Ataque a jornal satírico francês faz 12 mortos

[size=12pt]Ataque a jornal satírico francês faz 12 mortos[/size]

Pelo menos 12 pessoas foram mortas durante um tiroteio nesta quarta-feira em Paris, nas instalações do jornal satírico francês Charlie Hebdo. Os autores do ataque estão em fuga e está em curso uma operação policial para os deter.

Entre as vítimas estão o director da publicação, Stephane Charbonnier, conhecido como Charb, e outros membros do grupo de fundadores, Georges Wolinski e Jean Cabut, que assinava como Cabu, segundo fontes policiais citadas pela imprensa local. A morte de dois agentes da polícia já tinha sido confirmada pela procuradoria da capital francesa.

Perto das 11h30 (10h30 em Lisboa) dois homens armados começaram a disparar no interior da sede do jornal satírico Charlie Hebdo, que em 2011 foi alvo de um outro ataque. Segundo uma fonte citada pela AFP terão sido dois homens “armados com uma kalachnikov e um lança rockets” a disparar perto de “50 tiros”, de acordo com algumas testemunhas.

Dois homens com a cara coberta entraram no edifício, localizado numa rua movimentada do centro de Paris, quando decorria a reunião semanal da equipa do jornal, descreveu o jornalista Benoit Bringer à rádio France Info. “Alguns minutos depois, ouvimos muitos tiros”, disse Bringer. Fontes policiais disseram à AFP que os atacantes gritavam em árabe “vingámos o profeta!” enquanto disparavam.

Os dois homens foram vistos em fuga e abandonaram o carro em que seguiam em Pantin, um subúrbio no nordeste de Paris, de acordo com a polícia. Ainda não são conhecidas as motivações por trás do ataque.

O Presidente francês, François Hollande, deslocou-se ao local do ataque, que qualificou como “um acto terrorista”, em declarações aos jornalistas. “Um acto de uma barbárie excepcional foi cometido hoje em Paris sobre jornalistas”, disse ainda Hollande, que confirmou o balanço de 11 mortos e quatro feridos graves. Um número que não é final, acrescentou - entretanto o balanço subiu para 12 mortos. “Vários atentados foram evitados” nos últimos tempos, acrescentou ainda o Presidente francês, sem entrar em mais pormenores.

Hollande convocou uma reunião de emergência no Palácio do Eliseu para a tarde desta quarta-feira e irá fazer uma comunicação ao país às 20 horas (19h em Lisboa). O nível de alerta de segurança Vigipirate foi elevado para o escalão máximo de “atentado terrorista” para toda a região parisiense. Segundo apurou o jornal Le Figaro, junto de fontes policiais, todas as redacções de órgãos de comunicação em Paris vão ter protecção policial extra.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/tiroteio-em-paris-faz-varias-vitimas-1681429

Que descansem em Paz.

Inacreditavel como isto ainda acontece no Sec. XXI na Europa. Muito triste este fanatismo religioso levar a estes extremos e á morte de inocentes.

PS: A Sra. Marine Le Pen chama-lhe um figo a este atentado.

Que descansem em Paz!

É realmente preocupante ver até que ponto a religião pode ser perigosa, quando mal interpretada. A maneira como existem pessoas capazes de tais atrocidades é coisa que me faz comichão.

Que descansem em Paz!

Urge que seja feita uma limpeza profunda na Europa. Este tipo de gente não é capaz de aceitar as diferenças culturais. Não sabem viver numa liberdade de expressão. São perigosamente fanáticos pela religião. Nem é fanatismo, já é algo patológico.

Que sejam todos recambiados para os países deles, e façam lá os tiroteios que quiserem. Chegou a hora de acabar com isto.

Paz às suas almas

Este mundo está … :frowning: :frowning:

Quando se reage com extremismo, é nisto que resulta. Um desfecho absolutamente trágico e lamentável. :frowning:

Não sei se existiu algum tipo de provocação, por vezes abusa-se nas publicações do género e naturalmente as pessoas podem sentir-se ofendidas, e estão no seu direito. Mas uma coisa é não gostar e reclamar/protestar, dentro dos limites democráticos, outra é entrar pela redação do jornal aos tiros… isso é absolutamente inaceitável. É dum fanatismo atroz.

Claro está que estamos na presença do tipo de gente que não se rege pelo bom senso, e que o seu fanatismo religioso é tal que pegam na mínima coisa para causar um massacre. :sick:

Tristeza. :’(

Os meus mais sinceros sentimentos para os familiares

Que os mortos deste horroroso ataque terrorista descansem em paz.

Infelizmente, este ataque é uma grande vitória para a Marine Le Pen. Começo a pensar que ela vai ser mesmo a próxima presidente de França.
Absolutamente inaceitável haver extremismos religiosos em pleno século XXI. Que os criminosos sejam punidos.

Infelizmente isto parece-me apenas o começo e quase de certeza assistiremos a muito pior.

O atentado não representa, como alguns já escreveram, a vitória de Marine Le Pen e dos seus postulados. De uma tragédia desta magnitude ninguém poderá sair vencedor, embora hajam vencidos: Logo à cabeça, a Europa e a Civilização Europeia, património nosso e só nosso (Europeu, Ocidental e Judaico-Cristão). Ou, melhor dizendo, uma certa concepção mírifica de Europa, a do democratismo, do igualitarismo e do multiculturalismo levados ao extremo - ao extremo, dizia eu, de cidadãos europeus serem abatidos como cães, no seu país, pelo grave delito de exercerem a sua profissão.
Onde é que a tolerância, decerto respeitável, começa e onde é que acaba? Quais os seus limites? Que mais será preciso ocorrer, até quando se continuará a esticar a corda, para que o nosso Continente se dê conta da impossibilidade de albergar no seu seio franjas de população cujos valores, a concepção do mundo, não se identificam minimamente com os da Civilização da qual somos herdeiros. Que os repudiam, mesmo! E fazem gala nisso, aproveitando-se precisamente dos dogmas instalados (os tais «ismos») para, em pleno coração de França, perpetrarem actos como os de hoje - tal como já haviam dado exemplo em Espanha, no Reino Unido, na Dinamarca.
No fundo, há um hospedeiro e um hóspede. O primeiro obriga-se, à viva força, a «adaptar-se» ao segundo (vulgo integrar), sob pena de lhe cair o Carmo e a Trindade (de xenófobo para baixo), e se levanta cabelo…ainda paga as favas.

Cada vez há-de ser pior…e não me refiro só a parte religiosa

o video do policia a ser executado é arrepiante… violencia gera mais violencia mas estes 3 mereciam o mesmo fim

Todos os extremismos e radicalismos são indesejáveis, sejam eles políticos, religiosos ou de outra natureza.

No entanto, também há que dizer que actualmente se perdeu o respeito por valores que até há uns 30/40 anos eram considerados inalienáveis.

Nunca tinha ouvido falar deste jornal satírico francês e fui lá ao site. Os tipos brincam com tudo e mais alguma coisa. Vi lá um desenho animado em que um cão diz para um gato que viu o rosto de Jesus numa poça de mijo…

Tudo bem que há que garantir a liberdade de imprensa e de expressão mas eu cá acho que a minha liberdade não pode ser absoluta e deve terminar quando pisa valores e ideias que são caras a outras pessoas.

Muitos chamam-lhe irreverência, eu cá chamo-lhe desrespeito.

Evidentemente que nada justifica estes ataques tresloucados a ceifarem vidas, muitas delas inocentes, de quem só estava a fazer o seu trabalho.

A história repete-se e eu temo que as coisas estejam a escalar para algo dificilmente controlável.

Ainda há quem diga que o mundo em que vivemos não está louco…

Apenas um dos cartoons desse jornal satirico que foi capa numa edicao em 2001 e por acaso desenhada por uma das pessoas assasinadas hoje…

:frowning:

Por trabalho viajei muitas vezes em Franca e folhei algumas vezes esses edicoes desse jornal de cartoons em pubs/cafes e era o equivalente a uma revista de comics que existia uns anos atras em Portugal que nao me lembro o nome e que o criador tinha o apelido de Vilhena se na confundo o nome.

Um atentado ignóbil ao melhor estilo dos fundamentalismos, que teimam em ameaçar as sociedades inclusivas e pluralistas.

Será talvez para ridicularizar aquelas notícias onde é encontrado uma semelhança com a cara de Jesus ou da imagem de Maria, numa mancha ou contornos em chão, paredes, nuvens, etc.

Pelo menos afrontam todos por igual.

[youtube=640,360]http://www.youtube.com/watch?v=ryYETmi9lNA[/youtube]

A propósito.

É basicamente o que disse no meu comentário. Nada justifica o que aconteceu, mas o facto é que neste tipo de publicações por vezes se passa dos limites e passamos de liberdade de expressão a desrespeito pelos outros. Naturalmente que é legitimo que as pessoas se indignem quando tal acontece, não é aceitável é que a reação seja invadir a redação do jornal aos tiros.

“Pelo menos afrontam todos por igual.”
O que não é algo bom. O ideal seria não afrontarem ninguém, e respeitarem a diversidade de opiniões.

Tudo isto, reafirmo, não retira nada da gravidade do que aconteceu, nem tão pouco justifica o massacre.