Hoje não festejei

Quando marcamos 3-1, nem gritei golo. Gozei em silêncio e palavra de honra que me vieram lágrimas aos olhos.

Depois de um jogo com tudo para ser um novo “grande jogo, má eliminação” (vide Barcelona 1-0 1-2, Madrid 1-0 1-2, etc etc etc etc etc); depois de anos e mais anos de eliminações com equipas de m***** e eliminatórias miseráveis; depois de uma época aziaga em que se jogou tão bem e se iam perdendo as etapas mais importantes…apesar de mesmo depois do 0-1 aquilo parecer muito dificil e eu, como sempre, acreditar até ao fim; depois de inúmeros golos falhados mas também a sorte enorme, que não nos costuma sorrir, de eles falharem alguns golos quase feitos; depois de a nossa defesa voltar a dar brindes; estava-se mesmo a ver que ia ser mais um jogo para recordar daqui a 10 anos como “a grande oportunidade que passsou ao lado”.

Mas não foi.

Aqueles 11 jogadores, depois 12, depois 13, depois 14, lutaram, acreditaram, comeram a relva e o adversário, encostaram-no às cordas, massacraram-no, remataram, fintaram, fuçaram, e foram felizes.

Mereceram-no.

PS: mudem já o nome ao Moutinho. Com aquele jogo todo nas pernas, tem que passar a ser Moutão.

Quando marcamos 3-1, nem gritei golo. Gozei em silêncio e palavra de honra que me vieram lágrimas aos olhos.

Depois de um jogo com tudo para ser um novo “grande jogo, má eliminação” (vide Barcelona 1-0 1-2, Madrid 1-0 1-2, etc etc etc etc etc); depois de anos e mais anos de eliminações com equipas de m***** e eliminatórias miseráveis; depois de uma época aziaga em que se jogou tão bem e se iam perdendo as etapas mais importantes…apesar de mesmo depois do 0-1 aquilo parecer muito dificil e eu, como sempre, acreditar até ao fim; depois de inúmeros golos falhados mas também a sorte enorme, que não nos costuma sorrir, de eles falharem alguns golos quase feitos; depois de a nossa defesa voltar a dar brindes; estava-se mesmo a ver que ia ser mais um jogo para recordar daqui a 10 anos como “a grande oportunidade que passsou ao lado”.

Mas não foi.

Aqueles 11 jogadores, depois 12, depois 13, depois 14, lutaram, acreditaram, comeram a relva e o adversário, encostaram-no às cordas, massacraram-no, remataram, fintaram, fuçaram, e foram felizes.

Mereceram-no.

PS: mudem já o nome ao Moutinho. Com aquele jogo todo nas pernas, tem que passar a ser Moutão.

já sei que nome vai ter a próxima camisola que comprar do scp :smiley:

eu no 4º golo senti o coração a bater mais rapido.
nem me mexi.

quando chegar aos 50, deixo de lá ir. :smiley:

Se alguma vez o público foi realmente o 12º jogador, então esse dia foi hoje.

Os dois primeiros golos fiquei frio…

No terceiro dei um gritinho…e o meu coração começou a bater intensamente até o 4º golo em que ia rebentando a casa :smiley:

Que emoção … já não sentia isto há muito tempo … LINDO!

Como foi bom ter estado ontem no Estádio.

já sei que nome vai ter a próxima camisola que comprar do scp :D

O meu filho acabou de mudar de idolo tb…:frowning: la vai mais uma nota para uma camisola do mooutinho heehehhh

Que grande Momento de Paixão !!!

Grande Estádio; Enorme Equipa!! Fabulosos Adeptos !!!

Nem imaginam os meus sobrinhos(pela 1º vez), meu irmão e meu Pai entram no estádio e são presentiados com um festival daqueles!!!
Todas as Bancadas muito bem !!!
Uma palavra de apreço para as duas bancadas Centrais, já tinha saudades de eles gritarem bem alto o nome do Mágico SPORTING!!!

Bem HAJA SPORTING por existires e eu ter um enorme orgulho em AMAR-TE Todos os dias !!!

PS: mudem já o nome ao Moutinho. Com aquele jogo todo nas pernas, tem que passar a ser Moutão.

Impressionante voi ver a garra, entrega e detrminação deste puto. A forma como ficava quando falhava um golo ou a forma como festejava quando os colegas o faziam foi/é impressionante!

A correr do segudo 0 ao regresso para os balnearios!

SPORTING DEMAIS…
e grande jogador o miudo…fenomenal…

tive fezada mesmo depois do 0-1…no 4-1 adorei a festa no relvado…

PS: mudem já o nome ao Moutinho. Com aquele jogo todo nas pernas, tem que passar a ser Moutão.

Impressionante voi ver a garra, entrega e detrminação deste puto. A forma como ficava quando falhava um golo ou a forma como festejava quando os colegas o faziam foi/é impressionante!

A correr do segudo 0 ao regresso para os balnearios!

Este ano acho que o que está a fazer a diferença é a garra/empenho de alguns jogadores. Moutinho. Sá Pinto. Liedson. Carlos Martins. E um pouco atrás, ou talvez menos exuberantes, Rogério, Beto, Ricardo, Rui Jorge, Douala. Mas os 4 de cima têm empurrado a equipa e de que forma.

Golo deles…pensei “pronto, la se foi mais uma opurtunidade”

Primeiro golo, pensei que ainda era possivel, festejei pouco

Depois ao intervalo " se formos eliminados por estes cepos nem sei o que dizer…sera uma grande injustiça"

segundo golo, festejei bastante, senti que era possivel :smiley:

terceiro, que salto que eu dei :smiley:

quarto, para nos aliviar nos ultimos minutos

Ontem, antes de entrar no estádio, não resisti a ir espreitar o parque de estacionamento onde antes se erguia o velho José Alvalade, num momento de nostalgia assumidamente lamechas. Estava um fim de tarde mágico (não sei se mais alguém sentiu o mesmo) e a verdade é que durante uns breves segundos consegui sentir a presença e o peso de toda a história do Sporting naquele descampado atulhado de carros.

Quando me sentei no topo sul ia acompanhado da mesma sensação, a de que o correr do tempo não nos iria ser adverso, de que era tudo perfeito demais para ser estragado por um qualquer capricho do destino. A entrada corajosa do Sporting só reforçou ainda mais a minha confiança. Até ao momento em que o tal capricho aconteceu.

A princípio não tive reacção, só me conseguia sentir anestesiado, pensando que tudo estava perdido. A segunda recordação que tenho desse momento é ouvir a Juve a mostrar o que deve ser uma claque, continuando a apoiar a equipa como se nada se tivesse passado. Cantavam ainda o Dyer corria para a baliza e, sem um segundo de hesitação, continuaram a cantar enquanto os ingleses festejavam.

A pouco e pouco o resto do estádio foi acordando do torpor, mas mesmo cantando e gritando o nome do meu clube até ficar rouco, a verdade é que até ao terceiro golo não sei até que ponto acreditei na reviravolta.

Quando aquela bola cabeceada pelo Beto bateu na rede lá em baixo foi como um sonho, algo que não se pode exprimir por palavras, um momento quase tão irreal como frágil. Tive medo de me beliscar, e em vez disso saltei como um louco.

Até ao golo da confirmação, não me lembro de alguma vez sentir os segundos passar tão lentamente, mas foi um privilégio poder passar por tanto sofrimento. No fim, ficou o nervoso miudinho que já no metro me fazia ainda tremer, o orgulho de ter lá estado e a certeza de que nunca irei esquecer esta noite heróica.

Mais uma vez, obrigado, Sporting.

eu benzi-me à entrada para o sector.
muito nervoso aquando do inicio do jogo…
só mesmo rogério aos 30s para me por a pensar “a jogar assim, chegamos lá”

depois foi olhar várias vezes para o céu…