Qual o teu sentido de voto para as legislativas?

Falta o PAN que nas últimas legislativas ficou à frente do Chega, IL e Livre e teve mais deputados que estes três juntos. (Dificilmente se repetirá mas…)

Tens razão, mas há lampiões e “lampiões” e sem dúvida alguma o André Ventura é dos piores, basta lembrar o que já disse como comentador e defensor dos lampiões. Simplesmente não gosto do gajo e também não gosto da política do seu partido.
Claro que também à outros partidos em quem não votava por questões de ideologia política.

Que estupidez… Pelo menos votar em branco.

1 Curtiu

basta lembrar que não vestiu a camisola do porco

Concordo consigo quando diz que há muito malta nova (e eu considero-me relativamente novo) que depois se “esquece” de votar. Mas quando diz que os velhotes nunca falham e depois eu vejo, como nas ultimas legislativas BE com 16 deputados e PS a ganhar outra vez depois de 4 anos penosos, nao sei o que será pior. Para nao falar da ainda existência do ultrapassado partido comunista.

Em Portugal, qual é a diferença?

O voto em branco pode ser interpretado como um voto de protesto. Se as pessoas estão descontentes com o sistema atual, o facto de não irem votar, em nada ajuda a melhorar a situação. Aliás, se todos pensarem assim, acabamos numa situação em que os líderes do país são eleitos por uma minoria, e depois as pessoas queixam-se etc. Só para relembrar que já somos um dos países com a maior taxa de abstenção da Europa, e essas mentalidades não ajudam a melhorar isso.

2 Curtiram

Uma duvida, os partidos recebem um x por cada voto.
Disseram-me que os votos em branco dividem-se por todos e no caso dos nulos ninguém recebe, será.

Sim, falta. Já tentei editar, já não deixa…

Não precisas de me explicar o que, por princípio, deveria significar o voto em branco e um elevado número de votos em branco. Eu já votei em branco exatamente por causa desse principio e olha que eu já voto há muitos anos. Nunca falhei umas eleições e em princípio será esta a primeira vez que o farei.

O que eu perguntei foi, na realidade e no sentido palpável da coisa, o que significa um voto em branco. Não na cena idealista, que também partilhei até recentemente, mas na realidade.

Não significa merda nenhuma. Em tempos perguntei-me o que aconteceria se 60% dos tugas fossem às urnas, mas votassem em branco. Se assinassem a declaração de “vocês são todos uma merda”. Quem teria coragem se assumir a cadeira? Eu não teria.

Mas eles teriam. Na verdade, não acontece porra nenhuma. Infelizmente e contra a lógica, levantar o rabo do sofá e ir lá votar em ninguém, porque ninguém vale uma merda, conta exatamente o mesmo que ir à praia. E sim, temos eleições com mais gente na praia que nas urnas e não acontece merda alguma. Temos políticos a lamentar, temos comentadores a dizer que tem de se refletir, mas acontece merda nenhuma.

Nós vivemos num país em que anda muita gente preocupada com a malta em isolamento ir votar, mas ninguém se preocupa com a malta isolada que não pode ir ao supermercado comprar mantimentos e não tem forma de encomendar online (sim, existe planeta para além dos povoados em que os hiper entregam em casa). E estou-me bem a cagar se os eleitores são um milhão e se os fechados em casa que pedincham ajuda ou se arriscam a sair de casa e mamar com a multa, para se dirigirem a um supermercado são mil. O Estado não deveria pesar coisas dessa forma. O direito a comer também versa na Constituição. E sim, já andei a transportar mantimentos para malta em casa, porque mesmo em locais onde existem entregas, chegaram a existir prazos superiores a uma semana para entrega.

Os líderes do pais são eleitos por uma minoria. Há muito tempo. A abstenção real não é a que é anunciada, porque o número de eleitores está sobrestimado, mas juntando os brancos, aos nulos, aos que não vão lá e aos que votam naquele porque sim ou porque o outro é mau, a malta que realmente vota em consciência é uma minoria. Alguém no sistema (e não existe essa coisa do partido antissistema) se preocupa? Pelo contrário. Cada vez há mais idiotas como líderes partidários ou em lugares de destaque nas listas. Esses idiotas estão satisfeitos, porque é exatamente esta linha que os mantém no tacho.

Para que os votos em branco funcionassem nessa lógica, seria necessário que a maioria pensasse e que os líderes (ou o próprio sistema) tivessem espinha dorsal.

5 Curtiram

Belo texto subscrevo da opinião deste caro forista

Tens razão que na prática não existe grande diferença mas substituir a abstenção pelo voto em branco tem pelo menos um grande mérito:
Não podem vir dizer que os Portugueses não se interessam ou preferem o lazer a ir votar. Ao haver uma expressiva votação em branco isso demonstra que os Portugueses se interessam e se mobilizam mas que não encontram nenhum partido em que se revejam. Essa mensagem é mais forte que uma abstenção elevada e não deixa dúvidas sobre o porquê.

2 Curtiram

Acho que o problema da tua análise é considerares que há um eles vs nós quando o princípio do nosso sistema democrático é exactamente o contrário.

É claro que ainda temos muitos vícios que resultam de uma tradição de elites vs “povo”. Grande parte dos políticos actuais ainda são “descendentes” dessas elites, ainda procuram isolar o poder das mãos do povo, como se o “povo” fosse contaminar ou estragar (e até pode acontecer) um status quo que garante alguma estabilidade. Mas com o amadurecimento da nossa democracia a tendência é que essa estanqueidade do poder se vá esbatendo.

Nestas eleições tens mais de 20 partidos que se candidatam… alguns podem dizer: são tantos e não há um que se aproveite… talvez, mas é o retrato do país que temos. E quem acha que consegue fazer melhor pode chegar-se à frente, quem se preocupa com o país e não se identifica com os actuais partidos pode criar o seu próprio movimento… Eu não consigo criticar aqueles que se mexeram, aqueles que tentam fazer alguma coisa, aqueles que, não estando satisfeitos, tentam mudar as coisas… mas critico aqueles que dizem mal de tudo e de todos e não levantam o cu da cadeira para mudar as coisas… nem que seja apenas uma vez de 4 em 4 anos para ir votar…

4 Curtiram

Quem é que não pode?

Essa conversa do “ah… porque eles”… "… não são eles, somos todos. Tu podes ser deputado, tu podes ser presidente da câmara, da junta, podes ser vereador… não há um “eles”

Insistir nesse discurso de que o espaço político é algo interdito, que é algo que só está ao alcance de uma elite, é esvaziar aquilo que de melhor a democracia tem… Não estão satisfeitos, mexam-se…

De olhos fechados, Rúben Amorim.

1 Curtiu

Concordo, mas eu não disse nada em contrário.

O que disse é que com abstenção fica sempre a dúvida sobre o motivo. Normalmente quem fala nisso são os políticos e os jornalistas mas qualquer pessoa pode ter essa dúvida. “A abstenção foi elevada porque as pessoas não querem saber e preferem ir para a praia ou as pessoas importam-se mas não há nenhuma proposta com que se identifiquem”?

Com o voto em branco pelo menos é claro que as pessoas se interessam e valorizam as eleições. Talvez não ao ponto de criarem um movimento ou de influenciarem os partidos de forma a que respondam aos seus ideais mas pelo menos importam-se ao ponto de saírem de casa para votar e colocar um voto em branco numa urna. A mensagem é mais forte do que a da abstenção e demonstra que os eleitores reconhecem a importância. Ninguém pode dizer que “não foram votar porque preferem a praia e não ligam nenhuma”.

No resto concordo contigo. Esse discurso do “eles” e “nós” está errado. Essa do “eles são todos maus” não pega como desculpa e desresponsabilização. Se “são todos maus” vai tu à luta e faz tu melhor! Ou mexe-te para influenciares os que de alguma forma já o fizeram. Hoje até temos um leque muito alargado de opções, será que quem está insatisfeito ao ponto de não se rever em nenhuma opção já procurou de facto conhecer todas ou envolver-se no seu desenvolvimento?

1 Curtiu

Voto em branco porque nao me consigo identificar c nenhum.
Tudo merda.

Uma palavrinha para os manos Sportinguistas que votam Ventura: “lol”

Vamos votar no ventura! É lampião, nas desde que faça o seu trabalho, defender o povo contra este sistema corrupto, não me importa! É tipo o nosso mister, desde que faça o seu trabalho…

vives em que mundo?

Não deixes o tabaco não…