Miguel Braga - Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal

Resposta à macho, assertiva e contundente, aposto que depois disto o LFV nunca mais se mete connosco com medo de levar com outra resposta destas!

1 Like

Respondeu com elevação! O Sporting ao panelas responde sempre com elevação! Ontem, o do cabelo branco, quando falava do Porto quase tinha síncopes cardíacas, tal era o ódio, mas quando falava do panelas fazia-o com elevação. A mesma elevação que demonstrarão na altura em que o panelas receber o título de campeão nacional, aí, o fanhoso, o filho do fadista, o agrobeto, o contabilista criativo e outros que tais, estarão a ajudar a elevar o troféu.

O D. Orelhone voltou a rir-se e se a resposta tivesse sido dada pelo fanhoso, rir-se-ia ainda mais, principalmente quando o fanhoso o tratasse por Dr. Vieira…

1 Like

Este clube, atualmente é dirigido por uns coninhas/ conas de sabão… tudo e todos gozam conosco…

2 Likes

Se tivesse sido para responder a um sócio, já mostrava os dentes.

2 Likes

MIGUEL BRAGA AO ATAQUE

Luís Filipe Vieira, Fontelas Gomes e FC Porto foram alguns dos alvos do responsável de comunicação dos leões. Na Sporting TV, Miguel Braga esclareceu ainda as situações de Vietto, Camacho e Ristovski

Duarte Pereira da Silva

Texto

20 de Outubro 2020, 12:25

Miguel Braga marcou, esta segunda-feira, 19 de outubro, presença na Sporting TV e atacou em várias direções. Na estreia do programa ´Raio X´, o responsável de comunicação abordou a polémica arbitragem do clássico, respondeu a Luís Filipe Vieira e apontou também ao Presidente do Conselho de Arbitragem, Fontelas Gomes, e ao FC Porto.

Arbitragem do clássico

  • Não sabendo fazer leitura labial de algumas palavras que o Sérgio Conceição diz, aquele tipo de palavreado não é admitido pelas regras da arbitragem em Portugal. Hoje em dia, também há outra particularidade. Os estádios estão vazios e, por isso, se, na bancada, nós conseguimos ouvir o que disse o banco do FC Porto, faz-me um bocadinho de confusão que ninguém oiça o que disseram, mas, depois, já ouviram o que disse o Rúben Amorim, expulsando-o.
  • Mais uma vez, o que está aqui em causa é a dualidade de critérios que existe relativamente ao treinador do FC Porto e do Sporting CP. Porque é que não nos julgam a nós da mesma forma que julgam os outros?
  • Existia um sentimento de revolta e viu-se isso pela presença do Presidente na conferência de imprensa. Sentimos que era um jogo que podíamos ganhar e que acontecimentos estranhos não permitiram que isso acontecesse.

Dualidade de critérios

  • A dualidade de critérios que nos queixamos tem-se acentuado nos últimos anos. Chegou a altura de dizer basta. Não queremos mais do que os outros. Queremos as mesmas regras que os outros têm.
  • A única coisa que esperamos é que esta dualidade de critérios, que, desde a primeira jornada, temos vindo a alertar, não aconteça. Não é bom para o futebol português e não é bom para o Sporting CP.

Resposta a Luís Filipe Vieira

  • O que dá vontade de chorar é ver a falta de cultura democrática de certas pessoas ligadas ao futebol português. É a única coisa que tenho a dizer sobre isso (declarações de Luís Filipe sobre os debates nas eleições do Sporting CP). Quem não quer debater com os seus adversários, revela falta de cultura democrática. Atacar o Sporting CP por esse ponto só dá vontade de chorar e não de rir.

Críticas a Fontelas Gomes

  • O Presidente do Sporting CP foi bastante claro e acredita que Fontelas Gomes poderá ser a pessoa indicada para liderar a arbitragem e provocar certas mudanças. Não havendo mudanças, exigem-se algumas. Fazendo sempre a mesma coisa, vamos ter sempre os mesmos resultados.

Sporting CP é a equipa com mais cartões amarelos, em média, da Liga NOS

  • Já tínhamos alertado para esta estatística e voltamos sempre à mesma tecla. Por um lado, lemos na imprensa desportiva que temos uma equipa jovem, mas, pelos vistos, são os mais viris de todo o campeonato, dado que, pela média, somos a equipa que recebe mais cartões amarelos por jogo. Pelo que vejo do Sporting CP, não me parece que faça qualquer sentido sermos a equipa mais indisciplina da Liga NOS.

Comparação com Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira

  • Foi curioso ver um diretor de um jornal desportivo escrever que entendia a revolta do Sporting CP, mas, depois, dizia que o Sporting CP tinha perdido alguma influência. Sempre pensei que os jogos se deviam ganhar dentro do campo. Além disso, temos de perceber o contexto em que isto foi dito. Pinto da Costa está como Presidente do FC Porto há 40 anos, Luís Filipe Vieira está há praticamente 20 anos como Presidente do SL Benfica e Frederico Varandas está há dois anos como Presidente do Sporting CP. Pretender que um Presidente que está há dois anos tenha a mesma influência que um que está há 40 e outro que está há 20, não me parece sequer uma conta muito famosa por si.

Trabalho invisível

  • Ao nível da seleção portuguesa, desde 2018, já tivemos mais jogos em Alvalade do que com os dois Presidentes anteriores. Também tivemos uma Liga dos Campeões. Todos estes atos representam o tal trabalho invisível que está a ser feito e que nos vai permitir ter outra presença em certos setores do futebol.

Vietto

  • Houve uma proposta, mas não existiu vontade do Sporting CP em fazer o negócio, e ainda bem, porque o Vietto foi fundamental no jogo com o FC Porto. A proposta, de facto, existiu, mas não tivemos interesse em prosseguir as negociações.

Rafael Camacho

  • A proposta em causa não interessava ao Clube porque queriam o jogador emprestado por duas épocas, sem possibilidade do Sporting CP o chamar de voltar e não pagar nada por isso. Foi uma proposta sem futuro.

Stefan Ristovski

  • É uma questão interna do Clube e acho que o Rúben Amorim, melhor do que ninguém, já falou sobre ela. Será resolvida internamente dada a natureza da questão.

DUALIDADES E OUTRAS COISAS

Por Miguel Braga*
22 Out, 2020

OPINIÃO

A introdução do VAR foi uma medida benéfica na luta pela transparência do futebol e como tal precisamos de protegê-la e apetrechá-la de mais instrumentos que ajudem à compreensão de determinadas decisões e à clarificação dos processos

O terramoto provocado pela dualidade de critérios do primeiro clássico da época, teve réplicas ao longo de toda a semana. A presença do árbitro Pedro Azevedo na Sporting TV contribuiu para esclarecer algumas almas menos iluminadas e relembrar a outros que as regras existem e que devem ser iguais para todos. O FC Porto teve mesmo a particularidade de ter um jogador que deveria ter visto dois cartões vermelhos – primeiro por entrada grosseira e perigosa sobre Pedro Porro, depois por fazer penálti; o internacional sub-21 espanhol teve, inclusivamente, de fazer tratamentos nos dias seguintes – e que, mesmo assim, acabou por fazer a totalidade do jogo. É obra. O mantra repetido até à exaustão que uns jogam nos limites mina a capacidade de decisão sobre lances que não podem ser considerados normais no futebol, sobre atitudes que confundem propositadamente agressividade com violência. É, por vezes, uma linha ténue que separa os conceitos, mas é uma linha que existe e que não deve, nem deveria, ser menosprezada. Como a linha da decência, ultrapassada por um ou outro comentador azul e branco, que chegaram mesmo a dizer que Pedro Gonçalves deveria ter visto o cartão amarelo no famigerado lance com Zaidu, por simulação. Só mesmo a falta de vergonha permite comentários públicos assim.

Para meditar sobre estas dualidades que têm marcado a história do Futebol português nos últimos anos, recordo a entrevista de Tomislav Ivković à Tribuna do Expresso, guarda-redes que defendeu as nossas balizas – e dois penáltis do Maradona – nos finais dos anos 80 e princípio dos anos 90. À pergunta se se sentia o domínio do FC Porto, Ivković foi peremptório: “Ohhh, naqueles tempos… Era na Europa toda: cada país tinha o seu FC Porto. O comportamento dos árbitros e dos dirigentes era diferente quando se tratava do FC Porto”. Continuando: “posso dizer que o Pinto da Costa e o Reinaldo Teles eram as pessoas a que toda a gente queria agradar. Porquê? Porque havia a ideia de que eles podiam ajudar quando fosse preciso. Faziam-se bonzinhos, queriam ficar perante eles”.

Heródoto afirmou ser necessário “pensar o passado para compreender o presente e idealizar o futuro”. Continuar a fingir que nada se passou no passado servirá o presente de alguns, mas não ajudará o futuro do futebol português. A introdução do videoárbitro (VAR) foi uma medida benéfica na luta pela transparência do futebol nacional e como tal precisamos de proteger a figura do VAR e apetrechá-la de mais instrumentos que ajudem à compreensão de determinadas decisões e à clarificação dos processos. Não queremos regras diferentes, exigimos sim, critérios idênticos.

** Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal*

BRAGA: “VIETTO FOI CONSEQUÊNCIA DO ATAQUE A ALCOCHETE”

Na Sporting TV, responsável de comunicação dos leões abordou saída do argentino. Declarações de Frederico Varandas, ´aliança´ com os encarnados e Albuquerque foram outros dos temas em análise

Duarte Pereira da Silva

Texto

27 de Outubro 2020, 11:10

Miguel Braga defendeu, esta segunda-feira, 26 de outubro, que a chegada de Luciano Vietto ao Sporting CP aconteceu no contexto pós ataque à Academia de Alcochete. No programa ´Raio X´, da Sporting TV, o responsável de comunicação dos leões abordou ainda a troca de palavras entre Frederico Varandas e Pinto da Costa, ´aliança´ com o SL Benfica e o caso de Miguel Albuquerque.

Luciano Vietto:

  • Temos de nos lembrar em que condições é que o Vietto veio para o Sporting CP. Diria mesmo que será uma consequência do ataque a Alcochete, uma vez que o Gelson Martins e outros jogadores rescindiram contrato com o Clube e o Sporting CP tentou chegar a acordo com os clubes onde estavam alguns desses jogadores. O Atlético de Madrid não queria pagar mais do que os 15 milhões de euros e o Sporting CP sentia que o jogador valia mais.
  • A primeira desvalorização do Vietto terá sido feita pelo próprio Atlético de Madrid ao cedê-lo ao Sporting CP por esse preço.
  • Chegou a verdadeira proposta das arábias para o jogador. O Vietto foi receber mais, por exemplo, do que recebe o Bruno Fernandes no Manchester United. Foi-lhe dado um contrato de uma vida. O jogador, de forma profissional, falou com a Direção e o Sporting CP e o Atlético de Madrid acharam por bem não cortar as pernas ao jogador.
  • Temos de perceber que esta venda para o Sporting CP – dinheiro e poupança de salário – representa qualquer coisa como 6 milhões de euros. Não faria muito sentido o jogador mais bem pago do plantel lutar pela titularidade.

Massa salarial:

  • A folha salarial do Sporting CP é bem diferente daquilo que era no passado. Jogadores como o Petrovic recebiam o mesmo do que o Vietto, mas há outros jogadores, como o Bruno César, o Viviano ou o Castaignos. O Sporting CP tinha uma cultura de gastar dinheiro em jogadores que não precisava. Tínhamos uma massa salarial muito elevada e os resultados, como se sabe, não foram os desejados.
  • A aposta que este Conselho Diretivo faz na formação passa por isso mesmo, ou seja, um futuro sustentável e que permita ao Sporting CP sonhar com outro tipo de vitórias.

Troca de palavras entre Frederico Varandas e Pinto da Costa

  • Temos de recordar como isto tudo começou. O Sporting CP, no jogo com o FC Porto, foi altamente prejudicado. No final da partida, o Presidente Frederico Varandas expressou o seu descontentamento e o FC Porto ´enfiou a carapuça’ e passou a fazer um ataque violento, com insinuações gravíssimas, elogiando o lado mais negro do ataque Alcochete. Foram afirmações despropositadas.
  • O Presidente Frederico Varandas disse o que muita gente pensa, mas que ninguém diz, seja por conivência com o FC Porto ou devido ao clima de medo instalado que se vive no futebol português, sobretudo no norte do país.

´Aliança´ entre Sporting CP e SL Benfica

  • Não há qualquer aliança com o SL Benfica. Nem com outro clube. Os valores do Sporting CP são os valores do Sporting CP. Se as pessoas acham que há uma aliança, convido-as as lerem um texto que escrevi há mais de um ano sobre a condição atual do SL Benfica e o facto de o clube estar envolvido em tantos processos judiciais. Não é bom para o futebol português.

Miguel Albuquerque

  • É um assunto interno e altamente delicado. Será tratado internamente e terá toda a atenção do Conselho Diretivo.

Isto é verdade?

Não mas também já ninguém liga porque a paciência se esgota com tanto populismo e mentiras. Só mesmo o Vítor Espadinha.

Um pulha por mais uma vez a usar a desculpa de Alcochete!

Um mentiroso por afirmar que “A primeira desvalorização do Vietto terá sido feita pelo próprio Atlético de Madrid ao cedê-lo ao Sporting CP por esse preço.” quando o jogador era dispensável no Atlético e mesmo assim veio avaliado em 15M quando o seu valor de mercado se cifrava nos 5M à altura!

Um escroque por branquear a manobra vergonhosa e cobarde de enxovalhamento publico de que Miguel Albuquerque está a ser alvo!

É esta gente que constitui o atual sporting!

4 Likes

É um mentiroso! Não houve insultos ao coates. 0 insultos mesmo, sempre a desvalorizar os adeptos que fazem de tudo para os apoiar.

O intuito é óbvio: Desmobilizar as “massas” e governar a bel prazer.

Sobre o que Miguel Braga disse, deixar apenas uma nota: Petrovic recebia 1,8M brutos e o Vietto veio receber 2,1 líquidos.

Já se mente despudoradamente?

2 Likes

Nada como cuspir mentiras sempre que abrem a boca.

É isto o Sporting Clube de Portugal actualmente.

1 Like

Mais um mentiroso compulsivo, que surpresa…
Se há coisa em que esta direcção é homogénea é na aldrabice dos seus integrantes e colaboradores próximos.

1 Like

Nos Açores quem la esteve viu, apoiou-se a equipa o jogo todo, no fim criticou se o varandas, la está tem de inventar algo para tirar o foco, uma mentira dita muitas vezes torna se verdade.

Não tem/têm vergonha nenhuma, tanta mentira junta, inacreditável!

1 Like

O Petrovic ganhava 2.6M brutos. Este senhor é um mentiroso.

Aqui fala em 1.8M Brutos.