SAD dá lucro

Fonte: “O Jogo”

SAD do Sporting apresenta 800 mil euros de lucro

RAFAEL TOUCEDO

A SAD do Sporting apresentou ontem à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) os resultados de exploração da sociedade no primeiro semestre da temporada 2005/06 (compreendido entre 1 de Julho e 31 de Dezembro de 2005), destacando-se o resultado líquido positivo de 800 mil euros, contra os 5,3 milhões de euros negativos do período homólogo do ano anterior… resultado positivo que, no entanto, ficou aquém do orçamentado (1,7 milhões de euros), em grande parte devido ao elevado investimento na contratação de jogadores e também ao desvio negativo nas despesas.

Por outro lado, o resultado líquido é claramente favorável quando comparado com o da outra equipa portuguesa cotada no primeiro mercado da CMVM, o FC Porto, que apresentou 11 milhões de euros de prejuízo.

No semestre em análise estão contabilizadas as obrigações escriturais (sucesso que rendeu 18 milhões de euros), as vendas de Enakarhire e Rochemback (renderam mais de seis milhões de euros), e o investimento efectuado no início da temporada em reforços, que ascendeu a 9,6 milhões de euros.

O processo de consolidação, reestruturação e reorganização económico-financeiro da SAD provocou alterações significativas no Capital Próprio (passou de -52 milhões de euros para +34,7) e no Passivo da sociedade (foi reduzido em cerca de 68,5 milhões de euros).

Em termos patrimoniais, o valor líquido contabilístico dos 84 jogadores com contrato profissional ascende - apenas - a 18,7 milhões de euros, o que significa que os leões têm dividendos potenciais não contabilizados - basta recordar, por exemplo, os 15 milhões de euros que rendeu a transferência de Cristiano Ronaldo para o Manchester United…

Esclareça-me quem souber: o que são obrigações escriturais? Acontecem todos os anos, ou todos os semestres?

84 jogadores com contrato profissional?! Mesmo incluindo vários juniores?! :shock:

84 jogadores é um número assustador! :shock:

Mas é bem possível, senão vejamos: plantel principal + séniores emprestados (Nuno Santos, Paulo Sérgio, Lourenço, Edgar Marcelino, Mário Sérgio, Santamaria, Valdir, Hugo Machado, Miguel Ângelo e outros) + jogadores no 1º ano de sénior (Miguel Veloso, Saleiro, Bruno Filipe, Djaló, Jorge Teixeira, Mário Felgueiras e outros que não me recorde) + alguns juniores…

Cheira-me a brincadeira de 1 de Abril! :smiley:

Cada vez percebo menos das contas do projecto.

Então não andou SF a dizer que a SAD do período “Andrade” é que foi responsável pelo recente desvio de 16 milhões e agora no mesmo período que está em causa já se dão contas positivas? Não percebo.

Cheira-me a brincadeira de 1 de Abril! :D

Cada vez percebo menos das contas do projecto.

Então não andou SF a dizer que a SAD do período “Andrade” é que foi responsável pelo recente desvio de 16 milhões e agora no mesmo período que está em causa já se dão contas positivas? Não percebo.

Uma coisa é o défice de tesouraria do Grupo Sporting, outra as contas da SAD.

Agora, segundo entendo, se os resultados até Dezembro foram apenas (salvo seja) inferiores em 1 milhão de euros ao estimado, se as vendas ocorreram todas nesse período e o grosso dos investimentos (com a fatia maior de 3 milhões para o conceituado) idem, a única conclusão que parece possível é que dizer (nomeadamente) que os 8 milhões de investimento contribuiram para o défice de 16 milhões de tesouraria é verdade, mas é uma meia verdade próxima de uma mentira, pois aparentemente só este resutado inferror ao esperado e os custos incorridos após Janeiro (vamos por 2 milhões de contos, estimando por cima) são responsáveis por um défice de tesouraria superior àquele que já era antecipado. Ou seja, já se antecipava no início de ano um défice de 13 milhões de euros e não de 8. É o considerar da inteligência dos sócios ao nível dos actuais dirigentes… :roll:

Angel,

O que eu sei é que o copazias com palavra (hoje já diz que nunca diz nunca na vida :smiley: é só rir) na AG disse claramente que a SAD anterior era responsável pelo desvio, devido às contratações e gastos do segundo semestre de 2005.