Um pouco de história (3) de 1921 a 1938

Em 18 de Dezembro de 1921 Jorge Vieira e João Francisco Maia fazem parte da primeira Selecção Nacional que perde por 3-1 com a Espanha em Madrid.

Vieira que se tinha estreado na categoria de Honra do Sporting em 1914 com apenas 16 anos e que viria a ser o primeiro árbitro internacional português, torna-se numa grande figura do Sporting deste período, com um rico palmarés não só no Clube como na Selecção, onde conta 17 internacionalizações 15 das quais como Capitão, com destaque para a presença nos Jogos Olímpicos de 1928, onde também esteve outro jogador do Sporting, José Manuel Martins.

Mais tarde em 1981 Jorge Vieira na sua qualidade de sócio nº. 1 do Sporting, ostentaria o estandarte do Clube no desfile comemorativo dos 75 anos do Sporting, nesse mesmo ano seria condecorado pelo Estado Português com o Grau de Cavaleiro da Ordem do Infante D. Henrique. Vindo a falecer cinco anos depois com a bonita idade de 86 anos.

Em 1922 publica-se o primeiro Boletim do Sporting e é fundada a primeira filial em Tomar, seguindo-se pouco depois as de Faro e Luanda num movimento interminável que já vai na nº. 185.

Na temporada de 1921/22 disputa-se finalmente a primeira prova de índole nacional, são os chamados Campeonatos de Portugal que se jogariam até 37/38 e que inicialmente envolviam os Campeões das diversas Associações no sistema de eliminatórias.

A primeira edição cinge-se a Porto e Lisboa e assim o Sporting como Campeão da AFL dessa temporada defronta o FCP. Depois duma derrota por 2-1 na Constituição, o Sporting ganha por 2-0 em Lisboa, mas como na altura não contavam os golos disputa-se uma finalíssima no Campo do Bessa, que os portistas ganham por 3-1 após prolongamento.

Na temporada seguinte o Sporting revalida o título de Lisboa e no Campeonato de Portugal já com representantes de seis Associações, desforra-se do FCP que despacha nas meias-finais por 3-0, o mesmo resultado com que ganharia a final frente à Académica em Faro.

Na temporada de 1924/25 o Sporting volta a ser Campeão de Lisboa mas no Campeonato de Portugal depois de afastar o Santarém e o Olhanense, perde por 2-1 a final disputada em Viana do Castelo frente ao FCP.

A partir da temporada 26/27 os Campeonatos de Portugal seriam alargados a mais equipas mantendo o formato de eliminatórias.

Em 1927/28 o Sporting volta a ser Campeão de Lisboa mas perde a final do Campeonato de Portugal por 3-1 frente ao Carcavelinhos, pelo caminho ficou para a história a maior goleada desta prova, 18-0 ao Torres Novas.

Em 1928 durante uma deslocação ao Brasil a equipa de futebol é obrigada a recorrer ao equipamento que o Rugby tinha adoptado um ano antes, é a estreia das camisolas listadas que ficariam até hoje.

Em 1930 o Sporting adopta o seu terceiro emblema.

Em 1930-31 o Sporting é outra vez Campeão de Lisboa, mas só na temporada 32/33 consegue voltar à final do Campeonato de Portugal que perde por 3-1 com o Belenenses, para finalmente em 33/34 repetir o feito de 22/23 ganhando as duas provas principais, com a final do campeonato a terminar com uma vitória por 4-3 no prolongamento ante o Barreirense.

Este feito seria repetido nas temporadas de 35/36 e 37/38 com vitorias frente ao Belenenses 3-1 e para fechar com chave de ouro 2-1 ao Benfica.

Pelo meio mais duas finais perdidas e no balanço geral o Sporting lidera com os mesmos quatro títulos do FCP, mas dez presenças na final em dezassete edições, 73 jogos, 49 vitórias e 249 golos marcados.

Em 1934/35 dão-se os primeiros passos no sentido de se disputar uma prova de índole nacional no sistema de todos contra todos, é o chamado Campeonato da Liga que inicialmente conta apenas com oito participantes de quatro Associações, pelo que o Campeonato de Portugal continua a ser considerado como a prova principal. A competição tem quatro edições e o Sporting depois de um 2º lugar não consegue melhor do que três 3º lugares.

Ainda nesta altura o Sporting entre 33/34 e 38/39 é hexa-campeão de Lisboa atingindo a sua 13ª vitória nesta competição.

Em 1937 o Sporting arrenda o Stadium de Lisboa no Lumiar, e Fernando Peyroteo chega ao Clube, começava-se a desenhar o melhor período da rica história do Sporting, numa altura em que já era a maior potência do futebol nacional, mas em se viviam as primeiras dificuldades financeiras, quando o Clube já tinha mais de 5 mil sócios.

Mas o Sporting não era só futebol, em 1933 Alfredo Trindade ganha pela primeira vez a Volta a Portugal em Bicicleta para o Sporting, à qual se junta a vitória colectiva.
No atletismo o domínio era avassalador e já se ganhavam títulos em modalidades como Rugby, Tiro, Natação, Pólo Aquático, Ciclismo, Ginástica, Esgrima, Ténis e Hóquei em Patins.

Para este ecletismo muito contribuiu José Salazar Carreira, atleta notável com 18 títulos de Campeão de Portugal nas diversas especialidades da velocidade, introduziu o Rugby no Sporting, foi Presidente entre Fevereiro de 1925 e Março de 1927 e coordenador da Comissão que organizou as comemorações das Bodas de Prata do Clube em 1931.

de fazer inveja a muitos cluzecos que andam por aí…com argumentos no Guiness e afins…ORGULHOSAMENTE SPORTING SEMPRE !!!

  • uma vez bom trabalho to-mane. =D>

Tomane, permite-me adicionar um ponto:

Entre 1925 e 1927 o nosso presidente foi José Salazar Carreira. Um homem a que é devido uma grande parte do que é o nosso Sporting actualmente.

Por um lado, introduziu o Rugby, o Andebol e o Voleibol. Por outro lado, como atleta praticou 10 (!) modalidades. Deste modo, acho que o podemos caracterizar como o pai do ecletismo do nosso clube!

Pode ser visto como um Moniz Pereira da 1ª metade do século. Aliás, foi pela mão de Salazar Carreira, que Moniz Pereira se tornou Sportinguista e entrou no clube.

Entre 1925 e 1927 o nosso presidente foi José Salazar Carreira. Um homem a que é devido uma grande parte do que é o nosso Sporting actualmente.

Parece-me uma grande ofensa para o ex presidente do Sporting afirmar isso!!!

O Sporting de Salazar Carreira não tem nada a ver com o actual, salvo a camisola… e mesmo essa ainda não existia em 1927!

Tomane, permite-me adicionar um ponto:

Entre 1925 e 1927 o nosso presidente foi José Salazar Carreira. Um homem a que é devido uma grande parte do que é o nosso Sporting actualmente.

Por um lado, introduziu o Rugby, o Andebol e o Voleibol. Por outro lado, como atleta praticou 10 (!) modalidades. Deste modo, acho que o podemos caracterizar como o pai do ecletismo do nosso clube!

:oops: Efectivamente.
Já fiz a justificada edição ao texto e agradeço o reparo aproveitando para dizer que todas as ajudas são bem-vindas.

Uma coisa que eu ainda não entendi é porque é que o Sporting teve tantos Presidentes nesta altura.
Só neste período sobre o qual acabei de escrever, tivemos dez: Mário Pistacchini, António Nunes Soares Júnior, Júlio Barreiros Cardoso Araújo, Pedro Sanches Navarro, José Salazar Carreira, Joaquim Oliveira Duarte, Eduardo Mário Costa, Álvaro José de Sousa, Artur Silva e Álvaro Retamoza Dias

O 3º EMBLEMA

JORGE VIEIRA

CAMPEÕES DE LISBOA E DE PORTUGAL PELA 1ª VEZ 1922/23

Em baixo: Torres Pereira, Jaime Gonçalves, Francisco Stromp, João Francisco Maia e Carlos Fernandes;
No meio: José Leandro, Joaquim Ferreira e Henrique Portela;
Em cima: Filipe dos Santos, Cipriano dos Santos e Jorge Vieira.

JOSÉ SALAZAR CARREIRA

A EQUIPA de 33/34 CAMPEÕES DE PORTUGAL PELA 2ª VEZ e DE LISBOA PELA 8ª

Em baixo: Adolfo Mourão, Vasco Nunes, Manuel Soeiro Vasques, Manuel Martins (Reynolds) e Agostinho Cervantes.
Em cima: João Correia(Abelhinha), João Jurado, Rui Araújo, Jordão Joia, Joaquim Serrano e António Faustino

A EQUIPA de 35/36 CAMPEÕES DE PORTUGAL PELA 3ª VEZ e DE LISBOA PELA 10ª

Aplaudo esta tua inicativa =D> =D> =D>

Excelente trabalho :slight_smile:

Fiquei a conhecer muita “new stuff”:

A EQUIPA de 37/38 CAMPEÕES DE PORTUGAL PELA 4ª VEZ e DE LISBOA PELA 12ª

Em baixo: Adolfo Mourão, Manuel Soeiro Vasques, Fernando Peyroteo, Pedro Pireza e João Cruz.
Em cima: Szabo (treinador), João Azevedo, Rui Araújo, Anibal Paciência, Serrano, João Jurado e Manuel Marques.

ALFREDO TRINDADE

MANUEL SOEIRO VASQUES

Tio de um dos Violinos de cujo ingresso no Sporting foi o grande responsável, foi também um grande goleador, 12 vezes internacional com 5 golos, 3 vezes Campeão de Portugal, uma vez Campeão Nacional e Vencedor da Taça de Portugal, duas vezes o melhor marcador do Campeonato da Liga

CIPRIANO SANTOS

CAMPEÕES 27/28

Em baixo José Leandro, Serra e Moura, João Correia (Abelhinha) e José Correia.
Em cima: Cipriano Santos, Martinho Oliveira, Abrantes Mendes, Filipe dos Santos, Matias, Agostinho Cervantes, José
Manuel Martins e Jorge Vieira.

JOSEF SZABO

Técnico húngaro ainda hoje é o treinador com maior número de jogos disputados pelo Sporting e mais títulos conquistados