Real Massamá ainda não recebeu os cinco por cento de Nani

O Real Massamá já anda à procura de onde vai gastar os 1,25 milhões. Realmente não há fome que não dê em fartura. Mas acho positivo. Nem que seja pela chamada apelativa do dinheiro talvez apareçam mais clubes deste género onde consigam descobrir mais algumas pérolas:
http://www.maisfutebol.iol.pt/noticia.php?id=834509&div_id=1457

O Real Massamá ainda não recebeu os cinco por cento a que tem direito pela transferência de Nani do Sporting para o Manchester United, cerca de 1 milhão e 250 mil euros que equivalem a cerca de cinco orçamentos anuais do pequeno clube do Concelho de Sintra. No acordo entre os dois clubes tinha ficado estipulado que os leões pagariam a verba até ao passado dia 15 de Julho, mas José Pereira Libório, presidente do Real Massamá, não está preocupado com o «pequeno» atraso.

«Ainda não tive notícias, esse é um assunto da contabilidade mas, quando houver novidades, serei certamente informado. Não é um assunto que me preocupe, sei que estou a lidar com gente séria e, mais um ou dois dias, o dinheiro vai acabar por chegar. Sabemos que está tudo certo e que essa verba está garantida. Já tivemos vários acordos com o Sporting e nunca tivemos problemas», contou o dirigente.

O clube de Alvalade deve a maior parte da verba em questão mas, segundo o acordo estipulado, uma parte será paga directamente pelo Manchester United. «Tivemos uma reunião em que nos foram pedidos vários documentos. Está tudo tratado, mandámos tudo o que nos pediram e agora estamos à espera. Deve estar aí a chegar», acrescentou Libório.

Um valor extraordinário para o pequeno clube que tem um orçamento anual que não ultrapassa os 250 mil euros e que já tem, em parte, destino certo. «Não vai entrar nas contas anuais do clube. Vai ser directamente investido no melhoramento das nossas infra-estruturas, os sócios merecem», contou.

A prioridade da direcção passa pela construção de bancadas no segundo campo do clube, mas vai também ser investido na construção de um restaurante panorâmico com vista para os dois campos e está ainda em vista a construção de um quarto campo de futebol. «Isso é o que já temos em projecto. Assim que o dinheiro chegar, essas obras avançam. Quanto ao resto, logo se vê», contou Libório.