Tópico sobre História Universal e Arqueologia

Bem para não continuar com off topico do tópico dos livros. Aqui fica um cantinho para quem gosta de História ou Arqueologia (que ajuda a escrever a reescrever a História).

Bem o primeiro artigo que gostava de discutir foi a busca que fiz sobre um livro uma teoria dos Portugueses terem descoberto a Austrália.

Encontrei um livro na net que se chama mesmo:“Os Portugueses descobriram a Austrália?”. Descobri que foi apresentado no Você na TV na TVI e vi a repetição mas não falaram da teoria e falaram dos descobrimentos Portugueses em geral e na hipótese será um livro que abrangerá esse tema mas não tanto como o título pode indicar.

E agora para um bocado de Arqueologia mas sem desviar do tema Descobrimentos à quase 1 século o investigador Edmund Delabarre descobriu que na Pedra de Dighton no Rio Hudson, Nova Iorque estavam inscritas gravações que poderiam ser do navegador Miguel Corte Real com o seu nome com o ano de 1511 e uma cruz de Belém que muito provavelmente fora à procura do seu irmão Gaspar.

A primeira vez que ouvi dizer que os tugas tinham “descoberto” a Austrália foi lá para 2001 - precisamente na Austrália, estava lá numa conferência, e um australiano deu uma palestra sobre isso, com os dados todos que tinham à altura. Disse que basicamente a única coisa que faltava era vestígios de algum barco português!

Eu comentei no fim “Bem, eu sou português, e é possível que nós tenhamos descoberto a Austrália, mas ninguém em Portugal alguma vez ouviu falar disso!”

ps. Já agora, a única coisa que os portugueses descobriram foi a Madeira, os Açores, as Ilhas Selvagens, o resto já lá tinha gente a viver! :mrgreen:

E mesmo estes estão hoje em dia a ser colocados em causa como primeiros, mas ainda deve levar uns tempos para termos conclusões mais definitivas.

Para quem estiver interessado em património português fora de Portugal aconselho vivamente darem uma vista de olhos neste site http://www.hpip.org/def/pt/Homepage. Nas de um protocolo entre a Fundação Gulbenkian e 3 universidades portuguesas e tem coisas que nem se imagina, muito bom.

Essa da pedra do rio Hudson acredito!
Mas chegamos lá muito antes de 1500!
Assim como acredito que desceram a costa e já sabiam do territórios na america do sul.
Explica a historia do Tratado de Tordesilhas

E mais alem da Australia!
Há uma teoria que defende que chegamos à Antartida!
Há um relato de uns pássaros gigantes que pensam ser uma referencia a pinguins!

Notícia de arqueologia no Brasil relacionada connosco.

[size=20pt][b] Arqueólogos acham tesouros do Império nas obras do metrô Em escavações na Leopoldina, 200 mil objetos, alguns do século XVII. Entre os achados, está uma escova de dente que pode ter sido de Pedro II.[/b][/size]

Um tesouro arqueológico foi achado nas escavações de um terreno, no Centro do Rio, nas obras do metrô. Entre peças inteiras e alguns fragmentos, são mais de 200 mil objetos, alguns do século XVII, informou o consórcio da Linha 4 do metrô do Rio. Os arqueólogos descobriram porcelanas e recipientes de vidro, alguns ainda com líquidos dentro, itens de higiene pessoal e até joias de ouro. Na época, não existia coleta de lixo e muitos objetos eram enterrados nos quintais das casas.

A quantidade e qualidade do material encontrado são impressionantes”, afirmou Cláudio Prado de Mello, arqueólogo responsável pelo trabalho de pesquisa no local.

Esse tesouro todo estava na área da Leopoldina, nas obras da Linha 4 do metrô (Barra da Tijuca – Ipanema)

Alguns objetos, segundo os arqueólogos, pertenceram à Família Real portuguesa, como uma escova de dente bem acabada que traz a inscrição com o nome do imperador. Na escova de marfim está a inscrição em francês: “S M L’EMPEREUR DU BRESIL” (Sua majestade, o imperador do Brasil). Segundo o arqueólogo, ela pode ter pertencido a Dom Pedro II ou outro membro da Família Real portuguesa, que vivia ali perto, em São Cristóvão.

Além da inscrição, a tese é reforçada não só pela proximidade da região com o Palácio da Quinta da Boa Vista, mas também pelo fato de a história mostrar que a região da atual Leopoldina servia como local de descarte de resíduos provenientes do Palácio Imperial. Há ainda canecas com o brasão da família real, frascos de perfume e joias dos nobres da época do Império.

“Entre 50 centímetros e 2,5 metros da superfície encontramos peças de louça, vidro, porcelana, couro e até ouro. Com este trabalho, iniciado em março, é possível reconstituir o passado de toda essa região”, diz Cláudio.

Outros mostram curiosidades, como um vidro de desodorante, que na época era chamado de “anti-catinga”, nome que aparece gravado no frasco. Os itens encontrados serão analisados e catalogados.

“A gente até tinha a ideia de encontrar um sítio arqueológico, só que ninguém imaginava que ia encontrar um sítio com essa complexidade e riqueza. E que poderia permitir reconstituir e resgatar o passado de gerações e gerações de brasileiros e estrangeiros a partir do que eles deixaram como resíduo”, disse o arqueólogo.

As peças foram encontradas no terreno da Avenida Francisco Bicalho, ao lado da antiga estação de trens da Leopoldina, onde foi instalada a fábrica de anéis de concreto que serão utilizadas pelo Tatuzão, equipamento que vai escavar os túneis da Linha 4 do Metrô entre Ipanema e Gávea. O Consórcio Linha 4 Sul informou que a equipe de arqueologia acompanha a execução das obras da Linha 4 para o caso de aparecer algum material durante as escavações. No entanto, na Leopoldina o serviço foi intensificado, pois já se tinha notícia da existência do sítio arqueológico.

In:http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/09/arqueologos-acham-tesouros-do-imperio-nas-obras-do-metro.html

Tenho muito pouco conhecimento sobre estes temas, apenas coisas que fui vendo nas aulas e procurando na wikipedia.
Já tinha lido isso de termos descoberto a Austrália, existe inclusive um mapa desenhado por portugueses com a Austrália lá desenhada, mas que como não estava bem montado só se descobriu que era a Austrália muito recentemente.

Quanto a isto dos papagaios gigantes também já li por aí.

Estava a pensar que não ia contribuir muito para este tópico mas depois lembrei-me de uma das coisas que acho mais interessantes no que toca a documentos históricos. Sempre achei quase impossível apercebermo-nos da verdadeira dimensão de alguns acontecimentos históricos quando as nossas únicas fontes são textos, objectos, ou imagens extremamente datadas. Por isso apaixonei-me pela fotografia histórica colorida à posteriori quando a descobri pela primeira vez. Dá-nos uma perspectiva completamente diferente sobre os acontecimentos, torna tudo mais real, mais próximo, mais verdadeiro.

Ficam exemplos e links retirados de um subreddit dedicado à colorização de fotografias a preto e branco.
Alternativamente também podem procurar os trabalhos de Prokudin-Gorsky e da equipa do Albert Kahn, pioneiros da fotografia a cores nas primeiras décadas do século XX.

Mulher francesa é castigada pelos seus compatriotas por alegadamente colaborar com os nazis - consta que se prostituiu para eles - após a libertação da localidade de Montelimar em 1944.

Desastre do zeppelin Hindenburg que pegou fogo ao levantar vôo em Lakehurst, New Jersey em 1937.

Um menino agarrado a um elefante de peluche chega às ruínas da sua casa em Londres em 1945. Momentos antes tinha estado a brincar na vizinhança quando começou um bombardeamento com mísseis V-2 que destruiu a sua casa com a sua família lá dentro.

Pelé, com 17 anos, a passear pelas ruas de Estocolmo com o seu colega santista, Zito, antes do início do Mundial de 1958.

Nikola Tesla em 1893.

Charlie Chaplin com 27 anos.

Audrey Hepburn

Walt Whitman em 1887.

Uma dos meus maiores interesses em história foi o tempo da Alemanha Nazi. Todo o conflito interessou-me, não fosse um Judeu que não esquece o porquê da vinda do meu avô para Portugal em 1938.

Principalmente questiono-me o porquê do Hitler dizer-se cristão ou cristão positivo. Para quem não sabe Jesus Cristo nunca criou uma religião, é a figura central, mas nunca fundou efetivamente nada, tentou sim reformular o Judaísmo. Ou seja no fim de tudo Adolf Hitler acreditava num… Judeu. :rotfl:

Por acaso li uma coisa sobre isso, mas as pessoas próximas dele diziam que este odiava o Cristianismo.

Jesus Cristo foi o que hoje em dia, nós chamamos de charlatão. Pegou numa ideia e tentou convencer o mundo a seguir a sua ideologia, coisa essa depois pegada pelos Romanos e transformada no que hoje se diz, o Cristianismo.

Sobre o Hitler, já ouvi dizer também que ele próprio era Judeu e que usou essa sua “desculpa” de imperfeição para tentar criar um mundo perfeito segundo os seus ideais.

Sobre a Austrália, não será novidade nenhuma se tivesse-mos lá chegado visto que fomos até Timor mas é sempre bom que se confirme. :great:

:question:

Primeira vez que vejo tal definição de charlatão… e não podia discordar mais.

Discordo! Quem fez isso foram os romanos que mais tarde formaram a igreja católica.
Jesus era um defensor dos direitos humanos e igualdade entre todos.
Essa é ideia que deve passar, da ajuda ao próximo!
A igreja é que se serviu dele para o controle de massas!

Já nem entro na figura de Jesus Cristo, mas a definição dada que um charlatão é alguém que tem uma ideologia e a mostra ao mundo faz de Gandhi, Luther King e muitos outros o mesmo.

O que Cristo foi na sua altura um doido, um rebelde que andava com leprosos e falava de loucuras como igualdade entre homens.

Não concordo com charlatão porque é alguem que procura enganar outra pessoa em proveito próprio, não vejo isso em Jesus.
Charlatões são aqueles tipos das igrejas brasileiras que se servem da fé das pessoas para lhes ficar com o dinheiro!
E há muitos na igreja católica também!
Esses que falas tambem cometeram “locuras” no seu tempo.

Também não concordo, queria era frisar que o conceito dado de charlatão torna quase todo o mundo em um charlatão pois todos temos ideologias e todos argumentamos por elas. O termo é inapropriado, mas a definição dada completamente desfasada da realidade.

Joãommx não conhecia esse site, desde já te agradeço :great:

E aproveitando-o coloco algumas imagens que achei interessantes

Buffalo Bill em 1889

Winston Churchill em 1941

Arqueiros japoneses em 1860

Albert Einstein a rir

Miss America de 1924

Malcom X e Muhammad Ali em 1963 New York

Se gostaste dessa também deves gostar das fotografias do Prokudin-Gorsky e do Albert Kahn.

Emir de Bucara (no actual Uzbequistão), 1911. Por Prokudin-Gorsky.

Retroseiro em Samarcanda, 1911. Por Prokudin-Gorsky.

Tonkin, Norte do Vietname. Por Albert Kahn.

Oásis na Argélia. Por Albert Kahn.

Tópico muito interessante adoro história

Gostei muito, tenho grande interesse pela Ásia.

Imagens de património português fora de Portugal (outro tema que adoro)

Forte do século XVI em Malacca

Estação central dos caminho de ferro de Maputo inaugurada em 1907

Fortaleza de Ormuz no Irão do século XVI

E essa figura que vocês conhecem é baseada em que? Em documentos revelados pela próprio igreja e não por serem revelados ao público. A que pensar das duas formas e ver o que realmente se passou.