de todas as modalidades, que bom é serem parte integrante de uma História fantástica.

PRÉ-ÉPOCA

Por Pedro Almeida Cabral
21 Jul, 2022

OPINIÃO

Há quem não goste dos tempos que antecedem a época, chamados habitualmente de pré-época. Parece sempre faltar algo quando os dias correm largos sem que haja uma equipa de verde e branco a competir num campo, num pavilhão, numa pista, numa piscina, onde quer que seja. É sempre a altura em que vários ilustres Sportinguistas, companheiros de venturas e desventuras Leoninas de anos, me mandam aquelas mensagens nervosas a dizer que já sentem falta de ir ao Estádio ou ao nosso Pavilhão. Respondo simpaticamente, mas confesso não partilhar tamanha ansiedade. Aliás, aprecio bastante este período de jogos amigáveis, rumores de partidas e chegadas e experimentações tácticas. É que a pré-época é a única altura em que podemos acompanhar de perto a estratégia de composição das equipas e perceber um pouco melhor o que vai na mente de treinadores e demais estrutura. E o que se pode retirar até agora da pré-época do Sporting Clube de Portugal?

Os resultados dizem sempre alguma coisa. Ainda não perdemos. E ganhámos o principal encontro, contra a AS Roma de José Mourinho. Por ser desafio de exigência assinalável, vale a pena ver como correu. Longe do fulgor da equipa de sonho que conquistou o scudetto italiano de 2001, os romanos não deixam nunca de ser um adversário de nível elevado. Amorim encarou o jogo de preparação como um jogo a sério: a equipa apresentada foi próxima da ideal e fez apenas três substituições. Do que se viu, temos Sporting CP! Jogámos com intensidade, boa capacidade física e de forma solidária (uma marca de água de Amorim). O habitual 3-4-3 de Amorim continua a carburar, mas parece estar em mutação para uma construção no meio-campo mais elaborada, fazendo recair especiais responsabilidades em Ugarte e Matheus Nunes. De resto, os reforços já demonstram integração. Trincão é um grande agitador dos últimos 30 metros, mostrando ser um desequilibrador nato. Franco Israel, embora sem grande trabalho, denota tranquilidade e qualidade nos pés (fundamental num guarda-redes moderno). E, por fim, Rochinha já se vai entendendo bem melhor nas combinações de ataque. Destaco ainda Pote, que está com uma frescura prometedora (já leva cinco golos na pré-epoca), e Edwards, a ameaçar ter um ano de grande explosão. Assenta bem a vitória por 3-2 perante uma AS Roma mais entretida com faltas e picardias, numa postura algo descabida para um jogo de pré-época.

O próximo teste será já no domingo, no Troféu Cinco Violinos, contra o Sevilha FC, quarto classificado da Liga espanhola. Sendo o tradicional jogo de apresentação aos Sócios, é uma oportunidade para regressar a casa e avaliar in loco os trabalhos de pré-época. Estou certo de que vamos confirmar que estamos no bom caminho para o exigente início de campeonato que teremos em Agosto.

À MULHER DE CÉSAR NÃO BASTA PARECER SÉRIA, TEM QUE SER MESMO SÉRIA

Por André Bernardo
21 Jul, 2022

OPINIÃO

Editorial da edição n.º 3881 do Jornal Sporting

Moais Sporting CP

No penúltimo editorial escrevi sobre a Ilha de Páscoa e referi os seus famosos Moais − estátuas gigantes de feições humanas com cerca de dez metros e oitenta toneladas de peso. Hoje volto ao tema, porém noutro âmbito, e sem mais revelar, desafiando todos os Sócios e adeptos Leoninos a verem os “Moais Sporting CP” que erigimos hoje à porta do Multidesportivo e da Loja Verde.

À mulher de César não basta parecer séria, tem que ser mesmo séria

Numa das minhas passadas experiências profissionais, num estudo de satisfação conduzido aos clientes da empresa onde trabalhava, no Brasil, concluiu-se que o segmento com maior nível de satisfação era de clientes que tinham tido reclamações. Mais satisfeitos do que aqueles que não tinham tido nenhuma.

O resultado, pouco óbvio, tinha uma razão de ser.

Após uma análise mais aprofundada, este segmento era composto especificamente por um grupo que tinha tido uma reclamação, mas cuja resolução tinha sido rápida e eficazmente resolvida pela empresa. A evidência revelava a conclusão de que as pessoas ficam mais satisfeitas quando sentem que existe reciprocidade e capacidade adequada de resposta em caso de necessidade.

É um pouco o inverso da citação popular sobre a mulher de César: não basta prometer que se é sério, é preciso, de facto, sê-lo (no sentido do contexto em causa). Isso é apreciado.

Recupero esta aprendizagem por uma situação que se passou esta semana no Sporting CP e que me deixa particularmente feliz. Um Sócio do Sporting CP com mobilidade reduzida fez um comentário na nossa página de Facebook, onde questionava o facto de não ser possível a venda de bilhetes online para espectadores com Mobilidade Reduzida (BIM).

O motivo da impossibilidade era procedimental. Por existirem várias tentativas de entradas indevidas neste acesso, a determinado momento no tempo, decidiu adoptar-se como medida preventiva a obrigatoriedade de compra do bilhete fisicamente, mediante apresentação do atestado de incapacidade. E assim ficou até à semana passada.

Rapidamente a equipa do Sporting CP analisou a situação, respondeu ao Sócio explicando a razão de ser e resolveu o problema. Adicionalmente, alterámos o processo para que seja possível a todos a compra online e que a confirmação seja feita à posteriori. Com foco na melhoria da experiência do Sócio.

De referir que o comentário acabou por ganhar inclusive escala viral o que demonstra também o lado positivo que as redes sociais podem ter, muitas vezes não destacado.

Ainda temos um caminho de melhoria pela frente, com várias situações identificadas, idealmente antecipando-as para que não cheguem a acontecer.

Voltando a César, mais precisamente a Roma, foi também com enorme satisfação que esta terça-feira os Leões derrotaram com todo o mérito desportivo os “gladiadores romanos”

Venha o Troféu Cinco Violinos.

Saudações Leoninas

JORNAL SPORTING JÁ DISPONÍVEL

Por Sporting CP
21 Jul, 2022

JORNAL SPORTING

​Edição n.º 3881 nas bancas e em formato digital

Já está disponível em versão papel e em formato digital, aqui, o Jornal Sporting desta semana. Nesta edição número 3881, o principal destaque vai para o Troféu Cinco Violinos, que será disputado no domingo frente ao Sevilla FC e que servirá de apresentação da equipa principal de futebol do Sporting Clube de Portugal para a próxima temporada.

Os comandados de Rúben Amorim estiveram a estagiar no Algarve e o Jornal Sporting acompanhou os trabalhos, trazendo por isso esta semana uma reportagem do trabalho de Rúben Ferreira, fisioterapeuta verde e branco, assim como uma entrevista ao reforço Rochinha, dada em solo algarvio à Sporting TV .

O mercado continua aberto e há novas caras no Clube, tanto no futebol como nas modalidades. A publicação Leonina diz-lhe quem são, assim como quem renovou a ligação ao Sporting CP.

Nesta edição, destaque ainda para uma entrevista a José Carlos Reis, director-técnico das modalidades, e para Tiago Santos, uma das maiores figuras do kickboxing verde e branco na actualidade.

A Lenda desta semana é Ana Plácido, mesatenista Leonina da década de 80 do século passado.

O CAMINHO FAZ-SE CAMINHANDO

Por Juvenal Carvalho
28 Jul, 2022

OPINIÃO

Sou dos que vejo as pré-épocas longe do resultado, mas sim como uma forma de serem afinadas estratégias físicas e técnicas, sendo que a próxima época vai ser não só longa, como todas as outras, mas sobretudo completamente atípica, em função da realização do Campeonato do Mundo de 2022, no Qatar e que, com a interrupção da prova entre Novembro e Janeiro será logo algo que, sendo obviamente para todos, inverte o rumo lógico da preparação de uma época desportiva, isto apenas como mera opinião do curioso que sou eu, que não me lembro de algo parecido ter acontecido.

Já vivi euforias de grandes resultados de pré-época, em que tudo parecia bem e a pergunta entre os mais optimistas era por quantos íamos ganhar, para que mal a bola rolasse a sério, depressa viria a depressão. Como já vivi o seu contrário, em que nos interrogávamos incrédulos do insucesso, para num ápice tudo mudar. É esta a beleza do jogo, e sobretudo da irracionalidade dos adeptos, que sem ela não teria, afinal, tanta graça
No que me diz respeito, e também sou irracional sobretudo quando o nosso Clube entra em equação, mas sou essencialmente dos que acreditam no trabalho sustentado e sinto neste momento que, sem fazer futurologia, o Sporting CP está no trilho certo no que toca ao futebol, bem como ao restante universo do clube, sabendo-se que a perfeição não existe.

Existe um Troféu de pré-época que gosto particularmente de ganhar, e esse, pelo simbolismo, é o ‘Cinco Violinos’. O mesmo acontece nas modalidades quando é disputado o Troféu Stromp. No passado domingo, quando o promissor jovem ganês Fatawu Issahaku falhou a grande penalidade que levou o Troféu para Sevilha fiquei triste, sobretudo porque os nossos mágicos ‘Cinco Violinos’, onde estivessem queriam muito esta vitória.
Mas também sei, repetindo-me, e sem que as desculpas façam parte do meu léxico, e até sou dos que primo pela exigência que a grandeza do nosso Clube me ensinou a ter, que os resultados não são neste momento nada determinantes, antes pelo contrário.

O trabalho de Rúben Amorim faz com que, e depois de duas épocas consecutivas em que conseguimos um título de campeão nacional, a que juntamos duas Taças da Liga e uma Supertaça, nos faça ter esperança no futuro imediato e não só. Além disso, ano após ano teremos que crescer desportiva e financeiramente com a presença na Liga dos Campeões a ser vital para esse efeito. Temos hoje jogadores de rivais a querer ingressar nas nossas equipas jovens porque acreditam no trabalho que está a ser feito na Academia Cristiano Ronaldo. Temos, portanto, que confiar no futuro. E o futuro passa pela aposta na formação, complementada com jogadores cuja montra da Champions nos pode trazer por apelativos que nos tornamos.

Até dia 7 de Agosto em Braga, quando abrem as hostilidades, temos cerca de duas semanas para afinar estratégias rumo ao sucesso que tanto desejamos. O #ondevaiumvãotodos terá que continuar a fazer escola. Nada se conquista sem aquela sorte que dá muito trabalho, parafraseando o eterno professor Mário Moniz Pereira.

O caminho faz-se caminhando, como propositadamente chamei para título desta coluna de opinião.

Nós acreditamos em vocês!

REFORÇOS NO ANDEBOL

Por Pedro Almeida Cabral
28 Jul, 2022

OPINIÃO

Da época passada do nosso andebol ficou, sobretudo, a saborosa e inesquecível conquista da Taça de Portugal contra o FC Porto. Ganhámos por 36-35 no final de dois prolongamentos, fazendo o treinador do FC Porto, o sueco Magnus Andersson, perder o primeiro troféu desde que está em Portugal. No campeonato, estivemos perto do primeiro lugar, com exibições muito convincentes perante o FC Porto, deixando a sensação de que, com um pouco mais de acerto, poderíamos recuperar o título de campeão, que nos foge desde 2018. É também por essa razão que os reforços para a nova época podem ser essenciais.

Chegaram quatro novos jogadores, com percurso assinalável e credenciais bastantes. De trás para a frente, temos o guarda-redes argentino Leo Maciel. Com mais de 1,90m, o experiente guardião vem de uma época no FC Barcelona em que se sagrou campeão espanhol e europeu. Internacional pela selecção sul americana, destacou-se no clube espanhol anterior, o Cuenca, onde jogou quatro épocas. Com a partida do esloveno Skok, espera-se que traga mais consistência à baliza Leonina e que proporcione crescimento ao nosso guarda-redes Manuel Gaspar, formado no Sporting CP. Outra contratação sonante é o pivô polaco Patryk Walczak, que ingressa no Sporting CP após dois anos de alto nível no clube macedónio RK Vardar. Com destreza a defender e a atacar, impõe-se facilmente no duelo a dois, melhorando substancialmente as soluções para esta posição no nosso sete. Tem tudo para ser uma das figuras do campeonato. O terceiro reforço é o ponta esquerda Étienne Mocquais. O francês, campeão mundial de sub-21 em 2015, vem dar concorrência ao outro ponta esquerda, o espanhol Josep Folqués. Dado que o jogo do Sporting CP tendeu a explorar pouco o lado esquerdo do ataque, espera-se uma melhoria de eficácia ofensiva. Por fim, fará também parte da nossa equipa o brasileiro Edy Silva, como terceiro pivô. Embora não apontando à titularidade, poderá fazer o seu caminho nos próximos anos.

Se falei dos jogadores novos, há também que contar com os reforços que já se encontram no plantel. Não é descabido dizer que Francisco Costa, de apenas 17 anos, e Martim Costa, de 19, após um ano no Sporting CP, poderão jogar e fazer jogar ainda mais. Aliás, foi visível a contínua subida de rendimento no Europeu sub-20, em que Portugal perdeu a final com a Espanha. Os irmãos Costa fizeram parte da equipa ideal do torneio e Francisco Costa foi mesmo o melhor marcador, com uns assombrosos 58 golos.

Agora é tempo de trabalho. Como sempre, o mês de Agosto é dedicado a estágio e a jogos de preparação. Competição a doer será logo em Setembro, em Serpa, com a final a quatro da Supertaça. Jogamos contra o CF Os Belenenses e, em caso de vitória, defrontamos na final o FC Porto ou o SL Benfica. Será o primeiro teste competitivo de uma equipa que tem muito para oferecer aos Sportinguistas na nova época.

JORNAL SPORTING JÁ DISPONÍVEL

Por Sporting CP
28 Jul, 2022

NOTÍCIAS

Edição n.º 3882 nas bancas e em formato digital

Já está disponível, em versão papel e em formato digital , o Jornal Sporting desta semana. A edição 3882 do semanário verde e branco tem como principal destaque a “trilogia Leonina”, com a apresentação do terceiro equipamento - exibido em formato gigante, através de totems, na zona do Multidesportivo - a completar a campanha ‘Heart of a Lioness’.

A história do regresso ao Estádio José Alvalade para o Troféu Cinco Violinos, diante do Sevilla FC, é contada no Jornal Sporting , assim como as mais recentes notícias da equipa principal feminina e do futebol de formação.

Nas modalidades, o Jornal Sporting entrevistou José Carlos Manaças, coordenador-técnico da formação e desenvolvimento. “Ter uma grande base de recrutamento é fundamental para a formação do Sporting CP”, garantiu.

As renovações do andebolista Carlos Ruesga e do futsalista Hugo Neves e a contratação de João Simões para o voleibol não foram esquecidas nesta edição, que assinala também o regresso ao trabalho para as equipas de andebol e hóquei em patins.

Por fim, destaque para a entrevsta a André Santos, atleta de kickboxing do Sporting CP que é o cabeça de cartaz da gala The Lion’s Crown, que vai ter lugar no Pavilhão João Rocha já este sábado. “Vou estar a viver um sonho por ser em nossa casa”, admitiu o Leão.

A Lenda desta semana é Mário Albuquerque, nome maior da história do basquetebol Sportinguista e português.

VENÇAM POR NÓS

Por Juvenal Carvalho
04 Ago, 2022

OPINIÃO

Terminada que está a preparação para a nova época, e afinadas que estão as estratégias para uma temporada que queremos de sucesso, eis que Rúben Amorim e os rapazes de verde e branco têm já no próximo domingo, e com a cidade de Braga como palco, o seu primeiro acto oficial, e naquele que será um início particularmente difícil, o mote só pode ser este: Ganhar, ou ganhar… respeitando sempre a grande valia do nosso opositor, porque é esta a génese do nosso Clube, e também porque se sente no ar um Sporting CP estruturado e capaz.

Não tenho mesmo dúvidas, sendo que não quero entrar na área da futurologia, que esta época foi bem preparada - pese o mercado só fechar no próximo dia 31 de Agosto e ainda estarem em equação possíveis entradas e saídas - e quando se trabalha com assertividade, e sobretudo com um secretismo de registar, o caminho para o êxito estará seguramente mais próximo.

Tendo como saídas relevantes até ao momento João Virgínia, Feddal, Palhinha e Sarabia, todas elas com cambiantes e razões diferentes, as mesmas foram colmatadas com entradas interessantes e todas elas para colmatar com ganho os abandonos. Para isso entraram o guarda-redes uruguaio Franco Israel (Juventus FC), o defesa-central neerlandês Jeremiah St. Juste (1. FSV Mainz 05), o médio japonês Morita (CD Santa Clara) e os avançados portugueses Rochinha (Vitória SC) e Francisco Trincão (FC Barcelona). Resta pois aguardar que a entrada seja de Leão e a saída igualmente de Leão e não de sendeiro, como diz aquele adágio popular.

Uma coisa tenho a mais profunda convicção, e esta é de que os nossos Associados e adeptos estarão ao lado deste grupo de trabalho, e que onde eles estiverem, será às suas cavalitas e cavalgando a onda verde que os acompanhará de norte a sul e ilhas, que os catapultará para o sucesso que todos queremos real.

Lutar pela conquista do Campeonato, da Taça de Portugal e da Taça da Liga, e fazer uma honrosa participação na Liga dos Campeões, é um objectivo não só possível, como será importante para continuarmos a ser vistos como cada vez mais consolidados no panorama do futebol português, e começarmos a ser mais respeitados além-fronteiras até porque, entre muitos outros, somos o clube que formou Paulo Futre, Luís Figo e Cristiano Ronaldo e isso é motivo bastante para aferir do alto prestígio do nosso Clube além-fronteiras.

Está então dado o mote. Agora resta aguardar que a bola role e com ela venha um Leão de juba alta pronto a dar alegrias a milhares e milhares de Leões espalhados um pouco por todo o Mundo. Provem que são capazes. Nós faremos o resto. Ao vosso lado até ao fim.

INDOMÁVEIS

Por Pedro Almeida Cabral
04 Ago, 2022

OPINIÃO

Foi neste último fim-de-semana que se realizaram os Campeonatos Nacionais de Clubes em atletismo. Já se sabe que os crónicos candidatos à vitória são o Sporting Clube de Portugal e o SL Benfica. Em femininos, há mais de um quarto de século que o domínio do Sporting CP é avassalador: desde 1995, apenas não vencemos em 2010. Este ano cumprimos a tradição, ao ganhar pela décima segunda vez consecutiva. Já em masculinos, ainda não foi desta que retomámos o nosso lugar, pois somos, de longe, o clube com mais títulos, 48 face aos 34 do SL Benfica. A verdade é que a história podia bem ter sido outra: só perdemos para o SL Benfica através do critério de desempate.

Em femininos, larga vitória Leonina. A diferença para o segundo lugar do pódio foi significativa. Fizemos 157 pontos, deixando bem para trás o Juventude Vidigalense, com 109. Algumas conquistas adivinhavam-se. É o caso de Auriol Dongmo com 18,65 metros no lançamento do peso, Evelise Veiga no salto em comprimento, com 6,22 metros, Patrícia Mamona com 14,04 metros no triplo salto ou de Vera Barbosa nos 400 metros barreiras, que fez 56’’87. Merecem igualmente destaque Olímpia Barbosa nos 100 metros barreiras com 13’’32 e Anabela Neto, com a melhor marca nacional do ano no salto em altura, 1,83 metros. Foram, no total, 14 triunfos que mantiveram a tradição da prova ser ganha pelo clube com mais histórico no atletismo português, o Sporting CP.

Já em masculinos, a competição foi emocionante e o desfecho esteve em aberto até ao fim. Tanto o Sporting CP como o SL Benfica fizeram os mesmos 147 pontos. No desempate, contaram as vitórias individuais, em que estávamos em desvantagem. Estivemos muito perto de sermos campeões. Menção para Andriy Protsenko, atleta ucraniano que, recentemente, fugiu do seu país devido à invasão russa e que saltou à altura de 2,15 metros, após os estrondosos 2,33 m que lhe valeram o bronze nos recentes Campeonatos do Mundo. João Coelho nos 400 metros, com 46’’86, e Rúben Amaral, nos 5000 metros, com 14’15’’01 marcaram os Campeonatos pelas suas vitórias no limite em corridas extremamente disputadas. Bastava algumas provas terem corrido um pouco melhor, como os 3000 metros ou o lançamento do disco, que teríamos feito a dupla conquista dos Campeonatos, que há muito nos escapa. No final, fica a sensação que já faltou muito mais para os indomáveis Leões tornarem a fazer o pleno no atletismo nacional.

JORNAL SPORTING JÁ DISPONÍVEL

Por Sporting CP
04 Ago, 2022

JORNAL SPORTING

​Edição n.º 3883 nas bancas e em formato digital

Já está disponível nas bancas e em formato digital o Jornal Sporting desta semana, que tem como destaque as vitórias de André Santos, que se sagrou Campeão Mundial em K1 66,8 kg, e da equipa feminina de atletismo, que venceu o Nacional de Clubes pela 12.ª vez consecutiva.

Dentro da publicação, poderá encontrar a crónica do último jogo de preparação da equipa principal de futebol na pré-época, contra os ingleses do Wolverhampton WFC, bem como a antevisão ao primeiro teste oficial de 2022/2023, agendado para domingo em casa do SC Braga.

Ainda no futebol, espaço para o duelo da equipa B contra o SCU Torreense, no qual os jovens Leões deram indicadores positivos, assim como para o estágio da equipa principal feminina no Algarve, que incluiu dois jogos particulares com os espanhóis Real Betis Balompié e Sevilla FC.

Não perca também a entrevista exclusiva a João Valente dos Santos, responsável pelo novo Centro de Optimização Desportiva das modalidades, assim como os primeiros dias do hóquei em patins e do basquetebol no regresso ao trabalho – este último com cinco reforços presentes.

A Lenda desta edição é Aníbal Paciência.