Juniores: Sporting 2 - Estoril 1 (Crónica)

O Sporting recebeu o Estoril e venceu por 2-1, com golos de Vivaldo Arrais e João Martins.

Numa tarde algo cinzenta, destaque para a presença do jogador do plantel principal do SCP, Bruno Pereirinha, dos juniores não convocados Marco Lança, João Gonçalves, André Pires, Ricardo Nogueira e David Santos. Estiveram igualmente presentes o treinador dos juvenis, Luís Dias, Jean Paul, Carlos Bruno, vários jogadores juvenis tais como André Gonçalo, Bruno Simões e Luís Andrade (hoje os apanha-bolas de serviço), Cédric Soares, Nuno Reis, Bruno Silva, André Martins, Diogo Amado e Diogo Viana. Na equipa do Estoril importa destacar Sandro Conceição, jogador que já representou o Sporting.

O Sporting jogou em 4-3-3 com Tiago Jorge na baliza, Rui Figueiredo na direita, Jorge Abreu e Tiago Pedrosa como dupla de centrais e Tiago Pinto a defesa esquerdo. O trio do meio campo foi composto por João Martins a trinco, Rui Lopes descaído sobre o lado esquerdo e André Santos sobre a direita, ficando o ataque entregue a Vivaldo Arrais na esquerda, Sebastião Nogueira na direita e André Cacito no meio. No banco de suplentes estiveram o guarda-redes André Martins, os defesas Vasco Campos e Daniel Carriço, os médios Adrien Silva e Yannick Pupo e os avançados Bruno Matias e Marco Matias. O capitão de equipa foi João Martins.


João Martins e Tiago Pinto (de colete azul), Sebastião Nogueira e, atrás, André Santos, Rui Lopes e Vivaldo Arrais.


Da esquerda para a direita: João Martins, Tiago Jorge, Sebastião Nogueira, Rui Figueiredo, Tiago Pinto, André Santos, Jorge Abreu, Vivaldo Arrais, Tiago Pedrosa, André Cacito e Rui Lopes.


João Martins investido de novas funções, na ausência dos habituais capitães.

Resumo da 1ª parte:

O jogo começou de forma muito equilibrada, com ambas as equipas a tentarem lançar ataques rápidos. Contudo, com o passar dos minutos, o Estoril instalou-se no meio campo leonino, acabando por conquistar o primeiro canto da partida. O primeiro sinal de perigo veio igualmente da equipa canarinha, com um remate perigoso mas que saiu ao lado. Respondeu o SCP com o primeiro golo da partida, aos 12 minutos. Na primeira jogada bem gizada pelos verde e brancos, Tiago Pinto arrancou um bom cruzamento do lado esquerdo e Vivaldo Arrais apareceu solto no coração da área, encostou o pé e fez o 1-0.

O Sporting não conseguiu pegar nas rédeas do jogo e este continuou a ser muito disputado na zona do meio campo. Novo sinal de perigo ao minuto 24, quando João Martins bateu um livre da direita e André Cacito cabeceou à figura. O equilíbrio da partida continuou, ficando o jogo algo monótono. O Estoril voltou a ameaçar aos 33 minutos, com um remate muito perigoso a rasar a trave da baliza de Tiago Jorge. O SCP só voltou a dispor de nova ocasião em cima do intervalo, com André Cacito a rematar para defesa do guardião estorilista.

Resumo da 2ª parte:

No segundo tempo, o jogo parecia manter o mesmo ritmo monótono e disputado a meio campo quando, aos 52 minutos, Vivaldo Arrais disparou um remate de meia distância que saiu por alto. O Estoril chegou ao empate aos 54 minutos, a partir de um livre batido da direita. A bola chegou à área leonina e ninguém da defesa verde e branca conseguiu interceptá-la. Esta sobrou para um estorilista que, isolado perante Tiago Jorge, não teve dificuldade em fazer o 1-1. Ficaram-nos dúvidas se eventualmente o jogador do Estoril estaria fora de jogo.

O Sporting que, até este momento, não estava a fazer uma exibição por aí além, arregaçou as mangas e partiu para cima do adversário, reagindo bem ao golo sofrido. José Lima substituiu Sebastião Nogueira e Rui Lopes por Adrien Silva (de regresso após lesão) e Marco Matias ao minuto 57. Marco Matias foi jogar a extremo esquerdo, passando Vivaldo Arrais para a ala direita e Adrien Silva ocupou o lugar de Rui Lopes no meio campo. A partir da entrada destes dois elementos sucederam-se jogadas de perigo, com vários cruzamentos e remates perigosos. Marco Matias, Rui Figueiredo, André Cacito, Vivaldo Arrais e Adrien Silva arriscaram o remate.

Aos 74 minutos, saiu Tiago Pedrosa (Lima arriscou tudo ao tirar um central) e entrou Yannick Pupo, num último esforço para chegar à vitória. Sempre que podia, o Estoril tentava chegar à área do Sporting e, aos 80 minutos, beneficiou de um livre directo ao qual Tiago Jorge disse “presente”. O golo da vitória leonina chegou aos 87 minutos, com João Martins a marcar um livre directo. Aqui está o registo do 2-1 para o Sporting:

http://www.youtube.com/watch?v=O7y5eaJB99s

Até ao final da partida, o Estoril ainda tentou chegar novamente ao empate mas a defesa do Sporting contrariou todas as tentativas adversárias.

Vitória justa mas difícil do Sporting por 2-1.

Na próxima jornada, o Sporting desloca-se ao Restelo para defrontar o Belenenses.

Trio de arbitragem – Fez uma fraca exibição, deixando passar muitas faltas em claro. Esteve bem do ponto de vista disciplinar.

Estoril – Equipa aguerrida e combativa que se bateu bem, conquistando muitos cantos e construindo ocasiões de golo. Destaque para o guarda-redes que defendeu quase tudo e para o meio campo que muito trabalhou.

Sporting – Fez uma primeira parte não muito bem conseguida, devido à falta de entrosamento do onze que entrou em campo. Melhorou no segundo tempo, especialmente após o golo sofrido, mostrando capacidade para tomar conta do jogo e resolvê-lo a seu favor.

Tiago Jorge – Fez um par de boas defesas, mostrando-se atento e seguro. Sem culpas no golo sofrido, limitou-se a controlar os acontecimentos.

Rui Figueiredo – O MVP!! =D> =D> Certinho e pouco atrevido a subir no 1º tempo, arrancou na 2ª parte para uma exibição de grande nível. Participou em muitas jogadas de ataque, cruzando, combinando com os colegas e também arriscando o remate. Defensivamente, cometeu pouquíssimos erros.

Jorge Abreu – Esteve discreto no primeiro tempo. Apareceu mais em foco na segunda parte, subindo nas bolas paradas e com mais trabalho em termos defensivos. Embora precipitado em alguns cortes, não comprometeu.

Tiago Pedrosa – Esteve em bom nível durante toda a partida, mostrando-se eficaz, seguro e possante.

Tiago Pinto – Fez a assistência para o primeiro golo, em boa iniciativa individual. Voluntarioso e raçudo como de costume, nunca virou a cara à luta mas por vezes foi demasiado viril na disputa dos lances.

João Martins – Combativo mas discreto, talvez devido à falta de ritmo competitivo. Contribuiu muito para o esforço final da equipa, sendo o autor do golo decisivo.

André Santos – Depois de uns primeiros 45 minutos em que não esteve particularmente activo na manobra colectiva, subiu muito de produção na etapa complementar. Foi uma das unidades que mais pegou no jogo, que mais bolas recuperou e que mais ataques ajudou a construir. Decisivo na fase final da partida. :slight_smile:

Rui Lopes – Discreto e sem ritmo para jogar 90 minutos. Falhou alguns passes e raramente conseguiu dar o melhor seguimento às suas iniciativas.

Sebastião Nogueira – Esforçado mas pouco inspirado, foi alvo de marcação apertada, sendo muito castigado pelos defesas adversários. Apesar disso, tentou sempre subir no terreno e cruzar bolas para a área.

Vivaldo Arrais – Começou bem a partida, muito interventivo e dinâmico. Marcou o golo inaugural mas foi perdendo “gás” à medida que o ritmo do jogo diminuía. Reapareceu na fase final do desafio, provocando desequilíbrios no último reduto estorilista.

André Cacito – Esteve muito empenhado em visar a baliza, dispondo de algumas ocasiões de golo mas infelizmente, o seu esforço não foi compensado. No segundo tempo, caiu um pouco de produção mas, ainda assim, ajudou a abrir espaços na defesa adversária.

Marco Matias – Entrou muito bem na partida, dinamizando o jogo pela ala esquerda. É um jogador irreverente e cheio de garra que procura sempre o caminho mais curto para a baliza. Ajudou igualmente nas tarefas defensivas, sobretudo depois da saída de Tiago Pedrosa. Em grande! :smiley:

Adrien Silva – A sua entrada foi fundamental para arrumar o meio campo e para levar a equipa para a frente, não só pelas suas iniciativas mas também pela forma como motiva e orienta os companheiros. Muito bem! :smiley:

Yannick Pupo – Discreto no pouco tempo que esteve em campo.

Sim senhora,mais uma belissima crónica.Parabéns.
Muito bem tambem o video do golo. =D>

Já agora,quem achas melhor ponta de lanca,André Cacito ou R.Nogueira??

Não é uma questão de achar melhor. São dois pontas de lança de estilos um pouco diferentes.

O Cacito é um jogador possante, muito atlético. Joga mais em força e tem muito sentido de baliza. O Ricardo Nogueira é um jogador mais elegante, com mais técnica, gosta de vir atrás buscar jogo e combinar com os alas…

Acho que o Cacito tem mais potencial para essa posição. Mas só o tempo dirá como vão evoluir os dois.

Boa vitória, em tempos de rotação da equipa inicial.

Obrigado Ricardo por mais este registo e com o extra do golo da nossa vitória. Muito obrigado.

Saudades destas coisas!

Senão fossem vocês!

Bom trabalho maninhos :wink:

Golo muito parecido aos que o Carlos Martins marcava, tem o mesmo estilo e tudo…

Parabens pela bela Reportagem :slight_smile: