Lampionices/Toupeirices - Parte VI

Juiz benfiquista ou juiz sem juízo

Pescar juízes sem clube é complicado, mas deve haver um ou dois com o discernimento de não se meterem no Facebook

«No caso e-Toupeira, o tribunal da Relação atacou a competência do Ministério Público para justificar a decisão de não levar a SAD a julgamento e com aparente razão: o MP desistiu de interrogar o presidente do Benfica num tema em que isso era mais do que imprescindível, abrindo caminho ao que sucederia depois, isto é, a falta de fundamentação para acusar a SAD.

Até o primeiro-ministro teve de estrebuchar no caso Tancos para prestar depoimento por escrito, mas Vieira diz que está com amnésia e a Justiça portuguesa, que pode mandar a polícia buscá-lo a casa, embarca nisso? Tal como fizeram o país, a Imprensa, os outros juízes, o Conselho da Magistratura?

A partir desse momento, a dúvida por serenar na cabeça das pessoas está justificada. Mas um juiz benfiquista não põe os processos mais em causa do que um juiz portista ou sportinguista. Seria uma canseira procurar juízes assépticos, sem clube, sem religião e, já agora, assexuados. O problema do juiz Paulo Registo não é ser benfiquista; é não ter o juízo - importante, sendo juiz - para não fazer “likes” no Facebook em coisas que poderá ter de vir a julgar.

Um juiz benfiquista com juízo é diferente de um juiz benfiquista sem juízo. Diria mesmo que juiz com Facebook é diferente de juiz sem Facebook, não por eles terem menos direitos individuais do que o cidadão comum, mas por levantar dúvidas sobre o discernimento. Os juízes não podem ser levianos em público, nem, remetendo para um caso anterior, “fanáticos” de coisa alguma que não seja a Justiça.»

( José Manuel Ribeiro , in O Jogo, ontem às 08:07)

No rodapé da TVI24 diz que o juíz do caso Rui Pinto pediu escusa do processo.

Oh,oh! Sim, sim. A corja está unida e é poderosa…

Não sei se é o sitio indicado para colocar isto, mas como mete podridão no futebol, cheirou-me logo a lamparinas:

https://www.abola.pt/nnh/2020-04-21/aves-o-telefonema-que-abala-o-aves/840673

3 Likes

Muito se fala de lampiões por cá. Parte VI. :scream:

E é esta promiscuidade e pouca vergonha…

Estou tão admirado… :wink:
#Tugão

Olha a filhadaputice.

:poop: :poop: :poop:

https://www.nytimes.com./2020/04/22/sports/soccer/portugal-benfica-football-leaks.html?smid=tw-share

image

4 Likes

O indivíduo, na carta, fala em salvar “vidas humanas”, mas, que raio, porque não salvou aquelas pessoas que morreram, misteriosamente, nas empresas dele?!

Não é fácil curar alguém com PNEUmonia colombiana.

1 Like

A sério que a orcalhada está a tentar calar o new york times, um dos jornais mais famosos do Mundo? Mas será que esses nojentos pensam que podem fazer lá fora o que fazem cá em Portugal? Que animais sem noção :rofl: :rofl: :rofl:.

1 Like

Esta notícia do NY Times , não é só o Rui Pinto , cheira a relatoriozinho da embaixada americana ou mesmo da CIA

Já toparam que aqui se passa algo estranho , um clube de futebol que atingiu tamanho poder.

Ainda para mais os americanos que estão sempre de olho nisto de poder das máfias para não serem surpreendidos.

5 Likes

Podia era ter surgido numa altura em que não houvesse uma preocupação muito maior que essa.

O Clube de Futebol como Estado Soberano

Juízes, procuradores e até o primeiro ministro de Portugal consideram-se apoiantes do Benfica. Mas o que acontece quando esses fãs podem presidir casos que afetam os interesses do clube?

A lealdade do juiz ao Benfica, o maior clube de futebol de Portugal, dificilmente fez dele um homem estranho.

O Benfica costuma se gabar de contar mais da metade da população de Portugal como torcedores, e juízes, promotores, oficiais da polícia e até o primeiro-ministro do país são convidados regulares na caixa dos diretores nas partidas da equipe. Um juiz foi tão leal que, na verdade, foi homenageado no ano passado com um alfinete de águia de ouro, simbolizando sua afiliação de meio século ao clube.

Então, quando foi revelado que um juiz, não aquele que recebeu o alfinete de lapela, mas outro, se juntou à legião de críticos que agrediam um hacker de computador de 31 anos, Rui Pinto , que envergonhou o Benfica ao publicar alguns de seus segredos mais sombrios. online , poucos correram em sua defesa.

Mas para os advogados de Pinto, que está agendado para julgamento neste verão, o fandom do juiz era um problema sério: ele havia sido designado para supervisionar o caso de seu cliente.

“Você não se sente à vontade”, disse o advogado português de Pinto, Francisco Teixeira da Mota, em entrevista por telefone. “É claro que gostaríamos de alguém que não esteja comprometido com o Benfica.”

O alcance do Benfica, no entanto, pode dificultar isso. A equipe de Lisboa é o maior dos três clubes mais poderosos de Portugal, um colosso esportivo e da mídia cuja influência se estende a quase todos os aspectos da vida cotidiana do país. É um time cujas vitórias são comemoradas, cujas perdas são lamentadas e cujos torcedores ocupam posições de poder em tudo, desde a mídia ao setor bancário e ao governo. Dizem os críticos do Benfica que esse poder oferece ao clube e a seus líderes um tipo de alavancagem que se estende muito além do campo de futebol e explica por que alguns se referem a ele como o polvo.

Ana Gomes, diplomata de carreira que se tornou ativista anticorrupção e um dos apoiadores mais expressivos de Pinto, disse em uma entrevista recente que acreditava que a influência exagerada do Benfica havia lhe conferido um status privilegiado na sociedade portuguesa, principalmente quando se tratava de questões legais. A frase que ela usou para descrever esse status - “captura de estado” - refere-se à noção de que entidades privadas como corporações, ou talvez até uma equipe esportiva popular, podem se tornar tão poderosas que são capazes, se quiserem, de influenciar indevidamente o estado. em si.

“A captura do estado é feita através da captura de pessoas que estão em uma posição institucional no estado e, é claro, um dos pilares principais é o sistema de justiça”, disse Gomes, que faz campanha em nome de Pinto. “Se você tem juízes capturados ou não se importa de parecer capturados, temos um problema.”

O Benfica, que foi solicitado a comentar na segunda-feira, forneceu uma defesa prolongada de suas ações na noite de quarta-feira, após a publicação deste artigo online.

Um porta-voz do clube disse por e-mail que as autoridades do Benfica nunca haviam praticado ou sugerido atos que “não eram perfeitamente legais”.

Ele sugeriu que aqueles que se manifestavam contra o clube eram motivados pela inveja por causa de seus anos de sucesso, acrescentando que não era verdade que o Benfica exercia influência indevida na sociedade portuguesa e que quaisquer sugestões em contrário eram teorias da conspiração que “são o cotidiano”. comida 'da internet, mídias sociais e, infelizmente, até jornais confiáveis ​​e de renome. ”

Por enquanto, é Pinto, que pode ter o maior problema de todos. Ao atravessar o Benfica e expor os seus segredos, ele fez um inimigo formidável.

Preso no ano passado na Hungria e extraditado para casa em Portugal, Pinto agora enfrenta 25 anos de prisão por hackear, que desenterrou não apenas os documentos secretos do Benfica, mas também outros relacionados a jogadores, agentes de destaque e até o escritório do procurador-geral do país . Essas acusações estão relacionadas aos detalhes revelados por Pinto na plataforma Football Leaks, e não em um site no qual ele posteriormente canalizou a maioria das revelações sobre o Benfica.

As divulgações foram aclamadas em alguns cantos por iluminar a parte inferior do esporte mais popular do mundo, mas, por enquanto, estão produzindo apenas ansiedade para Pinto. Isso porque seu destino agora repousa, potencialmente, nas mãos de um juiz, Paulo Registo, que já pode ter sinalizado que acredita que o réu é culpado.

Depois de ser escolhido para presidir o julgamento de Pinto, Registo trabalhou rapidamente para excluir postagens de mídia social que se ligavam ao Benfica, mas não antes de serem notadas por jornalistas e outros. Em um deles, o juiz teria gostado de um post que descrevia Pinto como um “pirata”.

“O juiz que julgará Rui Pinto não esconde o seu amor pelo Benfica”, dizia uma manchete de um meio de comunicação que reimprimiu algumas das mensagens .

Essa associação ofereceu mais munição aos críticos que há muito lamentavam o que consideravam uma relação estreita entre as instituições mais importantes de Portugal e o Benfica. (Um dos vazamentos revelou uma lista de detalhes de contato de 44 juízes convidados para os jogos do Benfica.)

Mas não foi a primeira vez que Registo supervisionou um caso intimamente ligado ao seu time favorito.

Antes de ser nomeado para liderar o julgamento de Pinto, Registo atuou em um painel de três juízes que supervisionava um caso envolvendo o ex-diretor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves. O director jurídico foi acusado de negociar vantagens, como assentos nobres e mercadorias do clube, a dois funcionários do tribunal, acusados ​​de obter ilegalmente acesso a detalhes das investigações em curso no Benfica e depois transmitir essas informações confidenciais aos oficiais da equipe.

Ainda que ele fosse o chefe do departamento jurídico do clube e suas ações beneficiassem o clube, o tribunal permitiu que Gonçalves obscurecesse seus vínculos com o Benfica, alegando que ele havia agido em caráter privado. Um juiz do tribunal de apelações mais tarde reclamou que o próprio Benfica deveria ter sido acusado .

Mas Registo não foi o único juiz a lidar com um caso em que o Benfica tinha um interesse que mais tarde se revelou um defensor dedicado do clube.

No ano passado, em março, o juiz que recebeu o premiado broche de águia dourada, Eduardo Rodrigues Pires, só pediu tardiamente para ser recusado de um caso em que o grande rival doméstico do Benfica, o FC Porto, estava tentando anular uma decisão que o ordenava pagar dois milhões de euros, ou cerca de US $ 2,2 milhões, pela divulgação de documentos confidenciais do Benfica em seu canal de televisão. (Um juiz supervisor rejeitou seu pedido de renúncia, declarando que a paixão de Pires pelo Benfica não poderia influenciar sua imparcialidade como juiz.)

Pouco depois de ter sido escolhido para ouvir o caso, Pires, que também possuía ações no Benfica, foi convidado pelo clube a visitar seu complexo de treinamento.

PROPAGANDA

Continue lendo a história principal

O Porto está atualmente apelando da decisão, mas a frequência dos resultados que parecem ter beneficiado o Benfica e o conteúdo de alguns dos vazamentos de Pinto - que incluíam um banco de dados com os nomes e endereços de alguns dos juízes mais experientes de Portugal e notas sobre os jogos que haviam sido realizados. convidado a participar - renovou perguntas sobre até que ponto a influência do clube se estende.

“Você precisa entender a história portuguesa para entender a importância do futebol em nossa cultura, política, mesmo em nossas vidas cotidianas”, disse Mário Figueiredo, ex-presidente da liga portuguesa. Ele disse que vários dos presidentes dos três maiores clubes de Portugal estavam com problemas legais, mas que nenhum havia sido processado enquanto estava no cargo.

“Ser presidente é uma forma de proteção”, disse ele. Mais de uma década atrás, por exemplo, o presidente de longa data do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, foi absolvido de um escândalo de corrupção depois que evidências de escutas telefônicas que pareciam ligá-lo a um esquema de suborno de árbitros eram consideradas inadmissíveis por um juiz.

Se Registo continuará supervisionando o julgamento de Pinto é menos claro.

Na segunda-feira, depois que os detalhes de suas ligações ao Benfica foram publicados por agências de notícias portuguesas, e depois que os advogados de Pinto se queixaram, Registo escreveu para o tribunal de apelações pedindo para ser recusado. Ainda não foi tomada nenhuma decisão sobre seu pedido.

PROPAGANDA

Continue lendo a história principal

O Benfica disse que buscaria ações legais contra Pinto e “todos os criminosos que invadiram, roubaram e insultaram esta instituição do centenário”.

O clube sugeriu que as ações de Pinto foram financiadas por entidades estrangeiras não identificadas e grupos internacionais de hackers, com o apoio de políticos, organizações internacionais e mídia de toda a Europa e Estados Unidos.

Este clubezeco actua como a máfia! Alias eles são uma verdadeira máfia! Já protegem homicidas… incluindo o presidente deles ( D. Corleone Escobar Orelhas), corrompem o poder politico e judicial, usam a intimidação e a ameaça ( típico das máfias)!! Fazem trafico de drogas duras em especial coca( vão ter DAE ( americana) a trás)! Vão ter de mudar de SLB para a designação OMC( Organização Mafiosa e Corrupta) que é mais adequado !!

Pozinho branco que passa pela Venezuela, vão em aviões da TAP para chegar aqui com as malas cheias desviadas pelas traseiras. Não é por nada que o Maduro disse ao governo portugues para ver a droga que vai nos aviões da TAP que não é revistado, mas o mais engraçado, fica-se a saber que afinal a Venezuela é uma rota de droga para a Europa, tudo encaixe.

1 Like