"O melhor ano de sempre"

Elogio seja feito, o sr Varandas e quem o acompanha, aproveitam exemplarmente a boa imprensa, complacente e amarrada a narrativas ( o pós BdC teria que ser o paraíso na Terra, desse por onde desse, acontecesse o que acontecesse) para uma propaganda eficaz que persiste na sua toada revisionista e mentirosa.

A intrujice e má fé desta propaganda são contudo apenas o problema menor do Sporting actual que vivemos, isto quando a instituição como um todo ( sócios e adeptos) permite ser toureada por Órgãos Socias incompetentes e com uma agenda purgatória que tem dividido as suas bases e atacado a sua matriz popular.

Nunca, em tempo algum, um clube como o Sporting podia permitir que uma direcção obcecada em arranjar bodes expiatórios e desculpas para a sua própria incapacidade, tivesse sucesso na mentira, falácia e meias verdades que debita sem ser travada.

“O melhor ano de sempre” vs “herança pesada”, a ideia lançada por esta direcção, ideia imbecil e contraditória que é e que incrivelmente consegue colher tal o nível de desinformação e falta de contraditório que existe.

A “herança pesada” que enfrenta, “salvando o clube”, recolhendo louros “pelo melhor ano de sempre” numa época que não preparou e recorrendo a meios construídos por terceiros enquanto aumenta a dívida, diminui as receitas e mantém custos ao nível de anos de Champions League e contextos expansionistas, deveria fazer soar os alarmes de quem tem memória, sabe de onde o Sporting veio e como está.

Mas os alarmes não soam.

Um clube adormecido, onde a revolta se cinje a confronto fracticidas, isto para quem ainda não desistiu e não se afastou.

No processo, a pseudo elite com voz pública mantém o seu discurso ignorante e hipócrita de sempre. Os factos são secundários, a exigência e ambição, apenas palavras, os “valores e educação” sempre na ordem do dia, pois o “Sporting é um clube diferente”, em simultâneo são cúmplices com a mentira e o revisionismo.

“O melhor ano de sempre”, num clube dividido, alvo de ataques internos de natureza política, onde a contestação é rotulada e marginalizada, sob os aplausos fortes dos cartilheiros vermelhos, deliciados por um Sporting sem voz para o exterior e que se dedica à sua própria implosão.

Justiça selectiva para alguns, patrocinada por uns para cumprir agendas pessoais em processo de linchamento público e condicionamemtos democráticos.

Eis o melhor ano de sempre.

9 Likes

Se duvidas houvessem sobre a lampionização do Sporting…

Como ainda gosto muito do Sporting dá vontade de chorar ao pensar que se pode intitular este como “o melhor ano de sempre”. Se não fosse assim, daria vontade de rebolar a rir.

Um Sportinguista que se diga como tal e tenha a coragem de qualificar a última época como “o melhor ano de sempre”, só pode ser doente.
Seja pela falta de respeito aos responsáveis pelas verdadeiras melhores épocas do clube, seja pela falta de noção em ignorar tanta merda feita em um único ano.

Eu genuinamente gostava de perguntar ao Bananas se ele acredita na diarreia que sai da sua boca torta ou como consegue viver uma mentira, já que só poucos acreditam nas tretas que os media vendem e que ele defende.

1 Like

Conseguiram tirar qualquer vontade de festejar um golo (no futebol). Parabéns pelo feito, sem dúvida, “o melhor ano de sempre”.

2 Likes

Afastado do Clube desde 1966 a 2013, escrevi um livro publicado em Julho de 2018 com o título Salvar O Sporting. Sou absolutamente alheio ao movimento com o mesmo nome. No livro classifico-me como sportingado que nunca comeu croquetes. Ofereci o livro ao PMAG e ao Presidente da Direcção, ao Dir. do Jornal do Sporting e ao Dir. da Sporting TV. Nenhum acusou a sua recepção. Na p.141 contém um esboço de Programa à procura de candidato. Nele dizia “Urge implementar um sistema electrónico de votação” / “A Academia não tem justificação se não for a fonte de jogadores do Sporting” / “Os órgãos de comunicação do Sporting devem ser independentes do Conselho Directivo…,. e os sócios devem poder utilizá-los para tratar de assuntos do Clube” / "Deve ser imediatamente estudada a hipótese e as consequências da dissolução da SAD…“Urge acabar com gastos de milhões de euros com jogadores e treinadores de futebol”. Aconselhava também a realização de um Congresso para podermos conversar e Salvar O Sporting assim como a revisão dos Estatutos. O livro não pode ser vendido nas Lojas Verdes o que, na prática corresponderá a ser ignorado pelos sportinguistas. Tenho pena porque julgo ter coisas aproveitáveis. É a história do meu sportinguismo que começou em 1941, antes dos 5 violinos. Claro que não acredito que tenha havido aproveitamento das minhas ideias, por parte dos actuais dirigentes, mas lá que é estranho é… e a marcação do Congresso para Beja, se não foi embuste, parece. Resumindo, não sou adepto dos anteriores dirigentes antes de Bruno de Carvalho, não posso ver nele o Salvador do Sporting, pelo contrário, e também não vou à bola com os actuais PMAG e Presidente da Direcção. Velho e isolado, longe de Lisboa, corro o risco de nunca chegar a ver o “meu” Sporting no bom caminho…

Com estas mentiras constantes, sendo a próxima major que a anterior, Varandas está a fazer um ótimo trabalho em destruir totalmente a sua imagem junto de toda a opinião pública, envergonhando a classe DOS médicos e todos os dirigentes de clubes de futebol deste país.

com este presidente, todos os anteriores soam melhores

não é tão cedo que verás o Sporting como campeão nacional…enquanto existir um sistema e um agente a ajudar o rival…vamos ficar mais uma boa dezena de anos sem vencer…e temo que eles ( os corruptos ) comecem também a empurrar o Sporting pra fora das competiçoes europeias

Leio o titulo e Ahahahaahahahahahaahah

2020 promete ainda mais. E ainda só vamos em Janeiro! <3

1 Like

Deixo aqui o meu lamento!

  1. Os elementos da actual Direcção sempre estiveram contra a expulsão de sócios, no entanto yal como Herodes que lavou as mãos, esta Direcção colocou à disposição dos sócios essa questão.
    Bem ou mal são todos do GRANDE SPORTING.
  2. Hipocrisia e Inveja, são talvez os adjectivos a aplicar quem agora dirige o destino do clube. NUNCA ouvi da actual Direcção o obrigado, sim o OBRIGADO à cessante, que preparou tudo, sim TUDO para que 2019 fosse o Melhor Ano de Sempre. Esta só obteve os louros do que se ganhou. Um “obrigado” ficaria bem.
  3. Não é só dizer mal. O erro da anterior foi a comunicação (na minha opinião), pois teria de ser um pouco mais “soft” e não tão agressiva. Foi a partir da referência aos “pasquins” que começou a “guerra”. Bastaria dizer que o Sporting tem talvez o jornal de clube desportivo mais antigo da Europa e/ou do Mundo (ininterrupto), site e um canal TV oficiais, para que os sócios, adeptos e simpatizantes, terem notícias mais fidedignas Esta direcção trata a comunicação social com “luvas de veludo”. Nós não precisamos deles. Eles sim, precisam de nós e nem sempre quase em nada à verdade.
  4. Quantos presidentes foram necessário para se construir um pavilhão?! Já o falecido Jão Rocha, fechou em 1982, uma secção de Basquetebol que tinha equipa para vencer uns tantos campeonatos seguidos.
  5. A Direcção anterior à presente, em “meia-dúzia” de anos levantou o clube em TUDO. Modalidades Paralímpicas, e as vulgo “normais”. Um pavilhão e estádio quase cheios.
  6. Que interessa se um presidente num negócio para o clube, tenha algum tipo de comissão?! Desde que o Clube nada perca e fique sempre a ganhar…(acreditam que outros não o fazem?!).
  7. Fazer nova votação para readmitir sócios expulsos;
  8. Castigar, suspender sim pois já é castigo muito grande.
  9. Terminar com o número (exagerado) de votos por antiguidade, e criar múltiplos de 10 anos.
    10… Precisamos e QUEREMOS o mais breve possível duma Direcção de todo idêntica à que tivemos nos últimos 6 anos, mas com uma comunicação melhor e sem estar muito exposta. Fazer frente em comunicados assertivos e frontais a tudo o que está mal. Deixemos de comprar os diário desportivos que todos os dias nada trazem de novo. Temos que olhar opara o que é nosso, não passando “a mão no pêlo” quando as coisas não correm bem. Há que fazer críticas construtivas, dizer: "Perdemos porque fomos ineficazes e não dizer que merecíamos e fomos infelizes. Não falsear a lotação do pavilhão dizendo que este esteve quase cheio (3200 lugares) quando efectivamente estiveram 857 (no mínimo estranho?!)

Precisamos e necessitamos deste RUMO perdido.
O SPORTING É DE TODOS E PARA TODOS, não para a “elite”.

Saudações Leoninas

No fim desta época desportiva cheira me que iremos conhecer um novo fundo, um novo record negativo quer de distancia em termos pontuais ao primeiro classificado, derrotas e posição na tabela.

Arrisco mesmo abaixo do 10º lugar se o Bruno “suores frios” Fernandes e o Acuña “karate kid” forem vendidos, porque neste momento dependemos totalmente do 1º e de vez em quando o 2º faz um jogo decente!

E depois vamos ver qual é o jogador que quer vir para o Sporting para passar um época dificil sem competições europeias, sobre pressão para fazer melhor do que o ano anterior e com toda a tensão em volta da equipa & direção!

Sim porque o clube só teria paz se houvessem eleições em que o Bruno de Carvalho pudesse participar e com uma entidade externa a controlar o processo!

Os adeptos (tal como eu) que ainda se revem no Bruno de Carvalho para presidente, só ficarão descansados quando o ex presidente puder voltar às eleições, num ambiente fora do controlo desta direção atual para garantir que se perder, foi de facto a decisão de todos os socios e não mais uma afinação!

Relativamente a esta direção, é urgente correr com o Rogerio Alves do clube, esse sim o verdadeiro cancro e mentor deste estado de sitio que se vive atualmente no clube!

Sl.

1 Like

Sim Rogério Alves, o “eterno candidato”, que nunca teve coragem para “os colocar em cima da mesa” e candidatar-se à presidência. Talvez seja actualmente o “presidente sombra” de Frederico Varandas.
Não está em causa o seu Sportinguismo, pois não somos mais nem menos Sportinguistas que outros, apenas vivemos e sentimos à nossa maneira, mais ou menos sentido.

SL