E ainda...

" Chega, 2

  1. HUGO. Não se trata de ódio de estimação, trata-se da realidade pura e simples. O Penafiel vence, meus amigos, porque o Hugo comete um erro de principiante no primeiro golo - tal como há uma semana em Belém - e faz o que faz no segundo. Nada mais. Porque não houve mais oportunidades para o Penafiel. Não houve domínio. Não houve perigo sobre perigo junto à baliza de Ricardo. O que o Hugo faz - tal como em Belém - é isto: com 0-0, o Sporting podia ganhar marcando aos 94 minutos. Com 0-1, a vitória é uma miragem. E os jogadores, de uma e outra equipa, sabem-no.

  2. PESEIRO. Boas escolhas nos casos de Mário Sérgio, Beto e Paíto. Péssimo em tudo o resto. O pior: tirar Barbosa e Viana, meter Rogério. Simplesmente inacreditável. A partir daí, como qualquer adepto podia prever, o Sporting deixou de ter bola com qualidade e tornou-se a imagem da desorganização. Em cima deste cenário, Peseiro substitui Moutinho e perde definitivamente o meio-campo. Desorientação total. Moutinho vai jogar quinta-feira? Então para quê poupá-lo?

  3. BALNEÁRIO. Pensar jogo a jogo, é a mensagem preferida de qualquer mister que se preze. Pois bem, no dia de aplicar a teoria, o que faz Peseiro? Deixa Viana e Barbosa no balneário ao intervalo. Mensagem para o grupo: isto está ganho, o que importa são os jogos com o Middlesbrough e o FC Porto.

  4. NICULAE. Contra equipas como o Penafiel não se pode jogar sem avançados fisicamente poderosos. O Sporting tem dois: Niculae e Pinilla. Ambos no banco contra o Penafiel, tal como contra o Setúbal, tal como contra o Braga. Pior do que isto é fazer entrar Niculae, colocá-lo a extremo-esquerdo e continuar a cruzar bolas para a cabeça de Liedson (no meio de três centrais). Alguém percebe isto?

  5. TELLO. Protagonista de um falhanço equivalente aos de Hugo. Não é mau jogador, não é óptimo. É mediano, às vezes bom. Importante, mesmo importante, era que o sr. Luís Duque explicasse aos sportinguistas como pagou 1,5 milhões de contos por ele.

  6. EMPRÉSTIMOS. Ponto prévio: sou absolutamente a favor do que Bettencourt, Ribeiro Telles e Dias da Cunha fizeram e continuam a fazer pelo Sporting, embora com diferentes sensibilidades. E apoio a 100 por cento a aposta na formação. Agora, inventar craques para usufruto de outros é que não. Se Simão e Quaresma são questões de tesouraria, as exibições contra o Sporting de Paulo Sérgio, Silva, Nuno Santos e Edgar Marcelino são a anedota do ano.

  7. SUPERLIGA. Reitero: é assunto para Benfica, Boavista e FC Porto. Neste momento, sou pantera desde pequenino. Continuo a pensar que o Benfica, tendo crescido, ainda é o pior dos três grandes. No entanto, beneficia, actualmente, de uma grande vantagem: os jogadores estão fortemente concentrados e acreditam, sem sombra de dúvida, no título. Com Camacho resultou. O calendário também ajuda.

  8. UEFA. Só por loucura se pode vir agora afirmar que a Taça UEFA não interessa porque é a segunda divisão europeia. Para além do óbvio - os profissionais alimentam-se de títulos - há a questão do prestígio (que, entre outras coisas, convence jogadores importantes a assinar pelo clube). Quanto ao resto, são milhões. No caso do FC Porto, 17 milhões de contos só em vendas de jogadores. Derlei, herói da UEFA, rendeu 1,8 milhões de contos aos 29 anos.

  9. CHAMPIONS LEAGUE. Os cinco da frente não competem em exclusivo pelo título. Esta época, os dois primeiros lugares são acesso directo à fase de grupos da Champions League. Ou seja, a garantia de que o próximo orçamento para o futebol será bem mais generoso do que o anterior com a consequente vantagem sobre os rivais internos. É bom que as equipas técnicas não percam isto de vista."

In http://www.quatroquatrodois.blogspot.com/

Apenas uma discordância…

EMPRÉSTIMOS…

Por mais crítico que seja do “Projecto” se há coisa que aplaudo é não só o empréstimo dos jovens que decidimos não serem para já úteis a equipas de topo como também a autorização da sua utilização contra nós.

Mal estará (ainda mais) o Sporting se se justificarem maus resultados com a exibição de jogadores que considerámos não serem superiores aos que ficam.

O que há que discutir são os critérios que subjazem a opções que passam por exemplo pela aquisição de um pinilla em desfavor de um lourenço ou um silva, que por mais toscos que sejam não revelaram ser inferiores ao playboy da penincilina.

Empréstimos:
Antigamente os nossos jogadores emprestados não jogavam contra nós … agora jogam porquê?
Não consigo perceber, não dá mesmo.

Jogam pq eles existem para jogar.

Jogam pq finalmente se colocou um termo na nojeira que o Pinto da Costa inventou e que é uma das bases do sistema.

Jogam pq como se vê a treta de que “ao jogarem podem benificiar o clube de origem” é uma patranha inventada para justificar este sistema de falsificação do futebol

Jogam pq lá fora, no futebol evoluído tb jogam, com verdade desportiva.

Se os clubes grandes têm jogadores a mais vendam-nos. Se têm putos bons lancem-nos.

Mas acho mto bem que acabe esta palhaçada de se ter 3 planteis, um para jogar, outro para reserva e um terceiro para falsear a verdade desportiva, enchendo clubes sem dinheiro de jogadores gratuitos que depois ficam todos de fora nos jogos fulcrais.

Aliás esta é uma das principais razões pela qual o nosso campeonato ainda tem a dimensão que tem: clubes sem orçamento que vivem à custa dos empréstimos.

Se os grandes passarem a ter mais critério e cuidado nesta questão muito clube da treta vai cair. E com isso melhora o campeonato, reduzindo-se.