Ciclismo - Parte 2

ETAPAS DA VUELTA EM PORTUGAL CANCELADAS

CICLISMO 12:36

Por
Redação

Em comunicado conjunto foi divulgado este sábado que as etapas da edição deste ano da Volta a Espanha que passariam por Portugal foram canceladas devido à pandemia. A realização da prova está marcada para 20 de outubro a 8 de novembro.

«As autarquias de Porto, Matosinhos e Viseu, e a Unipublic, a organizadora da La Vuelta 2020, anunciam que, atendendo à imprevisibilidade da pandemia da covid-19 e às alterações impostas pelo calendário internacional de ciclismo, está cancelada a vinda da Volta a Espanha a Portugal», lê-se no documento.

Os itinerários das etapas que ligavam Mós (Galiza) a Porto/Matosinhos e Viseu à Ciudad Rodrigo, em Salamanca, ficam riscadas do calendário da Vuelta, cujos novos trajetos serão anunciados nas próximas semanas.

A Bola

MÉDIO ORIENTE SALVA MUNDIAIS

CICLISMO 08:15

Por
Fernando Emílio

Embora contestadas pelos organizadores de corridas, equipas e corredores, a UCI e a UEC não desarmam e face à situação originada pelo Covid-19, estudam formas de organizar os Campeonatos do Mundo e Campeonatos da Europa.

Na possibilidade de o governo da Suíça não autorizar a realização dos mundiais em Aigle-Martigny entre 20 e 27 de setembro, a UCI admite transferi-los para o mês de novembro, surgindo como hipóteses Omã, Catar e Emirados Árabes Unidos, países onde o clima é, supostamente, menos propício à propagação do Covid-19 devido à temperatura de 40 graus. Depois de este ano ter perdido as receitas dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a UCI faz as contas aos petrodólares, que poderão ser transformados numa entrada em caixa entre 8 e 10 milhões de euros.

Com a organização dos europeus em Trentino a informar da sua indisponibilidade para realizar o evento este ano, a UEC verificando que a Suíça, França, Holanda e Bélgica não vão realizar os campeonatos nacionais entre 21 e 23 de agosto, admite avançar para a realização do evento entre 19 e 23.

Decorrem conversações com as entidades oficiais da Bretanha para que o Campeonato da Europa vá em frente, realizando-se a Bretagne Classic-Ouest France a 25, quatro dias antes de começar a Volta à França em Nice.

A Bola

FEDERAÇÃO TENTA VIABILIZAR VOLTA A PORTUGAL

CICLISMO 09:20

Por
Fernando Emílio

A realização da Volta a Portugal só será autorizada pela Direção Geral de Saúde, desde que estejam asseguradas as condições indispensáveis para garantir a segurança sanitária de toda a caravana. Por essa razão, e segundo A BOLA apurou, estão a ser elaboradas pelo departamento médico da Federação Portuguesa de Ciclismo um conjunto de normas que servirão de base para apresentação à DGS, de forma a viabilizar a prova rainha do ciclismo em Portugal. O documento terá de ser aprovado, além da DGS, pelo IPDJ.

Uma das situações que vai ser alterada relativamente aos procedimentos habituais, passa pelo alojamento das equipas. Na edição 2020, ficarão todas em hotéis da responsabilidade da organização, como acontece com as corridas realizadas no estrangeiro. As unidades hoteleiras a serem contratadas, terão de obedecer à orientação das medidas de prevenção e controlo de infeção nos hotéis e alojamentos já publicadas, faltando apenas decidir o número máximo de equipas que ficarão alojadas em cada unidade.

Depois de aprovadas as normas, seguir-se-á uma reunião entre a federação e a organização da Volta a Portugal, para tratar de todas as medidas sanitárias que permitam a realização da corrida, assim como das restantes provas de ciclismo em todas as vertentes.

A Bola

14 maio 2020 - 21:45

Nairo Quintana deixou a Movistar por odiar “polémicas” e “guerras”

Ciclista da Arkéa Samsic diz que precisava “de uma mudança de ares”

A saída de Nairo Quintana da Movistar aconteceu porque o colombiano precisava de “uma mudança de ares sem polémicas, nem guerras”, justificou esta quinta-feira o ciclista da Arkéa Samsic em entrevista ao Eurosport.

“Já tinham passado uns anos e precisava de uma mudança de ares sem polémicas nem guerras, que são coisas que odeio. Encontrei um sítio onde estou confortável e onde quero continuar a crescer. Faço o que gosto e só quero desfrutar do ciclismo”, declarou o vencedor do Giro de 2014 e da Vuelta de 2016.

O colombiano, de 30 anos, despediu-se no final da época passada da Movistar, após oito anos a representar a equipa espanhola e de uma última temporada ‘recheada’ de polémicas e conflitos internos, retratados no documentário ‘El Día Menos Pensado’.

Questionado sobre se esses desentendimentos, maioritariamente relacionados com a liderança da equipa em momentos chave, como a Volta a França, influenciaram o seu rendimento, Quintana limitou-se a referir que quando não está “bem num sítio é muito difícil continuar”.

“Se o ‘feeling’ e a alegria acabam significa que alguma coisa tem de mudar. Sempre me trataram bem na Movistar e vivi bons momentos, mas chegou o momento de partir, ainda que com muita mágoa, e começar um novo caminho”, sustentou.

Na Arkéa Samsic, o eterno pretendente à vitória no Tour – foi segundo em 2013 e 2015 e terceiro em 2016 – encontrou aquilo de que precisava, voltando aos bons resultados, ao conquistar a Volta à Provença e a Volta aos Alpes Marítimos e ao ser sexto classificado no Paris-Nice, a última prova WorldTour a ser disputada antes da suspensão do calendário velocipédico devido à pandemia de covid-19.

“Estávamos no bom caminho. A preparação foi a mesma de outras ocasiões com um treinador que já me acompanha há uns anos. Mudar de ares e novas motivações influenciam a competir de outra maneira, porque a bicicleta é a mesma tal como outros elementos. […] Quando chegas a um sítio novo, queres sempre fazer as coisas da melhor maneira possível”, realçou.

Apontando a Volta a França como o seu principal objetivo para esta temporada, “mais ainda estando numa equipa francesa”, Quintana assumiu no programa ‘La Montonera’, do Eurosport Espanha, que o estado de forma com que vai chegar à prova francesa é “realmente uma incógnita”.

“Até mesmo o resultado final da corrida será particular. No final de contas, tens colegas que treinam cinco horas enquanto tens treinadores a dizer para não treinar mais de três horas, já para não falar do debate sobre se é melhor treinar de manhã ou de tarde… Nem todos treinamos o mesmo tempo, nem da mesma maneira e isso acaba sempre por ter influência. Temos menos tempo de preparação e, em corridas como o Tour, que são muito compridas, só saberemos como é que o corpo vai reagir na última semana”, notou.

Confinado devido à pandemia de covid-19, sem poder treinar na estrada, o colombiano evidenciou que não é o mesmo treinar em simuladores virtuais. “Na Europa, alguns colegas já puderam começar a treinar ao ar livre, e é esse ‘bichinho’ que todos sentimos, de saber quando será a nossa vez de poder sair para pedalar”, completou.

“Não é fácil gerir esta situação. Há pessoas que têm problemas e que podem entrar em depressão ou em estados de ânimo negativos. A equipa dá-nos apoio em todos os sentidos, e o mental é muito importante. Estamos em contacto constante para nos mantermos sempre animados e ativos”, contou.

Perante “uma situação muito preocupante”, o desejo de Quintana é “que se reativem as competições, porque, sem corridas, há muita gente no ciclismo que vai passar grandes dificuldades”.

“Neste momento, já existem equipas e ciclistas a passar dificuldades económicas e, claro, vamos ter cortes de orçamento nas equipas, tal como já vimos no último mês. Espero que depois desta pandemia tudo se acalme e recomece, ainda que sem público”, concluiu.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 299 mil mortos e infetou quase 4,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Record

CHRIS FROOME AGITA MERCADO

CICLISMO 09:39

Por
Fernando Emílio

Reforça-se a possibilidade de Chris Froome deixar a Ineos aproveitando a janela de transferências de agosto, mesmo depois da equipa reafirmar que o vencedor de 4 voltas a França, 2 à Espanha e 1 a Itália ficará até ao fim de 2020. Familiar do britânico deu conta do desagrado deste para com a direção da equipa, por não ter reagido às afirmações de Bernal sobre não estar disposto a sacrificar-se por ninguém no Tour.

Perante a indefinição quanto ao chefe de fila e as pretensões de Bernal e Thomas na prova, os rumores sobre a saída de Froome avolumaram-se nos últimos dias, havendo já 5 equipas interessadas. A começar pela Movistar, de Nélson Oliveira, cujo patrocinador, Telefónica, se juntou recentemente aos britânicos da Liberty Global, dona da Virgin, pelo que a contratação de Froome serviria de golpe desportivo e publicitário.

Também o proprietário da Israel Start-Up Nation, Sylvan Adams, está disposto a aumentar o orçamento para contratar o britânico, que tem salário de €5 milhões/ano. Já Rod Ellingworthn, diretor geral da Bahrain-McLaren e que trabalhou 10 anos com Froome, foi dos primeiros a mostrar interesse aos donos da equipa, que ainda recentemente cortou 70% nos vencimentos da equipa. A renovação em curso na UAE-Team Emirates não impediria a contratação de Chris do qual Joxean Fernandez Matxin, diretor geral da formação asiática é admirador. A NTT Pro Cycling, apoiada por japoneses e dirigida por Bjarne Rijs coloca, igualmente, em cima da mesa todas as hipóteses, caso Froome esteja mesmo interessado em mudar de equipa.

A Bola

COMPETIÇÃO DE REGRESSO… HOJE!

CICLISMO 09:35

Por
Fernando Emílio

Após uma longa paragem, a competição está, hoje mesmo, de regresso ao ciclismo em modo real, com a HTV Cup, prova de 2.183 quilómetros na estrada até 7 de junho e que é, tão só, a prova mais importante… do Vietname.

Com as competições suspensas até 30 de junho pela UCI, os vietnamitas arrancam mais cedo por não fazerem parte do calendário internacional HTV Cup, a qual deveria ter sido realizada em abril, mas acabou adiada devido à pandemia de Covid-19, embora o país, que tem 1.300 km de fronteira com a China e cerca de 97 milhões de habitantes, apenas registasse 288 casos positivos e nenhuma morte.

A experiência adquirida em 2003 com o combate ao SARS, síndroma respiratório aguda grave e altamente infeciosa em humanos, com morbimortalidade significativa e que teve a sua origem na China em 2002 a 2003, acabou a revelar-se determinante para controlar a situação.

Organizada pela cadeia de televisão Ho Chi Minh City, a corrida terá transmissão em direto no Youtube e Facebook e reúne apenas equipas vietnamitas, 12 ao todo, devido ao facto das fronteiras permanecerem fechadas, sendo que do pelotão de 84 corredores, apenas dois são estrangeiros: um francês, Loic Desriac, outro espanhol, Javier Sardá, por sinal o vencedor da última edição. «A popularidade do ciclismo cresceu muito nos últimos anos e é uma verdadeira loucura. Por norma passo oito meses no Vietname e os restantes em Espanha. Sou ciclista profissional e este ano cheguei em fevereiro para me preparar bem e tentar vencer de novo a corrida», deu conta o espanhol de 31 anos, que corre na equipa Thanh Phô de Ho Chi Minh.

«Está tudo bem no Vietname. Este será o primeiro acontecimento desportivo depois do Covid-19 e embora os corredores não tenham de usar máscara, ela será obrigatória para os outros elementos das equipas, jornalistas, comissários, condutores e demais pessoal, que também terão de lavar e desinfetar as mãos regularmente», especificou um dos membros da organização, Duc Phat Nguyen.

A Bola

AMOSTRAS DO TOUR REAVALIADAS

CICLISMO 10:15

Por
Fernando Emílio

Investigadores dos casos de doping da Operação Aderlass, na Áustria, que levou à suspensão de vários atletas, suspeitam de que em 2016 e 2017 tivessem sido consumidas substâncias na altura não detetáveis nos laboratórios. Razão que levou a Fundação Antidopagem para o Ciclismo (CADF) a mandar reexaminar todas as análises recolhidas na Volta à França desses anos, com especial incidência em 2017.

«Nesse período havia várias substâncias proibidas para as quais ainda não existiam métodos ideais de deteção nos laboratórios. Desde essa altura os procedimentos foram melhorados», afirmou Peter Van Eenoo, responsável pelo laboratório de Gent, admitindo serem os produtos originários dos Estados Unidos.

Fonte do CADF complementou: «Com base nas novas informações conseguimos identificar amostras interessantes e iniciar as análises. Os laboratórios de Seibersdorf, na Áustria, e Colónia, na Alemanha, estão a proceder às novas avaliações e se houver positivos a UCI irá comunicá-los.»

Oficial

INEOS e Froome não chegam a acordo para renovar.

Froome vai para a Israel Start-up Nation :open_mouth: 5M€ por ano! a partir de Janeiro de 2021.

Resta saber se vai mesmo participar no Tour 2020 e se vai ser o domestique do Bernal.

Vai-me custar ver esse tour à brava, que pesadelo para mim que gosto do Froome e da INEOS.
De forma objectiva… isto parece-me o inevitável passar de testemunho. Tendo visto a forma da SKY, INEOS trabalhar, nunca na vida vão dispensar um corredor daqueles de um Tour, e parece-me mesmo que vai ser um daqueles gregários melhores que lideres de outras equipas…
Sobre o numero de 5 milhões, engraçado que há alguns anos o mais cotado corredor no pelotão, na altura sendo o Contador, também ganhava isso, suportado pelo Tinkov.
Pessoalmente gostava de ver o Froome, que muitos já dão como morto para o ciclismo, vencer mais um tour e calar muitas bocas, embora me pareça muito difícil, a idade avança o que já era complicado e aquele acidente pode ter sido a machadada final, é acreditar na entrevista que diz que até aos 37 ainda luta por grandes voltas…
Enfim, da maneira que estou a ver o caso, cada vez mais me parece que vou ter de me contentar com vídeos dele a rebentar o Quintana Ventoux acima, ou a mítica etapa 19 do Giro de 2018.

1 Curtiu

Que equipa é essa??

é a antiga Katusha, ou melhor… a Israel Cycling Academy comprou a vaga da Katusha no WT quando esta acabou.

https://www.procyclingstats.com/team/israel-start-up-nation-2020

Ahhhh muito bem, obrigado!!

Katusha não era nada de especial, vamos ver se esta Israel trás uma equipa que ajude o Froome a ganhar o Tour

Dificilmente vai voltar a ganhar o Tour. Já tem 35 anos, e estatisticamente creio que com essa idade nunca ninguem venceu o Tour, além disso ele vem de lesão grave.

Mas este ano ainda vai correr pela Ineos provavelmente como domestique do Egan Bernal.

Queda brutal agora no fim da 1ª etapa da Volta à Polónia. :open_mouth:
Filha da putice do Dylan Groenewegen.

Ca ■■■■, parece que já foi desqualificado.

Sim concordo sobretudo por causa da lesão…mas não é impossível até porque apesar de nunca ninguém ter ganho com 35 já tiveste vários a ganhar com 34 anos…O Cadel Evans, o Lance, etc

O Lance ganhou com 34 mas com uma condição física de um jovem de 20, se é que me entendem :smiley:

1 Curtiu

Aliás na altura se ele tem continuado tinha ganho mais uma ou duas na boa…
Basta só olhar para quem ganhou a seguir.

1 Curtiu

Já vi um tipo ganhar a Vuelta com quase 42 anos :sweat_smile:

As últimas notícias indicam que Fabio Jakobsen está em estado muito grave.