Judo

SERGIU E JOANA CONVOCADOS PARA CAMPEONATO DA EUROPA
Por Jornal Sporting
14 Abr, 2016
JUDO
Prova realiza-se entre os dias 21 e 23 de Abril na cidade russa de Kazan

Joana Ramos e Sergiu Oleinic foram convocados pela Federação Portuguesa de Judo para o próximo Campeonato da Europa de Seniores, que se realiza entre os dias 21 e 23 de Abril na cidade russa de Kazan.

Além dos judocas ‘leoninos’, foram também chamados Joana Diogo, Ana Cachoca, Yahima Rodríguez, Nuno Carvalho, Gonçalo Mansinho, André Soares, Nuno Sariva, André Alves, Carlos Luz, Diogo Lima e Tiago Rodrigues. João Neto, João Pina e Nuno Delgado serão os três treinadores nacionais na prova.

De referir que Joana Ramos ocupa actualmente o 12.º lugar do ranking mundial na categoria de -48kg, ao passo que Sergiu Oleinic é o 22.º posicionado em -66kg.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/modalidades/judo/2016-04-14/sergiu-e-joana-convocados-para-campeonato-da-europa

VASCO REVÉS FICA NA FASE PRELIMINAR EM TEPLICE
Por Jornal Sporting
16 Abr, 2016
JUDO
Atleta ‘leonino’ presente na Taça da Europa de Cadetes da cidade checa

Vasco Revés foi esta manhã eliminado na fase preliminar da Taça da Europa de Cadetes de Teplice, na Rep. Checa, frente ao atleta da casa Jan Svoboda.

No primeiro jogo da categoria de -55kg, o atleta ‘leonino’ acabou ceder por ippon aos 3.45 minutos, numa altura em que nenhum judoca tinha marcado qualquer ponto.

De recordar que Vaco Revés venceu na semana passada a medalha de ouro no Open de Lisboa em Cadetes, também em -55kg.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/modalidades/judo/2016-04-16/vasco-reves-fica-na-fase-preliminar-em-teplice

JOANA ELIMINADA POR RONI SCHWARTZ NO EUROPEU
Por Jornal Sporting
21 Abr, 2016
JUDO
Judoca ‘leonina’ ficou a um triunfo da luta de atingir pelo menos repescagens

Joana Ramos terminou a sua participação no Campeonato da Europa de Seniores, que se está a realizar na cidade russa de Kazan, no nono lugar, após ter sido eliminada na meia-final da fase preliminar da categoria de -52kg da competição.

A atleta ‘leonina’, actual 12.ª classificada do ranking mundial da categoria, começou por afastar a finlandesa Katri Kakko (157.ª da hierarquia) por wazari, num jogo onde tinha também marcado um yuko

No entanto, diante da 24.ª do ranking, a israelita Roni Schwartz, Joana acabou por ser derrotada por yuko, com a adversária da ‘leoa’ a ser punida com três castigos.

Nesta altura, irão realizar-se as meias-finais da competição apenas com atletas do top-10 da categoria, com a romena Andreea Chitu, líder do ranking mundial, a defrontar a francesa Priscilla Gneto (décima da hierarquia) e Majlinda Kelmendi (Kosovo, terceira do ranking) a ter pela frente a gaulesa Annabelle Euranie (quarta da hierarquia).

http://www.sporting.pt/pt/noticias/modalidades/judo/2016-04-21/joana-eliminada-por-roni-schwartz-no-europeu

SERGIU OLEINIC TERMINA EUROPEU NO SÉTIMO LUGAR
Por Jornal Sporting
21 Abr, 2016
JUDO
Judoca ‘leonino’ foi eliminado nas repescagens pelo italiano Fabio Basile

Sergiu Oleinic conseguiu um honroso sétimo lugar na categoria de -66kg do Campeonato da Europa de Seniores de judo, que arrancou hoje em Kazan, na Rússia. O luso-moldavo ainda conseguiu entrar na zona de repescagens que permitia lutar pela medalha de bronze mas foi afastado na primeira ronda pelo italiano Fabio Basile.

O atleta ‘leonino’, 22.º do ranking mundial, ficou isento da primeira ronda e começou o dia com um complicado triunfo diante do 70.º da hierarquia, o sérvio Marko Vukicevic, alcançado por yuko. No entanto, no duelo decisivo para a atribuição do triunfo na poule D, Sergiu perdeu também por yuko frente ao esloveno Adrian Gomboc, 30.º do ranking.

No primeiro combate das repescagens, o italiano Fabio Basile venceu por ippon ao fim de 3.43 minutos, quando ambos os judocas já tinham sido punidos com um castigo.

A final da categoria de -66kg será disputada entre o georgiano Vazha Margvelashvili, 19.º do ranking, vai defrontar o britânico Colin Oates, décimo da hierarquia. As medalhas de bronze serão discutidas entre Arsen Galstyan (Rússia) e Adrian Gomboc (Eslovénia) e entre Fabio Basile (Itália) e Dzmitry Shershan (Bielorrússia).

De referir que, também esta manhã, Joana Ramos foi eliminada na meia-final da fase preliminar pela israelita Roni Schwartz, na categoria de -52kg.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/modalidades/judo/2016-04-21/sergiu-oleinic-termina-europeu-no-setimo-lugar

TRÊS ‘LEÕES’ NA COPA INTERNACIONAL DE EQUIPAS
Por Jornal Sporting
28 Abr, 2016
JUDO
Sporting CP é o Clube mais representado com David Reis, Miguel Alves e Anri

A Federação Portuguesa de Judo convocou três atletas do Sporting CP para a Copa Internacional de Equipas de Juniores, que se vai realizar entre os dias 4 e 10 de Maio em Lauro Freitas na Bahia (Brasil).

David Reis (-66kg), Miguel Alves (-73kg) e Anri Egutidze (-81kg) foram os três elementos chamados para a Selecção Nacional que será orientada por João Pina, a que se juntam Rodrigo Lopes, Nuno Rato, João Martinho, Jaime Santos, Pedro Silva e Vasco Rompão. Os ‘leões’ são o Clube mais representado na convocatória.

http://www.sporting.pt/pt/noticias/modalidades/judo/2016-04-28/tres-leoes-na-copa-internacional-de-equipas

TRÊS ATLETAS ‘LEONINOS’ NA TAÇA DA EUROPA DE JUNIORES
Por Jornal Sporting
29 Abr, 2016
JUDO
Maria Siderot, Miguel Alves e Anri Egutidze convocados para prova na Corunha

O Sporting CP estará representado com três atletas na Taça da Europa de Juniores, que se vai disputar entre os dias 21 e 22 de Maio na Corunha (Espanha): Maria Siderot (-48kg), Miguel Alves (-73kg) e Anri Egutidze (-81kg).

Foram também convocados pela Federação Portuguesa de Judo os seguintes atletas: Patrícia Matias, Catarina Costa, Mariana Esteves, Carolina Silva, Joana Fernandes, Alexandra Doros, Patrícia Sampaio, Francisco Mendes, André Cravo, Nuno Rato, João Martinho, Jaime Santos, Guilherme Salvador e Pedro Silva.

De referir que Miguel Alves e Anri Egutidze – a par de David Reis, em -66kg – já tinham sido chamados pela Federação para a Copa Internacional de Equipas de Juniores, que se vai realizar entre os dias 4 e 10 de Maio em Lauro Freitas, na Bahia (Brasil).

http://www.sporting.pt/pt/noticias/modalidades/judo/2016-04-29/tres-atletas-leoninos-na-taca-da-europa-de-juniores

“Defendemos o adiamento para 2021. A UEFA também adiou o Europeu”

Declarações do presidente da Federação Portuguesa de Judo.

O presidente da Federação Portuguesa de Judo (FPJ) defendeu esta segunda-feira o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio2020, referindo que o Comité Olímpico Internacional (COI) deveria seguir o exemplo da UEFA, que adiou para 2021 o Europeu de futebol. “Defendemos o adiamento para 2021. A UEFA também adiou [o Europeu] e o COI deveria fazer o mesmo”, disse à agência Lusa Jorge Fernandes, justificando com a ausência das competições de apuramento e a própria ansiedade dos desportistas.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio2020 estão marcados para o período entre 24 de julho e 9 de agosto, enquanto o Europeu de futebol, que deveria decorrer entre 12 de junho e 12 de julho, foi adiado um ano devido à pandemia da Covid-19.

O presidente da World Athletics, o britânico Sebastian Coe, defendeu o adiamento dos Jogos Olímpicos, elencando três razões de maior, entre as quais a ausência de integridade, de condições iguais, entre atletas. “Não é num mês que os atletas se preparam para estarem nas melhores condições, o judo é uma modalidade muito física, mas além disso há um pânico e uma grande ansiedade no que se vive, há que ganhar confiança”, explicou o dirigente.

Jorge Fernandes alertou ainda para o que alguns analistas dizem, quanto à possibilidade de uma segunda vaga na pandemia da Covid-19, e que, também por isso, seria de “bom senso adiar os Jogos para 2021”. “Subscrevo o pedido do Sebastian Coe”, assinalou o dirigente máximo do judo português.

O atual cenário tinha Portugal com a sua maior delegação de sempre, com oito judocas em lugar elegível para os Jogos, e à espera de apurar um terceiro elemento masculino, em -60 kg, -66 kg ou -73 kg, para poder também competir em Tóquio como equipa. “Seria a maior delegação de sempre. E julgo que conseguiríamos”, disse ainda à Lusa o dirigente, lembrando que 2019 foi aquele que considera o melhor ano da modalidade em Portugal, ano em que Jorge Fonseca (-100 kg) foi o primeiro português campeão mundial, e Bárbara Timo (-70 kg) foi vice-campeã mundial.

Face à crise sanitária existente, a Federação Internacional de Judo suspendeu a atividade até 30 de abril, situação que a FPJ vai acompanhar e alargar também, depois de uma primeira paragem nos eventos internos, mas apenas até final de março. “Tínhamos o campeonato nacional de sub-23 e alguns estágios, que também vamos cancelar”, adiantou o dirigente em relação a provas nacionais.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 341 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15.100 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas. O país está em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

O Jogo

Europeu de Lisboa de importância redobrada com as novas datas dos Jogos

Com a remarcação dos Jogos Olímpicos, a competição que se realiza no próximo ano, no Pavilhão Atlântico, pode valer a 100 por centonas contas do apuramento, o que estava previsto para acontecer este ano com os Europeus em Praga.

Os Europeus de Lisboa, no próximo ano, podem vir a ter uma importância ainda maior face ao adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, defendeu à agência Lusa o presidente da Federação Portuguesa de Judo (FPJ), Jorge Fernandes.

Os Jogos Olímpicos vão realizar-se entre 23 de julho e 08 de agosto de 2021, anunciou hoje o COI, menos de uma semana depois de ter concluído, conjuntamente com o Governo japonês, remarcar as competições “para uma data posterior a 2020 e nunca depois do verão de 2021”.

“Penso que estas são as melhores datas, não muda nada, anda um ano para a frente. A sugestão que vamos dar à União Europeia de Judo e à Federação Internacional é que a qualificação fique como está [até fevereiro] e, depois, contem as provas de março, abril e maio de 2021”, disse Jorge Fernandes.

Um cenário que deixaria os Europeus de Lisboa, agendados para 30 de abril, 01 e 02 de maio de 2021, no Pavilhão Atlântico, como uma das competições a pontuar a 100% para os Jogos, o que estava previsto para acontecer este ano com os Europeus em Praga.

A crise sanitária desencadeada com a pandemia da covid-19 adiou e cancelou provas desportivas em todo o mundo, com o judo a ser mais uma das modalidades afetadas com a paragem competitiva.

“Os Europeus de Praga ainda foram primeiro adiados para 19 e 21 de junho, e, entretanto, essa data também foi cancelada. Agora, apenas no segundo semestre” poderão realizar-se, disse Jorge Fernandes.

Para o presidente da FPJ, o judo internacional irá agora “reajustar os calendários”, mas a expectativa, e o desejado em Portugal, é que sejam as competições de 2021, entre março e maio, a fecharem o apuramento.

Com base no “ranking” atual, a seleção portuguesa tem oito judocas em lugar de apuramento para Tóquio2020: Catarina Costa (-48 kg), Joana Ramos (-52 kg), Telma Monteiro (-57 kg), Bárbara Timo (-70 kg), Patrícia Sampaio (-78 kg), Rochele Nunes (+78 kg), Anri Egutidze (-81 kg) e Jorge Fonseca (-100 kg).

O Jogo

Tóquio’2020: Federação de surf diz que nova data dos Jogos dá tempo para reformular calendário

João Aranha sublinha a decisão “foi a mais correta possível”

O presidente da Federação Portuguesa de Surf (FPS), João Aranha, afirmou hoje que as novas datas para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, face à pandemia da covid-19, permitem “trabalhar e ter tempo” para reformular o calendário internacional.

“É uma alteração que nos permite trabalhar e ter tempo. Esperamos que esta crise mundial que alastra o mundo se resolva rapidamente. Estamos contentes com a decisão e esperamos que tudo se resolva até lá”, disse à agência Lusa o dirigente federativo.

Embora considerando que, no caso do surf, as datas estipuladas não são “a melhor época no Japão em termos de ondulação”, João Aranha sublinhou que é um problema que afeta todas as modalidades e que, por isso, a decisão “foi a mais correta possível”.

A entidade que rege o surf em Portugal espera agora que a Associação Internacional de Surf (ISA, na sigla inglesa) tome “decisões mais conscientes”, após as críticas por não ter sido interrompido o campeonato do mundo de surf adaptado, nos Estados Unidos, do qual a seleção portuguesa se retirou em 12 de março.

“Havendo um ano, a federação mundial tem tempo para tomar decisões mais conscientes e ganhar tempo na qualificação olímpica. Tenho a certeza de que vão adiar o campeonato [do mundo], que era agora para junho, e vão escolher outra data. Não há razão para agora virem inventar novas regras, há tempo suficiente para resolver o problema”, disse.

O campeonato, que estava previsto de 09 a 17 de maio e, entretanto, foi adiado para 06 a 14 de junho, está previsto para El Salvador e serve de última prova de qualificação olímpica, na qual faltam apurar as últimas cinco vagas masculinas e sete femininas.

Os Jogos Olímpicos estavam marcados para decorrerem entre 24 de julho e 09 de agosto de 2020, mas foram adiados em um ano, devido à pandemia de covid-19.

O anúncio foi feito por Yoshiro Mori, pouco depois de uma conversa telefónica com o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach.

Esta decisão inédita foi tomada “para salvaguardar a saúde dos atletas, de toda a gente envolvida nos Jogos Olímpicos e da comunidade internacional”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 727 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 35 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 142.300 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, registaram-se 140 mortes e 6.408 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Record

Coronavírus: Federação de Judo orgulhosa pelo reconhecimento internacional

Relativamente ao “bom trabalho feito” em Portugal durante o período de pandemia de covid-19

A Federação Portuguesa de Judo (FPJ) mostrou-se esta segunda-feira muito orgulhosa pelo reconhecimento da Federação Internacional da modalidade (IJF) relativamente ao “bom trabalho feito” no país durante o período de pandemia de covid-19.

“Para a Federação de Judo e para toda a família do judo é um orgulho muito grande ver o reconhecimento da Federação Internacional pelo bom trabalho que foi feito em Portugal, principalmente nesta fase tão complicada para a modalidade bem como para todos os desportos”, enalteceu o presidente da FPJ, Jorge Fernandes, citado num comunicado divulgado.

A resposta de Jorge Fernandes surge depois de o organismo internacional ter “agradecido a todos aqueles que contribuíram” para o desenvolvimento do protocolo de segurança com recomendações durante o período de pandemia.

“A Federação Internacional de Judo está agradecida a todos os que contribuíram para a criação destas orientações, que são baseadas no protocolo de segurança da Federação Francesa de Judo, nas recomendações da Federação Portuguesa de Judo e da Comissão Médica da IJF e da EJU (União Europeia de Judo)”, escreveu a IJF.

Portugal contabiliza 1.144 mortos associados à covid-19, em 27.679 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia. Das pessoas infetadas, 805 estão hospitalizadas, das quais 112 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados é de 2.549.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 282 mil mortos e infetou mais de 4,1 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Record

JUDOCAS DE SELEÇÃO JUNTAM-SE AOS DO ALTO RENDIMENTO

JUDO 10:36

Por
Miguel Candeias

Após um período inicial de reabertura de treinos e instalações apenas aos atletas de alto rendimento, com as preparações a terem obrigatoriamente de decorrer ao ar livre, vindo depois a abrir em recintos, ginásios e piscinas específicos, segunda-feira iniciou-se uma nova etapa de desconfinamento desportivo, já aberta a todos os integrantes da Seleção Nacional. Judocas incluídos. Modalidade colocada entre aquelas cujo regresso se previa mais tardio devido ao constante contacto físico e proximidade de rostos em esforço.

«Começou uma segunda fase! Se até aqui estavam a treinar sozinhos, agora já podem trabalhar técnica e uchi komi, com as pegas a serem efetuadas no casaco do adversário. Mas ainda não podem efetuar randoris [treino de luta]. O treino no chão é proibido, tem de ser tudo efetuado em pé e o parceiro nunca poderá fazer oposição, para tentar reduzir o esforço e eventuais respirações ofegantes ao mínimo possível. São apenas permitidos os movimentos», frisou o presidente da federação, Jorge Fernandes.

«Mas nesta segunda fase a grande novidade é a permissão de os atletas da Seleção retomarem a atividade», acrescentou quem já ambiciona efetuar a primeira concentração em junho. Incluindo a equipa olímpica que, neste momento, tem oito elementos apurados para os Jogos de Tóquio. «Como as coisas têm estado a correr bem, o estágio envolveria todas as seleções. No entanto, o secretário de Estado [da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo] pediu-nos para ter alguma calma e esperar, pelo menos, mais duas semanas, antes de qualquer decisão», revelou o líder da FPJ.

Devido ao regresso dos selecionáveis aos tapetes, há já quem tenha adquirido material de desinfeção, como é o caso do JC Coimbra, para reduzir a margem de risco de contaminação. «O clube comprou um pulverizador para desinfetar a sala, que é utilizado todos os dias depois do recinto ser lavado após cada treino», conta Fernandes. «Além disso, temos um gel desinfetante que é obrigatoriamente usado quando entramos e saímos. Existe ainda um tapete especial à entrada, mas os sapatos da rua ficam lá fora. E os judocas têm também de treinar com máscara, mudando-a a cada meia hora», diz.

Mas há mais regras. «Nos treinos, as portas e janelas estão sempre abertas e quem entra não sai mais para coisa alguma. Nem para ir à casa de banho. Se tiver de ser, já não volta a entrar», garante. «Os atletas têm de se preparar antes da saída e no final só um ou outro permanece para lavar e desinfetar a sala. E quando se sai não é para ficar à porta a conversar, na rua, mas ir logo para casa», refere Jorge Fernandes.

«A federação recomendou a todos que, por agora, os treinos sejam apenas de uma hora e sem grande intensidade. A máscara não permite a entrada de oxigénio suficiente para quem está em esforço», justifica. «Mas para mim e para os atletas este momento é extraordinário. Fazer judo é aquilo de que gostamos. Não é andar a fazer de conta. E este passo aproxima-se do treino», concluiu.

A Bola