Juniores: Belenenses 0 - Sporting 0 (Crónica)

O Sporting deslocou-se ao campo n.º 2 do Belenenses e empatou a zero, num jogo com futebol mal jogado e num terreno impróprio para a prática desportiva.

Entre o muito público presente para assistir à partida, destaque para as presenças dos juniores não convocados João Gonçalves, Marco Lança, Daniel Carriço, André Pires e Ricardo Nogueira. Estiveram também Aurélio Pereira, Jean-Paul, Rolão Preto, Carlos Bruno, Pedro Mil Homens, Miguel Ribeiro Telles e Filipe Soares Franco. Vimos igualmente o ex-treinador do Estrela da Amadora António Conceição. Na equipa do Belenenses, importa referir o internacional sub-19 Carlos Alves e os jogadores que já vestiram a camisola verde e branca Marco Pinto, João Salgado e Filipe Muendo.


Aquecimento

O Sporting alinhou em 4-3-3 com Rui Patrício na baliza, Vasco Campos a defesa direito, Jorge Abreu e Tiago Pedrosa formaram a dupla de centrais e Tiago Pinto jogou a lateral esquerdo. João Martins (hoje o capitão de equipa) jogou a trinco, com Adrien Silva e Rui Lopes como médios interiores. Vivaldo Arrais, Marco Matias e André Cacito compuseram o trio atacante. No banco de suplentes estiveram o guarda-redes Tiago Jorge, o defesa Rui Figueiredo, os médios André Santos e Yannick Pupo e os avançados Sebastião Nogueira, Bruno Matias e Alison.


Da esquerda para a direita: Tiago Pedrosa, Marco Matias, Vivaldo Arrais, Jorge Abreu, Rui Lopes, Adrien Silva, Vasco Campos, André Cacito, Tiago Pinto, Rui Patrício e João Martins.

Resumo da 1ª parte:

Num terreno relvado com pouca relva, as duas equipas tiveram muita dificuldade para jogar bom futebol. O mau estado do terreno foi a principal razão pela qual se assistiu a um jogo muito feio. Aos 4 minutos Filipe Muendo apontou um livre directo que Rui Patrício defendeu para canto. Era o primeiro sinal de perigo num jogo em que escassearam as oportunidades de golo. O Belenenses dominou a partida nos minutos iniciais com o SCP a não conseguir pegar de imediato no jogo. André Cacito teve um remate aos 13 minutos, mas a bola saiu muito por cima. O jogo passou depois para uma fase de muita luta pela posse de bola no meio campo e apenas Marco Matias conseguia desequilibrar nas suas investidas.

À passagem da meia hora, o jogo parecia “preso” na zona central do terreno com nenhuma das equipas a sobrepor-se à outra. Um grande pontapé de Filipe Muendo, de meia distância, obrigou Rui Patrício a uma grande defesa. Apenas aos 42 minutos, o Sporting conseguiu criar verdadeiro perigo. Adrien Silva rematou de meia distância, Marco Pinto defendeu e a bola sobrou novamente para o Sporting. Vivaldo Arrais cruzou da direita, André Cacito falhou a recepção e a bola sobrou para Marco Matias que rematou à figura.

Resumo da 2ª parte:

O ritmo do jogo manteve-se igual, com muita luta a meio campo, futebol mal jogado e escassez de oportunidades de golo. À semelhança do primeiro tempo as unidades leoninas mais em destaque continuavam a ser Adrien Silva, Tiago Pinto e Marco Matias. Lima mexeu na equipa, tirando Rui Lopes e metendo Yannick Pupo, aos 62 minutos. Oito minutos depois entrou Alison para o lugar de Vivaldo Arrais. Finalmente, aos 73 minutos, saiu Marco Matias e entrou Bruno Matias. O jogo não teve grande história e o Sporting só conseguiu construir jogadas perigosas no último quarto de hora do desafio.

Aos 76 minutos, Tiago Pinto cruzou da esquerda para André Cacito cabecear ao lado. Pouco depois, João Martins marcou um livre directo que saiu um pouco por cima. Ao minuto 87, André Cacito voltou a rematar por cima, após um bom trabalho de Bruno Matias na direita. Finalmente, no período de três minutos de desconto, André Cacito e Alison (em pontapé de bicicleta) desperdiçaram as últimas ocasiões de golo.

Empate a zero, resultado que se aceita.

No próximo dia 21 de Abril, o Sporting desloca-se a Vila Real de Santo António para defrontar o Lusitano.

Trio de arbitragem – Fez um mau trabalho. Do ponto de vista técnico não marcou todas as infracções. Disciplinarmente, foi pouco pedagógico e revelou dualidade de critérios na amostragem de cartões.

Belenenses – Jogou um pouco aquém do que se esperava de um 4º classificado. Contudo, a equipa conseguiu pressionar e dificultar o jogo ao Sporting. O ataque foi pouco produtivo, embora Amaral e Filipe Muendo tenham criado algum perigo. A defesa é o sector mais forte, pois o guarda-redes Marco Pinto é seguro e o lateral esquerdo Carlos Alves revelou-se difícil de ser batido.

Sporting – Exibição cinzenta e desacertada. Dadas as muitas ausências, a equipa apresentou um onze menos rotinado que, apesar do esforço, foi poucas vezes feliz, também devido à boa oposição do adversário.

Rui Patrício – Jogando na casa de um oponente de maior valia, foi confrontando com algumas defesas e saídas de dificuldade média-alta, às quais respondeu de forma segura e eficaz. :slight_smile:

Vasco Campos – Prestação um pouco irregular, uma vez que falhou alguns passes e, no capítulo da marcação, nem sempre esteve presente onde era preciso. Melhorou no 2º tempo, em que se uniu com a equipa em busca da vitória.

Jorge Abreu – Começou o jogo de forma um tanto ou quanto periclitante, mostrando alguma permeabilidade na disputa de bola com o adversário. Na segunda parte pareceu mais confiante e impetuoso na abordagem aos lances, não comprometendo.

Tiago Pedrosa – Após um primeiro tempo discreto, esteve mais em foco na segunda parte, varrendo e despachando a bola de forma autoritária para longe da sua área de jurisdição.

Tiago Pinto – Uma das melhores unidades leoninas desta tarde e, em simultâneo, o melhor elemento da defesa. Mostrou-se certinho e seguro a defender, e ousado e persistente em atacar e levar a equipa para a frente. :slight_smile:

João Martins – Exibição desacertada e pouco inspirada do nosso trinco. Foi importante na luta do meio campo, mas mostrou-se algo precipitado e trapalhão na disputa de alguns lances. Em algumas ocasiões jogou um pouco no limite entre a dureza e a virilidade.

Adrien Silva – O MVP!! =D> =D> O atleta luso-francês foi o principal eixo de ligação entre a defesa e o ataque verde e brancos. Revelou a entrega habitual e mostrou-se incansável na recuperação de bolas e em levar a equipa para a frente. Na parte final do encontro, quando o SCP ainda tentava a vitória, foi dos elementos mais interventivos e inconformados.

Rui Lopes – Passou praticamente ao lado do jogo, embora se tenha esforçado e efectuado uma ou outra combinação colectiva. Não se estranhou que fosse o primeiro a abandonar o terreno de jogo.

Vivaldo Arrais – Na primeira parte esteve um pouco escondido do jogo e as suas poucas iniciativas não saíram como desejava. Subiu de produção no segundo tempo, provocando alguns desequilíbrios.

Marco Matias – Foi o elemento mais irrequieto e dinamizador do jogo ofensivo pelas alas, causando desequilíbrios e experimentando o remate. :slight_smile:

André Cacito – Exibição esforçada e sofrida do nosso ponta de lança. Apesar do menor caudal ofensivo produzido pela equipa, nunca desistiu de vir buscar jogo atrás e rematar quando teve oportunidade. Foi alvo de forte marcação por parte do adversário. Merecia que o seu esforço fosse premiado com um golo, mas tal não aconteceu.

Yannick Pupo – Entrou bem no encontro, contribuindo para a arrumação do meio campo e intervindo no ataque leonino.

Alison – Foi protagonista de algumas iniciativas velozes pelo seu flanco que, na sua maioria, não tiveram o seguimento que se pretendia.

Bruno Matias – Exibição discreta e com pouco fulgor, excepção feita a um bom rasgo em assistência para André Cacito.

CdL, o Muendo ainda tem contracto com o SCP, ou já não tem qualquer ligação com o clube? Cheguei a vê-lo jogar na equipa de juvenis em que jogava também o Paim e não me parecia mau jogador.

Se bem que já não importa muito, uma vitória teria tido sempre outro sabor, mas mais vale guardarmos os golos para os lampiões, dentro de algumas semanas :twisted:

O Muendo está emprestado ao Belenenses mas não sei quanto tempo mais ele tem de contrato com o SCP.

Obrigado.

Achas que poderá algum dia vestir as nossas cores, ou é mais um extremo estilo Marcelino ou Paulo Sérgio?

Sinceramente, não acho que o Filipe Muendo tenha qualidade suficiente para vestir a camisola do Sporting. Nunca me impressionou por aí além.

Sim senhora, foi bonito ver os altos dirigentes leoninos presentes para assistir à partida.

Um empate cinzento que não me pareça que comprometa. Realçar também pelas fotos do Ricardo, o excelente estado do relvado. :roll:

Obrigado uma vez mais ao manos. Grande abraço.

Que batatal! :shock: Julgo que este campo é utilizado essencialmente pelo râguebi, mas posso estar enganado.

Sim, é usado pelo râguebi e para os treinos de vários escalões de futebol do Belenenses também. :roll: