[Eleições '13] O posicionamento da imprensa

Joel Neto, cronista de O Jogo, página 38 da edição de hoje, 14 de Fevereiro de 2013

“De todos os nomes que desfilaram nos media, o de Figo é o único com potencial, per si, para baralhar os dados do jogo eleitoral”

“Ou muito me engano, ou quase tudo o resto, se destituído de um apoio da banca (ou, então, de um superlativo golpe de marketing), vale pouco nas urnas. Entre os candidatos assumidos, Bruno de Carvalho é de longe o mais forte. E, entre os putativos adversários, só Godinho Lopes poderá refutá-lo. Basta ver a taxa de aprovação do presidente cessante junto dos adeptos, segundo o Termómetro publicado há dois dias por O Jogo, e juntar-lhe depois a tomada de posição conjunta dos núcleos contra o divisionismo supostamente fomentado por Eduardo Barroso”

“Rogério Alves sabe bem como está, neste momento, o status quo leonino. Assim como sabem os outros que apalparam o terreno e se puseram a milhas”

[hr]

Tirando o tiro ao lado com o Termómetro e os núcleos, acho que até é uma leitura bastante realista do que se está a passar

Surreal esse Pedro Santos Guerreiro.

Bota-abaixo e campanha a denegrir o BdC ‘for free’ no record. Nada de novo, portanto…

:clap: :clap:

José Manuel Delgado, director-adjunto de A Bola, na página 47 de A Bola hoje, 18 de Fevereiro de 2013

“Dos vários nomes que têm vindo à baila – uns mais credíveis que outros, como sempre – há um que merece destaque: Bruno de Carvalho dá a ideia que chega a eleições com mais certezas do que dúvidas e, embora, para já, não surjam tantos nomes sonantes a apoiá-lo como há dois anos (se calhar ainda vão aparecer…), a sensação que fica é a de que esteve dois anos a trabalhar na candidatura”

É impressão minha ou o Couceiro está com má imprensa, pelo menos por parte do Record?
Não tenho conta premium, mas os destaques são os seguintes:

Mar de rosas virou pesadelo para Couceiro EXPERIÊNCIA INGLÓRIA NO FC PORTO
Jesualdo foi um dos mestres de Couceiro CARREIRA COMO JOGADOR ACABOU ANTES DOS 30
Caso Carlos Manuel meteu nome de Couceiro na "lama" EXPERIÊNCIA EM 1998 NÃO CORREU BEM

As 3 notícias têm como autor Sandra Lucas Simões.

Se o Godinho nao tentar tudo para matar o Couceiro à nascença então nao conseguirá arranjar espaço para lutar com os outros dois.

Quem pode pôr a imagem da crónica do Pedro S. Guerreiro hoje? Está brilhante e vale mais pôr a imagem (não consigo) do que transcrever totalmente. Porque vale mesmo pelo seu todo

Bernardo Ribeiro, sub-director do Record, na página 2

"Desta vez não há nomes sonantes. Bruno de Carvalho parece favorito pelo resultado nas últimas eleições, enquanto José Couceiro ainda vai apresentar a identidade da sua candidatura. Severino terá de fazer magia para vencer. O leão vive dias muito difíceis

[hr]

Carlos Barbosa da Cruz, cronista de Record, na página 2

"São precisos 25 milhões de euros para cobrir o buraco de tesouraria até final da época e aparentemente há quem pense que é um dever dos bancos providenciá-lo. É por isso que todo este processo eleitoral, da forma como foi precipitado e na altura em que o foi, consubstancia um autêntico disparate, cujas consequências ainda estão para ser devidamente medidas. Aliás, receio bem que estas eleições não resolvam nada, antes compliquem o que já está difícil”

“O doutor José Maria Ricciardi é um grande sportinguista, a quem o clube muito deve, e não me parece justo estar a culpá-lo daquilo que são, claramente, as insuficiências alheias”

“No Sporting só há um fazedor de presidentes: os sócios”

Vítor Serpa, director de A Bola, na página 40

“A primeira constatação, em relação às listas que se propõem, é que a maioria dos habituais grandes barões leoninos não se quer envolver e não vai entrar na corrida. Não se sabe, ainda, se tentarão influenciar, durante a campanha eleitoral, que será longa, de um mês. A acontecer, a maior dificuldade dos candidatos será, mesmo, a de os convencer a não intercederem por cada um deles”

“Dizer-se, hoje em dia, que o candidato A tem o apoio do banco X ou que um candidato B tem com ele uma imagem de continuidade histórica é matar, à partida, essa candidatura. No actual momento, os sportinguistas estarão menos dispostos a ser racionais e bem mais inclinados a ser intuitivos e, por isso, mais propensos a discursos de ruptura com todo e qualquer passado recente”

“Provavelmente não será uma campanha limpa. Espera-se, pelo menos, que seja uma campanha honesta”

[hr]

Santos Neves, cronista de A Bola, na página 39

“A entrada de José Couceiro é que muita muda o horizonte eleitoral. Prestígio como sportinguista e… como profundo conhecedor do futebol. Ter na presidência alguém que tão bem conhece o dia-a-dia do futebol e há muito tem firmes opiniões sobre o que, nessa área, é fundamental refazer no Sporting implica, convenhamos, muitíssimo aliciante/radical mudança (presidente a saber mesmo de futebol, com evidente vocação, só conheço um em Portugal: Pinto da Costa).”

“Também evidente. José Couceiro tem fortes apoios. Sem eles, nomeadamente nos meios financeiros, não avançaria (aventureirismo é o oposto do seu perfil). Não menos importante, inclusive face à campanha eleitoral: Couceiro possui personalidade e lucidez para recusar ser o candidato da continuidade de uma certa linha, chamemos-lhe aristocrática, que tem liderado o Sporting. Várias vezes a contrariou e quererá ser independente, aceitando algum apoio, mas, pelo que se vai sabendo, não admitindo que lhe imponham nomes e seus cargos”

“Bruno de Carvalho terá, afinal, verdadeiro adversário. Prevejo renhido duelo. Ambos muito terão de pormenorizar programa e as formas de o concretizarem. Numa eleição tão, tão decisiva para o futuro do Sporting!”

:great:

Li há pouco no café. Um pouco diferente da linhas das últimas semanas e concordo com ele.

Já agora, completando…

Deste último o habitual.

Diz ele que o Sporting gastou mais do que devia, mas esquece-se de nomear quem gastou pelo Sporting mais do que devia. Nada de novo… AH, mas o Ricciardi é um grande sportinguista!

E mais um pormenor, mas numa notícia:

António Magalhães e João Lopes, director-adjunto e jornalista de Record, na notícia “O primeiro dia da nova vida de José Couceiro” da página 13

“Couceiro reforçará a ideia que encabeça uma candidatura de ruptura, formada por pessoas que vêm do terreno, contra a continuidade representada por Bruno de Carvalho, que volta a apostar em gestores e grandes figuras para formar as listas”

Além da estúpida noção daquilo que significa “continuidade”, é uma tiragem que merece toda a desconfiança, como todas aliás quando entre os que assinam estão responsáveis máximos do jornal. Subdirectores, directores-adjuntos…

Sabem quando dizem que o Record é do Sporting? Bernardo Ribeiro pode ser sportinguista, mas é António Magalhães a base dessa assunção, tendo em conta as ligações privilegiadas que sempre teve com os executivos leoninos.

Couceiro ruptura e Bruno de Carvalho continuidade?

:lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

Os jornais hoje em dia são meros murais usados por agências de comunicação e outros “fornecedores” de “notícias”.

Desta vez o BdC tem uma agência a trabalhar a sério (é o uqe parece até agora) pelo que está mais apetrechado para esta guerra.

O record desde há muito representa um perigo ENORME para o Sporting.

Cada um saberá dar a devida importância a esses jornaleiros…

Nestas alturas não são os jornais que decidem o que publicam, são as agências de comunicação.

Nestas alturas o candidato que tiver a melhor agência de comunicação ganha a guerra mediática.

Nem mais, nem menos.

e é impressão minha ou a imagem de aventureiro e vale e azevedo está a desvanecer-se um pouco para BdC e a de candidato da banca e continuidade a crescer em relação a Couceiro?