Pavilhão de Alvalade - 2º Estudo prévio simplificado

Tal como na semana passada tinha dito, aqui ficam as primeiras imagens desta 2ª versão dos meus estudos de viabilidade do pavilhão em que me proponho conseguir dentro dos constrangimentos entretanto surgidos (limitação de áreas de implantação e útil) provar que é possível fazer algo mais que um genérico pavilhão.

Tal como o outro é assumidamente um estudo prévio simplificado (por falta de tempo ainda mais), não devendo ser ser lido como projecto mas apenas como intenções e como o explorar da exequibilidade das soluções e modelos, sendo que tudo o que nele é apontado carece por um lado de dados rigorosos, seguros e precisos e por outro é passível de ser alterado, alargado e esquartejado. Nada deve ser entendido como uma opção final e imutável.

Tendo sido feito em tempo livre, com meios próprios e sem perspectivas ou ambições diferentes que as de contribuir para a discussão e propor ideias e alternativas na convicção que um dos vectores de crescimento do Sporting, reside nas modalidades, tem obviamente lacunas e erros. Aliás, mais até que a 1ª versão, esta versão é um trabalho em desenvolvimento pelo que poderá ser alvo (assim tenha tempo) de revisões e novos dados.

Nesta versão, apoiado na forma geométrica mais condensada (o circulo) e que permite menores desperdícios (ainda que aceitando que não seja do agrado geral) e na utilização (ainda que não tenham a minha preferência) de bancadas telescópicas retracteis consigo em 4630m2 de implantação incluir:

[+]Uma nave principal para cerca de 2500 pessoas (+ 300 em galerias) com campo de 20x40.

[+]A divisão da mesma em dois espaços desportivos para competição e treino com campos de 20x40, cada um para 500 pessoas.

[+]Duas naves menores de treinos com campos de 18x36.

[+]Sala de sócios, espaços de público, imprensa, administração, modalidades e restantes espaços de apoio.

Ficando ainda assim aquém (8600m2) do que se presume seja a área útil máxima admissível (entre 9000m2 e 9400m2)

Planta piso -1
[hr]

Planta piso 0
[hr]

Planta piso 1
[hr]

Planta piso 2
[hr]

Planta implantação
[hr]

Cortes
[hr]

Configurações
[hr]

NOTA: Tentarei dentro dos possíveis acrescentar dados e melhorar o que já se encontra apresentado - é um trabalho em progresso.

Replicado no tópico da Construção do Pavilhão:
http://www.forumscp.com/index.php?topic=6842.msg850345#msg850345

Documento do Estudo Prévio Simplificado - parte II (PDF):
[hr]

Link Directo: Pavilhão de Alvalade - Estudo Prévio Simplificado II

<a href="http://www.forumscp.com/docs/Pavilhao_Alvalade_EPII_v2.pdf">Sporting - Pavilhão de Alvalade, Estudo Prévio Simplificado II</a>
[url=http://www.forumscp.com/docs/Pavilhao_Alvalade_EPII_v2.pdf]Sporting - Pavilhão de Alvalade, Estudo Prévio Simplificado II[/url]

Videomontagem do Estudo Prévio Simplificado - parte II:
[hr]
http://www.vimeo.com/11260011

© psilva 2010


01 Pavilhão_Versão II_planta -1.png

02 Pavilhão_Versão II_planta 0.png

03 Pavilhão_Versão II_planta 1.png

04 Pavilhão_Versão II_planta 2.png

05 Pavilhão_Versão II_planta imp.png

06 Pavilhão_Versão II_cortes.png

07 Pavilhão_Versão II_configurações.png

Parabéns por mais um magnífico trabalho, psilva. :clap: :clap:

(tomei a iniciativa de editar a formatação do teu post e colocá-lo num tópico próprio, espero que não te importes)

Concerteza! :great:

Uma das coisas que vou ter que fazer é mudar as imagens que ficaram com pouca leitura! :think:

As imagens originais continuam bastante grandes… podes colocá-las em anexo para que possam ser abertas no tamanho original com um simples clique.

Dúvidas iniciais, até porque as imagens estão pequenas demais para o meu pc e, principalmente, a minha ignorância nestas matérias é elevada.
1- No piso 2 (topo do edifício) colocas 2 pisos para treinos. A dimensão de 18x36 é compatível com futsal e hóquei?
2- O que são as bancadas telescópicas retracteis?

Edit:
Já agora e se não for abusar da paciência:
3- Qual a altura que prevês?
4- Só o piso -1 é que seria abaixo do nível do solo, certo?

Carregas nas pequenas imagens que estão em anexo e abrem-se numa janela grande (onde podes fazer zoom).

:great:
Quando comecei a postar ainda não estavam.
Melhorou substancialmente, mas a capacidade interpretativa é diminuta :-[

Servirá seguramente para treino. O campo de futsal tem 20x40 sendo que pode ir até ao mínimo de 15x25. à partida estes espaços não serviriam os treinos do hoquei (far-se-iam no espaço principal). Ainda assim está em cima do limite minimo da modalidade.

São bancada que são abriveis ou fecháveis conforme as necessidades e utilizadas em muitos pavilhões desportivos (o Atlântico é um exemplo).

Edit:
Já agora e se não for abusar da paciência:

15 m (“negociáveis”).

A nave principal, na sua configuração principal terá cerca de 15m de altura, possibilitando a prática de voley. As naves de treino cerca de 7m

Certo. O que possibilita um poupar de recursos e espaços na circulação de público.

Lindo, adorei a ideia e mais uma vez parabéns pelo esforço. Obrigado

À semelhança do farinha também não percebo muito, mas gostaria de colocar umas questões, se permitires.

As bancadas telescópicas serão apenas nos topos? São seguras, ou é tipo aquelas de “circo” que quando se tem um “azar” as coisas correm mal? O que se ganha com elas em vez das “normais”?

Apesar de saber que o custo final depende de n variáveis. A diferença entre esta tua (maravilhosa) proposta e um pavilhão “simples” estimas ser de quanto? É possível cobrir a difernça destes custos com patrocinios? Estou-me a lembrar que o pavilhão redondo ficava a matar com o logo da galp ou da bp, por exemplo 8)

Mais uma vez, Obrigado :beer:

VerdyBranco,

As bancadas “telescópicas” são como as que encontramos hoje em dia no Casal Vistoso. Face à possibilidade de recolher as bancadas centrais (como se fossem umas gavetas), podes ficar com dois recintos no piso principal, cada um deles com uma bancada de 500 lugares aproximadamente.

psilva,

Uma vez mais, parabéns pelos teus esforços e obrigado por ajudares a ter mais uma noção das possibilidades.

SL

Próximo do chinês, mas a pergunta é que foi mal colocada.
Para ter uma ideia, não é mais alto que o comboio de apartamentos que já existe em frente à porta 1 e que se estende até à bomba da galp?

Quanto às bancadas.
Eu achei que as telescópicas retrateis eram as mais compridas, ie, as que ficariam ao longo das laterais da nave única.
É “fácil” recolhê-las e arrumá-las, transformando o 1 piso único em 2 para competição ou treino?
E em termos de piso como é que funcionaria o passar de 1 para 2, com disposições diferentes (tapetes?)?

Independentemente das respostas, estou convencido da solução.
Os meus sinceros parabéns, pelo esforço, pelo trabalho, pela validade da proposta e ainda pela pachorra em aturar gajos com perguntas chatas (tipo eu)
:beer:

As bancadas serão nos topos e nas centrais (se bem que as dos topos até poderiam ser fixas). Existem inúmeros casos de aplicações deste tipo de bancadas em espaços desportivos (o Atlântico como disse atrás, mas também o multiusos de Guimarães ou a parte inferior do pavilhão de Gondomar).

Não são a minha preferência, mas tenho que me render ás possibilidades de libertação de espaço que elas proporcionam. Tal como o Hugo já disse, liberta-te o espaço para outros usos, acabando por “dupilcar” as áreas não sendo contabilizadas a dobrar para os cálculos da área útil. Agora é preciso perceber que é um equipamento onde não se deve sacrificar a qualidade e a manutenção. Em relação à segurança propriamente dita, não são conhecidos problemas.

Tal com já escrevi no outro tópico, calculando €/m2 o custo será tendencialmente semelhante a qualquer pavilhão com áreas equivalentes.

:great:

Consideravelmente mais baixo. Esse edificio (que se chama Olimpico) terá aproximadamente 34/40m.

E também mais baixo que os edifícios propostos pela urbanização da MDC. Aliás, este acaba por ser um ponto pelo qual eu urbanisticamente me bato. Há que ver o que está previsto e contar com essa massa para contextualizar este edifício, sob o risco de ele no futuro se perder no meio de uma massa de edifícios muito maiores

São todas telescopicas (sendo que as dos topos nem sequer necessitariam ser). O sistema de recolha é fácil, podendo ser mecanizado. As bancadas não são um todo, funcionando por secções.

O piso é o mesmo, só que com marcações diferentes. A única coisa mais peculiar poderá ser a divisão da sala, mas nem essa me preocupa por aí além.

:great:

:clap: :clap: :clap: @psilva,

Tens dado um importante contributo a esta matéria.
Espero que quem de direito leve estas hipoteses em consideração.
Depois destes teus estudos se optarem somente por um Pavilhão puro e duro será uma pequena decepção para todos nós.
Alguem que faça isto chegar a quem de direito.

SL

Veja-se este exemplo:

Conseguimos ver um campo “principal” com linhas brancas para futsal e andebol e depois a linha vermelha do basket. Adicionalmente, existem linhas pretas para campos de basket secundários ou linhas verdes escuras para campos de volei.

Caríssimo Consócio Pedro Silva,

Excelente.
Mais um vez Obrigado pelas ideias e pelo excelente trabalho e exemplo do que pode ser feito. Isto é o Associativismo no seu grau mais elevado.
Enquanto não for lançada a 1ª pedra todas as boas ideias são válidas e devem ser colocadas no SPORTING à discussão, espero que as faças chegar ao Mário Patrício ou a quem de direito.

No Geral gosto muito da tua ideia, principalmente do Pavilhão redondo, com bancadas todas à volta, da Sala de Sócios :mrgreen:, dos campos de treino e da possibilidade de mais ou menos lugares consoante o evento (Saraus) e também da hipótese de ter concertos e as nossas Ag´s e Congressos.

Já que estamos com a mão na massa, deixo também aqui o meu contributo mas numa outra área e que em complemento o que já fizeste tornaria este espaço num Orgulho Leonino.

Além do “naming” e sem chocar com este, tal como aconteceu com a inauguração do estádio, convidar patrocinadores oficiais do Pavilhão, mas com características Leoninas, isto é Logo Verde e Branco ou um Leão como símbolo na Marca.
Exemplos: Guerin, Peugeot, Europcar, Londsale, Carlsberg, Lion of porches, bes, bp, lacoste, generalli seguros, benetton, Saab, MGM,…

Existir na construção deste Pavilhão e apenas em algumas tarefas a participação dos Sócios que tenham tempo e capacidade para ajudar, o Voluntariado Leonino. carregar material, pintar (muitos sabem pintar muros em tempos dificeis :twisted:), montar e colocar cadeiras e o chão, limpezas. Desta forma o Pavilhão seria sempre um símbolo da união e de pertença de todos os Leões.

As Paredes do Pavilhão teriam painéis como existem na casinha da JL com as grandes figuras e os grandes momentos das nossas modalidades, poderiam também existir no tecto do pavilhão ao estilo da NBA algumas camisolas que estão no Mundo SPORTING ou réplicas destas das principais figuras do universo Leonino das modalidades ao longo dos anos.

3 Pilares: Patrocinadores, Sócios e Atletas = Pavilhão

Poderíamos também ter em atenção na construção deste Pavilhão a utilização de energias limpas e renováveis como Painéis fotovoltaicos e moinhos de recolha da energia do vento, como já foi discutido aqui:
http://www.forumscp.com/index.php?topic=20243.0

E depois a empresa responsabilizar-se-ia por algo que tivesse sido mal feito não tendo sido os seus empregados a executá-lo? Pois… ::slight_smile: O mundo não-profissional já lá vai, hoje em dia há que fazer as coisas como elas devem ser feitas e assegurar parâmetros qualitativos e de regulação.

Existem actos simbólicos que podem ser formalizados, existem contribuições de pessoas com “know-how” que podem ser tidas em conta (como a deste caso), mas mais que isso não muito obrigado.

Bom trabalho e que paciencia.

Tenho uma duvida, do piso 1 para o piso 2 não vejo qualquer estrutura (colunas ou outra), como pensa apoiar este piso pois parece-me o vão demasiado grande para não ter nada a suportá-lo.

Estou sem palavras com esta contribuição do Psilva. Sportinguismo no seu expoente máximo!!

Acho a ideia de uma estrutura “circular” fantástica. Pergunto-me é que possibilidades permitiria em termos de aspecto exterior. Imagino que serão infindáveis, consoante a imaginação do arquitecto, projectista, etc.

Mas por exemplo: tendo em conta as estruturas necessárias em cada piso, não seria possível que o exterior fosse em formato “dome” (ou noutras palavras, como se fosse uma bola semi-enterrada no chão)? Ou isso implicaria “roubar” espaço a que não temos direito na volumetria actualmente permitida?

Ou noutras palavras, Psilva, já pensaste em soluções de desenho exterior?