Universidade do Minho anula doutoramento por plágio.

[size=20pt]Universidade do Minho é a primeira do país a anular doutoramento por plágio[/size]

A Universidade do Minho (UM) anulou um doutoramento que tinha sido obtido no ano passado com base numa tese que plagiava parte do trabalho de um investigador brasileiro. A doutoranda era professora no Instituto Politécnico do Porto (IPP) e pediu a demissão na sequência da denúncia do caso. Esta é a primeira vez que uma universidade portuguesa anula um grau de doutor concedido por causa de um plágio.

A decisão do reitor da UM, António Cunha, tem por base o facto de a tese de doutoramento apresentada “não ser original” e, por isso, “não cumprir o regulamento de atribuição do grau de doutor” daquela universidade. A anulação do doutoramento tinha também sido aprovada, anteriormente, por unanimidade, pelo Conselho Científico da Escola de Engenharia. O veredicto da escola onde a tese foi apresentada teve por base um conjunto de pareceres pedidos a especialistas.

O doutoramento foi obtido em Dezembro do ano passado, tendo por base a tese Desenvolvimento Interactivo Multidimensional: Contributo para o Aumento da Competitividade das PME. O documento copiava parcialmente o trabalho Potencial Regional de Desenvolvimento de Redes Interorganizacionais, tese de doutoramento de Sérgio Masutti pela Universidade Federal de Santa Catarina, no Brasil, em 2005.

As semelhanças começam a encontrar-se logo no resumo das duas teses. “Nas últimas décadas, a revolução tecnológica propiciou mudanças radicais no processo produtivo, informativo e nas comunicações, forçando mudanças também radicais na economia e nas exigências dos mercados”, escreve o brasileiro. O trabalho apresentado na UM tem um início em que se percebem as adaptações ao português nacional: “Ao longo dos últimos anos, a revolução tecnológica proporcionou significativas mudanças nos processos produtivos, de informação e nas comunicações, as quais geraram consequentes alterações na economia e nas exigências dos mercados”.

Crime de fraude?

Esta é a primeira vez que um doutoramento é anulado em Portugal tendo por base uma situação de plágio. As consequências para a autora da tese podem, no entanto, não ficar por aqui, uma vez que os trabalhos de investigação são acompanhadas de um compromisso de honra que atesta que aquele é um trabalho original, pelo que o caso tem também que ser comunicado ao Ministério Público por poder configurar um crime de fraude.

A aluna em causa era, desde 2006, professora adjunta na Escola Superior de Estudos Industrias e de Gestão (ESEIG) do IPP, que funciona em Vila do Conde, tendo pedido a demissão daquela instituição duas semanas após as denúncias terem sido tornadas públicas. O PÚBLICO contactou o IPP para obter uma reacção ao caso, mas a presidente, Rosário Gambôa, encontrava-se ausente da instituição.

Este caso de plágio foi denunciado em Abril, com um conjunto de denúncias anónimas enviadas à UM e ao IPP, bem como a diversos órgãos de comunicação social. A universidade minhota abriu, de imediato, um procedimento interno de averiguação do sucedido. A morosidade do processo prendeu-se com a necessidade de realizar um conjunto de diligências prévias destinadas a aferir da veracidade das informações recebidas pela universidade, justifica a pró-reitora para a área jurídica, Cláudia Viana.

A pró-reitora não esclarece, no entanto, se a situação resultou também em algum tipo de consequências para os professores da instituição que fizeram a orientação científica da tese em causa. Viana garante também que a universidade “accionou um conjunto de mecanismos para evitar a repetição de situações como esta”. “Queremos garantir a qualidade e originalidade das teses que são apresentadas”, sublinha.


In O Público

Cheira-me que será a 1ª de muitas anulações, não só no Minho como no resto do país.

A cultura do facilitismo e o fácil acesso a informação do mundo inteiro dá azo a situações dessas.

O link para a notícia do Público sff, senão o teu post também é plágio. ;D

Não é plágio a partir do momento que faço referência a onde foi publicado. :stuck_out_tongue:

Mas cá cai

http://www.publico.pt/Educa%C3%A7%C3%A3o/universidade-do-minho-e-a-primeira-a-anular-doutoramento-por-plagio_1472839

O primeiro? Devem ser tantos plagiados e só agora é que anulam pela primeira vez um…

no meu ano foi plagiada uma tese de mestrado, mas so foi descoberto quando essa mesma tese ia ser apresentada no congresso da ordem dos medicos dentistas.

no entanto o grau de mestre nao lhe foi retirado, apesar de meu amigo, sempre achei que deviam ter-lhe retirado o grau

por isso aplaudo a decisao da UM

O que surpreende é não ter acontecido mais cedo.

Aquele resumo… É que nem disfarçou ^-^