Sismos

Queria saber o quanto estão informados sobre o risco sísmico na zona onde moram.
Os sítios mais “vulneráveis”,o que fazer,se pensam muito nisso,se já passaram por algumas situações de sismo,enfim experiências que possam partilhar.

No meu caso é fácil,apesar de ter vivido alguns anos nos Açores nunca senti um tremor de terra,nem sei a sensação que se tem,suponho de algum susto.

Queria também saber o que acham sobre o que vem a público nomeadamente sobre a cidade de Lisboa,este é um artigo referente a isso de há uns tempos,resumi um pouco pois é um pouco grande:

Duzentos e cinquenta anos após o terramoto que destruiu grande parte da cidade de Lisboa, a capital ainda não dispõe de uma verdadeira Carta de Risco Sísmico, que cruze toda a informação disponível sobre solos, parque edificado e infra-estruturas subterrâneas. Apenas o Plano de Emergência elaborado pelo serviço municipal de protecção civil dispõe de "uma aproximação muito razoável" desse documento, no capítulo das "áreas críticas de risco", considera Carlos Sousa Oliveira, presidente da Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica (SPES).

Entre as áreas que seriam mais duramente atingidas por um sismo figuram algumas ocupadas por novas urbanizações, como o Parque das Nações e algumas zonas do Lumiar. A restante zona ribeirinha oriental, desde o Jardim do Tabaco a Xabregas, Beato e Matinha, e a zona ribeirinha ocidental, de Algés a Pedrouços, Alcântara, Santos-o-Velho, S. Paulo e Cais do Sodré, estão também incluídas nas áreas de maior risco.

O Chiado e a Baixa, a colina do Castelo e a Graça, a Av. da Liberdade, Praça da Alegria, Santa Marta e Pena, e ainda a Av. Almirante Reis, do Martim Moniz, passando por Anjos, Arroios, Penha de França seriam igualmente muito afectados, a par do Vale da Estrada de Benfica e alguns pontos do Lumiar, de Carnide e do Vale de Chelas.

“Ter uma carta única seria muito vantajoso, para se ter uma ideia um pouco mais concreta de como planear a emergência e até para ser usada em termos de ordenamento do território”, afirma Sousa Oliveira, especialista em engenharia sísmica que foi um dos pioneiros a trabalhar na área da prevenção e da redução do risco e que participou também nos estudos desenvolvidos pela Câmara Municipal de Lisboa.

Quanto à interrogação que muitos se colocam - “estará Lisboa preparada para um sismo ?” -, Carlos Sousa Oliveira, conhecedor da matéria, acha a questão “complicada”.

“Se for um sismo muito grande, semelhante ao de 1755, é pouco provável e haverá que pedir ajuda internacional, à União Europeia. Os sismos intermédios já provocam alguns problemas complicados, principalmente no parque edificado mais antigo. Os danos vão depender muito da localização desse parque, se está em zonas melhores ou piores, e depende também do próprio tipo de sismo.”

Um outro fenómeno que pode surgir em consequência de um sismo forte é o dos deslizamentos e aí também o plano de emergência detecta áreas da cidade que serão mais atingidas, consoante o tipo de sismo.

in Público em 01.11.2005

Não podes confundir perigosidade (hazard) com risco (risk).
Este é um tema muito interessante mas que, por vários motivos, não pode ser discutido demasiado abertamente na praça pública.

Porquê? É como as claques?

O Instituto de Meteorologia publica informação sismológica sobre Portugal no seu site:

http://www.meteo.pt/pt/sismologia/sismObservGeral.jsp

Porque cada caso é um caso e se, por um lado, é importante criar uma consciencialização nas pessoas, por outro, há que não criar o pânico. É importante que as pessoas tenham essa preocupação e que ao decidir habitar uma casa não se preocupem apenas com “as áreas, acabamentos, vista e localização” e se lembrem também de inquirir se a construção é sismo-resistente. Mas se todos os que já habitam casas inadequadas decidissem ir dormir para a rua…
É muitíssimo importante e necessário que a população sinta a necessidade de exigir aos governantes que o seu “sossego” seja assegurado por forma a que o Estado sinta a obrigação de canalizar investimentos para essa área (a reabilitação do edificado e a garantia de uma adequada construção nova, no que respeita a resistência sísmica). Também é muito importante que as pessoas compreendam que é possível construir/reabilitar bem, independentemente da localização ser “boa ou má”.

Se os moderadores entenderem que não é um assunto a ser tratado aqui,estejam à vontade para fechar o tópico.Apenas quis falar sobre um tema importante.

Não acredito no que acabei de ler , não discutir este tópico para não criar o pânico , mas isto tem alguma lógica?
Muito pelo contrário as pessoas devem saber os riscos que correm e não fazerem como as avestruzes , isto é meter a cabeça na areia , devia haver e ser tornado público um mapa de risco sísmico da cidade de Lisboa e do país.

Bem o que eu sei desta matéria em relação a Lisboa não é muito porque realmente não sai cá para fora informação , se é que há , é o seguinte:

-Sei que há uma falha sísmica na zona que fica mesmo debaixo da ponte 25 de Abril , deverá haver outras na zona da Grande Lisboa , se são conhecidas deviam ser tornadas públicas , para em caso de tremor de terra as pessoas fugirem dessas zonas que propagam os efeitos de um sismo.

-As zonas ribeirinhas como se vê no texto são geralmente zonas de risco devido a serem formadas por solos arenosos fruto de acumulações dos sedimentos dos rios ao longo de milhares e milhões de anos.
O perigo dos solos arenosos num sismo é que este tipo de solo não amortece as ondas sísmicas pelo contrário , é um óptimo condutor para as ondas sísmicas o que vai amplificar nessas zonas o grau e intensidade do sismo , outro risco destes solos é a liquefação.

-O risco dos mais variados solos tem tambem a ver com a formação desses solos , em que época foram formados , resumindo é preciso ter conhecimento geológico da zona que se quer estudar.

-A Baixa de Lisboa , é uma zona potencial de risco , por parte dela ter sido terrenos roubados ao rio e nalgumas zonas para dar mais estabilidade ao solo arenoso , colocaram-se estacas de pinho , quem já não ouviu falar desta história.

-Por estes riscos , os critérios de construção deveriam ser apertados nas zonas de maior risco daí a necessidade de uma carta sísmica , mas aqui neste aspecto só há maus exemplos e não se tem feito nada , veja-se o exemplo da baixa pombalina onde após o sismo de 1755 se fez construção em “gaiola” , actualmente essas próprias construções já foram adulteradas pelas mais variadas obras , dos mais conhecidos e comuns é o deitar parte de colunas de suporte para dar lugar a montras na baixa.

Muito mais há sobre este assunto … mas basta seguir o conhecimento internacional sobre a matéria e sobre as construções anti-sismicas , tendo muita experiência nesta matéria os japoneses , americanos devido às falhas sísmicas na Califórnia e outros países.

Por falar em sismos acabo de ver isto:

[b]Powerful Earthquake Hits Jakarta[/b] Updated: 18:56, Wednesday August 08, 2007

A powerful earthquake has struck Indonesia, rattling tall buildings and panicking residents.
The quake’s epicentre was 66 miles (110 kilometers) from Jakarta and it hit with a magnitude of 7.4, the U.S. Geological Survey said.
Residents said tall buildings and single story homes in the capital were shaking violently.

Because of the earthquake’s depth, there was little risk of a tsunami, said Victor Sardina, of the Pacific Tsunami Warning Center in the U.S. state of Hawaii.

He added it could produce a huge amount of structural damage because of its power.
More follows…

6.9 no Myanmar (antiga Birmânia).

Desenterro da década! Faltava 1 ano e 4 meses para fazer dez anos que não se comentava aqui! Há aqui pessoal muito atento. :great:

:mrgreen:

Um bocadinho mais preocupado com o que acabou de acontecer. Prioridades. :great:

Peço desculpas pelo desenterro do tópico. Mas ao que parece houve um sismo em Lisboa!

https://www.facebook.com/blog.voxpoptv/photos/a.256978204318648.84881.256977040985431/1390896077593516/?type=3&theater

Alguém de Lisboa que tenha sentido o mesmo?

Não foi em Lisboa, foi na zona de Peniche, mas precisamente no canhão da Nazaré.

Não se sentiu :great:

Estou a ver! Informei-me mal então.

Sendo assim alguém dessa zona que tenha sentido o sismo?

Estou em Lisboa e senti o sismo…

Eu não estou por Peniche nesta altura, tenho alguns amigos que dizem que se sentiu outros dizem que não :inde:

Mas 4.1 não é o suficiente para criar qualquer caos, apesar de ter sido perto(80km). E também não é o suficiente para criar um Tsunami.

Menos mal então!

Senti o sismo e estou em Sintra.

Ainda há umas semanas houve uns sismos na zona de Óbidos, hoje na zona de Peniche. Alguém sabe se se tem passado algo anormal que justifique isto tão frequentemente?