Eleições Legislativas 2015

Tópico para discutirmos e falarmos das nossas preferências para votar nas eleições que vão eleger o próximo Governo.

Sei que talvez seja um bocado cedo porque ainda não houve nenhum debate, mas acho que se mudarem de opinião ao verem os debates podem alterar as opções que escolheram.

Sondagem pré-eleições:


[b]

Sondagem pós-eleições:[/b]

Fiz 18 anos em Janeiro e como tal é a primeira vez que tenho direito a votar. É algo que sobre o qual tenho pensado bastante ultimamente e chego à conclusão de que se calhar vou votar mesmo em branco, mas como ainda não tenho uma decisão tomada acabei por votar na opção " Estou indeciso". Tenho as minhas preferências políticas, mas depois olho para os partidos e vejo-os como entidades totalmente descredibilizadas, enfim :inde:

Vou votar num partido de causas (meti PAN na votaçao) ou então em branco/nulo.

Votar num dos 4 partidos principais (coligação, PS, PCP, BE) é votar em mais do mesmo. Estou farto. A culpa é sempre do anterior governo, nunca é deles. Sempre o mesmo discurso, sempre as mesmas ações. Já chega.

Espero, sinceramente, que PS/PP/PS tenham que formar governo a 3 para governar. Pelo menos a desculpa do “a culpa e do anterior governo” acaba-se.

O Partido Democrático Republicano de Marinho Pinto tem-se revelado uma grande desilusão.

Vou tentar olhar para o Nós, Cidadãos! a ver de encontro alguma coisa diferente dos partidos do regime.

Pelo menos este ano não me posso queixar de falta de escolhas.

Eu sei em quem não vou votar, mas ainda não decidi em quem vou votar.

:arrow: É que é mesmo.

Ainda tenho que estudar os programas eleitorais dos partidos sem assentos parlamentares, se mesmo assim não me agradar nenhum, siga o branco.

Faz muita falta sangue novo no parlamento, gente séria com vontade de empurrar o país para a frente.
Basta de mentirosos e aldrabões do costume, de amiguinhos e tachinhos, de carreiras de juventudes políticas corruptas, de trocas de favores e interesses, de ser do contra só porque sim, de baixar as calças aos grandes grupos económicos nacionais e estrangeiros.

http://observador.pt/interativo/guia-eleitoral-2015/#/partidos/

Algo que pode ajudar muito a saber as ideias e projetos dos partidos :great:

Também sei em quem não vou votar, mas ainda não decidi em quem vou votar, garantidamente não voto em branco nem me abstenho.

Ainda falta algum tempo , vamos esperar pela rentrée .

Estou à espera do contributo que vão dar os pequenos partidos à campanha,
espero que não seja mais demagogia .

Muito provavelmente o meu voto irá para o Livre/Tempo de avançar. Já o foi para as europeias, e perante o programa eleitoral e a partilha do sentimento do “mais do mesmo”, julgo mesmo que a verdadeira aposta será por aqui.

Vou votar PCP, BE (defendem a saída do euro, crucial para o futuro do País) ou caso não me reveja na maioria dos seus pontos do programa eleitoral (ainda não li o do BE), nulo ou branco; é o partido que me dá mais garantias: é neutro e não empobrece propositadamente o País. Tanto o PAF como o PS irão continuar o seu caminho de venda lenta e deterioração das poucas valências que o País (ainda) possuí, quem votar nestes sob a bandeira do voto útil, incorre em erro por omissão na luta contra o estado de coisas. Talvez por lhes ser conveniente, talvez por acreditarem num sistema de castas da sociedade, talvez por eles próprios fazerem parte do sistema que desesperam proteger. Talvez por iniquidade do pensamento único e do politicamente correcto.

Dado que cada voto nosso vale no total da legislatura para os partidos 12.4€ proponho que se coloque uma caixa multibanco para quem usa cartões, ou uma máquina registadora para os que vivem de trocos, ao lado da urna de voto, com a indicação: Banco Alimentar contra a Fome dos Partidos.

Vou votar naquilo que se chama “voto útil”. Voto contra PS, voto contra Antonio Costa, logo vou votar PàF.

Não me agrada muito, mas é uma escolha que tenho de fazer.

Votei no estou indeciso. Embora concorde que deva haver alternativas a algumas políticas de austeridade, para mim está absolutamente fora de questão voltar a cometer os erros que se cometiam antes de a troika chegar ao país, senão é quase certo que a troika vai voltar.

P.S: Apesar de tudo, e conhecendo o povo português,o PS deve ganhar facilmente, resta saber se será com maioria absoluta ou não.

Como muitos disseram, não sei em quem eu vou votar, mas sei em quem não voto, e não será em nenhum dos partidos com assento parlamentar. Não voto no PDR, pois o Marinho Pinto é um demagogo - os argumentos que utilizou para justificar a sua saída do Parlamento Europeu, após uma semana, são uma vergonha. Então um jurista alega que não sabe quais os poderes de um órgão destes? Já seria grave o suficiente se fosse com outra pessoa, então um jurista que foi Bastonário da OA é gravíssimo.
O Livre parece-me ser um Bloco de Esquerda 2.0. A ideia de primárias para deputados até não é má, mas aparentemente houve “afinações” no círculo do Porto, onde o Ricardo Sá Fernandes é cabeça de lista. Além do mais, a Isabel do Carmo é cabeça de lista por Setúbal, e apesar de votar no círculo de Lisboa, não voto num partido que tem essa senhora nas listas.
Portanto, terei de ver os outros partidos.

Juro que não consigo entender as pessoas que votarão PSD/CDS nas próximas eleições, depois do que sofremos neste mandato. Não dá.
Em relação à minha intenção de voto, irei deslocar-me ao meu posto, garantidamente, e é bastante provável que vote no PAN.

Revelador o que aí têm sobre o PDR. E ainda aparecem nas sondagens a eleger um deputado ou dois… ::slight_smile:

[hr]

Quanto a mim, ainda não decidi como vou votar.

:arrow:
CDU

Estou indeciso entre o BE e o Livre.

De certeza absoluta que não voto. Não estou recenseado na embaixada portuguesa e também não iria gastar dinheiro para ir para Londres para votar… Mesmo que podesse fazê-lo na net não votava, nada do que vejo manifesta as mudanças que acho necessárias. Aliás por algum motivo votei uma única vez e no ano em que saí do país.

Estou curioso para saber se foristas fora de PT pretedem votar ou não.

Não votarei em nenhum dos partidos com assento parlamentar porque não me revejo neles. Enquadrando-me eu em ideais mais próximos de uma social-democracia clássica, vou olhando para o “Nós, cidadãos” com alguma curiosidade. Mas ainda não tenho uma decisão fechada e provavelmente só será tomada em Setembro.