Miguel Braga - Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal

Ora bem.

O Sporting não foi fundado para ser um clube diferente, ou simpático, ou de formação…O Sporting nasceu para ganhar ponto.

1 Like

UMA QUESTÃO CENTRAL

Por Miguel Braga*
23 Jul, 2020

OPINIÃO

A todos, mas em especial a Jérémy Mathieu, que agora nos deixa, muito obrigado. O Sporting Clube de Portugal será também sempre vosso

Nos últimos anos, tivemos a oportunidade de ver em campo dois dos melhores defesas-centrais que já jogaram no nosso país. De um lado, Jérémy Mathieu, que, entretanto, anunciou a sua reforma, do outro, Sebastián Coates, El Patrón , que esta semana atingiu a singela marca de 200 jogos de Leão ao peito. Foi uma dupla que trouxe ao Clube mais classe, esforço, devoção, dedicação, atingindo por vezes também a glória, deixando em campo muito suor e lágrimas pelo Sporting Clube de Portugal. Coates continuará em campo e Mathieu ficará agora a torcer por nós fora dele. Nas páginas centrais desta edição do Jornal Sporting poderá ver a radiografia desta história contada a dois, um francês e um uruguaio que o destino quis juntar em Lisboa.

Coates e Mathieu fazem parte de uma elite de centrais que construíram a defesa do Clube nas últimas décadas. Confesso que desde que me lembro de ver futebol, o Sporting CP sempre teve naquela posição pilares das suas equipas, patrões, homens fortes e de carácter. Se na versão nacional nomes como Eurico, Morato, Venâncio ou Beto (o mais marcador entre iguais com 25 golos) fizeram as honras da casa, foi do estrangeiro que o Sporting CP trouxe o talento para aquela posição central no terreno de jogo.

Além dos já referidos, há, porém, outros nomes que conquistaram o pleno direito de fazer parte do imaginário colectivo do Sporting CP. Sem ordem futebolística ou de importância em campo, destacaria sempre a classe de Nourredine Naybet (que fez apenas 73 jogos pelo Clube), o imperador Marco Aurélio (172 jogos), o esquerdino André Cruz com a sua colocação em campo e nos livres directos (que nos valeram 15 golos em 105 jogos), o primeiro Campeão do Mundo de Selecções a jogar em Portugal, Anderson Polga, que fez mais de 300 jogos (342 para ser exacto) com a camisola do Leão e, por fim, Luizinho. O tal central que provou que os defesas-centrais não se medem aos palmos (tinha “apenas” 1,79 m) e que era titular da selecção brasileira que encantou o Mundo em 1982 – e da qual faziam parte nomes como Zico, Falcão, Sócrates, Toninho Cerezo, Eder ou Roberto Dinamite. Um momento certamente inesquecível foi aquele golo nos instantes finais contra o Bologna FC em 1991, nos quartos-de-final da Taça UEFA, que nos permitiu passar e medir forças com o todo poderoso FC Internazionale Milano, de Walter Zenga, na eliminatória seguinte. Acabámos por cair nas meias-finais depois de uma exibição magistral em Alvalade e o Inter acabou por ser o vencedor da competição (ganhou na final, por 2-1 a outros italianos, da AS Roma).

A todos, mas em especial a Jérémy Mathieu, que agora nos deixa, muito obrigado. O Sporting Clube de Portugal será também sempre vosso.

** Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal*

Eu entendo que este responsável da treta da comunicação social do Sporting tenha esquecido os “magriços” José Carlos e Alexandre Batista, porque é jovem e croquete, sobretudo croquete.

1 Like

MIGUEL BRAGA ACUSA MIHAJLOVIC DE NÃO QUERER PAGAR IMPOSTOS

Responsável pela comunicação leonina explica que o treinador sérvio se recusa a pagar os impostos em Portugal

Maria Pinto Jorge

Texto

8 de Agosto 2020, 18:16

Durante esta tarde de sábado, dia 8 de agosto, o responsável de comunicação do Sporting CP, Miguel Braga, explicou, na sua rede social Twitter, alguns motivos para o comunicado lançado ontem pelo Clube de Alvalade (LER AQUI), focando-se, sobretudo, na questão de Mihajlovoc, ex-treinador dos leões.

O responsável leonino chega mesmo a acusar o treinador sérvio de “não querer pagar impostos em Portugal e de procurar, por todos os meios, designadamente através da UEFA, receber a totalidade do montante indemnizatório”.

Na base deste mesmo tema, após o comunicado sobre a falta de profissionalismo do jornal desportivo A Bola para com o Sporting CP, Miguel Braga considera que “depois de um comunicado do Sporting Clube de Portugal sobre as manobras de capa de A Bola, o jornal volta hoje a lançar os dados e, pasme-se, voltaram a sair os mesmos números”.

Este rapaz porque é que não tenta o fado?

RECOMEÇOS

Por Miguel Braga*
20 Ago, 2020

OPINIÃO

Será uma época onde o Esforço, a Devoção e a Dedicação de cada um serão fundamentais e cruciais para atingirmos a desejada Glória colectiva

Os inícios de época são alturas de esperança, de acreditar, de crença. Que vamos conseguir mais e melhor, levando o Clube e os sonhos dos Sócios, adeptos, jogadores, staff e direcção ao porto desejado.

A época que começa, nas várias modalidades, é uma época atípica, diferente daquilo que todos nós já vivemos: a incerteza relativamente à presença do público nos estádios e pavilhões, o receio de um mercado de transferências peculiar, a ameaça de uma pandemia que parou o país e o Mundo e que nos deixa desconfiados do dia de amanhã.

É neste contexto que as várias equipas do Sporting Clube de Portugal se preparam para o futuro que aí vem. Com a certeza de que, mais do que nunca, esta será uma época onde o Esforço, a Devoção e a Dedicação de cada um serão fundamentais e cruciais para atingirmos a desejada Glória colectiva. Este é o caminho que todos, Sócios, adeptos, jogadores, staff, dirigentes e colaboradores do Clube têm de percorrer.

Esta semana regressaram os trabalhos à Academia Sporting com a esperança renovada em atingir os objectivos que a estrutura se propõe a conquistar. Temos a experiência de jogadores internacionais consagrados, a irreverência da juventude da nossa formação e a chegada de reforços com ambição e qualidade que nos permitem sonhar com uma época que recoloque o Sporting CP no lugar que merece. Temos também um treinador ambicioso, conhecedor do futebol nacional e com uma ideia clara do que quer dentro de campo. Esta combinação só nos pode encher de uma esperança verde e branca, desejosos que a bola volte a rolar, idealmente e se as autoridades o permitirem, com público nas bancadas a apoiar a armada de Rúben Amorim.

Esta semana que passou, o Estádio José Alvalade foi também palco de uma meia-final da Liga dos Campeões e a nossa Academia foi a arena onde o Paris Saint-Germain se treinou para alcançar pela primeira vez na sua história a presença na final da prova principal do continente europeu. Mais uma vez, o trabalho não visível de uma larga equipa Leonina (e não só) permitiu a realização da competição. A todos os envolvidos, os meus parabéns.

** Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal*

1 Like

MIGUEL BRAGA RESPONDE A INÁCIO

Responsável de comunicação do Sporting CP utilizou o Twitter e recordou contratação de Mihajlović

Duarte Pereira da Silva

Texto

25 de Agosto 2020, 18:36

Miguel Braga utilizou, esta terça-feira, 25 de agosto, as redes sociais para responder a Augusto Inácio, que, em declarações ao Zerozero, deixou duras críticas à estrutura do Sporting CP (LER AQUI), nomeadamente a Frederico Varandas e André Bernardo.

“Falemos de mentir e Augusto Inácio. A seis dias de uma AG destitutiva fez uma jogada de mestre e contratou Mihajlović. Não satisfeito em apenas seis meses alterou o seu testemunho, mentindo e contribuindo para que o Sporting CP fosse penalizado em 3 milhões de euros. Amor assim, não, obrigado” referiu o responsável de comunicação dos leões.

Esta não é a primeira ocasião em que Miguel Braga utiliza o Twitter para desmentir, esclarecer ou responder a questões relacionadas com o Sporting CP. Recentemente, o assessor de comunicação de Frederico Varandas afirmou que os leões nunca estiveram interessados em Toni Martinez (LER AQUI), desmentindo, assim, a notícia do jornal O Jogo.

Devia lavar a boca antes de falar do Inácio, um autentico verme este artista

3 Likes

Asqueroso.

Estes filhas da ■■■■ é que despediram o Sinisa CONTRA A RECOMENDAÇÃO DO CONSELHO JURÍDICO DO SPORTING e a culpa é do Inácio que estes incompetentes tenham que pagar uma indemnização do gajo.

Surreal estes montes de merda terem tomado de assalto o clube.

Este Clube realmente só está rodeado de gente reles, é uma estristeza!

Escolhidinhos a dedo, todos. Devem fazer um teste de filha da pu**ce antes de serem admitidos :upside_down_face:
Que quadrilha temos a comandar os destinos do Sporting :slightly_frowning_face:

A estupidez e estultícia, pelos vistos, não são um exclusivo do doc fanhoso… todos os seus acólitos estão infetados.

Mais um estriste…

SINAIS

Por Miguel Braga*
03 Set, 2020

OPINIÃO

(…) Numa altura em que se multiplicam eventos com público, ainda que com restrições, o desporto em Portugal continua a ser uma excepção para as nossas autoridades de Saúde

Arranca este fim-de-semana o Troféu Stromp, sinal de regresso a alguma normalidade, muito embora ainda sem o público desejado nas bancadas do Pavilhão João Rocha. Numa altura em que se multiplicam eventos com público, ainda que com restrições, o desporto em Portugal continua a ser uma excepção para as nossas autoridades de Saúde.

Terminou também no passado domingo o estágio da equipa principal de futebol do Sporting Clube de Portugal. Além da habitual carga de treinos em fase de pré-época, o Algarve foi também o palco ideal para Rúben Amorim testar as soluções de que dispõe para avaliar a composição final do plantel.

À experiência de nomes como Coates, Vietto ou Neto, juntaram-se reforços de qualidade como Feddal, Adán ou Nuno Santos, e a irreverência da juventude no talento de Nuno Mendes, Eduardo Quaresma ou Tiago Tomás. As boas notícias é que ainda há vários nomes, como Max, Matheus Nunes ou Šporar, que nos dão garantias de uma equipa competitiva e cada vez mais confortável com as ideias de jogos e dinâmicas introduzidas pela equipa técnica. E sim, Jovane Cabral, Gonzalo Plata, Antunes, Daniel Bragança, Borja, Porro, Inácio, Rodrigo Fernandes, Wendel e também a magia do nosso Harry Pote, são todos sinais de boa construção do plantel para atacar esta época. E até porque ainda não fechou o mercado de transferências, seja a solução interna ou externa, alguns nomes ainda se vão juntar a este lote para fechar o plantel do Sporting CP.

Também no Algarve, Stefan Ristovski envergou pela primeira vez a braçadeira de capitão do Clube. E fez questão de assinalar o feito nas redes socias, realçando “a honra e o orgulho enorme” da façanha. Sinal de que os homens também se fazem destes momentos e de que o Clube tem nas suas fileiras quem respeita e percebe a grandeza do Sporting CP.

Já está marcada a primeira jornada da Liga NOS e o kick off da temporada 2020/2021 teve lugar no magnífico cenário da Real Companhia Velha. Sobre o mesmo, umas notas. Primeiro, o sinal de que algo precisa de mudar na média de faltas por jogo em Portugal – seja pelo apito rápido, por jogadas menos claras dos jogadores ou vontade dos treinadores – quem não se lembra das instruções de Ricardo Soares, treinador do Moreirense FC, no jogo contra o Sporting CP –, a verdade é que a nossa Liga é a mais faltosa entre iguais (números disponibilizados pela Liga no “Futebol em Números 2019-20 – Report Estatístico das Competições Profissionais”), sendo por isso o tempo útil de jogo e o espectáculo prejudicados. Um sinal claro que devemos melhor, clubes, mas também arbitragem: um sector que deveria ser mais aberto, mais crítico e menos corporativo. A bem de todos. Mas infelizmente, o sinal de que a mudança está longe de acontecer, veio com a atribuição do Prémio Prestígio a Valentim Loureiro, dirigente condenado no âmbito do Apito Dourado.

** Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal*

DESCONFINAR É PRECISO

Por Miguel Braga*
17 Set, 2020

OPINIÃO

(…) O regresso à vida não é apenas feito na sala de aula. É na prática do desporto, é na rua, é nos cafés, nos restaurantes, nos cinemas, nos teatros, mas também nas bancadas dos pavilhões e dos estádios do país

Numa semana marcada por notícias sobre casos positivos de COVID-19 em oito jogadores e em dois elementos do staff da equipa de Futebol do Sporting CP, não podemos deixar de pensar no que se podem transformar as próximas semanas, os próximos meses.

Convém sempre recordar que estamos a falar de dez pessoas saudáveis, completamente assintomáticas e que, ao contrário da grande maioria da população, já foi testada mais de uma dezena de vezes nos últimos meses – com vários testes nos últimos dias. Não é racional a penalização ou o excesso de testes a que estão sujeitos comparativamente com qualquer outro sector. O desconhecimento sobre algo não deve ser impeditivo de tudo, com medidas mais restritivas do que os países vizinhos e tratando, no caso nacional, o desporto em geral e o futebol em particular como uma excepção.

Do norte da Europa chegam números que indiciam que podemos ter outra abordagem para com a pandemia – a Suécia teve esta semana os números “mais positivos” do continente, com menor número de novos doentes por habitante, baixando o número de mortes para valores residuais. Os responsáveis suecos falam em política “sustentável”, que não mate a sociedade com a sua própria cura – a notícia foi publicada no The Guardian esta quarta-feira.

Ninguém tem uma bola de cristal para saber o dia de amanhã. Mas sabemos hoje como podemos enfrentar o futuro: restringindo ou adaptando-nos a uma nova realidade; fechados em casa ou munidos de máscara na rua, lavando as mãos com frequência, respeitando novas distâncias sociais e corrigindo comportamentos; estrangulando empresas ou criando condições para que estas sobrevivam à maior crise das últimas décadas; não ouvindo os parceiros dos mais variados sectores ou chegando a um consenso que nos leve a dar um passo em frente como sociedade e como exemplo europeu.

Esta é também a semana do regresso às aulas, a uma ilusão de vida normal que nos escapa desde Março. Este regresso será uma prova ao nosso civismo, à forma como nos comportamos, mas também de como as autoridades de saúde e os nossos políticos vão encarar o dia de amanhã. O regresso à vida não é apenas feito na sala de aula. É na prática do desporto, é na rua, é nos cafés, nos restaurantes, nos cinemas, nos teatros, mas também nas bancadas dos pavilhões e dos estádios do país.

** Responsável de Comunicação Sporting Clube de Portugal*