Entrevista de Costinha à Revista Sabado.

Não me lembro de alguem ter denuciado com tanta clareza como funcionam as coisas no FC Porto. E não é dito por um zé-ninguem. Quem o o afirma é o Costinha ou “o Ministro” como preferirem jogador de grande influencia nos anos da glória azul.

Faz me confusão como é que ninguem pegou nesta entrevista e questinou os responsaveis do FC Porto sobre o seu conteudo. Por fim, algo que já aqui se falou, o Costinha é Sportinguista.


Entrevista de Alexandra Tavares Teles “Sábado” a Costinha

ATT - Alguma vez se arrenpendeu de ter ficado no FC Porto depois do Euro 2004 e da saída de Mourinho ?

Costinha - Atentendo ao que se passou, fiquei um bocado arrenpendido. Perdi tempo. Havia vários clubes interessados, mas o FC Porto convenceu-me de que era uma peça importante para a equipa, um factor de estabilidade no balneário. Tinha um contrato muito bom, acima das possibilidades do mercado português e achei que devia ficar. Fiz mal.

ATT - Pelos resultados desportivos ?

Costinha - Por tudo. Nunca pensei que o FC Porto se destruísse em tão pouco tempo. Da equipa campeã europeia apenas ficaram 10 jogadores. A equipa ficou sem identidade, sem espírito. Na época anterior, era habitual ver 10 ou mais jogadores no mesmo restaurante sem ter havido qualquer combinação. Era um prolongamento dos treinos e dos jogos. Com tantas saídas e tantas entradas, cada um ficou para seu lado. Não consegui perceber que tipo de política foi esta nem o que se prentendia obter com ela.

ATT - O FC Porto apontou razões financeiras…

Costinha - Pelos valores a que venderam o P.Ferreira, o Deco, o R.Carvalho e ainda o Mourinho, não era preciso vender mais ninguém. Ia buscar o Seitaridis, um médio e pronto. Assim , sim: seria possível reorganizar a equipa, pô-la de novo a funcionar.

ATT - Terá sido uma opção de Del Neri…

Costinha - Não me parece que lhe tivesse sido dado o poder de desfazer equipas campeãs da Europa.

ATT - A sangria na equipa continuou com Fernández…

Costinha - Fernández construiu uma equipa e depois venderam-se mais jogadores.

ATT - Derlei foi dispensado por vontade de Fernández ?

Costinha - Isso é mais complicado. Para perceber a saída de Derlei é preciso encontrar quem está por detrás dela. Não admito que um grupo de adeptos venha criticar e enxovalhar, com faixas provocatórias, um atleta que deu ao clube aquilo que Derlei deu. E mais espantados ficámos quando ninguém do FC Porto tomou uma atitude. Pelo contrário. Essa gente, depois de insultar os jogadores, entravam nas instalações do clube com um livre-trânsito e ninguém fazia qualquer reparo. E mais: de dia ameaçavam os jogadores e á noite jantavam com dirigentes do FC Porto. Que pensa um grupo quando sabe que quem os insultam e ameaçam janta com dirigentes do clube ?

ATT - Conhece o presidente dos Super Dragões ?

Costinha - De vista. Ele diz-se profissional de claque e, pelo que aparenta, tem uma profissão rentável. Muitos jogadores do FC Porto não ganham para comprar Porches e ele tem um.

ATT - Acha que as claques serviram para branquear as decisões da direcção que falharam ?

Costinha - Não sei. Sei que tenho no meu corpo marcas que provam o que dei ao clube. Joguei lesionado e joguei infiltrado, fi-lo porque quis e por dedicação. Ganhei tudo o que havia para ganhar. E ainda andam a correr atrás de mim para me fazer a vida negra?! E os responsáveis, os directores não fazem nada ?

ATT - Foi ameaçado ?

Costinha - Sim, mas como tenho um grande amigo na cidade do Porto o caso teve um fim pacífico.

ATT - Qual foi a situação mais complicada ?

Costinha - Quando o FC Porto empatou na Madeira com o Nacional, os desacatos começaram logo no aeroporto do Funchal. As claques provocaram com insultos todos os jogadores, sobretudo o Raul Meireles, que tivera o azar de fazer um autogolo. Foi mesmo agredido fisicamente, com uma garrafa. Eu estava no Porto, a recuperar de um traumatismo craniano, mas soube o que se estava a passar porque telefonei a vários colegas, por solidariedade. E perante o que ouvi decidi ir ao aeroporto do Porto esperar a equipa. Levei dois amigos, para não levar dois guarda-costas, e tive razão, porque quando lá cheguei vi um bando de 60 ou 70 Super Dragões. Os jogadores foram os primeiros a sair do avião e a levar com aquela gente toda, com insultos, com agressões, enquanto os dirigentes ficaram dentro do avião, protegidos. Apenas Reinaldo Teles saiu. E a verdade é que aquela gente agrediu atletas. Na época passada, tudo foi permitido no FC Porto.

ATT - Nunca tentou falar com o presidente ?

Costinha - Não. Eles é que decidem. Quando acertam, dizem que acertam, quando erram não dizem nada. Tinhamos jogadores campeões da Europa a ganhar 5 escudos e outros sem nada ganho com ordenados muito superiores. E eu tentava ajudar falando com eles.

ATT - O mau comportamento da equipa nos jogos em casa esteve relacionado com este ambiente ?

Costinha - Foi uma das questões da época e a explicação. É muito simples: alguns jogadores não conseguiram jogar por medo. Estamos a falar de ameaças vindas de grupos organizados. Por mais que alguns de nós tentasse criar um ambiente desinibido, houve quem ficasse em pânico por falhar um passe ou uma jogada.

ATT - Foi por isso que jogadores como Luíd Fabiano renderam pouco ?

Costinha - Luís fabiano foi um dos que se deixaram apanhar por esse medo.

ATT - Estamos a falar das mesmas pessoas de quem Mourinho se queixou ?

Costinha - Claro. Estou por dentro da história, mas não a posso revelar sem autorização dele. No entanto, posso dizer que aquilo que fizeram ao Mourinho foi uma vergonha.

ATT - O que fez Pinto da Costa para evitar esses problemas ?

Costinha - Ele continua a ser um grande líder, mas nos maus momentos não basta dizer que a equipa perde porque o Derlei só gosta da noite ou porque o Costinha só gosta da noite. Bodes expiatórios, não. É fácil atribuir a destruição da equipa campeã do Mundo a Del Neri, é fácil atribuir o despedimento dele ás pressões dos jogadores, é fácil atribuir a Fernández o esvaziamento, em janeiro, da equipa, e é fácil convecer a massa associativa, através da colocação estratégica de meia dúzia de Super Dragões num estádio, de que a culpa é dos jogadores. E assim protege-se a direcção. Mas eu não sou dos que ouvem, vêem e ficam calados. A equipa e o espírito de Mourinho foram completamente destruídos.

ATT - Foi para Moscovo só por causa do dinheiro ?

Costinha - Quando deixar de pensar em ganhar títulos, vou escolher um clube mais pequeno para que não me chamem chulo.

ATT - Mourinho nunca o convidou ?

Costinha – Em Novembro de 2003, Mourinho disse-me que no fím da época seriamos campeões Europeus, que ele iria para um grande clube e perguntou-me se queria ir com ele. Disse que sim. Depois isso não se concretizou, mas não lhe quero mal por ter levado o Paulo, o Tiago e o Ricardo. Continuo a falar com ele regularmente.

ATT - E quando regressar a Portugal ?

Costinha - Todas as pessoas sabem que sou sportinguista desde pequeno. Quando regressei a portugal disse que gostava de jogar no FC Porto, onde queriam ganhar sempre tudo e os valores da familia eram defendidos. Recusei uma proposta do benfica, podia ter ido para o Sporting, mas escolhi o Fc Porto. Num degundo regresso, não sei o que acontecerá.

ATT - Aconselhou Miguel ao Dínamo ?

Costinha - Aconselhei. Como jogador e como homem. O Miguel não quis vir e acho que fez bem. É novo e tem outros clubes interessados para onde ir.

Faz me confusão como é que ninguem pegou nesta entrevista e questinou os responsaveis do FC Porto sobre o seu conteudo.
Presumo que quem coage e agride jogadores não terá problemas em fazê-lo também contra jornalistas. Uma pergunta incómoda numa conferência de imprensa e à saída lá estarão os gorilas para cobrar o preço. Ontem o guarda Abel, hoje os superdragões. Lembrem-se por exemplo do Bimbo a chegar ao tribunal com uma horda deles: se calhar o Mourinho não andava longe da verdade quando comparou o Porto a Palermo.

Eles realmente têm um poder dentro do clube completamente fora do normal, no que a Portugal diz respeito. E sinceramente acho um exagero. Mas meus caros, se o PC já precisa do apoio da claque, é porque o fim está próximo…e apenas quer adiar não deixando que haja oposição.

Alguma vez eu imagino uma claque do Sporting a fazer isto?
Quanto mais vejo isto acontecer no porto; vejo casos de dividas; jogadores hipotecados; direcções com lfv&veiga; festas ou feiras parolas; mais orgulho tenho em ser do SPORTING em ser SPORTINGUISTA.

O que me impressiona mais é o silêncio do resto da comunicação social em relação à dita entrevista. É como se fosse uma realidade aceite por todos como normal, ou então é um medo generalizado d’il Pinto de La Costinni e dos seus campangas.

Gabo a forma como Costinha foi frontal e contribuiu para se desvendar a podridão que é o FCP. Tinha de ser sportinguista… :smiley:

Entrevista extremamente interessante do Ministro, jogador que me habituei a admirar na nossa selecção. Não faz críticas só por fazer. Argumenta-as muito bem.
Não o sabia sportinguista, mas assim até o admiro mais. :lol:
Todos sabemos que o Porto funciona de uma forma extremamente corporativista. A crítica que ele faz ao chefe dos Super Dragões serve de imagem aos chefes da maioria das claques dos 3 grandes.
Gostei sobretudo da forma como ele defende os seus colegas, o que faz dele um excelente hipótese para capitão de equipa. Aliás é um dos capitães da nossa selecção.
Sempre disse que era um dos jogadores do Porto campeão da Europa que eu gostaria de ter no Sporting (outro é o Derlei). Agora que o sei sportinguista, ainda gostaria mais de o ver no nosso meio-campo. É pena estar já na recta final da sua carreira, mas se viesse já ainda fazia mais 3 aninhos. :smiley:
Força Costinha - estamos contigo.

A propósito de máfias, alguém sabe se o jogo de hoje entre o Estoril e os lamps é no Algarve? :mrgreen: Pelos argumentos que usaram para o outro jogo ser lá, agora ainda mais sentido faria, dado que meio Portugal anda por terras algarvias.

Tu é mau…

:mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:

Perante o que aqui está dito por um jogador que conhece profundamente os meandros do fcp e, pelos vistos, as associações de malfeitores que o circundam, pergunto-me, e convido todos os foristas a fazerem também um pequeno exercício de imaginação, quais seriam os títulos da pasquinada sensacionalóide, se o relatado por Costinha se passasse no Sporting?
Mas, vale mais uma lamúria do Barbosa e do Ruizinho, ou até uma pretensa crítica do Iordanov, para figurar como notícia que aprofundar este caso até aos limites.
Muito do que disse Costinha todos já ouvimos “soprar”, mas, publicamente e da boca de alguém “de dentro” penso que é a primeira vez que tal acontece.

Contudo, há uma 2ª leitura que é preocupante. Ao assumir a existência de um “grupo controlador” dos jogadores fora do campo, e assumindo que ele não foi criado apenas no ano passado, podemos tb ser levados a pensar que, ao invés dos tradicionais valores da família e da solidariedade que nos querem fazer crer ser o balneário do fcp o grande (e único, dizem eles) intérprete, os tradicionais bons resultados do fcp se fazem pela lei da vergasta, o que significaria que os jogadores de futebol só rendem nos limites máximos qd sob coacção e olhar atento de um “Big Brother” omnipresente em toda a sua vida profissional e mesmo privada.

Preocupante e intrigante!!

Ao contrário do que a maioria possivelmente pensa sou 100% a favor da lei da vergasta “natural”, embora considere completamente errado tudo isto que costinha diz.

O ano passado não foram os jogadores os culpados mas sim bodes expiatórios do que se passou. No entanto existem mto boas épocas em que os jogadores são grandes culpados no que se vai passando. Para mim, a excepção confirma a regra, a maioria dos jogadores de bola são trogloditas sem regra, propícios a excessos e ridículo decorrentes da sua falta de formação num país que até há bem pouco tempo não permitia a um profissional de bola uma boa formação. Nesse sentido apoio vivamente tudo o que é medida para os meter na ordem quando saem do trilho, pois quem ganha o que eles ganham tem de ter outras responsabilidades e por mais que se queira o contrário a verdade é que uma vida de noitadas e regabofe limita a prestação.

Um bom exemplo disso foram as declarações de emerson, ex-porto, que na fase dourada do penta dizia que o segredo estava no facto de saberem que se perdessem pontos mal perdidos não podiam sair à rua no dia seguinte. Outros bons exemplos são os comportamentos de Jardel e Edmilson antes e depois do FC Porto. O respeitinho é mto bonito e o jogador de bola é um básico. Essa é que essa.

Portanto… lei da vergasta? 100%, apesar do que se passou o ano passado no Porto ter sido uma vergonha e neste caso a lei da vergasta ter sido mto mal aplicada.

Quanto ao Costinha apesar de mto caceteiro é um trinco que sempre admirei, é certamente uma boa influência no balneário e um jogador que honra as camisolas que veste, logo tenho pena que não tenha envergado a nossa que aliás é a sua de infância. Aposto que não engordaria 20kg num ano nem andaria noites a fio em bares de alcochete fora de folga e a passar cheques a brasileiras da vida a torto e a direito (passava só um muito de vez em quando talvez :)).

Esta entrevista do Costinha, a ser verdade, acaba com 1 mito, o do porto disciplinador, está na cara que disciplina é o último objectivo de dirigentes que usam membros de claques para amedrontar jogadores, se é esta forma de “trabalhar” dos dirigentes do porto, eu conheço muitas histórias que corroboram o que o Costinha diz, então imaginem o que não deve ser feito em relação a árbitros e jornalistas, o futebol cada vez se revela mais uma poço de maldade e ilegalidades! :? :arrow:

Esta entrevista do Costinha, a ser verdade, acaba com 1 mito, o do porto disciplinador, está na cara que disciplina é o último objectivo de dirigentes que usam membros de claques para amedrontar jogadores, se é esta forma de "trabalhar" dos dirigentes do porto, eu conheço muitas histórias que corroboram o que o Costinha diz, então imaginem o que não deve ser feito em relação a árbitros e jornalistas, o futebol cada vez se revela mais uma poço de maldade e ilegalidades! :? :arrow:

Rui Sampaio

Subscrevo ta totalidade tudo o que aqui dizes sobre a entrevista.

Já se conhecia mais ou menos o teor da acção dos supermorcões sobre os futebolistas do clube, mas é bom alguém dize-lo com todas as palavras! Assim vão caindo umas mascaras e mitos!

Agora o costinha quando for ao porto que tenha cuidade porque eles andem aí.

Já agora, no Sporting também temos meninos que de vez em quando se armam em inquisidores. E esta epoca, pelo que sei estão cheios de vontade!

Este tópico está repetido nos “Outros Assuntos”. Era melhor juntar os dois, se fosse possivel… :wink:

Tudo isto que o Costinha relata é, ao mesmo tempo, surpreendente (embora já soubéssemos uns lamirés) e preocupante. Aquilo é mesmo uma associação de malfeitores, uma autêntica turba de mercenários sob a orientação de um caudilho.

Costinha - De vista. Ele diz-se profissional de claque e, pelo que aparenta, tem uma profissão rentável. Muitos jogadores do FC Porto não ganham para comprar Porches e ele tem um.

:shock: :shock: :shock:

Acho que vou desistir do meu curso e começar a assaltar estações de serviço :roll:

Tudo o que o Costinha diz na entrevista,nao me surpreende.

Todos nos sabiamos que o PC tem andado sempre bem amparado.

Se tem sucesso pertence-lhe.Se nao tem esconde-se.

Quanto ao Costinha ser Sportinguista,ja o sabia ha muito tempo,ainda ele jogava no Oriental,ja dizia que o seu Clube do coracao era o Sporting.

Os meus Parabens e agradecimentos ao Costinha pela sua coragem
de desmascarar uma especie de mafia ligada ao FCP.

a reflexão do Juba é pertinente. permite-me uma questão, ilustre forista: se o Porto não agisse como uma tribo - comandada pelo chefe Big Brother - teria vencido todos estes títulos? reforço: um grupo de vinte e cinco profissionais, profundamente heterogéneo e multinacional, não necessita, para vencer, de obedecer, cegamente, às ordens do Big e correligionários…?

Pois eu acho que o Costinha é hipocrita…!!! :roll:

É que estas estorias são tao velhas qto o “reinado” do PdB no clube, pelo que tem certamente 25 anos ou mais… e sempre foram dirigidas quer para o exterior quer para o interior.

Ainda me recordo no “Verão Quente” de 83/84 (?) qdo lá fomos buscar o Pacheco e o Sousa, a “protecção” que outros supermorcoes fizeram aos jogadores do fcp… aliás diz quem sabe que nessa altura o Vermelhinho não veio precisamente por isso.

Porque razao só agora é que o Costinha fala nisto? Porque só agora é que perdeu? Assim parece-se aos que critica.

Para mim a unica novidade (que até nem o é) é o facto de uma noticia tão forte como esta ser COMPLETAMENTE silenciada na comunicação social… pois, é que eles sabem bem que se não andam na linha lhes chegam a roupa ao pelo… até em directo pela TV se for caso disso.

Depois venham lá 50 Ravelis dizer que os profissionais da escrita são em 98% dos casos excelentes profissionais… :roll:

Serão bons chefes de familia certamente, e aí não os critico, mas bons profissionais não são!!!

Ainda me recordo no "Verão Quente" de 83/84 (?) qdo lá fomos buscar o Pacheco e o Sousa, a "protecção" que outros supermorcoes fizeram aos jogadores do fcp... aliás diz quem sabe que nessa altura o Vermelhinho não veio precisamente por isso.

Nesse caso, vivam os Super Morcões! :lol:

quem é o vermelhinho?