ESTORIL - SLMerdas investigado

CORREIO DA MANHA: (hoje)

Encontro Estoril-Benfica investigado

O jogo Estoril-Benfica (1-2), da 30.ª jornada da SuperLiga, está sob investigação da Polícia Judiciária, apurou o CM, em exclusivo, junto de fonte próxima dos ‘canarinhos’. Toda a informação sobre o processo na
edição desta quarta-feira do nosso jornal.

A pergunta e: PARA QUE, para acabar como o Apito Dourado? Agora decidiu a PJ investigar o jogo (maior roubo ao VIVO da historia do futebol portugues, pior so o jogo com o porto em que o apanha-bolas meteu a bola na baliza com a mao…). INVESTIGAR, AGORA QUE O SLMerdas ja e campeao… :roll:

Calma…alguém sabe o que está a ser investigado? Alguém leu isso na versão impressa?

Tem calma Morph. A classificação final do campeonato ainda não foi homologada. Querem ver que os tripas ainda podem vir a cheirar o caneco? Acho que morria de tanto rir… hehehe

Resta saber se a iniciativa de tal investigação partiu da própria PJ ou é a mando do Ministério Público…

Conversa para encher …

Como habitualmente o resultado vai dar em nada.

http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=162047&idselect=181&idCanal=181&p=0

Ai ai :twisted:

Mais uma para azucrinar os lamps :twisted:

Não vai dar em nada.
Mas para serem sérios deveriam investigar muito mais para além desse jogo.

Pode não dar em nada…mas se bem se lembram apareçeram inúmeros comentadores ditos sérios na altura a defender que aquilo não teve nada de anormal não foi??? Pois bem, a PJ tem outra opinião :twisted:

Tomem fdps!!!

Sem ter muito trabalho, de caras, deparam-se com um caso típico de tráfego de influências. Digo eu, que não percebo nada do assunto.

sinceramente não sei onde o estoril foi mais roubado, se no estádio da luz se no algarve

Exclusivo CM

2005-06-01 - 13:00:00

Caso - Carlos Xavier confirma que foi contactado pela PJ

Judiciária investiga jogo Estoril-Benfica

Vasco Célio/Record

A Polícia Judiciária abriu uma investigação ao jogo Estoril-Benfica (1-2), da 30.ª jornada da SuperLiga, informação que foi apurada pelo CM e confirmada ontem ao nosso jornal pelo técnico adjunto dos ‘canarinhos’, Carlos Xavier.

“É verdade que a Polícia Judiciária andou a recolher informações. Fui contactado por eles logo a seguir ao jogo e disseram-me que mais tarde voltariam a entrar em contacto comigo. Eu coloquei-me à disposição deles, mas desde então nunca mais falaram comigo. Espero que as coisas não tenham ficado em águas de bacalhau”, afirmou Carlos Xavier ao CM.

O técnico adjunto foi a voz da revolta estorilista na sequência do polémico jogo. “Eu na altura disse o que tinha a dizer para defender a minha equipa. Fomos prejudicados em três pontos naquele jogo e outros três na primeira volta, fora outros jogos, e se não fosse isso podíamos estar aqui a festejar a manutenção. A partir daí, as autoridades que façam o seu trabalho. Se há alguma coisa a averiguar que averiguem, se não andamos sempre com suspeitas mas nunca se chega a lado nenhum. Se calhar, a PJ já devia estar atenta há muito tempo e o que se passou foi a gota de água”, disse.

Na altura, Xavier apontou o dedo a José Veiga, director-geral da SAD do Benfica: “Ouvi José Veiga dizer ao [treinador do Estoril] Litos, logo no final do jogo, que ele ia para o desemprego”, afirmou Xavier, à Rádio Renascença, um dia depois da partida, atirando-se depois ao árbitro: “Parecia que estávamos num jogo de apresentação do Benfica. O árbitro ficou com umas botas deles. Chegou uma altura que me fui embora porque estava enojado”.

O árbitro Hélio Santos reagiu de pronto. “Tinha as minhas botas a descolar e pedi umas emprestadas, primeiro ao Estoril. Disseram-me que não tinham e fui ter com elementos do Benfica que me disponibilizaram um par do meu número”, disse o juiz lisboeta.

“DEVEM-ME QUATRO MESES”

Xavier não poupa também críticas a António Figueiredo: “O presidente da SAD do Estoril achou que eu estava a defender outro clube, por causa do meu passado no Sporting, e não me pagaram os salários de Fevereiro, Março, Abril e Maio. O caso está entregue ao meu advogado. No Sporting ensinaram-me a ser sério”.

António Figueiredo escusou-se a comentar os salários em atraso e diz desconhecer uma investigação da PJ. “É uma completa novidade para mim e nao sei o que há para investigar. Fico satisfeito que investiguem para desmitificar muita conversa que andou por aí”, disse ao CM.

Da parte do Benfica, o director de comunicação Cunha Vaz afirmou ao CM: “O Benfica desconhece a existência de qualquer investigação”.

‘NUNCA FUI OUVIDO PELA PJ’

O lateral-direito do Estoril, Rui Duarte, garantiu ontem ao CM que não foi ouvido pela Polícia Judiciária. Na altura levantaram-se suspeitas sobre a expulsão do jogador logo nos primeiros minutos de jogo e chegou a sugerir-se que Duarte teria já um acordo para jogar no Benfica. Estes rumores terão levado a PJ a colocar-se em campo, mas o jogador nega ter sido contactado. “Nunca fui ouvido pela PJ e estou supertranquilo. Não tenho nada certo com o Benfica e nunca me passaria pela cabeça uma situação dessas porque não faz parte do meu modo de vida. Quem me viu a chorar dentro da cabina depois da expulsão sabe que não foi de propósito. Foi a primeira vez que fui expulso e acho que o árbitro foi demasiado rigoroso. Ninguém mais do que eu queria jogar aquele jogo”, disse ao CM. O jogador deve sair do Estoril: “Ainda não tenho o meu futuro definido, mas no Estoril em princípio não fico”.

ALMOÇOS ESTRANHOS

Uma das situações que terá chamado a atenção da Polícia Judiciária foi uma denúncia feita por Carlos Xavier em relação a José Fernando, primo de José Veiga, que trabalha na SAD do Benfica, com funções ligadas à segurança. Na altura, o técnico adjunto garantiu que este elemento tentou encontrar-se com alguns jogadores do Estoril na semana anterior ao jogo: “Um indivíduo do Benfica, um segurança primo não sei de quem que os costuma acompanhar, o qual já tinha estado envolvido nos incidentes da Luz na primeira volta, e que já trabalhou no Estoril, teve o descaramento de aparecer na Amoreira, na última semana, quando no passado nem lhes falava, a fim de convidar jogadores para almoçar. No mínimo, é estranho”. Estas declarações terão sido, segundo apurou o CM, um dos motivos que levou a PJ a investigar.

O JOGO DA POLÉMICA

ESTÁDIO ‘ENCARNADO’

A polémica começou antes do encontro porque o Estoril aceitou jogar no Estádio do Algarve e não no seu recinto na Amoreira. Dessa forma, o Estoril garantiu uma excelente receita, mas foi como se jogasse fora, com os benfiquistas a ocuparem a quase totalidade dos 30 mil lugares.

CASOS DO JOGO

O jogo teve alguns casos. Na expulsão precoce de Rui Duarte, o juiz limitou-se a aplicar a lei. Mas há um penálti de Ricardo Rocha sobre Moses não assinalado. A expulsão de João Paulo (79’) por palavras pareceu demasiado rigorosa. E há dúvidas sobre o livre que deu o golo da vitória do Benfica.

BENFICA SOFREU

O jogo começou mal para o Benfica, que aos onze minutos já perdia por 0-1, golo de Paulo Sousa.

O empate surgiu aos 76 minutos, com Luisão a cabecear para as redes. E só a oito minutos do fim, já com o Estoril reduzido a nove, o Benfica chegou à vitória. Petit apontou o livre e Mantorras encostou para a baliza.

blá blá blá.

vejam lá se deram ao Sporting os 2 pontos que faltam do Sporting X Braga?

não. logo, também não vão tirar um campeonato.

patinhos.

Quem me viu a chorar dentro da cabina depois da expulsão sabe que não foi de propósito.

Esta necessidade de vir invocar o próprio choro, que como convém terá sido testemunhado, levanta-me algumas dúvidas… :-k

Não é mais do que um: “Eu não forcei a expulsão porque até chorei nas cabinas, lembram-se?”. Quem está de consciência tranquila não precisa de invocar lágrimas para se justificar. :-s

Este jogo tem mesmo muito que se lhe diga.

Ou seja o crime compensa… Rouba-se o beneficiário não é punido

eu partia me a rir se agora o slb ficasse sem o titlo era lindo :lol:

Encontro Estoril-Benfica investigado

O jogo Estoril-Benfica (1-2), da 30.ª jornada da SuperLiga, está sob investigação da Polícia Judiciária, apurou o CM, em exclusivo, junto de fonte próxima dos ‘canarinhos’. Toda a informação sobre o processo na
edição desta quarta-feira do nosso jornal.

:-({|= :-({|= :arrow:

cumps,
VCoelho

Reforço o que “escreveu” o vcoelho:

:-({|= :-({|= :whistle: :whistle: :arrow:

Ná… isto é mais uma daquelas noticias/manobras para os pequerruchos virem mais tarde dizer que a PJ até investigou e como tal podemos parar de fazer barulho, porque não se provou nada.

não há fumo sem fogo :roll:

“Um indivíduo do Benfica, [b]um segurança primo não sei de quem que os costuma acompanhar[/b], o qual já tinha estado envolvido nos incidentes da Luz na primeira volta, e que já trabalhou no Estoril, teve o descaramento de aparecer na Amoreira, na última semana, quando no passado nem lhes falava, a fim de convidar jogadores para almoçar. No mínimo, é estranho”

Já estou mais descansado, afinal o Carlos Xavier sabe e tem a certeza absoluta que o Benfica tentou reunir num almoço os jogadores do Estoril, nomeadamente um primo não sei de quem
SE o Carlos Xavier sabe mesmo que diga tudo, não venha com o vizinho do tio do primo disse que… :arrow:

“Um indivíduo do Benfica, [b]um segurança primo não sei de quem que os costuma acompanhar[/b], o qual já tinha estado envolvido nos incidentes da Luz na primeira volta, e que já trabalhou no Estoril, teve o descaramento de aparecer na Amoreira, na última semana, quando no passado nem lhes falava, a fim de convidar jogadores para almoçar. No mínimo, é estranho”

Já estou mais descansado, afinal o Carlos Xavier sabe e tem a certeza absoluta que o Benfica tentou reunir num almoço os jogadores do Estoril, nomeadamente um primo não sei de quem
SE o Carlos Xavier sabe mesmo que diga tudo, não venha com o vizinho do tio do primo disse que… :arrow:

Mas ele já disse… ou não? Esse tal primo de não sei quem, é primo do José Veiga. Não foi o CXavier que disse? Então já não sei quem foi, mas tenho ideia de ver isso escrito em qualquer lado…