Galegos, Sporting....só muda o "sucesso"

Os moderadores que me desculpem, pois procurei outros tópicos :liar: e não sabia onde havia de “encaixar” isto, mas também não quis deixar passar em claro esta notícia do Correio da Manhã

A rica geração de galegos Galegos de sucesso MANOLO VIDAL

Manolo Vidal conhece todos os restaurantes detidos por galegos. Esteve, aliás, na inauguração do Solmar em 1956. Embora já nascido em Lisboa, considera-se tão da terra quanto os seus antepassados. Foi no futebol que se distinguiu, vestindo a camisola às riscas do Sporting.

Mas paralelamente com o desporto – chegou a assumir a direcção desportiva do clube de Alvalade – manteve sempre o controlo sobre os negócios que herdou do pai e dos tios. Os antepassados não eram tão dotados para a bola mas jogavam em várias frentes: “O meu pai, que tinha estado primeiro no Brasil, deixou padarias”. Os tios tinham descoberto “a galinha dos ovos de ouro”: a embalagem.

“Pode parecer estranho, mas ninguém se tinha lembrado disto”. Os galegos eram muitas vezes moços de fretes. Trabalhavam nas mudanças, no transporte. Ora, não havia ninguém especializado em fabricar embalagens de madeira à medida das necessidades. Os familiares de Vidal montaram uma oficina na Rua dos Douradores. A arte ganhou um nome: caixotaria.

Enquanto jovem, Manolo Vidal cumpriu o desígnio galego. Não se quedava pelos relvados. Durante 16 anos foi empregado num armazém de papel. Só mais tarde foi assumindo os negócios da família na caixotaria, papelaria e embalagens. Ainda tem as padarias dos pais.

E, porque galego que é galego não deixa o empreendedorismo por mãos alheias, encetou novos caminhos: hoje tem também uma empresa de marketing e uma de vidros e cristais. Os filhos seguir-lhe-ão as pisadas.

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=276099&idselect=19&idCanal=19&p=22

Um grande e simpático sportinguista.

Ah pois é :whistle:

…e pelos visto bufo. Já que está tanto na moda criticar a bufaria no clube, há que recordar uma entrevista que Luís Duque deu há uns anos, onde tecia algumas críticas ao “Galego”.

Segundo Luís Duque, Manolo Vidal deu uma entrevista a um pasquim durante o mercado de inverno da época 1999/2000, onde afirmava a grande necessidade que o Sporting tinha de um defesa direito, e que era imperativo o Sporting contratar César Prates. Como essa entrevista foi feita ainda com as negociações por concluir, o Sporting perdeu margem negocial e acabou por pagar aquilo que o Real Madrid (?) exigiu.

Obviamente que não o terá feito de propósito, mas acredito que grande parte da bufaria que existe seja resultado destes pequenos deslizes por parte de pessoas que não medem devidamente as consequências das suas declarações, ou que têm dificuldade em manter para si informações privilegiadas.

A “bufice” não deve ter sido feita com má intenção. Ainda recordo Manolo Vidal a celebrar num dos balneários de Vidal Pinheiro o título desse campeonato.

Mas lá está: Luís Duque percebe de futebol, quem não percebe faz merd@