AG Sporting: O I-voting. Será viável?

Gostaria de abrir um tópico de reflexão sobre esta proposta da direção para reformular os modelos de assembleia. Será viável? Até que ponto poderá haver hipóteses de fraude nas votações? Será uma medida de 2 bicos, isto é atrai e incentiva a participação de sócios de longe mas tambem pode provocar desmobilização fisica as ditas reuniões, por parte da malta de lisboa e arredores, tirando importância as mesmas?

É viável usando uma empresa certificada de auditoria, como foi a universidade do Minho nas votações eletrónicas do tempo de Bruno de Carvalho. Em que além de um voto eletrónico certificado tinha um sistema redundante em que saia num ticket o voto em papel que se colocava em urna, para serem contabilizados à mão se existisse protestos dos resultados. com dúvidas de algum elemento das listas concorrentes. Como nunca houve, foram destruídos ao fim dos doas necessários para se tornar a votação concluída e definitiva.

Usando os serviços do Sporting como foi feito depois disso haverá sempre desconfiança. Ainda pior com este sistema de marcação de votos com ligação ao votante.

Existe outras formas mas sempre usando entidades auditoras certificadas e idóneas…

Se além do E-voto, por exemplo criassem mesas de votos em todas as capitais de distrito e alguns sítios no estrangeiro, deixava de haver desmobilização.

Não sou apologista de se votar em núcleos, primeiro porque muitos não têm condições e segundo porque seria difícil descentralizar as auditorias por todos os núcleos, e ao agilizar a votação perderíamos em fiabilidade dos votos.

Por essa razão sou ainda menos apologista de se votar no próprio computador, embora o aceitasse com um sistema de uso de certificados como o do cartão do cidadão, ou mesmo um certificado eletrónico do cartão de sócio , em que um leitor de cartões no nosso computador pudesse guardar os dados numa base de dados centrada NA SEDE com o voto assinado pelo certificado (registo), e em que esses resultados fossem auditados.

Duvido muito da autenticidade do voto. A não ser arranjem empresa credível e independente.

E acho que se aplicarem este sistema, deveriam colocar uma regra em que so votariam por este meio, sócios com morada a uma distância mínima de 5 - 10 km. Ja viram o que é sócios a 5 minutos do estádio e com preguiça irem la, sentam se no sofá e votam assim? Então ninguém la aparecia tirando velhos…

[center]


[/center]

Realço o servidor independente… [emoji57]
VÃO MAS É PRO caralho

Enviado do meu SNE-LX1 através do Tapatalk

Tecnologia para tornar o voto remoto seguro existe e é fácil de implementar:

  • Nos nucleus com um terminal seguro -> verificar estatuto de sócio manualmente, depois deixar votar
  • Nos nucleus com um terminal seguro -> usando o certificado do Cartão de Cidadão
  • Num PC com leitor de smartcard -> usando o certificado do Cartão de Cidadão
  • Emitir novo cartão de sócio com chip ou NFC e usar certificados (mais dispendioso)

Recorrer a 3 ou 4 núcleos pelo pais fora com uma sala decente, faz-se um live stream da AG e vota-se num terminal seguro. Diminui-se a distancia que teem de viajar e aumenta-se a participação.

Ha o potencial de fraude claro, mas com recurso a open-source e usando uma entidade com boa reputação (universidade, nada de privados) e possível ter confiança numa solução assim.

O problema é que nas mãos do RA, que não é de confiança, isto vai acabar por ser uma solução desenvolvida por qualquer empresa do grupo Cofina ou Apollo, e mais areia para os olhos dos associados.

Usar pins é algo que não é inteiramente seguro. Imagino os croquetes a usar os pins de todos os velhos que não votam ou que já morreram ::slight_smile:

Uma boa medida para facilitar não só a manipulação de votos como a de mentes. Aqueles que só ouvem a tv e vão lendo as gordas nos jornais não gostam de se dar ao trabalho de ir votar. E são esses os principais beneficiados com esta medida. Os activos vão ser abafados pelos passivos muito facilmente.

Boa medida, assim não precisam de ir buscar os velhos dos 20 votos a casa.

Parece-me uma excelente medida, desde que seja devidamente auditada e controlada. Pode ser uma excelente ferramenta ou um buraco gigante.

Ora lá está a razão para isto

Claro que é viável, desde que o sistema esteja em casa ou no escritório do Rogério Alves.

Vejam o estudo no Movimento Sou Sporting acerca do I-vote. Foi neste estudo que se baseou o “pensamento” da atual direcção para falar sobre este tema.
Podem ler em no site sousporting

Depois de toda a confusão com o Enfarta Soares e as listas de sócios obtidas ilegalmente, depois das votações que batem sempre no 71% (os rabolhos até se pelam) e com número de votantes recorde tanto no total como por minuto, ainda querem i-voting? Não admira que os croquettes vos comam de cebolada há décadas.

A questao é se o i-voting é fiavel.

A resposta é muito simples, depende e quem está a organizar.

O i-voting seguindo as regras pre-estabelecidas, é seguro, rápido, fiavel. tornaria a participacao global realmente possivel.

agora nao me venham com alteracoes estatutarias para permitir i-voting. isso ja esta consagrado nos estatutos

o que é realmente necessario é mudar o Regulamento da AG para evitar que o RA abuse dos estatutos.

Pegando em tudo o que disseste: qual seria a diferença? :thinking:

Que eles iam ter o argumento que deram a voz aos sócios quando não seria verdade.

o problema nao esta no metodo de voto
esta no processo organizativo das AGs e eleicoes
eu nao confiava nestes gajos para contarem ate 10 a minha frente.

o I-voting é seguro. desde que nao seja organizado por estes OS

1 Like

Eu acho que o I-voting é completamente surreal, o Sporting arrisca-se a multas avultadas por obrigar a fotocópia do cartão de cidadão para reconhecer as assinaturas em vez de as validar através da assinatura digital, e agora quer dar um passo maior que a perna e ter um sistema de voto eletrónico sem antes resolver os outros problemas mais urgentes? É uma palhaçada, tapar os olhos às pessoas…

Sobre os sistemas de voto eletrónico, a possível adulteração e abuso do sistema é idêntico à votação actual, pelo menos as pessoas não precisam de gastar dinheiro a ir votar, porque sem ter uma entidade independente e de confiança, presencial ou eletrónico vai dar ao mesmo, e é mais do que óbvio que no Sporting é tudo adulterado.

Sobre o I-Voting da Estónia, a maioria nem usa esse sistema, além de que aparentemente há pessoas que votam mais do uma vez, o que faz com o sistema deixe algo a desejar e é facilmente adulterado por quem gere o servidor (que no gráfico diz que é independente, mas quem sabe se é mesmo assim). Além disso não sei se o i-voting é um sistema livre de uso ou é preciso pagar ao governo da Estónia pelo uso do sistema…