O fantasma da meia-final de há 38 anos

Faz hoje exactamente 38 anos que eu andava no Liceu Padre António Vieira, em Lisboa. O nosso Sporting jogava a 2ª mão da meia-final da Taça das Taças, em Magdeburgo, uma cidade da então RDA. Tinha aulas de tarde, e lembro-me perfeitamente de pedir à professora de desenho para sair mais cedo da aula, mas não lhe disse porquê. Como é evidente recebi um não rotundo, e tive que me aguentar até ao fim da aula. Assim que a aula terminou saí a correr do Liceu para ir para casa ver o nosso SCP (o jogo era ao fim da tarde, não me recordo exactamente da hora, mas a ideia que tenho é foi por volta das 17h ou 18 h).

Cheguei a casa, o jogo já tinha começado, mas as transmissões de então não eram as de hoje, e uma avaria qualquer num retransmissor num País da Eurovisão impedia a transmissão de chegar a Portugal. Tinha, no entanto, o relato, e foi por aí que fiquei a saber que tínhamos levado com um golo logo no início, que ninguém viu, pelo menos em directo. Já com as imagens no televisor, vi o 2-0 para os alemães, mais ou menos a meio da segunda parte. Tudo parecia perdido (tínhamos empatado 1-1 em Alvalade), mas do nada Marinho fez o 2-1.

Renascia a esperança. Passámos a estar em cima do Magdeburgo (especialista, já então, em autocarros) e já nos 5 minutos finais, Tomé (ou Joaquim Rocha, não me lembro bem e não fui procurar) falhou o empate a menos de 1 metro da linha de golo sem ninguém pela frente.

Aquela bola tinha que ter entrado! Desde então, sempre que temos um jogo decisivo a eliminar, lembro-me deste lance, e ainda hoje me dói. O Sporting teve muitas alegrias e muitas tristezas desde então, mas aquele lance assombra-me até aos dias de hoje. Nem o ajuste de contas com o destino, em Alkmaar, num princípio de noite de 2005, protagonizado por Miguel Garcia, exorcizou este fantasma.

Quinta-feira espero obter um resultado que nos permita ir à final. Estou convicto que, em condições normais, esse resultado será obtido. A sermos eliminados, dispenso, no entanto, outro Magdeburgo que me assombre até ao fim dos meus dias.

Eu quero é outro AZ. Força Sporting rumo á final!

Faz-me lembrar aquela bola à trave na final contra o CSKA que metia o jogo de novo em 2-2 se entrava, na recuperação de bola o CSKA faz o 3-1… :wall:

Estou nervoso…MUITO NERVOSO !!!

Não era nascido na altura, mas ouvi muito falar nesse jogo, até mais por razões políticas, os jogadores do Sporting saíram de portugal em ditadura e entraram em democracia.

Vinha citar esse mesmo jogo… acho que esse sera o jogo de toda a historia do sporting que mais custara engolir…quanto mais nao seja a final foi em nossa casa… doeu tanto…ainda hoje doi… :frowning:

E então o ter sido no meio da semana que foi ainda dói mais :wall:

Era muito novo, por isso não tenho memorias nenhumas desse jogo…

No entanto, e acima de tudo por respeito aqueles que nesse dia defenderam as cores do nosso Sporting, quero agradecer ao Bolas pela abertura do tópico e logo com uma excelente crónica!

Nao sei a razão que me leva a tal, mas adoro ler as peripécias que outros Sportinguistas viveram em datas de jogos importantes, talvez para me certificar que não sou o único a tentar evitar os afazeres e compromissos que constituem o meu dia a dia, livrando-me assim de tudo que não seja um caso de vida ou de morte (e mesmo assim, depende da morte de quem :wink: ) para poder então assistir em paz ao encontros que o Sporting joga.

:beer:

Fantástico @Bolas :clap: :clap: :clap:

Eu ainda não era nascido mas já ouvi falar desse jogo várias vezes, desconhecia os pormenores que nos afastaram da final e foi óptimo poder ler o teu relato dessa eliminatória.

Nunca fomos um clube bafejado pela sorte ao contrário do carnide ou dos fruteiros, o nosso karma está bem vincado em determinados momentos da nossa história.

Recordo uma meia final com o Inter no tempo do Marinho Peres em que não tivemos a sorte necessária para levar um bom resultado para Itália, só o Oceano nessa noite falhou 3 golos feitos na cara do Zenga. Merecíamos estar nessa final com a Roma. :inde:

Uma grande eliminatória com o Barça em Alvalade onde somos eliminados a 5m do fim com um golão de um tal Roberto :inde:

Mais tarde vem aquela eliminatória perdida para o Napoli de Maradona nos penaltys :wall: :wall: :wall:

Aquela eliminatória com o Real Madrid onde demos um festival de bola no Barnabéu, e em Alvalade no 2º jogo Cadete falha no ultimo minuto um golo em cima de linha. >:(

Obviamente que a final de 2005 é o galo dos galos, NINGUÉM pode perder uma final em casa para o CSKA…

Apesar de todos estes galos o que mais me marcou foi um jogo com o Dinamo de Minsk da ex.URSS por volta de 84 ou 85 onde fomos afastados por penaltys.
Foi a única vez que chorei com uma derrota do Sporting… Jamais irei esquecer essa tarde de chuva agarrado ao rádio.
Nunca perdoei o Xavier por aquele falhanço. :inde:
Porquê aquele jogo? Sinceramente não sei…

Tive mais de 20 anos para ver o Sporting ter uma vaca brutal, como foi em Alkmaar. E lembro de ter comentado que estaríamos mais 20 anos para ter sorte igual.
Não foi preciso tanto, 3 ou 4 anos depois também na Holanda no ultimo minuto o Patricio vai á area adversária fazer o golo que nos deu a entrada na Champions.

É por isso que acho que a sorte não nos faltará na 5ª feira, conto com ela. Mas uma coisa é certa, o unico sítio onde a sorte vem antes do trabalho é no Dicionário!!!

Não acredito em superstições ou no destino. É verdade que temos algum azar nos momentos decisivos (azar e não só, por vezes também há influências de terceiros, e não, não estou a falar de Deus), mas acredito nesta equipa, que é das mais jovens de sempre.
Se jogarem como sabem, concentrados e com garra de leão, não há praticamente nada que nos pare.

Eu acredito. Força Sporting!

Ora viva grande Bolas!

Eu também me lembro desse jogo como se fosse hoje apesar de na altura ter apenas 9 anos, não porque tenha visto, pois nessa altura não havia televisão nos Açores, mas nesse tempo eu não perdia um relato e são essas as minhas memórias mais distantes enquanto sportinguista.

Até parece que estou a ver aquele rádio enorme na cozinha da minha tia, onde nessa tarde segui a peripécias do jogo e sofri com esse falhanço incrível do Tomé, depois de no jogo da 1ª mão o Dinis ter falhado um penalti, num jogo em que o Yazalde não pode jogar devido a lesão, numa altura em que já estava mais preocupado com o Mundial de 74 do que com o Sporting.

Quanto ao resto parece que estamos destinados a sofrer mesmo na hora das vitórias, e muitas foram as derrotas que me deixaram a pensar que aquilo até parece que só nos acontece a nós, embora hoje eu já sofra menos, talvez por já estar habituado, mas ainda há algumas que doem, como foi o caso do ano do “quase” até porque estive no galinheiro e em Alvalade nesses dois jogos decisivos.

Para Bilbau confesso que não estou muito optimista, mas se passarmos vai doer-me muito não poder estar em Bucareste, graças a uma camada de corruptos e incompetentes sem qualificação como o Passos Coelho e o Sócrates e muitos outros da mesma laia que desgovernam este pobre país desde a altura dessa triste derrota em Magdburgo.

A verdade é que já estamos destinados. Se o wolfswinkel ou o carrillo fizessem o normal, estaríamos já na final. Temos o que plantamos. Agora temos de suar para passar. Não se fiem na sorte. Fiem-se em ser melhores e em marcar mais que os outros. Futebol é isso. Marcar mais.

Majestade, isso quer dizer que o tribunal (expressão que detesto, mas tu costumas utilizar) culpa o Wolfswinkel e o Carrillo por um eventual não apuramento à final, que segundo percebo pelo que dizes já estará destinado?

Quanto à tua definição de Futebol, concordo em parte, mas futebol não é só isso. É também sofrer menos. E muitos outros detalhes pelo meio.

O que está destinado é termos de sofrer para ir à final, coisa que Carrilo ou Wofls podiam ter evitado.

Não individualizo. Mas prevejo que o tribunal o fará.

Resta-me rezar para que Wolfs marque o golo de acesso e o do título e tudo estará bem!

Eu também.
Foi uma oportunidade de ouro perdida! :’( :’( :’(

No poste*

@ Majestade

Bem, pior que o Carrillo e o Wolfswinkel que tudo fizeram por nós e não tem culpa de nada, foi o árbitro que nos roubou um penalty descarado e no lance seguinte foi golo que não teria sido se tivesse marcado o penalty que roubou, repito descaradamente. :great:

Bom post, gostei de ler, nasci em 74 não tive a oportunidade de viver este momento mas acabei de vivê-lo através das tuas memórias. Obrigado.

:arrow:

É isto!!!

Nem quero pensar noutro Magdburg! :mrgreen:

VAMOS SPORTING!!

Está visto que temos de decidir em casa as coisas.

Porque é que postaste esta merda!!! Fodasse!!! Que azia!!! :wall: :wall: :wall: :wall: :wall: :wall: :wall: