Emprestados e Excedentários 22/23

Emprestados:

  • Marco Túlio - CSA - (até 12/2022)
  • Joelson Fernandes - Basileia (até 06/2023)
  • Tiago Tomás - Estugarda (até 06/2023)

Por colocar:

  • Renan Ribeiro :beach_umbrella: :meat_on_bone:
  • Jovane Cabral
  • Islam Slimani
  • Gonzalo Plata
  • Andraz Sporar
  • Pedro Mendes
  • Luiz Phellype
  • Eduardo Henrique
  • Rodrigo Battaglia
  • Tiago Ilori
  • Rafael Camacho (deverá ser emprestado ao Aris com opção por 3M)
  • Idrissa Doumbia
  • Bruno Tavares
  • Carlos Jatobá
  • Filipe Chaby
  • Alex Mendes
  • Hevertton Santos
  • Gonçalo Pinto
  • Diogo Almeida
  • Chico Lamba (pode ou não ficar)
  • Babacar Fati
  • Paulo Agostinho
  • Tiago Rodrigues
  • Rafael Lopes
  • Gonçalo Batalha
  • Daniel Rodrigues
  • Danilo Luís

Já resolvidos:

  • Edu Pinheiro
  • Edson Silva
  • Diogo Brás
  • Gonçalo Costa - Portimonense - custo 0 (ficamos com%)
  • Rafael Fernandes
  • Anthony Walker
  • Pedro Marques - NEC Nijmegen - custo 0 (ficamos com %)
  • Bruno Paz - Konyaspor - custo 0 (ficamos com 25%)
  • Adriano Almeida
  • Rafael Carvalho - Tondela S19 - custo 0
3 Curtiram

Muita gente para despachar. Não vai ser fácil.

Também deixa de haver a desculpa da “herança pesada”.

1 Curtiu

Eu também decidi fazer uma lista bastante grande: a maioria dos jogadores aí não pesa praticamente nada a níveis salariais. Os casos mais preocupantes são os mesmos de sempre:

Renan, Sporar, Eduardo, Battaglia, Ilori, Camacho, Doumbia

Isto porque acho que não será difícil colocar Slimani, Plata e Jovane.

Todos os outros são jogadores da formação ou de equipa B e fazem pouca diferença

1 Curtiu

Certo!

Mas os excedentarios da equipa principal são tipos a ganhar salário monstro e muitos deles sem mercado. Muito difíceis de colocar.

Vai ter de ser rescisão mantendo percentagens de passes. Não podemos estar todos os anos a emprestar 20 jogadores. Aliás as regras mudaram nesse aspeto.

Muito trabalho para o Hugo Viana, que espero já esteja a tratar disto.

Batta, Renan e Pedro Mendes não hão de ser complicados, porque estão no último ano.

Plata, Slimani e Jovane têm mercado.

Luiz Phellype também deve ter algum mercado.

Eduardo é novamente emprestado ao Al-Raed se garantirem a manutenção, o que é bom porque dessa forma não pagamos salário.

O Camacho está prestes a ser emprestado, e o Aris até deve pagar alguma parte do salário.

Sporar, Doumbia e Ilori parecem os mais complicados neste momento, mas até o Sporar deve ter mercado.

o renan vai ser complicado ele nao quer sair nunca

Já agora tirem-me a dúvida.
Não há uma lei nova já para a próxima época, sobre um número máximo de jogadores emprestados?

Sim.

São 6, salvo erro. Os jogadores formados no clube não contam ou têm um limite diferente, agora não sei.

Para a próxima época começam por ser 8. Sub-21 não contam e localmente formados (esta última tem uma definição um pouco vaga) não entram para as contas, por isso sem problemas.

Os que já temos emprestados não entram: Joelson e TT são sub-21 e formados cá e o Túlio ainda é referente à época anterior penso (21/22 equivale a 2022 no Brasil).

Os que podem sobrar para emprestar e contam são: Camacho, Doumbia, Eduardo, Luiz Phellype e Sporar. Talvez o Ilori, mas às tantas esse conta como formado localmente. E o Geny, também é possível que seja novamente emprestado.

A capacidade desta direção em fazer dinheiro com excedentários é absurda. Aqui não há empresário que “dê uma mão”

Não tenho a certeza que o Marco Tulio não conta. A não ser que haja um parecer das instâncias internacionais que o confirme, eu contaria com ele, o que só nos deixa com 7 vagas.

Eduardo e Doumbia continuarão emprestados quase de certeza, Camacho também vai…

Não sobram muitas vagas. É o momento de saídas definitivas de Battaglia, Slimani e Pedro Mendes.

Vender Luiz Phellype e Sporar, mesmo perdendo algum dinheiro com o último, também seria importante.

Yep.
Também tenho a ideia que a coisa não será fácil.
Corremos sérios riscos de gastar mais do que ganhamos.
Os jogadores e empresários vou ter mais está nuance para pressionar,
Todos vão querer ficar para o fim para ter mais força negocial.

Primeiro temos de ver o que acontecerá dentro das nossas competições, pois as associações nacionais não são obrigadas a colocar já em prática o novo regulamento da FIFA. E mesmo a FIFA diz que os regulamentos “domésticos” têm de estar “in line with the FIFA principles”, não que têm de ser seguidos à letra.

Eu espero que eles cá sejam seguidos à letra, como é até habitual em tudo o que a FIFA e UEFA mandam. A nossa liga e federação nisso nunca querem ir contra. Mas neste caso, face aos interesses de alguns cubes, pode ser que haja ali uma alterações. As associações nacionais têm 3 anos para alinhar as suas leis, veremos.

Contudo, mesmo alterando, a FIFA, tem como princípio com estas disposições libertar jogadores para outros clubes, evitando o monopólio de clubes maiores. Isto até porque sabe-se que apenas 30% dos jogadores emprestados regressam ao clube “mãe” para ser opção. Ou seja, 70% andaram a marinar, com os seus trajetos decididos pelos clubes, até acabarem por ser vendidos ou libertados em final de contrato.

Só um aparte: isto já não chateia agentes, isto já não prende os jogadores nem viola nada. Os senhores que tanto defendem liberdades e tal… Bem, em frente.

Quanto ao resto, do que li não me restam grandes dúvidas: jogadores com mais de 21, apenas 8 emprestados, máximo de 3 ao mesmo clube. Acabam empréstimos superiores a um ano (porque raramente esses são feitos para que o jogador regresse ao clube), os contratos têm de ter tudo discriminado, incluindo quem paga salários, que comissões foram envolvidas (olá malas) estão fora disto jogadores sub21 e os que, mesmo maiores de 21, fizeram a formação toda no clube de origem (o caso do Pedro Mendes).

Sendo assim, Tiago Tomás, Jovane, Eduardo Quaresma e Pedro Mendes são formados no Clube e não contam (o TT até está em empréstimo anterior à entrada da lei, portanto nunca contaria).

O Plata tem menos de 22 anos ("[…]aged 21 or younger[…]"). O Quaresma também se encontra na mesma situação, mas está também no ponto anterior.

Dos que andam agora emprestados ou encostados, Sporar, Eduardo, Camacho, Battaglia, Doumbia, Luiz P., Ilori, Renan são 8 e podem ser emprestados.

As coisas mudam caso se queiram emprestar jogadores recentemente adquiridos. Também muda quando o Tulio regressar, se regressar.

Mas a maioria destes casos tem de ser fechada. Aqueles emprestados são um peso enorme de ativo mal parado e de prováveis despesas.

Obrigado pelo esclarecimento.
Pelo menos assim já temos mais margem.

Margem para emprestar teremos, agora o ideal é conseguirmos vender essa malta

Sem dúvida…vamos confiar🙃

Sem vender dessa malta não tens. Quer dizer, a menos que fiquemos com eles. Eu acho incompreensível continuar com Renan, Ilori, Eduardo, Battaglia, Luiz P. e Sporar. Até porque o presidente em tempos disse que alguma desta malta era fácil de colocar, sem danos financeiros ao Sporting. Disse-o antes do Sporar e do Eduardo e não se pode enquadrar o Batta por ser anterior, mas os outros sim. E até é aceitável achar que Sporar e o Eduardo são enquadrados na mesma filosofia, já que ela foi defendida para o futuro.

Afinal ainda cá andam, pelo menos 3 com custos mensais para o Sporting.

Mas o JJ nao mete os olhos neste craques???..

O Battaglia e jovane acabam contrato em 2023, são para vender