Manifesto SCP Mais e melhor Sporting!

Depois de umas mini-férias natalícias, de acabados alguns afazeres profissionais inadiáveis, aqui fica a minha iniciativa para mudar algo - nem que seja o nível de informação dos Sportinguistas.

Gostava de receber a vossa opinião, contribuição e caso concordem com o manifesto, que enviem o vosso contacto para o e-mail indicado.

Por último, quero dizer que este é o início simbólico da iniciativa. Se a mesma tiver os apoios suficientes e criar uma dinâmica própria a agenda e os seus objectivos poderão ser revistos e ampliados.

http://manifesto.no.comunidades.net/

A todos os que apoiarem a iniciativa, desde já obrigado e bem hajam.

Frede têm todo o meu apoio. Penso que já te enviei um documento com algo que poderá talvez ajudar.

Parabéns pela iniciativa,é deste espírito que o clube precisa

Frede, grande trabalho que prestas á comunidade sportinguista. Tens todo o meu apoio nesse trabalho com pés e cabeça onde se pega os bois pelos cornos e se tentam arranjar soluções :clap: :clap:

Parabens!!! :beer:

Belo trabalho! :clap:

Estou disponível para ajudar. Como alguns sabem, sou web designer e possuo um espaço de alojamento considerável ao qual poderei adicionar um número ilimitado de domínios. Se pretenderem, e alguém oferecer o registo do domínio, posso construir um site mais de acordo com a ambição do manifesto e alojá-lo no meu espaço no servidor. Digo isto porque notei a falta de uma maior exposição, com possibilidade de feedback por parte dos apoiantes. Era MUITO importante existir uma forma de contabilizar o número de pessoas que se identifica com a iniciativa, de forma a torná-la maior. Fica a sugestão e bem-hajam!

Muito Bom,

Há que começar pelo principal e pelo maior cancro que existe no nosso clube… :clap: :clap: :clap:

Ps- Frede, se puderes depois responde à PM,sff…

Caro Gabriel Alves, agarro com as duas mãos essa possibilidade. Eu também gostaria de dar uma cara nova à iniciativa mas de web design não percebo nada de nada…
Obrigado desde já.

Obrigado pela iniciativa :clap:

Frede :clap:

Li tudo e gostei!

N1 :wink:

Belo trabalho Frede, pds contar comigo para o que aí vier :beer:

parece-me uma excelente iniciativa. vou divulgar.

frede

Começar por dizer que me parece uma boa iniciativa da tua parte. Muito melhor estaria o Sporting se adeptos como tu se chegassem à frente com ideias ou iniciativas para dinamizar o clube e ajuda-lo a ultrapassar os maus momentos.

Dito isto, e após ler o manifesto, gostava de fazer algumas considerações, dizendo desde já que concordo com muitas coisas do manifesto mas discordo de outras. Não gostaria que os meus comentários fossem vistos negativamente, mas apenas como algo que acrescenta mais à discussão.

Aqui vai.

1.
Penso que te enganas-te, e talvez queiras corrigir, quando dizes que o passivo aumentou 20 vezes. Dizes que antes do Projecto Roquette, o passivo era de 40 milhões e agora é de 200 milhões. Ora segundo as minhas contas isso é 5 vezes mais e não 20 vezes. Mas, com certeza foi um lapso e deixo aqui o apontamento porque poderás querer corrigir. :wink:

2.
Na parte que se segue eu discordo claramente do manifesto. Diz respeito à parte “Como podemos sair deste ciclo?”. Dizes:

“A não ser que se invista na equipa de futebol e que esta permita criar uma equipa com qualidade e competitiva que gerará receitas, através da Champions League e da conquista de títulos internos.
Recordo que a conquista de títulos não só gera receitas directas mas também indirectas – pelos prémios e transmissões, aumento de sócios, venda artigos etc.”

A meu ver, frede, não faltam equipas que investiram forte, esperando capitalizar nos resultados desportivos, e depois pioraram ainda mais a situação. Isso que dizes é muito bonito se estiver garantido o sucesso desportivo, no entanto esse sucesso não é garantido. Se o Sporting optasse por esta medida, na minha opinião, suicida, corria o risco de perder a aposta e ficar a braços com uma crise exponencialmente maior.
Um exemplo dessa realidade aconteceu com o Borussia de Dortmund. Há uns anos estava mal desportivamente e decidiu apostar forte. Comprou o Amouroso (25M€) e mais uns quantos jogadores, mas as estrelas lesionaram-se, e para mal deles falharam a qualificação para a CL. Quando acordaram viram que os juros que tinham que pagar eram muito superiores às receitas que tinham.
O que tiveram que fazer?
Tiveram de vender os melhores jogadores, investiram muito pouco em novos jogadores, alargaram o prazo de pagamento da dívida e por sorte arranjaram alguns investidores. Não foi fácil para eles e pagaram caro em termos desportivos. Hoje, estão a conseguir, devagar, voltar ao lugar em que estavam, mas isso demorou muitos anos e ainda não estão fora de perigo.

3.
Concordo contigo, que os adeptos não estão contra tudo o que o Projecto Roquette preconizou e construiu, e também concordo que aqueles que foram responsáveis pela gestão desse mesmo projecto devem ser responsabilizados. Mas, como bem sabes, é para isso que servem as eleições e neste caso nem consigo dizer muito mais porque pouco mais há a dizer. Temos que esperar por novas eleições, para os sócios dizerem de sua justiça.

4.
Na parte da “Gestão do Clube” em que expões 3 pontos (gestão do Clube orientada para os sócios, pavilhão e ecletismo) não poderia estar mais de acordo contigo. O mínimo de conhecimento da Grande História do Sporting deveria chegar para deixar claro que essa parte do Clube é intocável. O ecletismo é fundamental. Alguém disse noutro tópico, e a meu ver bem, que a parte do ecletismo é aquela em que deveriam actuar os mecenas (se é que os há) do Sporting. Em algumas modalidades é ridículo o valor que é necessário para subsidiar uma modalidade durante um ano. E tendo em conta a exposição que o Sporting dá, tenho a certeza que qualquer iniciativa além de ser pouco dispendiosa traria frutos para aqueles que a suportassem.

6.
Este é o meu último apontamento e diz respeito à parte em que o manifesto se refere à “Gestão Futebol”. Tudo o que dizes até é muito bonito, mas na minha opinião falta o essencial. Que tipo de estrutura deve ter o futebol profissional para avaliar quais são os jogadores de valor incontestável a contratar. Isso no papel parece o Projecto Roquette de que o manifesto tanto fala. Muito bonito em teoria, mas o difícil é convertê-lo na prática. O problema da gestão do futebol, passa por saber que tipo de gestão, em que moldes, com que elementos, com quantos elementos, com que liberdade esses elementos podem actuar, etc. Quem escolheria os jogadores indicados? O treinador? Um director desportivo? Uma SAD? O presidente?
Essas, caro frede, são as decisões difíceis. Aí é que se ataca o problema da gestão do futebol, e quem resolver isso resolve tudo.
O paradigma de futebol ganhador é muito bonito desde que se acerte quase sempre nos jogadores indicados a contratar.
No entanto isso ninguém pode garantir porque mesmo que sejam boas contratações, podem lesionar-se e podem, além disso, não conduzir a resultados desportivos bons.
Houve uma altura, que em Alvalade, jogavem os Paulo Sousa, Figo, Balakov e outros que mais e não se ganhou um chavo e perderam-se rios de dinheiro. Não me entendas mal, porque eu adorei ver esses gajos jogar, mas dinheiro não caiu quase nenhum e títulos nem vê-los.

Aí está, as minhas impressões sobre o manifesto.
Espero que possam ajudar aqueles que pensam desenvolver esta ideia do manifesto, que me parece uma iniciativa muito meritória.

Para ti, frede, uma última palavra para te dar os parabéns por, ao contrário de outros, tentares fazer algo para melhorar a situação actual do nosso Sporting.

Corrigido. Obrigado pela dica.

Este ponto será objecto de uma análise mais profunda e maior detalhe, pelo que te agardeço a questão que faz todo o sentido.

Não defendo um endividamento desmesurado por parte do Sporting para compra de jogadores. Embora o orçamento actual é claramente insuficiente para comprar jogadores de qualidade.

A solução passaria por uma parceria com um fundo de jogadores. Esta parceria funcionaria da seguinte forma:
O fundo compraria passes de jogadores, na sua totalidade ou dando ao Clube a possibilidade de entrar na compra do referido passe. O acordo seria que esses jogadores jogassem no Sporting durante o tempo suficiente para que os mesmos jogadores se valorizem e sejam posteriormente vendidos com mais valias.
O Sporting poderia ficar com uma percentagem do negócio da transferência.

O perfil dos jogadores:
Estamos a falar de jogadores jovens com valores até aos 10M€ (15M€ no máximo). O valor deverá ser passível de criar mais valias. Acima deste valor penso que entramos em jogadores que, mais até que o seu preço, os ordenados não seriam compatíveis com as mais valias que poderiam gerar.

Prós:
Estamos a falar na sua maioria de jogadores entre os 5 e os 10M€ que o Sporting não tem capacidade para poder comprar e com os quais poderia contar por 1 ou 2 épocas.
Permitir integrar e manter jogadores vindos da formação com mais valias para o Clube de forma inequivoca - Nani, por exepmplo.
Aumentar ordenados a jogadores com valor real vindos da formação, impedindo a sua saída fácil antes de tempo ou da consequente maior valorização.
Não aumentar o passivo.

Contras:
Os contras deste tipo de parcerias seriam o de não manter estes jogadores muito tempo no plantel. Mas penso ser preferivel ter jogadores durante 2 anos no plantel que ver «compras a custo zero», como tantas feitas nos últimos anos com custos gigantes para o Clube e consequente passivo.

Este fundo deveria ser constituído de raíz por Sportinguistas… ou não! Já não sei quem faz melhor ao Sporting se os Sportinguistas «notáveis» que não se notam, se outros…
Assim aparecessem Sportinguistas, aqueles que dão os ámens todos no Conselho Leonino, e que todos somados entre gestores e accionistas, representam muitos porcento do PIB nacional…

No manifesto afirmo claramente que prospecção deverá ser feita por quem tem méritos nessa área no Clube. Falo obviamente do departamento de formação.

O modelo que pessoalmente defendo em termos de gestão de um departamento de futebol profissional é o de um presidente SAD que funcione como director desportivo - em termos de negociação de jogadores - e um treinador com funções de «manager».
Desta forma defendi há meses a saída de CF para que PB ocupasse a figura de «manager» e MRT a de presidente da SAD com as funções de negociação de jogadores.

Quero acabar dizendo que estas são posições pessoais, e se não as desenvolvo mais é porque quero que esta iniciativa possa ser tão abrangente quanto possível.

NÃO QUERO CRITICAR A EQUIPA DE FUTEBOL, TÉCNICA OU JOGADORES, MAS SIM O QUE ME PARECE CONSENSUAL QUE É A FORMA COMO ESTAMOS A SER GERIDOS DESDE A ALTURA DOS PRESIDENTES COOPTADOS.

É por isso que me bato e farei o que estiver ao meu alcance para inverter os acontecimentos.

Eu acompanhei com interesse o tópico onde o Frede anunciava esta incitativa e sinceramente fiquei decepcionado com o que acabei de ler, pois o manifesto parece-me muito vago, contem algumas imprecisões e acima de tudo falta-lhe chama. Já li aqui textos principalmente do FLL, muito melhor sustentados e mais entusiasmantes.

Logo no princípio escreve-se “CONTRA O PROJECTO ROQUETTE AINDA EM CURSO”.

O Projecto Roquete morreu, e o seu coveiro foi precisamente o FSF cujo programa é em quase tudo divergente daquilo que o neto de José Alvalade idealizou, portanto não é o “Projecto Roquete” que diz ou disse que o Sporting será governável com 150 milhões de passivo. Eu não sou nem nunca fui contra o “Projecto Roquete”, sou é contra o “projecto FSF”

A descrição do “Projecto Roquete” também não colhe, pois parece-me que nunca se falou num Pavilhão, nem se prometeu não vender jogadores.

Que eu me lembre o Projecto Roquete tinha como objectivos:
-A constituição duma SAD como instrumento para a profissionalização da gestão do futebol profissional e contributo para a credibilização do futebol português, e simultaneamente a profissionalização da gestão dos outros sectores onde o Clube detinha interesses.
-A construção dum estádio novo que se pagava e sustentava a si próprio.
-A aposta na formação cujo instrumento vital seria a Academia.
Paralelamente apontou-se como inevitável os cortes nas modalidades, onde o Atletismo era o único intocável, ficando as restantes dependentes da sua própria sustentabilidade.

Podemos agora discutir porque é que este projecto falhou, o que na minha opinião aconteceu porque assentou em alguns pressupostos falsos e porque o seu mentor não percebendo nada de futebol e não se querendo meter nele a fundo, delegou o comando deste decisivo sector, como outros, nas pessoas erradas.

O texto também refere alguns números duma forma pouco exacta. Por exemplo o passivo actualmente está acima dos 200 milhões referidos. Também não se explica onde é que se vai buscar os 55 milhões como meta necessária para a receita anual.

As denuncias são extremamente vagas e quem não ande aqui no fórum ou na bologosfera não vai perceber nada daquilo.

Finalmente não entendii o que é que se pede no fim. Um número de de telefone, uma morada, um e-mail?

A ideia é boa mesmo que seja de difícil execução, mas o texto não está ajudar nada, acho que precisa duma grande volta, mas isto é apenas a opinião de um critico moderado.

Caro to-mane,

Agradeço as críticas que fazes.

Sobre alguns pontos que referes:

  1. Projecto «Roquette». Realmente não é consensual essa determinação, mas optei por mantê-la pois parece-me que estamos em plena consequência do que foi o projecto «Roquette». Eu não consigo é distinguir o Projecto Roquette do actual - e já agora que nome lhe dar? - pois a actual direcção não faz mais do que tentar tapar buracos a curto prazo dos deixados pelas direcções anterirores sem mudar radicalmente de paradigma de gestão.

  2. O projecto «Roquette» e os seus sucessores prometeram sim o Pavilhão e a não venda de jogadores.

  3. Sobre os números. Este manifesto quer acima de tudo ser uma primeira abordagem a Sportinguistas que não tenham um grande nível de informação. Por isso fiz um manifesto na forma de pergunta/resposta, para tentar ser melhor entendido.
    Sim eu sei que o passivo não é exactamente 200M€. Mas alguém sabe ao certo quanto é? O próprio presidente é contraditório nessa informação. Assim será difícil ser exacto num ponto que ninguém sabe muito bem ao certo.
    Quanto às receitas de 55M€, certamente não entendeste que esse é um pressuposto da direcção e não deste manifesto. O que se pode é adiantar algumas acções para melhor rentabilizar o Clube.
    Obrigar a todas as acções de critica a fazer um orçamento para um Clube, não é viável. Especialmente se não se tem toda a informação disponível. O que não invalida que não se aponte o que claramente não correu bem, e continua sem correr muito melhor.

  4. Não deves ter lido o último parágrafo. Pede-se um e-mail com contacto para reunir condições para convocação de AG extraordinária.

  5. Sobre o texto ser confuso e com pouca chama, podes sempre contribuir, caso queiras, com melhoramentos que aches necessários.

Mais uma vez obrigado pela tua opinião.

Agradeço e aprecio estas iniciativas. Todos que aqui andamos à muito tempo sabemos que a maioria delas fica na gaveta, e que nos ficamos geralmente por bate boca no fórum, mas novamente aplaudo quem quer e se dispõe a alterar o que é praticamente consensual entre opiniões deste fórum.

Coloco-me à disposição para ajudar no que for preciso, e vou tentar ler com mais atenção o que está na página de forma a tentar contribuir com alguma coisa que me seja possível.

Acho que de facto o texto e a forma de apresentar a informação merece ser tratada, e é preciso que mais pessoas leiam a pàgina e é necessário sugestões ao que lá está, seja em forma de estrutura como em alteração de conteúdo.

O FLL, Mauras, Inci, To-Mane, Paracelsus, eddie etc… são algumas das pessoas que vejo a melhor escrever neste fórum e poderão caso se interessem ajudar muito no desenvolvimento dos textos e página. Infelizmente nunca tive o dom da palavra ou da escrita, para ajudar, mas tentarei fazer o meu melhor para vos ajudar!

O que poderia fazer mais facilmente é algo que já o colega dos charutos fez, e por isso vou estar quieto!

Vou ficar atento,tal como disse da última vez.

E porque não tentar entrar em contacto com a Ofensiva 1906, visto que estes também se encontram entre os não-conformistas e têm outra força na comunicação com os sportinguistas insatisfeitos. De qualquer forma podem contar comigo, e mal chegue a casa (estou na UNIV) irei subscrever o manifesto.

:clap: Grande iniciativa. Finalmente houve quem articulasse os falhanços das últimas direcções! Concordo que se englobe o mandato do FSF no “projecto Roquette”, pois embora tenha sido o nosso actual presidente quem “matou” o projecto, acabando com a sua vertente imobiliária (o tal património não-desportivo), não hesitou em reclamar-se do “projecto” para gozar da legitimidade que o mesmo lhe conferiu nas eleições.

Revejo-me ainda na parte em que se diz que este manifesto foi feito por quem já foi apoiante do projecto. Isso é verdade no que me diz respeito. O rumo que o Sporting tomou acabou por ser uma desilusão cruel…

Parabéns.

Não concordo com tudo e se calhar até tenho dúvidas no essencial.

Mas continuo a achar, como sempre achei, que estas iniciativas são altamente louváveis.

Estará sempre vivo e dinâmico o clube que tem adeptos assim. Bem hajas!

Está muito bem! :clap:

Mas tenho uma dúvida: onde foste buscar a informação que as receitas do Sporting são de 30 milhões sem vendas? Penso que essa informação não é correcta, embora não seja a pessoa ‘mais bem’ informada acerca disso.

As receitas do Benfica sem vendas ascenderam a 100 milhões há poucos anos, facto que lhes valeu a posição 20 no ranking dos clubes mundiais com mais receitas. Não acredito que as receitas do Sporting sejam menos de um terço disso. Mas se por algum motivo forem mesmo, está aí explicado o porquê da preocupação do Benfica com o passivo ser menor, apesar do passivo deles ser mais alto que o nosso.