Juvenis: Sporting 4 - Boavista 0 (Crónica)

O Sporting recebeu o Boavista e venceu por 4-0, com golos de Diogo Viana, Pedro Mendes, André Gonçalo e André Martins.

Numa manhã em que a Academia registou boa afluência de público, apesar do tempo algo incerto, destaque para as presenças de Aurélio Pereira, Jean-Paul, Pedro Mil Homens, Rolão Preto, Carlos Bruno, do juvenil Michael Santos (impossibilitado de jogar devido a lesão), do júnior André Santos e dos juvenis B Rúben Luís, Mário Rui e Januário Jesus.

O Sporting jogou em 4-3-3, com Pedro Miranda na baliza, Cédric Soares a defesa direito, Pedro Mendes e Nuno Reis como defesas centrais e Bruno Simões a lateral esquerdo. André Martins jogou a trinco, enquanto que Diogo Rosado colocou-se descaído na direita e Diogo Amado (capitão) apareceu sobre a esquerda. O trio mais ofensivo apresentou Diogo Viana na ala esquerda, Wilson Eduardo no meio e Luís Andrade na direita. No banco de suplentes estiveram o guarda-redes Nuno Silva, os defesas Filipe Paiva e Frederico Oliveira, os médios André Sousa e Vasco Oliveira e os avançados Joshua Silva e André Gonçalo. O trio de arbitragem veio de Santarém.


A equipa durante o aquecimento


Todo o grupo de trabalho da época 2006/07

Resumo da 1ª parte:

Logo no segundo minuto da partida, Diogo Viana abriu as hostilidades, rematando ao lado da baliza. Na jogada seguinte, o Boavista subiu até à área leonina conquistando um canto que não teria consequências de maior. Aos 8 minutos, Diogo Rosado bateu um livre da direita e Wilson Eduardo não chegou à bola por muito pouco. O Boavista reagiu bem a este ímpeto inicial do Sporting e começou a subir mais no terreno e a ocupar os espaços no nosso meio campo. A baliza de Pedro Miranda foi visada por duas vezes, aos 12 e 13 minutos, com remates de meia distância que obrigaram Pedro Miranda a aplicar-se bem, desviando ambos os remates para canto. A primeira destas duas defesas foi de elevado grau de dificuldade. O jogo estava equilibrado mas, a partir dos 20 minutos, registou-se algum ascendente do Boavista. A equipa forasteira conseguia facilmente chegar junto da área leonina devido à permissividade do nosso meio campo que não conseguia recuperar a bola.

Aos 25 minutos, Diogo Amado (a jogar numa posição mais adiantada do que o habitual no terreno) rematou de longe mas ao lado da baliza. No minuto imediato, Wilson Eduardo desmarcou Luís Andrade na esquerda, este rematou e ganhou um canto. O Sporting tentava atacar mas nem sempre o conseguia fazer do melhor modo. Aos 32 minutos, numa boa jogada de entendimento com a bola a rodar por vários jogadores, Cédric Soares cruzou da direita. Diogo Viana não conseguiu dominar a bola e a defesa axadrezada afastou para canto. Mais ou menos por esta altura, Luís Dias corrigiu o posicionamento da equipa, alterando o que não devia logo à partida ter sido modificado. Diogo Amado passou para o seu lugar de trinco e André Martins subiu para médio interior. O futebol leonino melhorou significativamente, embora as consequências estivessem guardadas para o 2º tempo. Até ao intervalo destaque para um belíssimo remate em arco de Diogo Rosado, descaído sobre a direita, que saiu um pouco ao lado e para um remate de Cédric Soares que teve o mesmo destino.

Resumo da 2ª parte:

Aos 45 minutos o Boavista atacou com perigo, mas um remate já desferido dentro da área foi afastado para canto por André Martins. No minuto seguinte, saiu Luís Andrade e entrou André Gonçalo que foi jogar na ala direita do ataque. Logo de imediato o Sporting inaugurou o marcador. Diogo Viana recolheu uma bola lançada da direita e, entrando pelo lado esquerdo da grande área, fez o 1-0 com um remate bem colocado. Era o alívio nas bancadas, sabendo-se já por esta altura que o Vitória de Guimarães estava a vencer o Benfica.

O segundo golo chegou aos 52 minutos. Diogo Rosado bateu exemplarmente um livre da direita e Pedro Mendes cabeceou certeiro e fez o 2-0. Aos 61 minutos saiu Wilson Eduardo e entrou Vasco Oliveira que foi jogar para o meio campo, passando André Gonçalo para ponta de lança e Diogo Rosado para extremo. Logo no minuto imediato Diogo Viana teve uma excelente iniciativa pelo flanco direito, cruzou para a área e André Gonçalo rematou para o 3-0 do Sporting. Aos 65 minutos saiu Diogo Amado, em nítida inferioridade física, entrando André Sousa. Este foi jogar a trinco, ficando Vasco Oliveira e André Martins (agora o capitão de equipa) como médios interiores. A nove minutos do final, o Sporting fechou as contas do marcador. Diogo Viana teve mais um bom trabalho, desmarcou André Gonçalo na direita, este cruzou para a área e André Martins apareceu e fez o 4-0. Até ao final da partida destaque apenas para um bom remate de meia distância de André Sousa que foi à figura.

Vitória justa do Sporting por 4-0.

No próximo domingo, dia 24 de Junho, o Sporting desloca-se a Guimarães para disputar a última jornada da fase final. Vitória ou empate garantem-nos o tetracampeonato.


A equipa agradecendo o apoio dos adeptos.

Trio de arbitragem – Quase nem se deu por ele, o que quer dizer que fez um bom trabalho. Ter-se-á equivocado apenas num ou noutro fora de jogo.

Boavista – O conjunto axadrezado mostrou-se combativo e organizado a meio campo e soube bater-se igualmente bem na defesa, tentando retardar ao máximo o golo adversário. A partir do momento em que se viu em desvantagem não teve argumentos para discutir o resultado.

Sporting – A nossa equipa teve dificuldades em pegar no jogo na fase inicial mas, no segundo tempo, partiu para uma boa exibição, estando muito segura na defesa e construindo várias oportunidades de golo.

Pedro Miranda – Tirando um par de defesas difíceis após remates de longe, o nosso guarda-redes pouco ou nada mais teve que fazer no resto do encontro. Continua a destacar-se pela forma como se entrega ao jogo pois incentiva e comanda continuamente todos os seus colegas.

Cedric Soares – Uma das boas exibições da equipa. Após um primeiro tempo em que teve algum trabalho defensivo, na segunda parte teve liberdade para subir no terreno e impregnar dinâmica ao ataque leonino. Realizou boas combinações e iniciativas. :slight_smile:

Pedro Mendes – O jovem central actuou de forma discreta e eficiente como é seu hábito. Marcou um golo mostrando que joga bem de cabeça tanto a defender como a atacar.

Nuno Reis – Esteve seguro e eficaz na sua área de jurisdição, tendo cometido apenas uma falha não comprometedora. Revela maturidade e perfeito à-vontade para estar a jogar um escalão acima.

Bruno Simões – Jogando adaptado a defesa esquerdo, teve uma prestação discreta mas positiva, não comprometendo. Cumpriu as tarefas defensivas e não se aventurou no ataque.

Diogo Amado – Fez um primeiro tempo abaixo do seu nível muito devido ao facto de estar a jogar numa posição mais avançada. Quando se reposicionou a trinco, não só o seu rendimento melhorou mas também o de toda a equipa. Foi substituído devido a lesão.

Diogo Rosado – Foi autor de um bom remate e de uma assistência para golo. De resto, alternou bons lances de construção de jogo com momentos em que desaparecia de cena. Continua a revelar alguma lentidão quando tem que decidir o que fazer à bola, o que além de quebrar o ritmo de jogo, permite aos adversários roubar-lhe o esférico.

André Martins – Cotou-se com um dos melhores em campo. A sua acção nas recuperações de bola e nas transições defesa-ataque é preponderante. Além disso, é um jogador que corre o campo todo e que trabalha incansavelmente durante toda a partida. Marcou o último golo do encontro. :slight_smile:

Diogo Viana – O MVP!! =D> =D> Autor do primeiro golo e de uma assistência, o jovem atleta foi sempre a unidade mais produtiva do ataque verde e branco. Andou num vaivém constante pelo seu flanco e flectindo também para o meio, tendo iniciado ou participado praticamente em todas as jogadas de ataque da equipa. Os cruzamentos e remates provêm da sua velocidade e desequilíbrios e também de uma resistência física que dura o jogo todo.

Luís Andrade – Começou bem a partida exibindo fulgor e velocidade pelas alas. Mas, com o decorrer do tempo, foi perdendo influência visto que muitas das suas iniciativas não tiveram o fim desejado.

Wilson Eduardo – Começou o jogo de forma irrequieta e pressionando a defesa contrária. Contudo, não esteve particularmente inspirado e acabou por ser substituído.

André Gonçalo – Entrou no jogo com garra e determinação. Esforçou-se bastante e, por vezes, na ânsia de querer fazer muito e bem acabou por não dar a melhor sequência aos lances. No entanto, a sua exibição foi sem dúvida positiva, visto que marcou um golo e fez uma assistência. :slight_smile:

Vasco Oliveira – Integrou-se na manobra do meio campo leonino e cumpriu.

André Sousa – Cumpriu bem a função de segurar o meio campo e desferiu um bom remate à baliza.

Parabens por mais um grande Trabalho e Esfroco vosso … tanto teu como da Felina :slight_smile: !

Abracos da Alemanha!

[img]http://img526.imageshack.us/img526/5706/cpiadedsc00305xe7.jpg[/img] Todo o grupo de trabalho da época 2006/07
Não vos dei autorização para tirarem fotos ao meu carro :lol:

Eheheh … boa foto, boa crónica[mais uma] e boa 2ª parte do Sporting. O D. Amado saiu lesionado? Pareceu-me mais estoirado, foi de facto uma época desgastante para este miudo, espero que se despeça em beleza em guimarães e vá para um merecido descanso, tal como todos os seus colegas.

Também não percebi muito bem jogadores em algumas posições na 1ª parte, mas a 2ª demonstrou que o André Martins joga e faz jogar bem é ali, que o D. Amado ganha bolas, lança o jogo, desarme como ninguém, posiciona-se em campo … é naquela posição.
Gostei das iniciativas do Pedro Mendes a sair a jogar com a bola na 2ª parte e do miudo Cedric … tem muito potencial este miudo. Para além dos habituais Viana e Rosado e Wilson, apesar de estar mais apagado neste jogo.

Vamos a eles miudos!

esta equipa tresanda a talento e potencial

O Diogo Amado já no jogo com os lamps, acabou o jogo lesionado, inclusive teve de sair ajudado por 2 colegas de equipa.

Espero que recupere para jogar com o guimaraes, mesmo que cansado, acho que a sua presença em campo, é muito importante. Um autêntico líder, pelo menos a maneira como se entrega, como incentiva os seus companheiros, assim o demonstram.