Voleibol Masculino - Época 2020/2021

Plantel 2020/2021

Zonas 4: Bob (ex- KS Camprum Lubin, Polónia), Rojas ( Ex- Sporting de Espinho ), Renan e Vinhas (Ex- Vbc Weiz, Austria)
Centrais: Éder Levi ( ex- Parnu, Estónia) , Victor Hugo (ex- VV Guarulhos , Brasil) , Hélio Sanches e André Sousa (ex- CN Ginástica, Por)
Opostos: PV Silva ( ex- Hypo Tirol , Alemanha) e André Saliba ( Ex- Sporting das Caldas)
Distribuidores: Miguel Maia e Bruno Alves" Canhoto" (Ex- Omonia Nicósia, Chipre)
Líberos: Gil Meireles, João Fidalgo e Miguel Maia Sá (Ex- Sporting de Espinho )

Treinador Gersinho

Entradas : Zonas 4: Bob (ex- KS Camprum Lubin, Polónia), Rojas ( Ex- Sporting de Espinho ), e Vinhas (Ex- Vbc Weiz, Austria)
Opostos: PV Silva ( ex- Hypo Tirol , Alemanha) e André Saliba ( Ex- Sporting das Caldas)
Distribuidor: Bruno Alves" Canhoto" (Ex- Omonia Nicósia, Chipre)
Líbero: Miguel Maia Sá (Ex- Sporting de Espinho )
Centrais: Éder Levi ( ex- Parnu, Estónia) , Victor Hugo (ex- VV Guarulhos , Brasil) e André Sousa (ex- CN Ginástica, Por)

Saídas: André Brown, André Sapina, Angel Dennis, Francisco Pombeiro, Zé Pedro Monteiro, Lourenço Martins, Rodrigo Pernambuco, Thiago Sens, e Athos Costa

Cortar é a palavra de ordem.

Em 20/21 seremos o Sporting Clube do Brasil???

A mesma táctica do futebol feminino dos piolhosos.

O Sporting cortou o vínculo com Francisco Pombeiro, distribuidor de 23 anos que ainda tinha mais um ano de contrato com o clube de Alvalade, ao qual chegou na época passada após uma temporada na Fonte do Bastardo. Pombeiro, que também passou pelo SC Caldas, GC Vilacondense e Vitória de Guimarães está, apurou a A BOLA, na mira do Castêlo da Maia, um dos históricos da modalidade. À semelhança de Pombeiro, campeão nacional de voleibol de praia em 2017 e 2.º no ranking nacional o ano passado, José Pedro Monteiro, que também terá sido dispensado, o zona 4 Renan da Purificação e os líberos Gil Meireles e João Fidalgo eram os únicos do plantel de 2019/2020 que tinham contrato por mais uma temporada com o Sporting, cuja equipa sofrerá alterações. Já oficializadas algumas, como a saída do internacional Lourenço Martins, zona 4 que vai fazer estreia no estrangeiro, no campeonato francês, com as cores do Tourcoing, outras ainda por confirmar. De acordo com a imprensa turca, o também zona 4 brasileiro Thiago Sens estará de partida para o Afyon Belediye Yuntas. Reforços do conjunto leonino liderado por Gersinho Amorim são os também brasileiros Paulo Vítor, Bruno Alves, Robinson Dvoranen, Éder Rock e Vítor Hugo Pereira. Fonte: A BOLA

Thiago Sens na Turquia.
Z4 que representou o Sporting na última temporada irá prosseguir carreira no Afyon Belediye Yuntas da Turquia.

1 Like

Falhamos o Phelps … fica no Leixões …

Gostava de entender, em concreto, quais os objetivos nesta modalidade. Mas com transparência.

Para já, em termos de saídas, apenas lamento a do Lourenço.

Eu lamento tb as saídas do Thiago Sens e do Dennis (mesmo com 40 anos)

Modalidades


Voleibol

JÁ HÁ ACORDO COM MIGUEL MAIA

Capitão da equipa de voleibol do Sporting CP vai ficar no João Rocha, aceitando a redução salarial proposta pelo Clube. Exclusivo Leonino

Duarte Pereira da Silva

Texto

1 de Junho 2020, 16:27

Miguel Maia já tem um princípio de acordo com os leões para renovar pelo Clube de Alvalade. Ao que o Leonino apurou, o capitão da equipa de voleibol leonina vai mesmo renovar com o Sporting CP e só faltarão acertar pequenos detalhes. O antigo internacional português aceitou a redução salarial proposta pela Direção para continuar a envergar o leão rampante.

Tal como o Leonino havia noticiado em exclusivo (LER AQUI), a preferência do antigo internacional português sempre foi ficar nos leões. Embora Miguel Maia nunca tenha escondido o desejo de jogar com o filho, Guilherme Maia – que atua ao serviço da Associação Académica de Espinho, do segundo escalão do voleibol nacional –, o distribuidor pretende ainda jogar ao mais alto nível pelo menos este ano.

Maia, Fidalgo, Meireles e Renan deverão ser os únicos resistentes

Também de acordo com informação já avançada pelo Leonino no dia 11 de maio (LER AQUI), para lá de Miguel Maia, apenas Gil Meireles, João Fidalgo e Renan da Purificação deverão sobreviver à revolução no voleibol verde e branco.

Contas feitas, dos 14 elementos que compunham o plantel na temporada de 2019/2020, apenas quatro deverão resistir para a próxima época. Assim sendo, Zé Pedro Monteiro, Francisco Pombeiro, Athos Costa, André Brown, Hélio Sanches, Ángel Dennis, Rodrigo Pernambuco, Thiago Sens e André Sapina estão de saída dos leões. Recorde-se que a saída de Lourenço Martins há muito que já havia sido anunciado, tendo o português rumado ao Tourcoing, da Ligue A, em França.

Contingente brasileiro de chegada a Alvalade

De forma a colmatar todas estas saídas, o Sporting CP prepara-se para anunciar a contratação de um conjunto de jogadores brasileiros, a grande maioria com idade acima dos 30 anos e com bastante experiência. Todas estas mudanças no voleibol leonino terão sido um pedido expresso de Gersinho.


Voleibol

“NÃO VOU PRESCINDIR DE QUALQUER VERBA A QUE TENHA DIREITO”

Em declarações ao Record, José Pedro Monteiro, que agora está de saída da equipa de voleibol do Sporting CP, teceu duras críticas aos dirigentes leoninos

Duarte Pereira da Silva

Texto

2 de Junho 2020, 11:16

José Pedro Monteiro, que agora está de saída da equipa de voleibol do Sporting CP, concedeu uma entrevista ao Jornal Record na qual abordou a saída dos leões e deixou duras críticas aos dirigentes leoninos.

“A direção do Sporting CP achou que não era mais opção e mandou-me embora. Foi assim, liminarmente. Logicamente, esperava outro tratamento dos dirigentes. Tinha a minha vida toda planeada em Lisboa e tive de ‘correr’ para arranjar clube”, revelou o distribuidor português.

José Pedro Monteiro, que tinha mais um ano de contrato com o Sporting CP, revelou que não vai abdicar de qualquer verba a que tenha direito: “Optei por não falar mais com o Sporting CP, por isso entreguei o processo a um advogado. Não vou prescindir de qualquer verba a que tenha direito”.

O português confessa que abandona o Clube “triste com algumas pessoas”, mas com “memórias boas da instituição Sporting CP. É a instituição que levo no coração”. Relativamente a Gersinho, José Pedro Monteiro disse não ter nada a apontar ao treinador brasileiro: “Falei com ele (Gersinho) e disse-lhe que sempre fiz o meu trabalho e respeitei sempre as opções dele, saio com amizade por ele, não tenho nada a apontar-lhe”.

Quanto ao futuro da modalidade no Sporting CP, o voleibolista português deixou algumas questões no ar: “Cálculo, e sou eu a imaginar, que haverá cortes de orçamento, mas pelo que se vai sabendo quanto a contratações, seis ou sete estrangeiros, não sei que cortes são esses”.

Por fim, o distribuidor revelou que, enquanto envergou o leão rampante, sentiu que “a modalidade não era muito bem vista” e disse ainda que a mesma “deveria ter alguém mais competente a dirigir a secção”.

José Pedro Monteiro, que agora deve rumar ao Sporting de Espinho, chegou ao Sporting CP, em 2017, proveniente do Fonte do Bastardo. Desde então, realizou 101 jogos e conquistou um Campeonato Nacional.

Leonino

Estamos a passar uma imagem de incumpridores e isso vai trazer-nos problemas graves no futuro.

1 Like

com estes palhaços isso é a palavra d eordem , ainda não vi uma modalidade onde estes bandalhos não manchassem o bom nome do clube

1 Like

Um NÃO projeto.

Andamos a contratar por contratar. Ridículo

“AS PESSOAS PASSAM E A GRANDEZA DO SPORTING CP É INCALCULÁVEL”

José Pedro Monteiro foi recentemente afastado da equipa de voleibol do Sporting CP. Com um final abrupto, o distribuidor português esclareceu porque saía triste de Alvalade. Um exclusivo Leonino

Maria Pinto Jorge e Duarte Pereira da Silva

Texto

3 de Junho 2020, 15:53

Leonino (L): Representaste o Sporting CP mais de 100 vezes e, na temporada de regresso do voleibol, sagraste-te campeão nacional. Qual o balanço que fazes destes três anos de leão rampante ao peito?

José Pedro Monteiro (JPM): Quanto àquilo que é a Instituição, passei três anos fantásticos da minha vida. Passei grandes tempos de Sporting CP, sou Sporting CP, continuo a ser Sporting CP e para sempre continuarei a sê-lo. Antes demais, frisar isso, porque é muito importante. Saio algo amargo, não digo que não, mas o que importa aqui frisar é a Instituição, que essa verdadeiramente merece respeito. Passei três anos espetaculares, sem ter nada a apontar. Infelizmente, este último ano ocorreu isto, não é uma coisa que estivesse à espera, de todo, até porque a minha vida mudou um pouco, tive o meu filho, e não esperava esta surpresa do Sporting CP. Uma surpresa amarga. O que fica verdadeiramente é aquilo que é a Instituição Sporting CP, a grandeza do Clube. Não gostei da forma como fui tratado, mas realmente as pessoas passam e a grandeza do Sporting CP é incalculável.

L: Recentemente, disseste que saias “triste com algumas pessoas”. Quem são essas pessoas? Queres explicar o porquê?

JPM: Não vou clarificar qualquer tipo de nome. Referi, mais uma vez, que o Sporting CP deveria valorizar o tipo de tratamento com aqueles que são Sportinguistas, que lutaram pela camisola do Sporting CP e que todos os dias davam o melhor pelo Sporting CP. Ser Sportinguista não é apenas dizê-lo, é prová-lo dentro de campo, nas atitudes, dar exemplos dentro do balneário, tudo isso. Aí falo, não da Instituição, mas da parte que vivi, a falta de agradecimento que as pessoas têm para com os atletas. Não pedi para me levarem ao colo, porque não quero nada disso, como atleta sei como é o desporto. Quem me mandou embora, quem decidiu isso, foram três anos, também marquei um bocadinho daquela que é a história do Sporting CP a nível do voleibol, e fico chateado por nem um obrigado. Isso aí ê bom algo que já parte um pouco da educação, como se costuma dizer. Sigo o meu caminho e desejo as melhores felicidades ao Clube. Quero, sempre, frisar que sou Sporting CP, nasci Sporting CP e continuarei a ser Sporting CP.

L: Nessa mesma ocasião, referiste que, este ano, o “voleibol não era muito bem visto” em Alvalade e que “deveria ter alguém mais competente a dirigir a secção”. Podemos saber a quem te estavas em dirigir? E mais bem dirigido em que sentido?

JPM: Falei disso até numa forma de tratamento dos atletas. O estar mais presente, ter mais gente nos treinos, a acompanhar, porque na vida desportiva temos de saber exigir, mas também temos de estar presentes. Não é só a exigência. Quem gere tem de saber gerir, saber mandar, ouvir, perguntar, e tudo isto faz parte daquilo que deve ser o normal do dia a dia de alguém que está presente diariamente numa secção. Notava muito esse distanciamento entre a equipa e a direção, neste caso.

é assim o Sporting do Vatangas , bons jogadores e Sportinguistas são dispensados , vêm entulho zuca para o lugar deles

Se o Zé Pedro Monteiro tinha um ano de contrato não faz sentido dispensá-lo, ainda para mais a estratégia é de contenção de custos (claro contra senso).
Caso seja para ir buscar aquele distribuidor brasileiro já apontado a nós então são dois tiros no pés.

Paga-se indeminização e depois um salário a um brasileiro qualquer. Grande gestão.

Rascord a dizer q Angel Dennis vai para o espinho, estes grandes fdp estao a gozaŕ com os sportinguistas so pode

Os Brasileiros que vêm devem ser mesmo muito bons ! E ao mesmo tempo baratuxos …
Para lhes pagarmos menos do que o espinho vai pagar ao Dennis …
Esta opção devia no mínimo ter uma explicação da parte da direção … Até pode ter sido uma opção do Gersinho mas perante o rendimento do Dennis não faz sentido.
Opinião de quem está de fora: Dennis devia ficar e ter um concorrente para a posição para o poder fazer descansar …quando fomos campeões o Agamez “fez descansar” o Dennis e ele apareceu no fim para nos dar o título…

2 Likes