Juniores: Sporting 3 - Louletano 0 (Crónica)

O Sporting recebeu o Louletano e venceu por 3-0 com golos de Adrien Silva, Daniel Carriço e Vasco Campos.

Numa tarde fresca e com menos público que o habitual na bancada da Academia, destaque para as presenças de Bruno Pereirinha e Fábio Paim, Pedro Mil Homens, José Manuel Torcato e Carlos Bruno.

O Sporting jogou em 4-3-3 com Rui Patrício na baliza, João Gonçalves foi novamente o lateral direito de serviço; Daniel Carriço e Marco Lança formaram a dupla de centrais e Vasco Campos jogou adaptado a defesa esquerdo. O trio do meio campo foi composto por Adrien Silva a trinco, naquela que é a sua verdadeira posição, André Pires descaído sobre o lado esquerdo e Yannick Pupo sobre o lado direito, ficando o ataque entregue a Alison na esquerda, Vivaldo Arrais na direita e Ricardo Nogueira no meio. No banco de suplentes estiveram o guarda-redes Tiago Jorge, os defesas Tiago Pedrosa e Rui Figueiredo, o médio André Santos e os avançados Sebastião Nogueira, Marco Matias e Bruno Matias. O trio de arbitragem veio de Santarém.

Da esquerda para a direita: Daniel Carriço, Rui Patrício, João Gonçalves, Vasco Campos, Marco Lança, Adrien Silva, Ricardo Nogueira, Alison, Vivaldo Arrais, Yannick Pupo e André Pires.

Resumo da 1ª parte:

O Sporting entrou muito bem na partida, fazendo uma grande pressão sobre o adversário, obrigando o Louletano a remeter-se ao seu meio campo. Com o passar dos primeiros minutos, os algarvios procuraram sacudir a pressão e equilibrar as operações. O primeiro sinal de perigo leonino veio de um cruzamento da esquerda de André Pires mas que foi parar às mãos do guardião do Louletano. O golo inaugural chegou aos 14 minutos. Adrien Silva iniciou a jogada no flanco esquerdo e desmarcou Ricardo Nogueira. O nosso ponta de lança entrou na área, desembaraçou-se bem do seu marcador directo e serviu o mesmo Adrien Silva no coração da área. Adrien, isolado frente ao guarda-redes, não teve dificuldade para fazer o 1-0, golo muito festejado pelos colegas.

O Sporting não desacelerou e logo no minuto seguinte Yannick Pupo, sobre o lado direito, fez um remate em chapéu com a bola a sair muito alta. O Louletano acusou o golo e tentou rapidamente reequilibrar a tendência da partida. Pena é que os seus jogadores tenham actuado sempre de forma demasiado viril, castigando os nossos jogadores com muitas entradas a roçar os limites da dureza. Entretanto, Adrien Silva continuava a dar show no nosso meio campo e, aos 31 minutos, fez um óptimo passe que isolou Ricardo Nogueira, com este último a rematar para defesa do guarda-redes. Apenas à passagem do minuto 36 se registou algum perigo junto da baliza de Rui Patrício. Em duas ocasiões o Louletano rematou e em ambas o nosso guarda-redes resolveu bem.

Aos 38 minutos, Adrien Silva não recuperou de uma entrada mais violenta e teve que ser substituído por André Santos. O jovem médio foi colocar-se no posto de trinco, deixado vago pelo luso-francês que justificava, até esse momento, o rótulo de MVP do desafio.

Apenas três minutos depois, Daniel Carriço fez o 2-0 em jogada individual. Aproveitando uma subida no terreno, o jovem central apoderou-se da bola no flanco direito e correu em direcção à área tirando um par de adversários do caminho. Ao entrar na área finalizou com muita calma, com um remate rasteiro e colocado. Foi um golo brilhante! Até ao intervalo, nada mais a destacar.

Resumo da 2ª parte:

O segundo tempo começou com um remate de Alison que saiu à figura. O Louletano respondeu através de um pontapé de canto, rematando a bola por cima da nossa baliza. A equipa visitante estava agora um pouco mais presente no nosso meio campo, enquanto que o Sporting caiu um pouco de rendimento. A consequência imediata foi que, na segunda parte, se assistiu a um jogo muito incaracterístico, com muitas perdas de bola e passes falhados. Infelizmente, os jogadores algarvios mantiveram o mesmo estilo duro na disputa dos lances. Aos 66 minutos, saiu Vivaldo Arrais e entrou Marco Matias que foi ocupar o lugar de extremo esquerdo. O jogo continuou muito monótono até aos 71 minutos, quando André Santos resolveu “acordar” toda a gente com um remate de fora da área, defendido para canto. No seu seguimento, Marco Matias cabeceou para nova defesa do guarda-redes visitante. Aos 77 minutos, saiu Ricardo Nogueira e entrou Sebastião Nogueira que se foi colocar a extremo direito, passando Alison para o meio. Este teve oportunidade de visar a baliza, bem servido por Yannick Pupo, mas o remate saiu muito alto. Até ao final destaque para uma saída de Rui Patrício da grande área, afastando a bola de cabeça perante a proximidade de um dianteiro contrário que se isolava; e, aos 88 minutos, para o 3-0, marcado por Vasco Campos na cobrança de uma grande penalidade, por falta cometida sobre Marco Lança na sequência de um canto.

Yannick Pupo, João Gonçalves, André Pires, Marco Matias e Daniel Carriço, no final do desafio.

Vitória justa do Sporting por 3-0.

Na próxima terça-feira, o Sporting desloca-se ao terreno do Real Sport Clube, em Massamá.

Trio de arbitragem – Esteve bem do ponto de vista técnico mas menos bem em termos disciplinares. Foi demasiado benevolente perante o jogo duro dos algarvios.

Louletano – Equipa muito robusta e compacta. Bateram-se bastante bem apesar da derrota por 3-0. O ataque foi o sector mais inoperante.

Sporting – Exibição razoável no primeiro tempo, onde a equipa mostrou um maior ascendente construindo a vitória. Na segunda parte, o colectivo caiu um pouco de rendimento, preocupando-se sobretudo em gerir a vantagem.

Rui Patrício – Em mais uma tarde de pouco trabalho, resolveu bem aquilo que se lhe deparou.

João Gonçalves – Exibição muito certinha e voluntariosa, cumprindo bem as funções de lateral direito. Contudo, esteve mais balanceado para as tarefas ofensivas, fruto da sua verdadeira posição. :slight_smile:

Daniel Carriço – O MVP!! =D> =D> Defensivamente igual a si próprio, não deixando o adversário pôr o pé em ramo verde. Mantém a sempre saudável postura de comandar “as tropas” para pôr a casa em ordem. Em termos ofensivos marcou um golo em que demonstrou toda a sua versatilidade e disponibilidade, actuando como um extremo.

Marco Lança – Fez um jogo seguro mostrando-se especialmente eficaz nos cortes e desarmes. Nota-se de jogo para jogo que está a tornar-se um defesa central bastante consistente e confiante.

Vasco Campos – Penalizado por jogar no flanco naturalmente oposto ao seu, teve algumas dificuldades a defender. No entanto, esteve bem do ponto de vista ofensivo, subindo bastante pelo seu flanco. Marcou o último golo do desafio, de grande penalidade.

Adrien Silva – Até sair por lesão aos 38 minutos, estava a ser o melhor em campo. Jogando a trinco revela toda a sua classe, visão de jogo e passe apurado. É um autêntico “faz-tudo”, estando em todo o lado. Iniciou e concluiu a jogada do 1º golo. Que pena ter-se lesionado… :frowning:

Yannick Pupo – Do trio do meio campo, foi o elemento menos em jogo. Ainda não adquiriu regularidade para os 90 minutos, uma vez que há períodos onde quase desaparece do jogo, revelando-se muito estático. Quando aparece demonstra boa capacidade de passe e leitura de jogo. Ainda não percebemos ao certo qual será a posição mais adequada de modo a exibir todo o seu potencial.

André Pires – Esforçado e combativo como sempre, não esteve tão bem como em ocasiões anteriores, sobretudo no primeiro tempo, onde o meio campo adversário deu muito trabalho. Na segunda parte subiu de produção, mostrando-se importante na manobra defensiva e na gestão do resultado.

Vivaldo Arrais – Passou um pouco ao lado do jogo. As suas iniciativas não provocaram desequilíbrios nem fez bom uso do seu remate. Não se estranhou a sua substituição.

Alison – Esteve pouco em jogo e as suas iniciativas foram quase sempre inconsequentes. No segundo tempo fez um par de remates e pouco mais. Revela-se algo inócuo.

Ricardo Nogueira – Fez um bom primeiro tempo, estando muito interventivo realizando vários passes, jogadas combinadas e remates à baliza. A sua estrutura física e agilidade permitem-lhe fugir à marcação adversária. Fez a assistência para o golo de Adrien Silva. No segundo tempo, caiu de rendimento à semelhança da equipa.

André Santos – Revelou a natural falta de ritmo competitivo e frescura física, dado o pouco tempo de jogo que tem nesta época. A exibição foi razoável, tendo perdido e ganho lances a meio campo, em igual proporção.

Marco Matias – No pouco tempo que esteve em campo foi autor de um par de iniciativas pelo flanco esquerdo e de um remate à baliza.

Sebastião Nogueira – Esteve pouco tempo em campo, insuficiente para se destacar.

Mais uma vitória. :wink:

Obrigado Ricardo, por mais este brinde. Um abraço.

Parabéns pela crónica.

Não sabes a lesão do adrien? cumps

Em princípio não deve ser nada de grave. Teve que sair devido a uma entrada mais violenta a uma das pernas e esteve imenso tempo a ser assistido. Assistiu à segunda parte do jogo no banco de suplentes e parecia que já estava tudo bem.