Um pouco de história (12) de 2000 a 2006

O Sporting já não ganhava o Campeonato há 18 anos mas não tinha perdido o jeito para estragar tudo após um título. Luís Duque apontado justamente como um dos grandes responsáveis pelo fim do longo jejum, deixou-se inebriar pelo sucesso, não resistindo ao apelo do poder e entrou em choque com José Roquete que se demite, subindo à Presidência o vice Dias da Cunha.

Dos 18 jogadores que tinham sido regularmente utilizados na época 99/2000, um terço sai para dar lugar a nomes sonantes como João Pinto finalmente de verde e branco, Sá Pinto, Paulo Bento, Dimas, Rodrigo Fabri, Phill Babb, e Horvath, que chegam misturados com outros jogadores de valor duvidoso, ao som de promessas duma equipa dominadora em Portugal e competitiva na Europa. No entanto depressa se percebeu que as coisas não seriam tão simples como isso.

Na LC o Sporting começa por empatar em Alvalade com o Real Madrid depois de ter estado a ganhar por 2-0, mas seguem-se quatro derrotas algumas por números expressivos, duas delas com o Spartak de Moscovo, e para fechar mais um empate em Alvalade agora com o Bayer Leverkusen. O Sporting termina em ultimo lugar no seu grupo.

No Campeonato os resultados também ficam aquém das expectativas, e uma derrota por 3-0 na Luz à 13º jornada, motiva o despedimento de Augusto Inácio que Luís Duque planeava substituir por José Mourinho, precisamente o treinador que tinha acabado de infligir esse resultado amargo no derby.

No entanto um grupo de adeptos revolta-se contra tal cenário, e Duque não tem coragem para enfrentá-los, recuando nas suas pretensões numa patética conferência de imprensa, e entre algumas hesitações é Fernando Mendes que assume novamente o comando da equipa, até que mais uma derrota, desta vez em Faro, motiva o regresso do histórico Manuel Fernandes a Alvalade, ainda a tempo de ganhar a 4ª Supertaça do Sporting, desforrando-se da derrota sofrida frente ao FCP nas Antas nas meias-finais da Taça de Portugal.
O Campeonato acaba com um decepcionante 3º lugar, apesar da equipa ter chegado a incomodar o surpreendente Boavista que ganharia esse título.

Depois de tamanho descalabro Luís Duque abdica, entrando Ribeiro Telles e José Eduardo Bettencourt para o comando do futebol. É chegado o momento de colocar os pés no chão e de travar a derrapagem das contas, o rigor passa a ser a palavra de ordem.

Schemeichel regressa a Inglaterra e o Sporting aposta definitivamente na formação, o que trás a Alvalade Lazlo Boloni um romeno que trabalhava em França há alguns anos e vinha apontado como o homem que seria capaz de rentabilizar a Academia de Alcochete, na altura quase pronta. Com ele chega o jovem avançado Marius Niculae e são contratados Luís Filipe e Rui Bento.

Na Taça UEFA o Sporting ultrapassa tranquilamente os modestos dinamarqueses do Midtjylland e os suecos do Halmstad, acabando eliminado pelo Milan.
O Campeonato começa com uma vitoria por 1-0 em Alvalade frente ao FCP com um golo de Niculae e a estreia prometedora do miúdo Ricardo Quaresma, mas seguem-se duas derrotas e começa a contestação, até que chega Jardel e a equipa arranca de forma categórica para a sua 6ª dobradinha, com o avançado brasileiro a contribuir com 55 golos para uma grande temporada, que terminaria numa enorme festa com o País novamente em êxtase, desta vez a cantar o “Só eu sei” que subiu aos Top’s Nacionais.

Mais uma vez depois duma boa época um temporal se abatia sobre Alvalade. Mário Jardel deixa-se envolver pelo seu empresário e sabe-se lá por quem mais, exigindo que o libertassem sem ter no entanto nenhum Clube disposto a pagar por ele o que o Sporting pedia. O braço de ferro dura vários meses até que Super-Mario regressa mas em estado lastimoso e com o balneário dividido e desagradado com a falta de firmeza de Boloni, que perante os maus resultados não hesita em recorrer àquele que tinha sido o seu salvador um ano antes, desta vez sem os efeitos desejados.

A época salda-se por um conjunto de maus resultados com a equipa a ser sucessivamente eliminada da LC pelo Inter de Milão na pré-eliminatória, pelo Partizan de Belgrado na 1ª eliminatória da Taça UEFA e da Taça de Portugal nos quartos de final em Alvalade frente ao Naval 1º Maio na altura na Liga de Honra.
No Campeonato acaba no 3º lugar, sobrando para a história a conquista da 5ª Supertaça com uma goleada de 5-1 frente ao Leixões. Boloni termina o seu contrato e regressa a França, não sem antes ter lançado a maior de todas as estrelas nascidas no viveiro de Alvalade, Cristiano Ronaldo.

Surpreendentemente a aposta que se segue é em Fernando Santos o “Engenheiro do Penta” do FCP, que estava quase esquecido na Grécia.
Em 6 de Agosto de 2003 é inaugurado o novo Estádio José Alvalade, o Sporting ganha por 3-1 ao Manchester United com Cristiano Ronaldo a arrasar os “bifes”, convencendo Sir Alex Ferguson a contratá-lo a troco de 15 milhões €, quando poucas semanas antes tinha sido Quaresma a partir para Barcelona. Eram os sinais da crise financeira, apesar das contratações de jogadores como Ricardo, Polga, Rochemback e Liedson.

Tal como o treinador a época foi pouco entusiasmante. O Sporting voltou a ser eliminado da Taça em Alvalade por um clube da Divisão de Honra, no caso o Vitoria de Setúbal, e ficou pelo caminho na Taça UEFA perante os modestos turcos do Gençlerbiriliji depois de ter afastado o Malmoe da Suécia. No campeonato chegou-se a sonhar, após uma série de 18 jogos sem perder, mas a ponta final foi desastrosa, ao ponto de se perder o 2º lugar e a qualificação para a pré-eliminatória da LC, misturando-se aqui algumas arbitragens polémicas com os erros do treinador, que se pagaram caro e lhe custaram o lugar.

É então a vez de José Peseiro ex adjunto de Queirós no Real Madrid, que muitos viam como uma nova versão e José Mourinho. A temporada é completamente atípica, a equipa tanto pratica um futebol extremamente agradável e despacha os seus adversários com goleadas, como dá baldas inacreditáveis e leva jogos inteiros sem conseguir fazer um golo a adversários modestos.
O próprio campeonato foi anormal com um vencedor patético alimentado por arbitragens vergonhosas, e o FCP a ter três treinadores. Assim apesar da irregularidade, o Sporting chega á penúltima jornada em 1º lugar, mas perde o título na Luz depois de um golo muito discutido, acabando por também deixar fugir o 2º lugar na última ronda em Alvalade, com outra arbitragem inacreditável.

A Taça de Portugal já tinha terminado nos quartos de final também num derby polémico que só acabou nos penaltis.
Sobrava a Final da Taça UEFA a disputar no Estádio José Alvalade frente ao CSKA Moscovo, depois duma brilhante campanha que deixou pelo caminho equipas como o Rapid Viena da Áustria, o Panionios da Grécia, o Dínamo de Tiblisi da Geórgia, o Feyenoord da Holanda, o Middlesbourgh e o Newcastle de Inglaterra e o AZ Alkamar da Holanda, mas a vitória sorriu aos russos para desespero dos quase 50 mil sportinguistas que enchiam o Estádio. Acabava mal aquela que ficaria conhecida como a temporada do “quase”.

José Peseiro iniciou a temporada de 05/06 com o peso das derrotas da época anterior e o rótulo de treinador perdedor e sem pulso, para além disso tinha agora a responsabilidade na reformulação do plantel, uma vez que Carlos Freitas um homem que tinha entrado em Alvalade com Luís Duque e subido a pulso até ao topo do Departamento de Futebol leonino, se tinha demitido sendo substituído por Paulo Andrade uma aposta surpreendente do Presidente em alguém sem qualquer experiência no futebol. As contratações foram um fiasco e nem mesmo o conceituado avançado brasileiro Deivid se impôs, sobrando apenas Tonel para a equipa principal, e consequentemente os resultados foram desastrosos.

O Sporting começa por ser eliminado da LC pelos Italianos da Udinese, para logo depois ser afastado da Taça UEFA pelos modestos suecos do Halmstad. No Campeonato sucedem-se as exibições patéticas e as derrotas, de tal forma que apenas a teimosia de Dias da Cunha segura Peseiro, até a situação se tornar insuportável. O Presidente demite-se e com ele saem Paulo Andrade e o treinador, mas a época já estava praticamente arruinada.

O vice Filipe Soares Franco sobe ao poder interinamente para preparar eleições. Carlos Freitas regressa, enquanto Paulo Bento o treinador dos juniores ascende à equipa principal com resultados positivos, apesar de nos momentos da verdade ter falhado, perdendo a Taça na meia-final das Antas novamente nos penaltis, e o Campeonato no jogo decisivo de Alvalade outra vez com o FCP.

Nas modalidades o Andebol volta ás vitórias nos Campeonatos de 2000/01, 04/05 e 05/06 perfazendo um total de 19 Campeonatos ganhos e o Futsal chega ao título nas temporadas de 2000/01 03/04 e 05/06 atingindo assim as 7 vitórias.

O Atletismo continua a dar cartas com Carlos Calado a ganhar as Medalhas de Bronze no Salto em Comprimento no Europeu de Pista Coberta de 2001 e no Mundial do mesmo ano e Francis Obikwelu a confirmar-se como uma grande figura na velocidade, batendo o Recorde da Europa dos 100m em 2004, depois de ganhar sucessivamente as medalhas de Prata dos 100 e 200m no Europeu de 2002 e nos 100m dos Jogos Olímpicos de 2004.
Rui Silva ganha nos 1500m as Medalhas de Ouro no Mundial de Pista Coberta de 2001 e no Europeu de Pista Coberta de 2002, as Medalhas de Bronze no Europeu de 2002 e nos Jogos Olímpicos de 2004, e ainda a Medalha de Prata nos 3000m no Mundial de Pista Coberta de 2004.
Naíde Gomes aparece também com grandes resultados, ao ganhar a Medalha de Prata no Pentatlo dos Europeus de Pista Coberta de 2002 e a Medalha de Ouro em 2004, e nova Medalha de Ouro desta feita no Cumprimento dos Europeus de Pista Coberta de 2005.

Entretanto Filipe Soares Franco entre avanços e recuos e pressionado por vários lados a dar continuidade à sua Presidência, resolve propor um novo “projecto” aos sócios, este assente na venda do património com cujo produto pretende sanear as contas do Clube afogado num passivo que acende a 270 milhões de Euros, no que é apoiado por quase todos os protagonistas do “Projecto Roquete” naquilo que terá de ser aceite como assunção do falhanço total do mesmo.

De facto a realidade demonstra que das três premissas iniciais apenas a da formação atingiu os objectivos traçados, com o plantel de 2006/07 a ter 10 jogadores da casa, fora aqueles que estão à espera emprestados a clubes menores e na linha de produção da Academia de Alcochete. De resto o Estádio não só não se pagou a si próprio, como foi um fonte de endividamento, e toda a envolvente comercial que o circundou foi um fracasso. A SAD foi acumulando prejuízos fruto das más politicas traçadas ao longo dos anos, que deixaram o Sporting amarrado a orçamentos apertados, e toda a estrutura empresarial montada à volta da Sociedade principal, em vez de contribuir para a sua viabilização, não foi mais do que um peso gerador de mais despesas e prejuízos.

A 1 de Junho de 2006 o Sporting Clube de Portugal completou um século de existência após um ano de intensa actividade comemorativa da feliz ocasião, mas não se pode dizer que o futuro do Clube seja garantidamente risonho.

PS-Um novo ciclo começou esta temporada com a esmagadora vitória de FSF nas eleições de Junho de 2006. O “Projecto Franco” avança, mas por agora ainda é cedo para se tirarem conclusões para além do óbvio empobrecimento patrimonial do Clube e duma crescente aposta na “prata da casa” com o respeito, pelo menos por enquanto, pela promessa de não vender os jogadores principais. Os resultados e o balanço final desta nova ordem ficam para mais tarde.

“Projecto Franco”? O que é isso, come-se? :?

"Projecto Franco"? O que é isso, come-se? :?

Nope! Mama-se com ele… :? :arrow:

"Projecto Franco"? O que é isso, come-se? :?

Nope! Mama-se com ele… :? :arrow:

Aqueles que nâo votaram nele, nâo! :stuck_out_tongue:

Aqueles que nâo votaram nele, nâo! :P

Não mama-mos com eles?

:shock:

Era uma ironia.

É que apesar de a frase ser “Votaram neles, agora mamem com eles!”, indiciando que os que não votaram neles podem não sentir que também mamam com eles, a verdade é que mamamos todos com eles até à laringe (desculpem a imagem gráfica).

(...) e da Taça de Portugal nos oitavos de final em Alvalade frente ao Naval 1º Maio na altura na Liga de Honra.

Tomanas, tenho ideia que esse jogo já foi nos quartos de final da competição.

De resto, deixo-te aqui os meus parabéns por esta compilação da história do nosso clube, útil sobretudo para os mais novos que aqui andam neste espaço. :slight_smile:

Confirmado e corrigido. Obrigado CL :wink:

Época 2001-2002. O nascimento do nick Jardax e das suas vibrações. :lol: :lol: :lol:

Excelente “biografia”, Tomané. Mas, pelo menos no que a este pedaço temporal diz respeito, corrige aí estes erros mais umas quantas faltas de ortografia e já podes publicar um livro. :wink:

[..] com o Spartak de Moscovo, e para fechar mais um empate em Alvalade agora com o Bayer Leverkus[b]EN[/b]. [..]
[..] [b]Schme[/b]ichel regressa a Inglaterra [..]
[..] convencendo Sir Alex Fergu[b]SON[/b] a contratá-lo [..]

Muito bom, obrigado por partilhares este teu trabalho, parabéns e saudações leoninas :smiley:

é neste periodo que acontece um dos maiores erros da história do Sporting, o impedimento da contratação do Mourinho por parte de um grupo de acéfalos sem qualquer visão de futuro. O que teria acontecido ao Sporting se o Mourinho estivesse lá 3/4 épocas? Não teria de certeza perdido a final da Uefa em casa.

é neste periodo que acontece um dos maiores erros da história do Sporting, o impedimento da contratação do Mourinho por parte de um grupo de acéfalos sem qualquer visão de futuro. O que teria acontecido ao Sporting se o Mourinho estivesse lá 3/4 épocas? Não teria de certeza perdido a final da Uefa em casa.

Quem foi o grupo? quem foi??

Não teria de certeza perdido a final da Uefa em casa.

Resta saber se teria lá chegado… :-k

Estas épocas foram caracterizadas pela defesa de dois títulos,cujo planeamento dessas mesmas épocas foram más(2000/2001 e 2002/2003).
No meio um título o de 2002,não sei mas se calhar um dos mais fáceis ao ponto de vermos os nossos rivais lutarem pelo terceiro lugar,além da Taça.
Em 2003/2004 segue-se uma equipa que ombreou com o fcp de Mourinho pelo título até Geovanni e Moreira com grandes defesas darem o segundo lugar aos lamps.
Em 204/2005 o “quase”,época essa em que alguém entra neste fórum

:smiley: ,e onde os 4a 1 ao Newcastle e os 0-2 com o Penafiel caracterizam a época leonina.
Em 2006,outro “quase”,não tão flagrante,onde se destacam as 10 vitórias seguidas e uma meia final da Taça no Dragão onde tivemos “azar”.

Notas:
Final da UEFA perdida em casa,sem dúvida um momento triste,derrota no galinheiro a dar o título aos lamps,também triste,mas fico tristíssimo ao lembrar a maneira como no despedimos do "velho"Alvalade,3-4 com o Vitória de Setúbal,onde Perestrelo(penso que era ele) recusou-se a gritar golo do Setúbal por respeito à nossa história,ainda tenho bem presente esse relato.

onde Perestrelo(penso que era ele) recusou-se a gritar golo do Setúbal por respeito à nossa história,ainda tenho bem presente esse relato.
Alguém que tenha isto gravado e possa partilhar connosco? :wink:
é neste periodo que acontece um dos maiores erros da história do Sporting, o impedimento da contratação do Mourinho por parte de um grupo de acéfalos sem qualquer visão de futuro. O que teria acontecido ao Sporting se o Mourinho estivesse lá 3/4 épocas? Não teria de certeza perdido a final da Uefa em casa.

Quem foi o grupo? quem foi??

Segundo soube, foi a Juventude Leonina, sobretudo depois de Mourinho alegadamente os ter insultado no dérby na Luz onde fomos copiosamente derrotados por três batatas sem resposta.

Acho que também se pode, dentro deste período, falar do Balneário “5aSec”, ou seja, ambiente de balneário impecável de Augusto Inácio, e do “Futebol Sexy” praticado pela equipa dirigida por Peseiro, isto para incluir expressões populares faladas nas respectivas alturas e que eram representativas dos bons momentos que se viveram. :slight_smile:

MANUEL FERNANDES FESTEJA A SUA SEGUNDA SUPERTAÇA AGORA COMO TREINADOR

CAMPEÕES 2001/02

Em baixo: Rui Bento, Horvath, Sá Pinto, João Pinto e César Prates.
Em cima: Nelson, Niculae, André Cruz, Dimas, Beto e Paulo Bento