Fernando Mendes ao Jornal Sporting

Fernando Mendes deu uma entrevista ao nosso Jornal, falando dos anos de Leão ao peito e da passagem pelos grunhos. Cito as partes mais significativas.

Jornal Sporting 24/02/05

"(…) Nunca tive qualquer razão de queixa do Sporting, pois jogava no Clube de que sou adepto desde que nasci e sentia-me muito acarinhado pelos sócios, que gostavam da minha maneira de jogar. (…) Quando subi a sénior, os jogadores até choravam quando perdiam um jogo, ou empatavam em Alvalade. Chorávamos quando perdíamos e íamos para casa e não saíamos de lá até ao treino seguinte. Éramos uma grande família, pois chegávamos às 9h30m da manhã e só íamos para casa 12 horas depois, pois além dos treinos, também almoçávamos juntos, íamos ao cinema, etc. (…)

(…) Fico feliz por ver o Sporting a modernizar-se, mas não posso esconder que me custou muito ver o antigo Alvalade a ir abaixo. Vivi no Estádio muitos anos e sinto que foi uma parte de mim que também acabou. (…)

(…) Vim para o Sporting com nove anos de idade e vivi, até chegar aos séniores, no centro de estágio e passei todos esses anos nas imediações do Estádio José Alvalade, assistindo aos treinos dos séniores, ou aos jogos das modalidades amadoras no pavilhão. Fui criado sob o emblema do Sporting e, naturalmente, aprendi a não gostar do Benfica e, de um momento para o outro, estava a jogar com a camisola “vermelha”. Houve coisas que se passaram que não esqueço, como ser o único a não receber, ou a não participar no jogo de apresentação, o que me levou a tomar atitudes de forma a que me mandassem embora do Clube. Quais? Uma delas, por exemplo, era que, ao contrário dos meus colegas que levavam champoo e sabonete para o treino, eu levava uma pressão de ar para atirar aos muitos pássaros que iam “picar” o adubo dos relvados do Estádio da Luz. Também levava a pressão de ar para o balneário, fazendo pontaria à placa que dizia “treinador principal” na porta do balneário do Eriksson. Fazia um barulho enorme e depois o sueco vinha doido para ver quem era e eu sempre com a espingarda na mão…"

Liiiinddooo :slight_smile:

[b]Jornal Sporting 24/02/05[/b]

(…) Fico feliz por ver o Sporting a modernizar-se, mas não posso esconder que me custou muito ver o antigo Alvalade a ir abaixo. Vivi no Estádio muitos anos e sinto que foi uma parte de mim que também acabou. (…)

Exactamente o que eu senti! :? Haverá sempre um sentimento de saudade em relação ao estádio antigo, afinal foi ali que passei uns dos melhores anos da minha vida.

Lindo mesmo, este é cá dos nossos! :wink: :lol:

Se o Fernando Mendes é assim tão sportinguista que esclareça porque saiu do Sporting à paposseco e o porquê de determinadas declarações quando vestia a camisola do porco e dos lamps.

Oh zeze, tens de entender que a partir do momento em que compartes um pouco da tua vida com gente daquela extripe ficas invariavelmente a bater mal.

Eu que vim aqui postar algo de inteligente, so com a presenca deste kala boiola ate parece que regredi 200 anos…

Nao e facil zeze, nao e nada facil… imagina uma vida inteira de courato e garrafao de 5 litros!!!

Parece-me que o Fernando Mendes nunca escondeu o seu sportinguismo.

Quanto à ida para os lampios ganhei-lhe mto pó na altura mas não posso esquecer o momento que o clube vivia, não sei o que lhe terão dito ou com o que lhe terão falhado para isso acontecer.

O Fernando Mendes saiu do SCP no final da época 88/89. Eu tinha 12 anos e fiquei pior que estragado, ainda por cima porque foi jogar para os grunhos. Era na altura um dos jogadores que mais gostava. É claro que quando se tem 12 anos o entendimento destas situações é completamente diferente. Hoje compreendo perfeitamente a situação. O rapaz tinha oito meses de ordenados em atraso e tinha de pensar na sua situação profissional.

O que ele diz sobre passar a maior parte do dia no Estádio ou nas suas imediações é verdade. Na altura em que o Jardim do Campo Grande ainda era um local relativamente tranquilo e seguro para passear, lembro-me de o ter visto mais o Morato, no final de uma tarde, a caminhar e a conversar animadamente. Eu devia ter para aí uns 10 anos.

Sobre o seu Sportinguismo, não tenho dúvidas absolutamente nenhumas. Lembram-se quando ele disse que o Benfas era uma equipa foleira, depois de uma vitória do Belém na capoeira? :lol:

Houve coisas que se passaram que não esqueço, como ser o único a não receber, ou a não participar no jogo de apresentação, o que me levou a tomar atitudes de forma a que me mandassem embora do Clube. Quais? Uma delas, por exemplo, era que, ao contrário dos meus colegas que levavam champoo e sabonete para o treino, eu levava uma pressão de ar para atirar aos muitos pássaros que iam "picar" o adubo dos relvados do Estádio da Luz. Também levava a pressão de ar para o balneário, fazendo pontaria à placa que dizia "treinador principal" na porta do balneário do Eriksson. Fazia um barulho enorme e depois o sueco vinha doido para ver quem era e eu sempre com a espingarda na mão..."

Pouco maluco o menino :lol: